História Traçados pela máfia - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Jay Park
Visualizações 56
Palavras 1.946
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá Mocchi's!
Espero que gostem desse capítulo
Desculpem pelo atraso
Boa leitura <3

Capítulo 11 - Naeyon


Savannah on

Acordar nunca foi tão ruim para mim...

Meu corpo doía, minha mente me acusava, meu coração se sentia fraco e apertado, come se as fortes mãos de Namjoon o apertasse até que todo o sangue se esvaísse e o mesmo se tornasse murcho, vazio e sem vida.

Diferente dos outros dias, não me levantei da cama, queria passar lá o dia inteiro. Minha vontade era apenas de permanecer ali até que todos se esquecessem quem eu sou ou era. 

Pode ser um pecado contra os céus, mas nem mais Chung-hee tirava a minha vontade sumir.

Será que ninguém nota isso? Será que todos não sabem o monstro que esse homem é?! Quando isso vai acabar?!

 Para completar a desgraça, essa porcaria de sangue acabou secando, minha menstruação está prestes a chegar, e a cólica que sinto é maior que qualquer coisa (menos a dor de ser violada).

Eu queria poder fazer algo que não fosse prejudicial a mim ou a Chung-hee, mas isso é como uma corda de elástico, se um soltar, o outro sentirá a dor, eu eu prefiro sentir a dor por Chung-hee.

Hoje pela manhã, tornei a ouvir os gemidos de Kim Namjoon com a garota misteriosa.

Não me importa se os dois estão ou não juntos, mas me importa em saber que depois de tudo que me fez, ele se sente bem... se sente ileso!

Por que ele me trata tão mau? O que ganha com isso? Meu sofrimento?

Por que ele se sente bem em fazer isso comigo? Isso é desumano! Eu vivo como um animal! Como um animal, não! Pior que isso!

Eu sei... sei que meus pais o fizeram mau, mas eu não tive culpa! Meu pais já estão mortos! A divida dos dois já foi paga!

Não quero invejar a vida do meu irmão, afinal, quero o melhor para ele (se necessário passaria tudo isso de novo para vê-lo bem), mas por que ele trata o Chung-hee tão bem e me trata tão mau?

Não me conformo! Não me conformo em pensar que pela vigésima vez fui tocada daquela forma!

Não posso lutar! Eu tenho muito medo dele! Sei que na primeira tentativa vou fracassar miseravelmente!

Ouvi alguém bater na porta e tratei de me cobrir e fingir estar dormindo.

Lc- Olhe como ela está, filho. Já passam das uma da tarde e ela não acorda! Olhe todo esse sangue que ela expeliu durante a noite! - diz puxando o lençol, trazendo ao meu corpo um arrepio.

JP- O que houve aqui? Essa casa nunca foi assim! Desde que o Sr.Kim enfartou e passou todas as...

Lc- Sei, sei - Lucy o corta - Mas quero saber o que ela tem! É impossível me sentir bem vendo-a neste estado! - preocupa-se - Sempre que chego perto deste quarto, a ouço chorando! Olhe só! Está vendo? O rosto dela está inchado, os olhos dela tem vestígios de lágrimas! Meu filho, eu não sei o que faço!

JP- Mãe, por favor, acalme-se... - mãe? 

Lc- O que isso pode ser, Jay? - pergunta aflita

JP- Isso com toda certeza não é apenas emocional... - diz decepcionado - Mãe... Savannah tem tido um comportamento estranho do que a senhora me contava! Ela parece sofrer alguma pressão física e emocional...

Lc- Olhe o que fala, moleque! O que está insinuando?! - ouço um tapa estalado

JP- Não estou insinuando, mãe. Eu conheço o corpo e a mente humana! Estudei para isso!

Lc- Você sabe muito bem que Namjoon não se atreveria a fazer isso com uma garota indefesa como Savannah!

JP- Mãe! Ontem eu vi o estado de Namjoon! Ele estava bebendo como se o mundo fosse acabar! Voltei para a mansão ontem a noite apenas para lhe trazer algo, mas vi que a senhora não estava mais aqui. Eu vi quando Namjoon tentava algo com a Naeyon na escada principal! Sei que ele não estava sóbrio, e por isso tenho medo.

Lc- Não fale isso dele! Sei que mesmo sobre efeito de bebidas ele sabe respeitar uma dama! - ah...! Claro...

JP- Mãe, ele estava praticamente se jogando aos pés da Naeyon! O Namjoon nunca rasteja atrás de ninguém!

Lc- Jay, você sabe que ele gosta muito da Naeyon, e está com Savannah para esquecer do que passou com a outra! Devo afirmar que já o vi sendo agressivo com a garota, mas isso não é da nossa conta.

JP- Agressivo? Como?

Lc- Você não precisa saber.

JP- Mãe, por que ele está mentindo em relação a tudo? Ele não a ama! De onde Savannah veio, mãe? Sei que sabe de tudo!

Lc- Você não precisa saber. Eu decido o que falo!

JP- Mãe, talvez você esteja colaborando para a morte de Savannah!

Lc- Sei o que estou fazendo! Abaixe o tom comigo! Seu moleque! Lhe chamei para analisar a garota, não para saber da vida alheia!

JP- Ela está dormindo! Não vê?!

Lc- Não tem como examiná-la?

JP- Não quero violar a Savannah. Talvez ela se sinta mau depois. 

Lc- Não vá! Espere um pouco!

JP- Mãe, isso não é certo...

Por uma pequena falha minha, acabei abrindo os olhos (pelo menos foi bem de leve e deu para disfarçar).

Lc- Ela acordou! - saltou contra meu corpo, me dando um abraço demorado e apertado, fazendo a dor da cólica aumentar - Como se sente?

- O-o-omma... está me sufocando... - tento respirar e a mesma me solta de seus braços - obrigada - sorrio

Lc- Desculpe... - realmente parece arrependida - Se sente bem?

- Sinto cólica... - faço uma cara feia

Lc- Oh! A quanto tempo? - acaricia meu rosto

- Desde que acordei... olá Jay! - sorrio

JP- Olá!

- O que houve? Por que está aqui? - pergunto apreensiva

JP- Primeiro, vim ver se sente-se melhor, e saber se há algo a mais está acontecendo.

- Não, estou bem... - desvio o olhar

JP- E esse sangue seco vindo do nariz? - toco em meu busso e sinto o sangue seco no local - Os lençóis estão bem sujos, pelo visto, sangrou até a metade da noite 

- E-eu não sei... estava dormindo... - respondo meio sem graça

Lc- Vou deixá-los a sós. Tchau Dr.Jay - então ela escondia ser mãe do Jay...

JP- Sim. Até mais, senhora

- Tchau omma. - nem espera minha frase acabar e vai embora

JP- Olha Savannah, me prometa que não vai se preocupar tanto ou se estressar. Isso lhe faz muito mau! - se senta em minha cama

- Jay... está tudo bem - sorrio falso - Não se preocupe comigo. Eu estou bem

JP- Deveria comer algo, parece fraca. Tenho certeza que sofre de anemia. - me fita tocando meu rosto e o analisando

- N-nã-não... não tenho... apenas impressão... - tiro sua mão do meu rosto bem rápido.

JP- Não irei debates com a senhorita, mas apenas se cuide. Se quiser viver mais, irá me escutar. - esboça o sorriso mais lindo do mundo e aperta de leve a pontinha do meu nariz, me fazendo rir um pouco. - Preciso ir. Se precisar de mim, comunique a senhora Lucy. - me abraça e se levanta da minha cama, indo em direção a porta e saindo a fora.

Voltei a deitar da mesma forma que antes em minha cama. Não iria sair dali

Fome ou sede eram coisas que eu não sentia, ou talvez sim, mas isso não ocupava minha mente agora. A única coisa que ocupava minha mente agora, era de como eu iria me livrar daqui.

...

Olhei para o enorme relógio que tinha sido porto a pouco tempo perto da parede do banheiro, e vi que já se passavam das 16:30, Namjoon nunca está em casa a essa hora, omma Lucy com toda certeza resolveu ir para casa (ultimamente ela não tem dormido aqui na mansão) , então, decidi dar uma volta pela mansão, ao menos estudar as saídas que existem aqui.

Fui ao banheiro e vi que algo estava errado... infelizmente ela havia chegado.

Fui ao armário do banheiro e tirei de lá um absorvente e uma calcinha.

Tomei um banho demorado, tirando toda a sujeira de sangue do meu rosto. Me sequei e me vesti com uma camisa grossa de algodão e um short (infelizmente curto). Decidi não molhar os cabelos, os ajeitei num coque desajeitado.

Saí do banheiro, calcei as mesmas pantufas de mossego, arrumei minha cama com os mesmos lençóis, já que não tinha outro e desci para o andar de baixo.

As vezes o ser humano faz umas merdas que são impossíveis de reverter. Eu deveria ter ficado naquela merda de quarto!

Estavam todos lá, incluindo Jungkook.

Como eu sou uma pessoa muito sortuda e equilibrada, acabei esbarrando no jarro que havia na ponta da escada e todos me avistaram.

Nj- Oh! Savannah! Reúna-se conosco! - sorri. 

Eu não podia aceitar isso, não mesmo, teria que aprender a me defender agora. Eu também tenho vontade a ser feitas.

- L-lamento... e-eu vou para o meu quarto - dou meia volta, já subindo as escadas, mas Namjoon agarra meu pulso.

Nj- Não, já passou tempo suficiente lá - me olha autoritário e eu apenas solto meu braço de uma maneira brusca de sua mão - Seu irmão está vindo lhe ver - lança como proposta, mas eu não estava bem, não queria que meu irmão me visse desta forma

- Se ele vier, diga que o amo. - subo as escadas com algumas lágrimas nos olhos

Adentrei no meu quarto, mas fui seguida por Namjoon, que pôs-se a entrar.

Nj- O que pensa que está fazendo? Sabe do que sou capaz? - pergunta entre dentes - Ponha sua melhor cara e desça me acompanhando. - puxa meu braço, mas eu nego

- Eu quero ficar aqui - bati o pé e puxei minha mão de vez

Nj- Você não pode exigir nada por aqui. Você não passa de um nada. Apenas venha! - puxou meu braço com toda a força que tinha praticamente me arrastando pelas escadas.

Namjoon chega no andar de baixo tomando minha cintura para si e assumindo postura de "casal".

Não posso negar que me sinto mal aqui, mas, pelo menos no grupo de pessoas que há aqui em baixo, tem uma pessoa que eu me sinto bem e confortável (vulgo Jungkook).

Nj- Jagi, está melhor? - deposita um selar nojento em meus lábios

J- O que teve, Savannah? - pergunta curioso

- Apenas enxaqueca. - me desvencilho de seus braços e digo em tom sério

Jk- Por que está tão sério? Não parece nem a mesma Savannah que conheci - me analisa estranho

- Imagina, Jungkook, estou bem...

Nj- Lucy me disse que estava com cólica, princesa. É verdade? - sabe aquele momento que só te você de garota e o próprio Lúcifer resolve te expor? Então...

- Apesar de ser de tamanha indelicadeza sua fazer um tipo de comentário desses em público... sim, estou com muita cólica. - respondo séria

Yg- Acho que hoje não tem... - tira sarro de Namjoon

Jk- Savannah, sente-se, não deveria estar de pé. Sente-se aqui... - se levanta e eu me sento no lugar que antes era seu

Hs- Aproveita que está em pé, e fala, por que nos reuniu aqui? - pergunta ansioso

Th- Isso! Boa!

Jm- Estamos todos ansiosos...! - arregala os olhos, me deixando sem entender nada

Jungkook me olha com um olha de "piedade", parecia meio infeliz.

Ele pigarrea e começa sua fala

Jk- Bom... todos sabem que eu precisava apenas de um passo para assumir as empresas Jeon, certo?

Tds- Certo

Jk- E esse passo foi dado. Conheçam Naeyon, a minha noiva

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Continua...


Notas Finais


Olá Mocchi's!
Espero tenham gostado do capítulo
Desculpa qualquer erro (._. )
Até o próximo capítulo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...