História Traçados pela máfia - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Jay Park
Visualizações 37
Palavras 4.073
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá :')
Espero que gostem do capítulo
Eu sei... prometi um hot digno, mas com o tempo que tive, só pude fazer este
Tenham uma boa leitura!

Capítulo 17 - Perguntas


Fanfic / Fanfiction Traçados pela máfia - Capítulo 17 - Perguntas

Savannah on

Me senti inerte depois das palavras ditas Kim. De certa forma me causaram um arrepio gostoso de ser sentido, mais conhecido como tesão, coisa que geralmente não sentia por Kim durante alguns dias.

Seus lábios não tardaram para ir de encontro aos meus. Sentia o bom sabor de sua bebida favorita, uísque. Apreciava os beijos e as carícias de Kim, sentindo um fervor entre as pernas e algo desperto roçar em minha pélvis, o que me deixava mais excitada ainda.

A língua do mais velho pediu passagem, rastejando-se pelos meus lábios e não tive como negar um pedido tão prazeroso. Nossas línguas se moviam em uma sincronia estranha e afoita, porém a sincronia mais gostosa e excitante de toda minha vida. Sem contar a maravilhosa presença de suas mãos em meu corpo.

As mãos grandes de Kim não perderam tempo para adentrar minha camiseta, esfregando-se em ambos dos lados da minha cintura e quadril. Subia e descia com sua mão até as barras laterais de minha calça, onde sempre puxava e soltava contra minha pele, trazendo um ardor na carne atingida, mas como o momento não permitia reclamações, apenas gemi em aprovação. 

O barulho das sugadas, mordidas e batalha de línguas que nosso beijo fazia, trazia um som gostoso de pré-sexo que eu tanto amava. Levei minhas mãos a barra de sua camisa, na tentativa de tirá-la, porém o maior me interviu, levando minhas duas mãos ao seu peitoral.

Aquelas mãos... como adorava a nova maneira que tocava meus seios por debaixo da camiseta de tecido mediano! Seu polegar e indicador trabalhavam estimulando meus biquinhos rígidos e excitados, enquanto eu tentava focar no beijo e esquecer de gemer tão sofregamente, indicando que apenas um toque seu me levava a maior loucura que podia imaginar. 

Minha calcinha já estava completamente molhada, já sentia as contrações em meu baixo ventre e minha excitação estava escorrendo pelos meus lábios internos. O momento pedia mais, nós queríamos mais, mas fui surpreendida por uma sequência de selinhos iniciada por Kim, diminuindo a velocidade de seu toque aos poucos até cessar o beijo e as carícias.  

O mais velho se senta ainda comigo em seu colo, e de longe já podia notar seu "garotinho" enorme desperto, bem desperto. Automaticamente levou seus lábios ao lado esquerdo de meu pescoço, depositando uma longa e gostosa sucção, que me fez estremecer completamente por dentro e fora, e que com certeza formou uma marquinha de coágulo sanguíneo. Kim afasta sua boca e me olha ainda indecifrável. Isso não me deixou nem um pouco contente.

Nj- Tire sua camisa, sente-se na cama com as costas apoiadas na cabeceira. - deposita dois tapinhas em meu bumbum num mandato para que me levantasse logo.

Não sabia o que viria depois daquilo, mas sabia que qualquer coisa que viesse, seria para acabar com a minha vontade mortal de transar.  

Como pedido, o fiz, encarando seu rosto, vendo-o se aproximar; sentando-se de frente para mim com pernas de índio. 

Nj- Acha que merece algo depois do que fez? - olha no mais profundo dos meus olhos, me dando um puta arrepio, por conta disso, acabei me sentindo envergonhada por estar sem camiseta, de seios à mostra numa conversa; tratei de cobrí-los com meus braços, mas fui repreendida - Solte seus braços. Não há nada em seu corpo que não conheça. - pontua sério, e cumpro seu mandato - Me diga! Acha que merece algo depois do que fez? - me fita sério e por segundos, senti meu coração quase sair do peito por sua seriedade, e automaticamente assimilei uma resposta. 

- N-não sei do que fala - uma resposta bem bosta e que me deixou envergonhada  

Nj- Apenas um beijo meu te faz esquecer da pré-transa com aquele filho da puta? - ri ladino sem humor algum. 

- Não foi uma pré-transa! - exclamo e em seguida percebo que falei alto de mais, pondo a mão na boca. 

Nj- Está me contrariando?  - arqueia uma das sobrancelhas

- Não, não estou. Apenas estou lhe mostrando o quanto está equivocado ao assimilar um simples beijo romântico sem mãos bobas a uma pré-transa. Pré-transa é o que estávamos fazendo a pouco tempo, Kim! - fito-o incrédula e seus olhos continuam afinco aos meus. 

Nj- Por que fez aquilo? - apóia seu queixo em sua mão

- Porque... bem... deu vontade e- 

Nj- Então acha que é só aparecer um fogo entre as pernas que pode correr para o maknae? 

- Não disse isso... - abaixo minhas vistas fitando o chão com as bochechas vermelhas até que ouço o maior rir soprado 

Nj- Savannah... doce Savannah - vem de joelhos até a mim, segurando em meu queixo com sua destra. - É ingênua de mais... - dita próximo aos meus lábios. - Precisa de mais maldade, jagya... - me rouba um selinho rindo ladino - Sente-se aqui - dá duas batidas em suas coxas para que eu me sentasse nas mesmas. Não resisti, acabei por sentar em seu colo de frente para si.  

Não tive tempo para processar as palavras de Kim, apenas fui puxada contra seu corpo, fazendo nossos lábios se chocaram e começarem uma troca de carícias violentas, nossas línguas entraram num confronto, que aumentavam meu estado de excitação. 

Sem perceber, comecei a rebolar em seu colo sem sanidade alguma, ouvindo um arfar gostoso e rouco do maior. Kim não era o único que gemia ou arfava durante o beijo, afinal, meu clitóris estava sendo tocado inúmeras vezes por sua ereção não pequena. Isso me fez rebolar mais ainda afinco.  

Com tão pouco do toque de corpos, já estávamos gemendo feito virgens em apenas um beijo. E que beijo!

Continuamos ao beijo e as mãos de Namjoon já foram ao meu quadril, forçando mais ainda o atrito que estava havendo entre nossas intimidades. Num movimento brusco, o maior nos levou até a cabeceira da cama, recostando-se na mesma, deixando suas pernas esticadas; enquanto eu tratava de não quebrar o ósculo mais excitante que estava tendo em toda a minha vida.

Não era a mesma coisa, os toques de Kim continuavam fortes e intensos, porém sem tanta maldade como das outras vezes. Nossas carícias haviam algo a mais que excitação, mas deixei de pensar em achar o que havia a mais no beijo após Kim afastar seus lábios dos meus, mantendo seu contato visual, e eu apenas o fitava confusa.

Nj- Fique de joelhos. - diz terno

Ainda receosa pelo que aconteceria, me ponho de joelhos, fitando seus movimentos de cima.

Suas mãos foram para a borda da minha calça e calcinha e puxou ambas, me deixando totalmente exposta o maior.

Nj- Abra as pernas. - ordena e como pedido, o faço, abrindo as pernas apoiando minhas mãos em seus ombros.

Minhas bochechas queimaram ao perceber que Kim estava de olhos vidrados  em meu corpo. Senti minha bochecha queimar de forma brutal, estava tão envergonhada por estar tão amostra a um homem, que apenas desviei meu olhar para qualquer canto que não fosse o rosto de Kim. 

Estava excitada? Óbvio! Mas estava ocupada demais pensando em qual motivo Kim estaria me fitando daquela forma. Mas caiu a ficha. Desejo, este era o motivo.

Ouvi um suspiro do maior mas continuei com o rosto virado para o outro lado do quarto. 

As mãos do Kim se esfregaram em ambos lados do meu quadril, e estava rezando para que elas não tocassem apenas meu quadril.

Fui pega desprevenida ao sentir dois dedos do mais velho acariciarem minha vagina numa delicadeza e paciência que me trazia arrepios gostosos em meu baixo ventre. Sem muita espera, seus dedos se aprofundaram mais um pouco, fazendo um caminho de minha entrada, ao meu clitóris, onde circulou com seu indicador e friccionou em seguida. Seu toque fez meu corpo automaticamente se curvasse, apoiando-me em meus braços e com um gemido sôfrego, arranquei um riso ladino do mais velho, que me fitou coberto de luxúria.

Nj- Sente o quanto está molhada? - diz rente ao meu ouvido, que não estava tão afastado de seu rosto.

Seus dedos começaram a mover-se freneticamente em meu botãozinho, me fazendo gemer seu nome sem vergonha alguma. Os mínimos movimentos circulares que Kim fazia sobre meu botãozinho estava me levando a loucura.

O movimentos circulares foram substituídos por seus dedos esfregando-se em minha intimidade, indo até minha entradinha e voltando para meu botãozinho. Já estava me torturando com os gemidos que soltava propositalmente para me ver enlouquecida de tesão.

Nj- Não tem noção do quanto está molhada, não é? - leva uma mão para meu seio, apertando-o e adentrando seus dedos em minha entrada em uma estocada forte com seus longos dedos.

Nam... hmmm... - gemi ao sentir seus dois dedos se movimentarem para dentro e para fora lentamente.

Nj- Está gostoso, San? - assinto freneticamente e o mais velho aumenta a velocidade das estocadas dos seus dedos.

Kim ia fundo com seus dedos, que escorregavam adentro de minha intimidade, fazendo um barulhinho gostoso de se ouvir por conta da minha lubrificação.

Rebolava e quicava afinco sobre seus dedos, sentindo-os cada vez mais fundo e forte. Queia que fosse outra coisa que estivesse me fodendo, mas devo afirmar que se Namjoon fosse uma garota lésbica, proporcionaria o melhor sexo a sua parceira (assim como me proporciona).

A palma de Kim friccionava meu clitóris a cada estocada frenética, e a cada vez que seus dedos adentravam minha boceta, sentia meu orgasmo se aproximar.

Kim voltou a estimula meus biquinhos rijos enquanto me fodia com seus dedos. Puxava, apertava e massageava o bico dos meus seios numa sequência bem diferente da que adentrava seus dedos lá embaixo.

Com tantos estímulos e tanto prazer, senti meu gozo sendo atingido.

-  Nam, eu vou... g-go... hmmm - fui interrompida por um maravilhoso orgasmo, que quase esguichou por minha estradinha sensível. 

Namjoon não exitou em retiras seus dedos e levá-los a minha boca, onde provei meu próprio sabor, chupando seus dedos fazendo alguns estalos até saírem limpos de minha boca. Kim puxou meu corpo novamente para me sentar em seu colo, e apenas consegui levar meu rosto a curvatura de seu pescoço.

Nj- Foi gostoso? - assenti com o rosto ainda na curvatura de seu pescoço e o maior me puxa para seus lábios, iniciando um beijo com a presença visível de nossas línguas. As mãos bobas e afoitas do mais velho foram de encontro a minha bunda, apretando-a com toda força que havia, deixando nosso beijo mais gostoso, e tudo com um ar mais avulso de sexo. - Vai para o meio da cama e fica de quatro bem empinada - diz rente ao meu ouvido, me fazendo arrepiar por completo.

Como pedido, assim o fiz, me posicionando bem visível ao mais velho.

Senti Kim aos poucos vir se aproximando de mim, e por cima dos ombros o vi se posicionar atrás de mim, murmurando alguns palavrões. O maior levou suas mãos para as minhas nádegas, massageando e apertando ambas das partes, roçando sua ereção em minha vagina, arqueando suas costas e soltando um gemido sôfrego, me levando a gemer tão alto quanto o mais velho. 

Namjoon afastou sua ereção de minha boceta e pude perceber sua calça molhada por minha lubrificação, e então o primeiro tapa foi depositado em minha nádega direita, e logo as palmadas foram alternando os lados que eram depositados fazendo com que eu empinasse minha bunda cada vez mais pelo tesão.

Nj- Gostosa...! - murmura deixando de estapear minhas nádegas e dando uma lambida de meu clitóris a minha entradinha lubruficada. Apenas conseguia gemer seu nome ou seu mais novo apelido.

Bastou meus gemidos soarem alto para sua boca trabalhar com volúpia em minha entrada, ora sugava ora lambia ou circulava com sua habilidosa língua. Com tão pouco dos seus toques, me sentia no céu. Jurei ver estrelas quando o maior sugou minha entrada e lambeu, levando meu gozo e lubrificação junto de seu paladar.

Mesmo com tantos estímulos, meu botãozinho rogava por prazer, e como não era a primeira vez que me estimulava durante o sexo, levei dois de meus dígitos até o mesmo, fazendo movimentos circulares no mesmo, e com aquilo já estava rebolando sobre o rosto do mais velho de tanto prazer. Estava concentrada no prazer que me proporcionava, mas senti um mordidinha fraca em meus dedos e uma lambida, num pedido mudo para que retirasse meus dedos do local, e assim que fiz seu pedido, senti meu clitóris ser preso levemente entra seus lábios e em seguida uma sugada que me desarmou completamente.

Sua língua circulava meu clitóris e o sugava como se fosse o seu doce favorito, e meus gemidos apenas se intensificavam junto as reboladas que dava em busca de mais contato.

 Sua língua fez um rastro até minha entrada brilhante e não ponderou-se ao entrar com tudo em meu canal. Choquei meu quadriu contra seus lábios em busca de um contato mais fundo, e recebi sem pestanejar. 

Seu músculo úmido entrava e saía com rapidez e força, parecia até que o mesmo já conhecia o caminho que me levaria o prazer, pois fazia com tanta perfeição, que seu nome saía dos meus lábios em frequência máxima e em tom alto.

Se fodida por seus dedos ou língua era mais que bom, porém ser fodida com a presença dos dois, era prazer de mais para mim.

A cada estocada que seus dedos e língua davam em mim, sentia meu segundo orgasmo chegando. 

Seus movimentos alternavam entre sua língua ou dedos, seus dedos entravam e sua língua saía, fazendo com que eu não deixasse de ser fodida em nenhum segundo, sem pausa alguma.

Namjoon soltou um gemido quando rebolei afinco em seu rosto, trazendo uma vibração a minha boceta. Não resistia e acabei gozando sobre sua boca, e como um homem experiente em uma oral, sugou todo o meu gozo, me deixando sem vestígio algum, deixando um beijo molhado em minha entrada.

Já estava sôfrega e toda mole pelo orgasmo avassalador que havia acabado de ter. Me joguei de costas na cama mas não tardou para sentir a presença do maior rente ao meu corpo.

Nj- Aguenta gozar mais uma vez, San? - pergunta rente ao meu ouvido com um risinho safado, roçando seu pênis coberto em minha bunda, e a única forma que pude responder, foi gemendo em aprovação. - Safada - ri soltando dois tapas em meu bumbum e em um movimento brusco me vira de frente para si, fitando meu rosto, mordendo meu lábio inferior e trazendo-o entre os lábios - Prefiro assim - ataca meus lábios num beijo intenso, onde exalava o interesse por sexo e algo a mais indecifrável. Kim apalpava minha minha cintura, apertando-a, com certeza estava interessado em deixar as marcas de seus dedos. Levei minhas mãos pela segunda vez até a barra de sua camisa, na tentativa de tirá-la mas novamente Kim interviu, levando minhas mãos aos seus ombros largos, onde segurei firme.

Os beijos do mais velho foram descendo até meu pescoço, onde tratou de fazer um colar imaginário com seus beijos quentes e molhados, que logo foram substituídos por sucções fortes e doloridas, mas que deixavam meu corpo mais quente.

Suas sucções desceram até os meus seios, onde o mais velho não se negou a abocanhá-los, lambendo, mordendo, sugando, trazendo os biquinhos entre os lábios... Me via uma louca nas mãos do "Novo Kim". Era extremamente sensível na região dos seios, e isso sem dúvidas estava me massacrando, mas de uma maneira deliciosa.

Depois de deixar meus seios bem marcados, o mais velho voltou a selar meus lábios, num selinho demorado, que foi substituído por algumas carícias que ambos dos lábios compartilhavam, sem a presença da língua. Mas logo nos separamos. 

Nj- Espere um momento, jagi - deixa um beijo casto em meu pescoço, se levantando da cama, para tirar suas roupas, pois até agora estava vestido. Pestanejei até sentir o colchão afundar, indicando que o mais velho já havia voltado.

Olhei-o incrédula quando notei que ainda se encontrava de camisa, e ele deu aquele maldito sorriso de canto.

Nj- Quero você sentada de costas - diz movendo os polegares por ambos dos meus biquinhos, em seguida toma minha cintura, me levantando, fazendo com que eu me sentasse na cama, podendo ver o maior sentado na ponta da cama, com uma ereção que com certeza estava batendo em seu umbigo. Aquilo me fez salivar... suas veias estavam ressaltadas e de longe podia ver sua glande rosada suja de pré-gozo. 

Fu até o maior engatinhando e me sentando em seu colo com uma perna de cada lado de seu corpo, de costas para o mais velho apoiada em meus pés, deixando ao menos minha entrada a mostra, vendo-o por cima de meu ombro. Kim riu ladino, limpando seu pré-gozo com o seu polegar e levando a minha boca, onde chupei com volúpia, bem forte.

Nj- Poderia pedir para tratar meu pau desse jeito, mas veja como estou duro para te foder - rasteja sua cabecinha pela minha estrada, causando um gemido do dois - Quer que te foda? - pergunta rouco e assinto olhando seu rosto safado. - Quero ouvir sua voz, San... - dita "inocente" rente ao meu ouvido, esfregando mais uma vez seu pênis em minha entrada.

- Ma fode logo, Ki-hmmm... - fui cortada por o mais velho, que adentrou seu pênis a minha entrada numa estocada só. Mas como um verdadeiro Namjoon, Kim deu inicio a suas estocadas fundas e tortuosas, por começarem lentas.

Nj- Parece mais apertada... oh porra... ahhhh - geme rente ao meu ouvido, começando estocadas mais rápidas.

Kim levou uma de suas mãos ao meu seio e outra ao meu clitóris, enquanto já mostrava seu frenetismo, começando a aumentar suas estocadas.

Cravei minhas unhas recém cortadas em suas coxas, para descontar o que sentia. Seu membro já sabia o caminho que deveria percorrer. 

A essa hora o tesão já havia subido a minha cabeça, comecei a chocar meu quadril contra o seu, aumentando a intensidade da nossa foda. Não era fácil ter os dedos de Namjoon estimulando meu clitóris e sua mão estimulando meus seios sem fazer nada. 

O suor já escorria da minha testa, enquanto o mais velho ia fundo, metendo forte até alcançar meu ponto "G". Praticamente saltávamos da cama em busca de mais contato. Confesso que a posição doía um pouco, parecia que seu membro era maior do que o que costumava ser.

Enlouqueci de vez, aumentando mais minhas cavalgadas, que se chocavam com seu quadril e iam diretamente ao meu ponto "G". Senti os lábios do mais velho em contato com minhas costas, espalhando sucções pela extensão, enquanto ia fundo e forte em meu interior. Minhas paredes internas se contraiam em volta de seu pau, fazendo com que a velocidade de todos os seus toques aumentassem, e eu mordia o lábio inferior tentando conter meus gritos de prazer, mas o maior me surpreende, se retirando de meu interior.

Nj- Fica de frente para mim. - dita sôfrego, e logo troco de posição, me sentando de frente para o mais velho, podendo fitar seu rosto. - Olhe para mim - dita enquanto tira sua camisa, sem me deixar apreciar a visão de seu tronco - Quero que goze sobre meu pau, huh? - assinto rápido.

Sem me dar tempo algum, me penetrou fundo, indo sem erro ao meu ponto. Não pausamos nosso sexo, mas levei minha cabeça a curvatura de seu pescoço. Comecei a cavalgar, chocando meu corpo com o seu, sentindo sua pélvis massagear meu clitóris de forma voluptuosa. 

Mais fundo, mais forte, dentro e fora... era uma sincronia de corpos que apenas em pensar ou imaginar, sentia um imenso tesão se formando entre minhas pernas. Cada vez mais rápido e cada vez mais fundo. 

Nj- Oh merda! - segura minhas coxas, apertando-as e indo mais mais fundo, fazendo sua glande tocar agora sem erro algum meu ponto interno.

Rebolava e chocava meu quadril ao seu, me contraindo ao seu redor, sentindo seu pau engrossar cada vez mais, e meu gozo prestes a sair. 

Na sétima estocada, não aguentei, gozei sobre seu pênis gritando por seu nome. 

Mas o maior não havia se saciado. Continuei cavalgando sobre seu pênis sentindo um leve ardor por estar sensível. Mas assim que senti seu líquido quente em meu interior, pude relaxar mais ainda.

Permaneci ainda conectada ao maior por mais alguns segundos, até Kim tirar seu pênis, me deixando repousar em seu colo.

Já havia escurecido, provavelmente passava das seis da tarde. 

Com muito cuidado, Kim me carrega, me pondo deitada na cama, deitada. Logo em seguida o mais velho se deitou ao meu lado, arrastando um cobertor para nós dois, enlaçando minha cintura com seu braço. Estávamos tão próximos que podia sentir seu membro adormecido rente a minha bunda desnuda.

Não poderia dormir agora, me sentia suja, no sentido literal,. Diferente das outras transas que tive com Kim, não me sentia culpada, e isso me fez relaxar.

Nj- Está acordada? - pergunta doce e assinto - Precisamos conversar. - mais uma vez assinto, porém receosa. 

- Pode falar, Kim... - sinto meu coração quase soltar do peito

Nj- Eu te incomodo em algo? - apóia sua cabeça em seu antebraço, e me viro para encará-lo, mas pela escuridão da noite, apenas enxergava o brilho do luar em seu olhar.

- Por que está fazendo esse tipo de pergunta? - digo receosa

Nj- Apenas seja sincera. - pontua com um tom de voz mais doce(?)

- Não se-

Nj- Se pudesse escolher entre ir embora com  o maknae ou permanecer na mansão... - pigarrea - comigo... qual opção escolheria? - podia ouvir meus próprios batimentos de longe, como responderia?

Não podia responder tais perguntas agora. 

- Com licença - me levantei da cama o mais rápido que pude, indo para o banheiro e me trancando no local.

Nj- Savannah, abre a porta. Apenas pr-

- Por favor, estou no banho, Kim... - dito de coração partido ao perceber que sua voz estava um tanto sentimental.

Ouvi seus passos distanciarem-se da porta do banheiro e só aí, pude entrar debaixo do chuveiro de água bem fria caindo sobre minha pele.

Jungkook... seria um sonho poder morar com tal, mas sonho que seria impossível de se realizar, já que o mesmo estava noivo.

Kim era o tipo de homem imprevisível. Sinto que se fosse sua namorada ao invés de Nayeon, nunca passaria por suas torturas, nem seria tão maltratada. Mesmo sendo o mesmo homem, tem se mostrado diferente para mim. Mais cuidadoso e atencioso, isso definia o Kim.

A mudança repentina de Kim, me faz duvidar do que sinto por Jungkook. 

Jungkook é tão impulsivo quanto Kim, ao passar por uma pressão, abandona tudo que tem de mais importante. 

Era difícil decidir!

Talvez estivesse apaixonada pelos dois...?

Não! Isso não.

Kim era bruto, porém protetor. Já Jungkook, talvez até me abandonaria por conta da reputação de sua empresa.

Isso...! Mesmo com inúmeros defeitos, Kim seria o único  capaz.

Saí do meu banho gelado enrolada numa toalha, resolvi não molhar os fios, já que havia feito isso antes.

Saí do banheiro vendo que a luz estava ligada, mas me decepcionei ao ver Kim.

Eu não havia tocado nele daquele jeito, mas por que estava cheio de vergões e coágulos?

Não precisava ver mais nada. Apenas segui ao closet, escolhendo um short confortável e uma camisa maior que ele, ambos na cor vermelha.

Saí do closet, e Kim estava coberto pelo mesmo lençol de minutos antes, até sua cintura.

Não disse nada, até cruzar seu campo de vista, analisando disfarçadamente suas marcas, e tive certeza que sua viagem havia sido bem prazerosa. 

Me sentei distante de seu corpo, e o fitei por segundos.

 Como pôde me enganar deste jeito? Queria me proibir de encontrar Jungkook porquê iríamos nos noivar, mas me desrespeita na primeira viajem que faz.

A única coisa que sentia agora, era meu coração se partindo em mil pedaços. Será que amava Kim? Amando ou não, daria a minha resposta que já havia sido definida.

- Eu... eu já tenho a resposta para suas perguntas, Kim - engulo seco, o fitando e percebo que agora, havia se coberto melhor, me impossibilitando de ver tais marcas.

Nj- Me diga, responda San - volta toda sua atenção para mim, e respiro fundo para responder sua pergunta, mesmo sabendo que a resposta me magoaria

- Eu ainda prefiro o maknae...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Continua...


Notas Finais


Hi!
Espero que tenham gostado, Mocchi's (._. )
Desculpem qualquer erro (._. )
Obrigada por sempre estarem acompanhando a fic
Até o próximo capítulos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...