História Tragedia da city - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Belle
Tags Donaluh
Visualizações 7
Palavras 1.950
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção
Avisos: Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


olá kzksksk não sei se vão gostar mas ok é nois

Capítulo 1 - Varios momentos


Eu sempre viajei sozinha gosto de conhecer lugares novos pessoas costumes,comidas, tradições, e sempre procuro lugares novos por sites de viagem, meu novo vizinho me indicou uma cidade, mas eu não a conhecia e fiquei curiosa em saber o que aquela cidade tinha, então fui procurar saber dessa cidade, pesquisei em varios sites mas não  achei nem no mapa, fiquei sem saber porque eu nao achava a cidade, decidi ir falar com meu vizinho.

*saio de minha casa e vou até a casa dele, aperto a campainha e ouço passos vindo de dentro da casa e logo surge um homem alto de descendência asiatica, pelo seu semelhante era jovem*

- Eu vim conversar com você sobre a cidade de que me indicou.

- a sim entre.

*ele se vira e entra dentro da casa, sigo ele fechando a porta atrás  de mim, e logo entro dentro sala que tinha pouca iluminação da luz do dia vou até o sofa e me sento,ele se senta em uma poltrona que esta perto da janela que esta fechada so um pouquinho de luz que insiste entrar pelo vão da cortina, ele fica alguns minutos a olhar o reflexo de luz que está em seu joelho e logo olha para mim suspirando fundo*

- s/n, ninguém sabe realmente onde fica essa cidade e a unica pessoa que era de lá sou eu

- como assim só você ?, a cidade não aparece em lugar nenhum - fico surpresa por ele saber onde é

- É que a cidade foi excluida do mapa,por isso você não consegue acha-lá - olho para cortina

- porquê foi excluida aconteceu alguma coisa ?

- Sim, mas é melhor deixar pra la - olha pra mim

- mas como você foi lá ?

- eu trabalhava lá, era medico - da um suspiro

- mas porque voltou ?

- fui transferido - mente.

*quando fui falar ele me interrompe*

- melhor você ir embora esqueça a cidade, viaje pra outra ou vá para o Vietnã - me levanto

- mas...... - Nãotermino o que eu iria dizer,me levanto e vou embora.

       Vizinho on

Após ela ter saído tranco a porta e volto a me sentar na poltrona, foi um erro da minha parte ter falado da cidade para ela, ela não pode saber que houve la, nem de tudo que aconteceu, foi culpa minha, culpa de meus experimentos que não derão nada certo, se ela insistir ir pra lá,talvez ela não  volte viva.

    Vizinho off

    S/N on

Voltei pra casa e deitei na cama não conseguia enteder ele, como uma cidade completamente excluida do mapa, esquecida, e ele era o medico da cidade, tenho que saber como chegar la para descobrir o que houve ,se eu perguntar ele não vai me responder e vai me mandar embora.

   S/n off

Me levanto da cama decidida em saber o que aquela cidade era ou foi um dia, saio de casa e vou até um café que é da tia do (s/utt) e me sento em uma mesa vaga, e logo parece a garçonete para me atender.

- Bom dia, já olhou em nosso cardápio? -abre um sorriso tímido

- hmmm bem...... quero falar com a senhora lu será que ela poderá me anteder ?

- a sim, vou ir falar com ela já volto - se vira e começa a andar e sobe uma escada  que fica do lado da recepção do café e logo não a vejo mas.

Fico olhando o cardápio, tinha cafés tão bonitos eu particularmente não gosto de café mas olhando pro cardápio queria provar todos,eram caros também, logo percebo que a garçonete dece das escadas e vem em minha direção.

- só subir é a utima sala do corredor - sorri

- obrigada - me levanto.

Começo a subir as escadas que eram de vidro fiquei um pouco com medo de pisar eram tão lindo,logo não vejo mas os degraus de vidro e começo a andar pelo enorme corredor, ele tinha aspecto moderno por sua cor,reparo que tem varios quadros com recortes de jornais,paro em frente de um, tava a foto da dona lu segurando um troféu. Lendo: O MELHOR CAFÉ DE TODOS OS TEMPOS DE 1996. abro um pequeno sorriso após ter lido, e continuo andando até que vejo a porta do escritorio de dona lu, bato na porta mas não tenho nenhuma resposta resolvo entrar fecho a porta atrás de mim e fico paralizada olhando para aquele escritorio era tão grande e lindo, tinho um tapete enorme no chão era um marrom tão chamativo,em minha opinião dona lu amava a cor marrom, começo a andar olho pra tudo que lado do escritorio mas não a vejo então vou até  perto de uma potrona que tava virada para janela,era dona lu que estava com foninho em seu ouvido estava com os olhos fechados, e coloco minha mão em seu ombro, bem devagar ela abre seus olhos e abre um sorriso e tira os foninhos.

- a me perdoe, não resisto ouvir uma bela ópera, e você esculta algum ? -se levantando

- sim,ouço muito vitas

- ora temos uma moça de bom gosto aqui - vai em direçao sua mesa e senta e indica para mim sentar em uma cadeira, vou e me sento

Ela não era muito velha nem muito nova,tinha poucas rugas, era bastante vaidosa gostava de usar anéis brincos, e se vestir bem.

- o que traz você aqui minha jovem ? - fala pegando um charuto que estava sob a mesa e começa a fumar.

- é que sou amiga do (s/utt) e eu gosto de viajar muito e ele me indicou a alixi para mim ir mas não achei em lugar em nenhum a localidade dessa cidade e ele não quis me contar será que a senhora pode me ajudar ?

Ela me olha e tira o charuto da boca e coloca a onde estava ela cruza os braços e da um suspiro.

- você não pode ir pra lá - abre uma das gavetas e pega um envelope.

- porquê ?  Não esto a entender -olho pro envelope

- vou mostrar pra você, ele não pode saber  o que vou lhe mostrar nem o que vou falar  está bem ? - ela fica séria

- sim

Ela abre o envolepe e pega um monte de fotos e escolhe algumas e entraga em minha mão, começo a olhar nas fotos e fico horrorizada com o que vejo, umas das fotos que vejo tem uma criança mas não sube definir se era menino ou menina tava todo desfigurada tinha um liquido amarelo saindo da boca dela o corpo também era desfigurado tinha uma pata de um cachorro no lugar dos braços, tava todo ensanguentado,mudo de foto e vejo que tem um grupo de pessoas estavam usando terno parecia que eram executivos, olhei bem pro homem que estava no canto da foto uma parte de seu cerebro estava de fora com uma injeção, praticamente jogo as fotos na mesa e fico olhando para dona lu horrorizada.

- você quer ir em um lugar onde tem esse monstros ? - sorri

- mas o que aconteceu com eles ? - falo gagueijando

- experiência  mal sucedida -volta a fumar o charuto.

- como que alguém pode fazer uma coisa dessas com o mesma espécie? - falo quase gritando

- realmente não entendo -debochando

- você não liga pra essas pessoas ? - me levanto

- vou lhe mostrar um vídeo -se levanta e liga a pequena tv que estava em minha frente.

No começo tudo tava escuro so ouvia risadas, logo aparece uma cama de hospital que estava uma criança amarrada chorando e gritando o nome de sua mãe, uma pessoa encapuzada aparece empurrando um carrinho hospitalar com varios instrumentos de cerugias e por um instante para em frente da garotinha e fica a olhando e logo da uma risada sinistra, ele pega o braço dela,tira um injeçao de seu bolço a agulha era muito grande pro normal, e coloca em seu braço sem dó e injeta um liquido amarelo, ela grita tava sentido muito dor, ele pega uma placa de ferro e bate na cabeça dela,eu já estava com os olhos lacremejando, em outra cena parece varias pessoas comendo seu proprio corpo, eu notei que o lugar que aquela pessoa comeu do nada voltava ao normal, a gravaçao para e fica tudo preto novamente, fico horrorizada com aquilo.

- então vai querer ir lá? - olhando pra mim

- vou, não  importa o que sejam essas pessoas quero ir. - em meio dos soluços

ela vai até a istante e tira um livro e vem  minha direção e me entrega.

- toma, é um guia de como chegar lá - sorri

- ok - me viro pra ir embora mas ela me chama, me viro

- tenho mais uma coisa pra mostrar  - ela começa a tirar a roupa.

- pare não  quero vê-la pelada. - tampo meus olhos com o livro, ouço um ruido.

- pode tirar isso dos olhos - com uma voz assustadora e aveludada.

Tiro o livro e o deixo cair sobre o tapete, fico horrorizada ao ver aquilo em minha frente, sua roupa estava do lado ela tinha se tranformado, só tinha um olho em seu rosto e a boca não era exatamente uma boca e sim triturador os cabelos parecia anzóis o corpo tudo desfigurado e olho para os pés dela, não era pés e sim cabos de aços eram 17, os braços eram espadas, ela era uma maquina de matar.

- como ? - falo assustada

- eu também partecipei do experimento -  começa andar em minha  direçao, pego o livro do chão e começo a andar sem tirar os olhos dela

- como você  se transforma nisso ? - chorando

- nós evoluímos, tem varios de nós espalhados pela essa cidade que vocês  humanos nem imaginam - ri

Ela para em minha frente e encosta em meu cabelo com sua mão espada e vejo que sai ums fios de cabelo

- você vai me matar ? - colocando a mão em meu cabelo, fico aliviada por ela não ter cortado meu cabelo.

- claro que não, meus irmãos vão  mata-lá quando for pra cidade, você não  vai voltar viva. - sorri

Ela começa se trasformar em forma humana,a pele dela parecia uma bolha era nojento ver aquilo, ela arrumou a pele do seu resto que estava meio torta, e veste sua roupa e da um largo sorriso

- até  a proxima visita senhorita ( s/n)- pega seu iPad e coloca seu foninho e volta a escultar opera.

Me viro e saio correndo daquele café, paro em uma esquina pra recuperar o folego e vou andando até  minha casa, chego e vou direto pro quarto me jogo na cama deixo o livro de lado e fico olhando pra ele,pego e o abro tinha umas pequenas anotações na primeira página já estava bastante desgastado tinha algumas folhas soltas, na primeira folha

Tava informando que a cidade não existia mas pros humanos, viro a pagina, tem um pequeno mapa que tinha todos os mares, viro a outro página e tem outro mapa localizando a cidade, ela se localizava na Tailândia era afastada da cidade parecia mas uma cidade ilha, não entendi muito bem porquê o primeiro mapa era de todos os mares, volto a olhar pro primeiro  mapa leio todos os nomes e fico pensando o que aquele mapa tinha haver com o segundo, não dou muito importância e volto olhar pro segundo mapa, eu pego meu telefone e ligo pra agência de viagens e agendo minha viagem pra Tailândia pra semana que vem, ouço barrulho de carro já até sabia de quem era o carro me levanto e corro pra janela, vejo o (s/utt) tirando o carro da garagem fico surpreendida,ele nunca sai daquela casa, volto a me deitar e fico olhando pro teto e logo durmo.


Notas Finais


:-: espero que vocês gostarão msmsks


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...