1. Spirit Fanfics >
  2. Tragédia inesperada ( Bakudeku - Katsudeku ) >
  3. As coisas estão mudando

História Tragédia inesperada ( Bakudeku - Katsudeku ) - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Opaaaaa sz
Tudo bom meus amores?
Espero que estejam ótimos nhaaaaa
Eu tô tão felizzzzzzz
Finalmente consegui pegar as coisas do pc
Agora a questão da demora é falta de tempo
Ok?
Muitos trabalhos da escola
E como eu sempre falo
A ESCOLA EM PRIMEIRO LUGAR!
Já colocaram as atividades em dia?
Eu vou pegar o chinelo pra vcs colocarem
Grrrrrrr
Vão estudar que, ler fanfic não dá futuro
Dps do estudo vcs podem ler
Olha só a Suzana querendo ser mãe de todos
Eu sou uma ótima mãe, ok?
( 29 filhos, sim, 29 filhos, dona Valentina que lute com tantos latidos e miados )
Eu prometo não demorar tanto assim agora
Ler-se tentar, ok?
Espero que gostem nhaaa sz
Desculpem erros meus amores nhaaa
Tenham uma boa leitura sz beijinhos sz

Capítulo 11 - As coisas estão mudando


          ~ um mês depois ~

- o que!? - perguntou curioso com um misto de preocupação, não sabe exatamente o que o loiro está sentindo e sinceramente, está morrendo de medo de saber, não quer ouvir algo ruim saindo da boca dele, não quer saber mesmo.

- eu disse que, eu vi o espeto beijando o Pikachu no corredor quase agora, entendeu dessa vez? - assentiu prontamente o vendo sorrir de canto, o analisou por alguns segundos atentamente, só quer saber o que está passando na cabeça dele agora, apenas isso e nada mais.

- e você!? Está sentindo algum incômodo no peito por isso? - uma sobrancelha loira se ergueu lhe deixando bem confuso, mas isso não vem ao caso agora, ele com certeza irá falar algo à mais, com certeza, ele precisa falar!

- Deku!? Eu já te falei que não amo o espeto, mas e quanto à você? Tem certeza que não gosta do pavê? Vocês são juntos pra caralho! - simplesmente revirou os olhos e, voltou a deitar a cabeça no ombro direito do mesmo, só precisa sentir o calor dele para ficar calmo de novo, o sentindo irá saber que, ele não irá ficar com o ruivo.

- você sabe perfeitamente que, eu te amo mais que tudo nesse mundo, Kacchan - depositou um beijo demorado no pescoço alheio, ato esse que o fez se arrepiar consideravelmente, sim, ama saber que, o corpo dele reage bem ao seu, quer o beijar por inteiro algum dia.

- eu sei, só estava brincando com você! - fechou os olhos devagar sentindo melhor o calor alheio, porém também dá pra sentir a brisa gélida, mas está tudo bem, o loiro está lhe esquentando bastante, o corpo dele é bem quentinho graças a sua individualidade.

O silêncio pairou no ambiente, mas isso não lhe incomoda nenhum pouco agora, antes até que lhe incomodava, pois não sabia o que iria ocorrer, mas agora tudo está diferente, tudo está completamente agradável, principalmente da última semana para cá, com certeza está no paraíso graças à ele, tem que agradecer todo santo dia por o ter, é, com certeza irá passar a fazer isso apartir de hoje.

O loiro cada vez mais vem se mostrando um amor consigo, ele está tão diferente de antes, sem contar que ultimamente ele lhe olha bem mais apaixonado, isso lhe deixa profundamente animado, sente o seu coração disparar só em lembrar, o ver ficando cada dia mais apegado à si, lhe fez pecar sem querer, mas está tudo bem, não liga em ser pecador se for por causa do maior.

Já dormiram juntos algumas noites, não, não fizeram nada profano, claro que quer isso, mas dormir juntos já é um passo enorme comparado à antes, sem contar que ele lhe agarra quando dorme consigo, só Deus e si próprio sabem o quão gostoso esse ato é para si, ele é a concha maior sempre, o que lhe deixa protegido e quentinho, sem contar que lhe deixa bem amado também, lhe faz sentir-se o ser mais amado do mundo para ser exato.

Quer poder dormir com ele outra vez, quer poder sentir o seu calor, sim, essa semana fora boa, mas isso não é o suficiente, quer sentir a sua temperatura por mais uma noite, principalmente se for por fora e por dentro de si, mas isso parece ser impossível agora, ele não parece ter interesse por si e, isso lhe afeta demasiado, quer se esconder quando pensa nisso.

Tem que ser mais seguro de si mesmo, tem que agir mais firme, afinal o loiro tem segurança em tudo que faz, tem certa inveja disso dele, uma inveja boa, claro, pois jamais irá sentir algo ruim do seu loiro, principalmente por ele ser a sua luz, o seu sol, a sua energia, quando está cansado e o ver, tudo muda, ele com certeza é a sua estrela guia, ok, é melhor parar!

- oe!? Deku!? Desde quando você me ama pra ser exato? - tal pergunta lhe fez se aprofundar ainda mais no loiro, nem se deu o trabalho de abrir os olhos, afinal quer poder apenas o sentir em si, apenas isso e nada mais, isso não pedir muito!

- desde a infância como já lhe expliquei, desde o dia que você me protegeu e eu te vi pela primeira vez, desde aquele dia eu te amo muito, porque isso agora, amor? - um beijo demorado fora dado em sua cabeleira verde, ato esse que lhe fez sorrir da forma mais larga possível, sim, ele sabe muito bem como lhe mimar, adora isso!

- você já se declarou pra mim alguma vez!?... quero dizer, antes da minha perda de memória? - uma onda elétrica correu por seu na mesma hora, não está conseguindo acompanhar o raciocínio do loiro, mas não liga para isso, ao menos não agora, irá apenas o responder.

- não! - respondeu verdadeiramente, afinal não quer mentir para ele, nunca quis, apesar de ter que mentir por muitas coisas, isso realmente lhe deixa enojado, quer que ele lhe perdoe por isso.

- porque não? - tal pergunta lhe fez gelar inteiro, o apertou mais forte contra si, precisa o sentir, precisa saber que agora ele é todo seu, ele não gosta de mais ninguém além de si, precisa entender isso se uma vez por todas.

- por que eu tinha medo... - voltou a abrir os olhos se deparando com o pátio, sim, sempre vêm nesse lugar, pois não vem muitas pessoas aqui, o que é muito bom para ambos, assim ficam sozinhos, o que é ótimo.

- medo de que? - o apertou ainda mais forte contra si, ficou deveras surpreso assim que, ele lhe apertou também, talvez ele note a sua necessidade de o ter, quem sabe!? Tomara que seja isso!

- tinha medo de você me odiar ainda mais, tinha medo de você me bater, medo de você surtar, gritar, xingar, explodir, no fundo eu tinha medo de te perder ainda mais do que perdi, isso sempre ficou fora de cogitação para mim, sempre mesmo! - o abraço apertou de ambos lados, logo após outro beijo fora dado em sua cabeleira verde, voltou a fechar os olhos sentindo uma vontade de chorar, mas não irá o fazer agora, não na frente dele.

- acho que é impossível te odiar, pequeno - tais palavras lhe deram um certo alívio, mesmo que seja irreal, claro, pois sabe perfeitamente que, quando ele recuperar a memória, tudo sumirá, tudo voltará a ser o que era ou ainda pior, está com medo, morre de medo quando pensa nisso.

- tomara que pense assim pra sempre - as palavras basicamente pularam de sua boca, mas logo após se repreendeu por ter as dito, ele pode ficar mal por ter as ouvido, mas agora não há mais jeito, tudo que pode fazer é pedir pra ele não ficar bravo.

- eu sempre vou pensar assim! - ergueu a cabeça e fixou os olhos nos carmesins a sua frente, depositou um beijo demorado no canto da boca alheia, está com tanta vontade de o tocar inteiro, de sentir a sua definição maravilhosa.

- eu te amo demais, sabia? - ele simplesmente assentiu com um sorriso de canto nos lábios, uma mão bastante conhecida deslizou por seus cabelos, de uma forma bem doce e carinhosa, a vem sentindo de certos tempos pra cá.

- você sabe que eu também, certo? - assentiu prontamente com um sorriso enorme para o mesmo, sim, o loiro não é do tipo de falar " eu também te amo ", ele tem essa mania de ser duro em tudo, mas isso não lhe importa.

- acha que irá ter treinamento hoje? - ele simplesmente deu de ombros, o motivo da pergunta? Quer treinar com ele de novo, quer ser o único perto dele, sim, é meio possessivo quando o assunto é Bakugou Katsuki.

Tudo a sua volta silenciou assim que, ele aproximou o rosto do seu, as orbes dançaram de um lado para o outro lentamente, sim, ainda fica completamente perdido com tal ato, seu corpo fica tão mole que, parece que irá entrar em estado líquido, ainda bem que não entra, pois seria vergonhoso demais para si.

Suas mãos tocaram o céu mais uma vez, pois está sentindo os lábios dele nos seus novamente, um selinho demorado, sim, apenas um selinho ele está lhe dando, mas sendo ele, sendo a boca dele lhe faz alucinar como nunca antes, deve ser por isso que falam que, quando é a pessoa que amamos, tudo fica mil vezes melhor.

Seus lábios foram tomados com toda calma do mundo, apertou a gola do uniforme alheio com certa força, está morrendo de vontade de o beijar mais, quer conseguir o beijar de uma forma mais quente, mais atrevida, mais ousada, mais provana, porém ele não demonstra interesse nisso, o que de fato lhe deixa frustrado, pois quer se entregar por inteiro.

Moveu a cabeça para o lado direito lentamente, por outro lado o loiro moveu para o outro, as bocas se encaixam perfeitamente, as bocas foram feitas uma para outra, ninguém consegue lhe provar o contrário, pois apenas esse sentimento prevalece, apenas esse sentimento gritante lhe faz feliz, em um ato impulsivo sugou o lábio inferior do loiro, precisa ter mais atitude, pois só assim irá conseguir algo com ele.

As bocas se separaram bem devagar, sim, mais uma vez o beijo parou antes de esquentar, até parece que ele não lhe quer, isso lhe deixa tão mal, tem medo de não o excitar, tem medo dele não querer o seu corpo como quer o dele, pois quer o dele até demais, será que ele não nota isso? Deus, precisa que alguém lhe ajude a ser mais ousado, porque tem que ser tão tímido pra tudo?

- quando eu te vi depois que perdi a memória, eu pensei " ele é o meu namorado ", por que não tinha outra explicação para o que eu senti naquela hora, sabia? - fitou o fundo dos carmesins a sua frente, feito que fez o seu coração disparar de imediato, ama demais os olhos do seu loiro, eles possuem uma cor tão linda, tão única e perfeita.

- sabia que eu pensei o mesmo desde a primeira vez que te vi? - um sorriso de canto surgiu nos lábios rosados do mesmo, logo após um selinho demorado se fez presente, todos os pelos de seu corpo erricaram completamente pelo feito, a boca do loiro é gostosa demais.

- deixa de ser besta, Deku! - fora puxado novamente para o corpo dele, pôde sentir mais uma vez a temperatura escaldante, também sentindo a definição que quer sentir ainda melhor, porque tudo é tão difícil? Isso lhe irrita!

- um besta que te ama muito - o apertou bem forte, sendo retribuído da mesma forma, afinal o loiro possui muita força, sabe perfeitamente disso com os socos que levou - eu te amo demais, Kacchan! - sim, sempre fala isso à ele, pois talvez quando ele recuperar a memória lembre disso e, pare de tentar lhe matar, quem sabe algo dá certo quando isso ocorrer, Deus queira que sim!

- eu também... - fechou os olhos devagar, esperou alguns segundos por uma continuação, esperou ele falar mais duas palavras, mas isso não veio ocorrer, que pena! Porém não espera muito, ele não precisa as falar para lhe fazer feliz, certo?

- eu sei... - disse baixinho, quase inaudível, falou mais para si mesmo do que para o loiro, duas palavrinhas faria tanta diferença na sua vida, faria tanta alegria correr por suas veias, porque não pode as ouvir? Porque tem que ficar tão ansioso assim por elas?

- ... te amo! - abriu os olhos logo os arregalando de forma drástica, o apertou mais forte fazendo sua visão embaçar na mesma hora, mordeu o lábio inferior com força para impedir o choro, sim, ele está carinhoso consigo, antes era tudo agressivo entre o relacionamento de ambos, é, tudo está mudando.


Notas Finais


Obrigada por lerem sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...