1. Spirit Fanfics >
  2. Tragic Love >
  3. Chapter Two

História Tragic Love - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Chapter Two


Essa voz que anos atrás me acalmava, hoje é o motivo do meu desespero. Vejo ele tirar os óculos revelando seus lindos olhos bicolores.

_ Lysandre? - digo com surpresa e alívio por não ser o dono do cão sentado ao meu lado.

_ Em pessoa, parece surpresa em me ver. Pensei que soubesse que estávamos na cidade, já que foi ao nosso show semanas atrás.

_ Achei que era apenas um pequeno show, na cidade natal e depois iam embora. - revido - Sei que estão bem famosos e tem muitos lugares para irem.

Realmente achava isso. Minha vida está começando a andar nos trilhos agora, e não preciso de mais pessoas do meu passado, mesmo sendo meu ex melhor amigo. Tenho a Rosa e o Nathaniel para me perturbarem a mente.

_ Anne...

_ Diane, use o meu nome, apenas ele. Sem apelidos, por favor... - pois ele trás lembranças que não devem ser revividas nunca mais.

_ Certo, Diane, como quiser. - olhou ao redor, e só agora percebi que tem curiosos nos olhando - Podemos conversar em particular?

_ Já estamos conversando, não?

_ Em particular. - reforçou - Por favor?

Olho pro parquinho onde Anny está brincando. Flora me olha por um momento, estranhando a pessoa a minha frente.

Ela é uma boa pessoa, mas é muito fiel ao Nathaniel, por motivos que ele a ajudou muito, e ela pode interpretar mal essa conversa e contar para ele. E não, não tem nenhuma relação amorosa entre eles, sei disso pois ela tem namorada.

Suspiro sem ao menos ter certeza se estou fazendo o certo.

_ Ok, me encontre no café aqui perto em meia hora. - saio sem esperar por resposta. Me escondo em uma árvore, e o vejo se afastar com Dragon, caminho até Flora. - Preciso de um favor.

_ Quem é ele? - se fosse outra pessoa, estaria dando uma resposta bem grossa - Desculpe, mas sabe como é o seu marido. - abaixa os ombros.

_ Entendo. Ele é um conhecido, nada demais. Preciso encontrar a Rosa agora, antes que ela surte. - não menti exatamente, apenas troquei a pessoa - Leve Anny para casa. Não irei demorar muito.

Me despeço de minha filha, que pede pra ficar mais um tempo brincando, concedo apenas meia hora a mais e me afasto delas.

Vou caminhando lentamente, enquanto penso nos prós e contras dessa conversa com Lysandre.

Pró: Como todo reencontro de amigos que não se vêem a uns bons anos, podemos compartilhar os momentos vividos, no meu caso, as minhas crises e depressões, no caso dele, suas viagens com colegas de banda por vários países, fazendo sua música.

Contra: Podemos compartilhar os momentos vividos, no meu caso, as minhas crises e depressões, no caso dele, suas viagens com colegas de banda por vários países, fazendo sua música.

Ironicamente, apesar não querer saber nada sobre ele, ao mesmo tempo, também quero saber o que aconteceu com eles por todo esses anos. Saber como o Castiel lidou com esses anos, se ele sofreu, como eu sofri.

_ Você demorou! - exclamou. Essa era a intenção - Pedi um cappuccino e cookies pra você, se ainda for os seus preferidos.

_ É a única coisa que não mudou durante esses anos.

_ Sente-se por favor, temos muito o que conversar. - fiz o que pediu - Então... Quer começar me dizendo o porque de ter fugido do Castiel?

_ Não é óbvio?

_ Sim, mas agora vocês são dois adultos, merecem uma segunda conversa.

_ Não, não merecemos. - digo mais ríspida do que esperava - O que passou, passou. Não precisamos de o reviver.

_ Anne... Diane, desculpe. - corrigiu - O Castiel passou por...

Foi interrompido pela garçonete trazendo os pedidos. Quase soltei um suspiro de alívio, mas acabou de transformando em um gemido de frustração ao ver meu celular tocando e quem está me ligando. E por azar, não foi apenas eu.

_ Então é mesmo verdade que vocês estão juntos. - confirmou. - Quando a Rosa me disse que vocês estão casados, foi difícil de acreditar.

_ Sim, estamos.

_ Justo ele. O causador do seu término com Castiel.

_ Sim, fique a vontade para me julgar. - levantei - Se me dê licença, preciso atender. - praticamente corri até o banheiro.

Foi uma péssima ideia ter aceitado conversar com ele. Deveria ter ido direto pra minha casa quando tive oportunidade.

Liguei de volta para o Nath, que para complementar meu dia de merda, exigiu saber onde estava. Ele descobriu que não estava com a Rosa. O que não foi nenhuma surpresa, pois ele sempre descobre o que eu faço, com certeza também sabe do show que fui, Ambre deve ter o contado.

_ "Volte para casa agora, sua filha está te esperando." - e desligou sem esperar por resposta.

Voltei para a mesa, que agora se encontra vazia com um bilhete dele se desculpando, dizendo que precisava voltar para o hotel por causa de algumas fãs que o reconheceram, mas que logo entraria em contato para terminarmos a nossa conversa. Como ele pagou pelos pedidos, e mandou embalar os meus cookies, sai do café.

Segui direto para a casa da Rosa ao invés para a cobertura, no momento preciso do colo da minha melhor amiga traidora. Chegando em sua casa, antes que ela abrisse a boca para falar alguma coisa, a puxei para um abraço apertado caindo no choro. Ela me empurrou para dentro enquanto me confortava.

_ Por que eles tinham que voltar?

_ Meu amor, você sabia que uma hora eles voltariam para cá. - secou minhas lágrimas - Foi tão difícil assim?

_ O Lys...andre, ele não mudou em nada. Conversamos pouco mas ele sabe muito bem como tocar na ferida com poucas palavras ou insinuações. Acredita que ele sugeriu que eu conversasse com Castiel? Tirando o fato de que ele sabe que estou casada com o Nathaniel - a olhei feio por ela o ter contado - Espero que não o diga sobre a Anny. 

_ Já entendi, não vou contar para ele. Só não achei que o seu casamento era pra ser segredo - se defendeu - Sei que...

_ Não, você acha que sabe mas não sabe de nada - disse nervosa - Você apenas assistiu o que aconteceu, foi apenas eu que sofri com as consequências.

_ Vou relevar essa sua atitude estúpida de me atacar por está nervosa. - disse calma mas com o olhar duro - Me desculpe se não passei pelo o que você passou, mas não desconte suas frustrações em mim. A pessoa que te confortou e te tirou do fundo do poço.

_ Me desculpe... - sussurrei.

_ Tudo bem - deu um beijo em minha testa - Que tal descansar um pouco? Sei que desde que eles chegaram na cidade, você não dormiu bem.

_ Não posso dormir aqui, a Anny e o Nathaniel...

_ Deixa que com o Nathaniel, eu me resolvo. E peço para ele mandar a Flora trazer a Anny para cá pois sei que não dorme sem ter ela por perto. - pegou o telefone - Agora vá para o quarto e descanse, quando a Anny chegar mando ela direto pra lá.

_ Obrigada - digo - Não só por hoje, mas por sempre está ao meu lado nos meus piores momentos, e me confortando dos pesadelos diários.

_ Não faço nada além do que a minha obrigação de melhor amiga. - sorriu - Agora vá dormir, sua cara feia precisa de um descanso.

Agradeço ela novamente e vou para o quarto.

Durmo assim que coloco a cabeça no travesseiro, e um bom tempo depois sinto uns bracinhos me rodeando, fazendo com que os meus pesadelos sejam substituídos por lindos sonhos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...