1. Spirit Fanfics >
  2. Traição - (Bang Chan - Stray kids) >
  3. Descobrindo a verdade

História Traição - (Bang Chan - Stray kids) - Capítulo 26


Escrita por:


Notas do Autor


Assim, eu tava bem com pé atrás de postar esse capítulo, pq eu meio que tô cm bloqueio na hora de escrever, tipo, tá na minha mente o que tem que acontecer, mais, na hora de escrever eu não sei o que escrever sei lá kkkk
Sei q avia "prometido" de postar antes já q eu tava sem aula por causa do carnaval, mais por causa do probleminha acima ⬆️ eu não postei, e desculpa por isso.

Tomara que esse capítulo agrade vcs, pq deu trabalho pra fazer e um dos motivos foi q eu tive q mudar várias coisas que não estavam me agradando. Não me agradou 100%, mais tá aí.
Espero que gostem
Desculpa por qualquer erro ortográfico
E fiquem cm o capítulo 💜

Ps: Lembrando que nesse capítulo já se passou 1/2 meses dês o último capítulo

Capítulo 26 - Descobrindo a verdade


Chan On


{...} 


- Você está mesmo indo embora? - Jinyoung pergunta me olhando e eu afirmo com a cabeça, o mesmo vem até mim e me abraça - Vou sentir sua falta.

- Pra que tanto drama? Agente se vê fora do trabalho mesmo. - falo sem reação com aquele drama do Jinyoung

- Sim mais..- ele diz afastando o abraço e esse aproximando de mim cochichando - Agora eu vou ter que atura a senhora Cha.. sozinho. - ele sussurra pra mim

- Eu ouvi isso! - senhora Cha diz atrás do Jinyoung o assustando

- Não foi isso que a senhora entendeu. - ele diz nervoso - Eu quis dizer que...

- Não inventa Jinyoung. Eu te conheço- ela o corta 

- Mais você sabe que eu gosto de você. - Jinyoung diz com um sorriso no rosto, senhora Cha apenas revira os olhos e me olha

- Olha pra você, vai se demitir depois de tanto tempo trabalhando aqui.

- Meu trabalho na empresa está dando certo, mais ao mesmo tempo também está sendo muito puxado, ficar nos dois não ia dar certo, se não fosse isso. Eu ficaria aqui, você sabe. - sorriu pra ela

- Você vai fazer falta. - senhora Cha sorri pra mim, coisa rara de se acontecer - Estou de portas abertas caso queira voltar.

- Eu também não estou mudando de País, eu virei visitar a senhora sempre que dê. - a olho - Obrigada por tudo.

- Eu que agradeço. E ver se fica famoso - ela dá um leve tapa em meu braço - Assim eu poderei me gabar

- Pode deixar. - riu

A minha vida tem corrido "normalmente" -eu acho-  como eu disse, na empresa está indo bem, mais ao mesmo tempo está muito puxado e desgastante, além do que. Eu ainda não superei ela. Cada segundo dentro daquela empresa me lembro dela, sempre olho pra entrada aflito com medo dela entrar por lá. E todas as vezes que eu dou de cara com Bae na empresa, é a mesma coisa.

Eu ainda estou muito ferido, não sei se vou conseguir supera-la, por mais que esteja tentando, eu só penso nela, se ela está bem, feliz ou triste, se está se alimentando. Imagino que ela esteja bem, eu espero.

Até por que, já se passaram dois meses


Seo Yun On


Andava pelo quarto entendiada, olho pra janela e vejo o clima nublado, os dias estavam assim ultimamente, ou chove muito, ou o tempo fica nublado e feio.

Sinto minha barriga roncar, eu ando meio "rebelde" ultimamente, não quero comer, é rara as vezes, e quase nem saiu do quarto, eu não sinto vontade. Posso está sendo infantil? Um pouco, talvez. -- Ouço a porta se aberta e vejo com Bae com uma bandeja de comida na mão. Ele entra no quarto e deixa a bandeja na mesinha de canto e me olha:

- Anda, come. - ele diz se encostando na mesa

- Tô sem fome. - falo virando meu rosto

- Você não come nada dês de ontem no almoço, está com fome sim. Larga de ser mimada e coma! - ele diz rígido 

- E se importa? - o encaro levantando minha sobrancelhas

- Se eu vim aqui trazer. - ele dá de ombros - Vem come, ou vai querer que eu vou aí te dá a força?

Se importa? Que piada.

Vou até a mesa resmungando e começo a comer. Ele tinha razão, minha barriga estava pedindo aquilo.

- Aqui. - Bae diz deixando um celular encima da mesa

- Pra que isso? - falo de boca cheia o olhando e pegando o celular

- Faz dias que não fala com seu pai. Disse a ele que você estava numa viajem em alguma ilha que não tinha sinal. - ele cruza os braços - Mais sei que uma hora ou outra ele vai querer falar com você de qualquer forma. Então ligue pra ele e diga que está bem e em casa.

Pego o celular e o observo e logo o ligo

- Já o configurei. - Bae diz me olhando - Fui até bondoso e deixei o número da Hyuna. - ele sorri de canto

- Por que tá sendo bonzinho? - pergunto o estranhando

- Eu tô? - ele pergunta me deixando confusa - Vou pro trabalho - ele me olha - E saia um pouco, sei que não tá sol mais precisa sair desse quarto um pouco. - ele termina de dizer e sai do quarto

"Ver o Bae sendo boazinho.. chega a ser estranho"

Eu me isolei bastante nesse tempo, e foi também o suficiente pra mim pensar em mim mesma, esse tempo todo eu só tenho pensado na minha família e não em mim. Eles são tudo pra mim meu pai principalmente, mais olha o que tá acontecendo, eu acho que todos tem seus limites. E eu estou no meu, mais parte de mim diz: Dane-se o contrato, pense em você, e a outra parte diz: Só mais dois anos, você aguenta

Será que aguento mesmo?

Respiro fundo e pego o celular e ligo pro meu pai:

- Oii pai! - falo animada 

- Seo Yun? Você voltou de viajem! - meu pai diz contente

- Sim...- minto

- E como foi?

- Ahn.. normal. - caminho até a cama e me sento nela - Pai, preciso te falar uma coisa...

- Eu também tenho. - ele me corta - A empresa tá crescendo mais ainda, fico impressionada que mesmo com três anos do seu casamento com Bae, isso ainda dar muito lucro..

- Ah é..- me desanimo - Que bom. 

- Tô até pensando em fazer novos investimentos. E isso tudo é graças a você e o Bae. Nunca pensei que esse casamento desse tão certo 

Pai, você é um homem bom, mais por que tinha que ser tão ganâncioso? Acho que a humanidade é movida a ganância, outros menos e outros mais, só queria que você fosse menos e visse que eu não estou feliz

- O que você tinha a falar mesmo filha?

*Que vou me separar do Bae, de uma vez por todas, e irei contar tudo que ele me fez esses anos todos...

- É...na-nada - são aquelas míseras palavras que saem da minha boca - É.. é que..estou pensando em sairmos para viajar qualquer dia, eu você e o Jaebeom, seria... divertido.

- Você é igualzinha a sua mãe, sempre pensando na família. Vamos marcar, e então viajamos. Filha?

- Oi pai? - falo capisbaixa

- Tenho orgulho de você, as coisas seriam diferentes hoje se você não tivesse casado com o Bae, obrigada filha.

- Hm... Pai, eu preciso desligar agora. 

- Tudo bem. Tchau filha te amo..

- Tchau..- desligo o celular

Pai por que você tinha que ser tão ganâncioso? 

Por que eu travei? Não consegui falar, o que há de errado comigo.


{...}

Desço um pouco para descontrair e caminhar pelo jardim, sentir o vento frio em mim foi até uma sensação boa, já que fazia dias que eu nem sentia. Fico me perguntando como está o Chan, me sinto mal por ter dito aquelas palavras pra ele, foi cruel, eu não queria dizer mais aquelas palavras do Bae. Sinto falta dele, nunca pensei que uma pessoa sozinha teria um impacto tão grande assim na minha vida...foi o que o Chan fez


Senhora Jieun On


Observo a Seo Yun caminhando pelo jardim, tadinha está tão triste, dês aquele dia com aquele moço, as coisas mudaram muito. Principalmente ela

Vejo Sana e JeongIn do meu lado brincando e vou até eles:

- Crianças. - os chamo

- Sim mãe. - eles respondem ao mesmo tempo me olhando

- A senhora Seo Yun está magoada - a olho - Por que não vão lá ver se não animam ela? - olho pra eles e sorriu

- Ok. - Sana respondi sorrindo

- Eu serei o primeiro a fazer ela sorri! - JeongIn diz e sai correndo junto com Sana que vai atrás


Seo Yun On

Enquanto caminhava vejo JeongIn e Sana correrem até mim:

- Oii noona. - Sana animada caminhando do meu lado me olhando com um sorriso

- Oi Sana. - solto um fraco sorriso tentando parecer bem perto dela e JeongIn para na minha frente me fazendo parar e olha-lo

- Olha o que eu sei fazer Seo Yun! - JeongIn diz chamando minha atenção

JeongIn coloca suas mãos no chão e tenta ficar de cabeça pra baixo, mais é falho e ele cai:

- JeongIn! você tá bem? - falo preocupada me agachando até ele enquanto Sana ria do irmão

- Eu tô.- ele diz se sentando e me olha e dá um largo sorriso - Só doeu um pouquinho.

- Não faz mais isso - sorriu e o ajudo a se levantar - Se não pode se machucar. - passo a mão na cabeça dele

 - Você sorriu - ele diz - Mãe olha eu fiz a senhora Seo Yun sorrir!- ele diz animado dando uns pulinhos

- É eu vi. - Senhora Jieun diz se aproximando e sorri pra mim

- E obrigada por tentarem me animar. 

- E deu certo? - JeongIn pergunta curioso me olhando

- Hmm, deixa eu ver.. Claro que sim! - sorriu

- Agente é demais. - Sana diz e JeongIn a encara

- Agente nada! - JeongIn a encara - Fui eu que fiz ela sorrir de verdade. - JeongIn diz discutindo com a irmã

- Claro que não! Você só caiu e isso só foi engraçado. - ela rebate

- Eii sem briga! - chamo a atenção dos dois e abraço os dois - A presença de vocês dois já me animam. - sorriu

- Foi ele que começou! - Sana dá língua pro JeongIn que faz o mesmo, então Sana me olha e pergunta - Noona, por que está triste?

- Ah..- fico sem resposta

- Sana! - senhora Jieun chama a atenção da filha - O que agente conversou sobre as conversas de adultos?

- Desculpa é que...eu só queria saber. - Sana diz triste

- Isso não é assunto pra vocês, por que além de chato, não tem graça. - a olho - Ser adulto é muito chato.

- Por isso a Sana tá ficando chata. - JeongIn diz rindo - Tá ficando velha.

- Aí garoto você é muito chato. - Sana diz e sai correndo atrás do JeongIn que sai correndo

- Só esses dois pra me fazer rir. - falo rindo vendo os dois, me lembra a minha relação com o Jaebeom quando éramos mais novos


_Alguns dias depois


Hyuna On


- O que acha desse? - Daw diz me mostrando o vestido de uma revista de vestido de noiva

- Não gostei..- falo entediada, tava deitada na cama usando o colo de Daw como travesseiro

- Mais você nem olhou!? - Daw me questiona

- Não tô afim de escolher vestido agora. - falo olhando pro teto

- Eii! - Daw inclina sua cabeça pra baixo e põe seu rosto na frente do meu - Sei que tá mal pela Seo Yun, mais não pode ficar assim pra sempre. Você também tem uma vida, tem eu.

- Me desculpa. - coloco minha mão em seu rosto - Sei que não ando te dando atenção ultimamente.

- Tudo bem, eu te entendo, Seo Yun também é minha amiga, mais temos que ser positivos E seguir nossas vidas.

- Você tem razão. - falo me sentando

- Já sei! Para te animar, que tal irmos pra balada? - ele sugere

- Não tem graça sem a Seo Yun..

- HyunA! - Daw diz sério me olhando

- Tá ok, ok - respiro fundo - Eu vou.

- Ótimo, vou chamar o Félix, vai por mim, vai ser divertido. - ele diz sorrindo

- Eh..- concordo e olho a revista vendo o vestido que Daw avia me mostrando - Esse vestido é horrível! Não combina com meu corpo. - o olho - Você tem um péssimo gosto. - falo e Daw rir, e eu sorriu - Próximo.



Chan On


Chego em casa e vejo o casal Félix e Changbin namorando, eles se afastam quando me vêem.

- Vocês não tem vergonha não? - pergunto cruzando os braços

- Vem não tá! - Changbin diz bravo, acho que foi por ter sido interrompido

- Eu não sei de nada .- Félix diz se levantando e pega seu celular e o olha - Gente! - ele nos olha - Bora pra balada hoje? - ele pergunta sorrindo

- Assim do nada? - Changbin diz

- Não do nada. O Daw tá querendo animar a HyunA, e quer sair com ela, e eu quero animar o Bang Chan! - ele diz se aproximando de mim

- Por que eu? - o olho estranhando - Eu estou ótimo. - falo simples

- Qual foi Chan? Você tá sem sair a séculos. - exagerado - Vamos sair, beber um pouco.

- Superar..- Changbin diz em relance e Félix o encara 

- Tudo bem. Eu vou. - me rendo facilmente, eu tô cansado do trabalho, mais quero diverti, acho que beber um pouco não vai fazer mal

- Ótimo! - Félix diz animado 

É, acho que preciso disso.


Seo Yun On


Estava me arrumando pro jantar que ia ter hoje com meu pai, odeio quando junta meu pai e Bae, por que sou obrigada a  ouvir eles falarem de negócios ou do meu relacionamento com Bae, que pra meu pai é perfeito, e o Bae, que sustenta a mentira. E não é nada legal ouvir algo, sabendo que a realidade é outra e não poder falar nada.

- Você está linda. - Senhora Jieun diz me olhando

- Acha? - pergunto - Nunca gostei de usar vestidos.

Mais da classe que eu nascir, infelizmente sempre me obrigavam a usar vestido, fazer aulas inúteis e enfim.

- Claro, e eu não acho, você está.- ela sorri - Senhor Bae já está te esperando no carro - ela se aproxima de mim com um blazer e me entrega - Para não pegar um resfriado. Está de noite, e frio.

- Obrigada. - dou um fraco sorriso

Jieun é como uma segunda mãe pra mim, com ela eu volto a sentir o que é um amor materno.


Autora On


 O motorista abre a porta de carro do carro para Seo Yun, que sai olhando ao redor, e na sua frente um dos mais luxuosos e mais caros da cidade, cheio de pessoas da alta sociedade como sempre. A mesma sente o vento gelado em seus braços expostos, e um arrepio percorre em seu corpo a causando frio, além dos seus cabelos que são "bagunçados" por conta do vento. Usar um vestido tomara que caia numa noite fria daquelas não foi uma boa idéia, a mesma pega o blazer e põe por cima de seus ombros a aquecendo.

[...]

Bang Chan, Félix e Changbin andavam pela calçada úmida por causa da recente chuva, os mesmo que enquanto caminhavam riam e se divertiam se descontraindo enquanto iam em direção 

Chan olha pro outro lado da rua e ver aquele luxuoso restaurante, os três param e observam e riem da piada que Changbin avia fazido. Enquanto ele ria seu olhar bate em uma pessoa específica,  do outro lado da rua, na frente do luxuoso restaurante, uma moça, ela. Apesar de está de costas, aquilo já cria um aflito em Chan, que fica paralisado a olhando, quando a mesma se vira e seu coração acelera mais. Revelando e dando a certeza de que era ela, Seo Yun. Ela estava a mesma, seus cabelos castanhos claros, e meio ondulados batendo em sua cintura, só com a diferença que agora ela está usando uma franja na testa, Chan coça os olhos querendo não acreditar que era ela, mais ao mesmo tempo querendo ir até ele, Seo Yun, era ela

Lembranças dos dois veem em sua mente e os olhares de ambos se encontram, Seo Yun também se mostra surpresa ao vê-lo, mesmo que consideradamente longe um do outro, seu coração também acelera vendo Chan do outro lado da rua

Chan exita em ir até a mesma, mais queria e quando pensa em dar seu primeiro passo ele ver Bae se aproximar de Seo Yun e pegar em sua mão, Seo Yun desvia o olhar e se vira de costas seguindo até o restaurante guiada por Bae.

Chan sai de seu transe, ele enxergar a realidade, a realidade que ele imaginava ser, e se pergunta mentalmente como pode querer ir até ela depois de tudo. Ficar afastado, foi o que ela decidiu, talvez seria o melhor, mesmo Chan não querendo, a reecontrando agora, mesmo que longe, o fez perceber que ficar longe dela era mais doloroso e que ainda a ama mais do que nunca.

- Chan por que está parado aí?? - Changbin pergunta envolvendo os braços no pescoço do amigo

- Vamos logo. - Félix diz olhando os dois - Ou vamos nos atrasar.

Chan apenas afirma e segue caminho com os amigos

"Eles devem está felizes" - É o que Bang Chan pensava sobre Bae e Seo Yun

[...] 

Félix Changbin e Chan já aviam chegado, já fazia um bom tempo, apesar deles estarem se divertindo, avia duas pessoas ali no grupo que não estavam nem um pouco felizes.

Um deles, era HyunA, que não sabia da presença do Bang Chan, e que se soubesse antes, nunca teria aceitado ir a balada, ela avia pegado ranço do mesmo, em sua cabeça, ela imagine que ele (Bang Chan) sabia de tudo que Bae fazia com a Seo Yun, mais simplesmente a ignorou e a largou:

- Ignora, vamos nos divertir, viemos nos divertir. - Daw diz tentando divertir a noiva que estava de cara emburrada

Enquanto isso, a outra pessoa que não estava nem um pouco contente, Bang Chan, se derrubava em bebidas, não importava quais eram, tinham álcool, para ele já estava ótimo para se afogar em suas mágoas. Usava a bebida como desculpa para tenta esquecer a Seo Yun, sendo sua primeira vez que bebia sofrendo por amor, ele só queria esquecer aquele olhar..

Ele avia ido até a para balada com a mente limpa, aberta, só com a intenção de se divertir mais não esperava ver Seo Yun, e isso mexeu com a cabeça e coração dele, que fez ele ter várias lembranças, lembranças essas que ele só queria esquecer. Isso resultou nele beber mais do que queria.

Enquanto Félix procurava o amigo do (chan) preocupado, Chan avia sumido de seus olhos, e sua preocupação era grande já que sabia que ele não estava mais nem se mantendo em pé de tão bêbado.

Enquanto isso Chan andava cambaleando em meio a pista de dança, a música alta e várias pessoas dançando e se esfregando nele, ele só queria sair daquele tumulto, com dificuldade ele sai dali se sentia aliviado apesar de muito bêbado,  com sua visão embaçada, Chan continua a andar sem rumo quando esbarra em alguém;

- Ei! - uma voz masculina diz irritada

Chan olha pro cara sem preocupação, e logo reconhece aquele rosto e o mesmo valia pro cara que avia esbarrado:

- Você? - o rapaz diz incrédulo, o mesmo solta uma risada nasal e sorri de canto olhando pra Chan

Era Jay, o mesmo cara com quem Chan avia brigado e batido

Chan o ignora, estava tão bêbado que nem conseguia pensar, mesmo sabendo quem era Jay, ele não estava nem ai apenas o ignora e tenta passar por Jay que põe seu braço na frente do Chan. Chan entendiado olha pro braço de Jay e logo pra ele:

- Dá licença! - são as únicas palavras que saem da boca de Chan e  empurra o braço de Jay o tirando de sua frente

- Acha mesmo que vou?. - Jay se aproxima furioso, o mesmo queria se vingar dos roxos e cicatrizes que Chan deixou nele da última vez - Eu disse que teria volta. - ele segura a gola da blusa de Chan com força

Jay percebe que Chan estava bêbado, e nem racionando direito, e vê aquilo como vantagem. Seu braço se levanta e acerta um soco na cara do Chan não consegue ficar em pé e cai deitado no chão

Aquilo chama a atenção das pessoas em volta e olham Chan caído no chão, Chan tenha se levantar mais Jay vai pra cima dele fazendo a mesma coisa que Chan fez com ele dá última vez

Bater nele

Chan On

Eu sentia aqueles socos em mim, cada vez mais fortes, mais eu não tinha forças para rebater, ou eu não queira mesmo. Mesmo sentindo dor eu ficava imóvel. 

- Eu disse que ia arrepender por ter me batido. - Jay diz se levantando de cima de mim e me encarando com um sorriso de canto e seu cabelo no rosto

Me viro de lado sentindo uma forte dor.

- Seo Yun..- digo com minha voz abafada fraca e baixa, fecho meus olhos

- Chan! - ouço a voz de Félix vindo de longe e sinto ele se aproximar

{...}


Abro meus olhos assustado, nem me mexo direito e sinto uma forte dor e pontada na cabeça. Coloco a mão em minha testa e me lembro de tudo que aconteceu ontem a noite, parecia que foi tudo um sonho. Com dificuldade me levanto e me sento na cama, olho ao redor e não reconheço aquele quarto que não era o meu. Me levanto e vou até o banheiro que avia no quarto e paro na frente do espelho:

- Merda....- falo olhando o meu olho roxo e alguns cortes no meu nariz e abaixo no meu olho - Aquele filha da...

Respiro fundo e me acalmo. Saiu do quarto e desço e começo a ouvir vozes.


Félix On

Já são quase 14:00 horas e Chan ainda não acordou, ontem por pouco aquele cara não acaba com ele, se eu não tivesse chegado prefiro nem imaginar. Só queria saber por que o Chan bebeu tanto, se ele não estivesse bêbado com certeza iria revidar. Por sorte a HyunA deixou agente dormi aqui incluindo ele, eu sei que ela não gosta dele, não sei por que, mais não gosta, mais a casa dela era o local mais próximo, e carregar o Chan até o apartamento não rolava:

- HyunA, sabe de alguma coisa sobre a Seo Yun? - pergunto 

- Esses dias o Bae deu um celular pra ela, ela me disse que não mudou nada praticamente. Aí que ódio que eu tenho, se eu pudesse fazer algo...- ela diz cerrando os dentes

- Também queria poder ajudar, ela não merece isso...

- Até você se preocupa. - ela diz me olhando me deixando confuso

- Como assim?

- Você se preocupar, diferente do seu amiguinho bêbado que tá lá em cima, que mesmo sabendo, tá foda-se pra ela. - ela diz brava - Depois ele diz que a ama.

- Você acha que...

- Mais eu amo! - olho pra trás e vejo Chan parado na porta nos olhando claramente bravo

- Se amasse não teria abandonado ela! - HyunA rebate

- Por favor não briguem! - falo no meio dos dois - Acho que há um mal entendido aqui...

- Eu não a abandonei! - Chan diz se aproximando - Foi ela que disse pra mim que não me amava, que só me usou e preferiu ficar com o noivo dela. E que seria melhor nos afastamos.

- Ela nunca falaria isso! - HyunA diz elevando a voz e os dois se encaram, pareciam que iam se matar

- Então gente..- falo tentando evitar que essa briga vai além - Acho que se conversamos..

- Sinto muito em te decepcionar, mais ela disse. Eu só fiz a vontade dela, mesmo a amando.

- Seu idiota! Além de tudo não a conhece! - HyunA diz mais irritada e se aproxima dele - Por acaso não conhece o Bae para falar uma coisa dessas!? Ainda por cima é mentiroso.

- Chan..- o olho

- Ela nunca amou o Bae! - HyunA continua - Se ela amasse nunca teria o traído com você. Se você fosse homem o suficiente não teria abandonado ela sabendo de tudo que o Bae faz com ela 

- Espera..- Chan diz mais calmo - Como assim tudo que ele faz com ela? - Chan diz confuso, foi como eu imaginei, o Chan não sabia, ele agora está querendo entender as palavras de HyunA

- Não se faça de tonto! - HyunA diz - Prender ela dentro de casa, fazendo chantagens emocionais e quebrando o psicólogico dela, e ainda prender ela em um contrato! E você ainda dorme sabendo de tudo isso. - ela diz olhando pro Chan negando com a cabeça

- Co-como assim!? - Chan arregala os olhos surpreso

- Chan, quando você foi falar com ela...- me aproximo dele - Ela não te falou isso?

- Não..- ele diz negando com a cabeça e olha a HyunA - Isso é mesmo verdade?

- Pra que eu mentiria? Bae só tem cara de bom mesmo, mais na verdade, faz a vida da Seo Yun um inferno.


Chan On

Eu não podia acreditar naquilo, então ela mentiu pra mim? Por que ela não me contou a verdade?

- A Seo Yun..

- Tá sofrendo! - HyunA completa - Ela nunca foi feliz do lado do Bae, mais quando você apareceu, isso mudou. Pena que você foi covarde o suficiente para deixa-la.

- Eu não sabia disso! - rebato - Eu não sabia...




Continua...




Notas Finais


Amanhã (sábado) provavelmente eu vou postar mais um capítulo, se não for de manhã ou de noite, vai ser de madrugada kkkk
E deu trabalho pra fazer esse capítulo, como eu já disse, tô cm bloqueio na hora de escrever e as coisas não estavam me agradando então eu tive que mudar um monte de coisa e esse foi o resultado final 🤡 espero q tenha pelo menos agradado vcs
Enfim, reta final, Chan descobriu neah o que o Bae faz com a Seo Yun e acho que já está previsto uma das coisas que vai acontecer no próximo capítulo.

Ah e esse foi o primeiro capítulo que eu "descrevi" a Seo Yun, kkkk sempre que eu escrevo eu imagino ela como a prota do dorama melodia da esperança (o cabelo pelo menos) enfim, eu descrevi um pouco dela pelo menos kkk
Até o próximo capítulo pq agr eu vou dormi.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...