História Traicionero - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sherlock
Personagens D.I. Greg Lestrade, Dr. John Watson, Irene Adler, Jim Moriarty, Mary Morstan, Molly Hooper, Mrs. Hudson, Mycroft Holmes, Philip Anderson, Sally Donovan, Sherlock Holmes
Tags Jim Moriarty, Jimlock, Johnlock, Mystrade, Phally, Sheriarty, Sherlock, Sherlock Holmes, Teenlock
Visualizações 134
Palavras 1.094
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais uma vez desculpa.

Capítulo 30 - Capítulo 30 - Dois loiros não se batem


 

 

O mundo estava ao contrário?

Oh, não,espera aí! É só o Sherlock de cabeça pra baixo em mais um dia estressante de tédio. Creio que isso não é novidade. 

- Ms. Hudson! - Sherlock gritou. 

Os cabelos escuros estavam completamente bagunçados, o moreno vestia uma calça de flanela azul, sem nenhuma camisa, e duas pantufas enfiadas nos pés. 

- Oh, Sherlock! - A senhoria se virou de frente para o moreno, da bancada da cozinha. - Estou bem aqui, não há necessidade de gritar!

- Mas a senhora já está surda, não me ouve! - Sherlock exclamou novamente, alto de mais. 

- Eu estou velha, Sherlock. Não surda! 

O moreno não viu interesse na resposta da senhoria, se colocou rapidamente de pé e caminhou calmamente na direção da imensa janela do flat. 

- Ms. Hudson? 

- O que foi, meu bem?

- Atenda a porta. 

- Mas...

Três fortes batidas foram ouvidas pela senhora de idade. Que ainda contrariada desceu rapidamente o lance de escadas que a levaria a porta principal. Marta Hudson se viu imprensada entre a parede e a porta, para depois ainda tonteada pelo susto pode ver um vulto de cabelos loiros subir as escadas. 

- Sherl... - A voz manhosa de Victor Trevor preencheu o cômodo bagunçado de Sherlock.

O moreno caminhou sem nenhuma expressão no rosto até está na frente do pequeno de olhos azuis. 

- O que está fazendo aqui? - A voz rouca cortou o silêncio. 

- Eu precisava te ver. - Victor respondeu simplista, abrindo os braços e caminhando na direção do moreno. 

- Isso não é hora para decidir querer me ver, Victor. - Sherlock parou o loiro, que ainda alegre parou e aguardou o cacheado continuar. - Eu te enviei inúmeras mensagens!

Trevor fez uma expressão de dor.

- Eu precisava pensar. 

- Talvez me enlouquecer também, né? - Sherlock sorriu minimamente  e se forçou à abraçar o menor que engoliu a bola de choro que já começava a se formar em sua garganta. - Victor, eu só quero o seu bem. 

- Eu sei. - Trevor disse apertando mais ainda o cacheado em seus braços.

O Holmes sorriu e em um movimento rápido, girou o loirinho no ar, fazendo o mesmo soltar doces gargalhadas que alegraram o coração levemente gelado do Holmes mais novo. 

- Eu estou com fome. - O loiro disse logo após ser deixado no chão por Sherlock, passando as mãos na barriga. Fez uma cara cômica e fofa. - Tem bolo? 

- Infelizmente não, Mycroft não tem vindo esses dias aqui, graças à Deus! - Sherlock exclamou levantando a a mãos para o alto, ato contínuo foi sorrir.

- Tem aqueles doces que a Ms. Hudson faz? - Victor indagou esperançoso. 

- Bem, eu pretendia comer a bandeja que ela trouxe mais cedo, mas já que você está aqui e com fome, pode comer. - O cacheado disse indo e voltando rapidamente da cozinha com uma bandeja com alguns biscoitos de gota de chocolate.  - Assim você me poupa de comer eles. 

- Você não pode passar fome, Sherl. 

- Comida me deixa lerdo. - O moreno afirmou se sentando ao lado do loiro. 

Victor olhou para os biscoitos com um brilho faiscante no olhar, as pupilas dilatadas demonstravam um imenso desejo pelos biscoitos... Ou seria a presença incrivelmente marcante do cacheado ao seu lado?. Que só pra constar ainda estava sem camisa, o abdômen definido subindo e descendo calmamente, os cachos caídos pela tez alva, e os lábios avermelhados entreabertos, visualizando sorrindo o alvoroço do amigo só por simples biscoitos.

Bem, acho que a agitação do loiro se deve à excitação causada pela presença do cacheado. O jeito gentil e mandão, a forma como ele cuidava dele, tudo contribuía para pensamentos românticos rolarem soltos na mente de Victor. Contudo aquele sentimento só tinha retornado, ou melhor, se avivado graças a saída brusca de Moriarty de sua vida.
 

Moriarty... 
 

Sim, não há dúvidas de que Trevor o tenha amado, eram tempos difíceis para os dois e, embora James estivesse na época traindo John, Trevor foi mais um consolo na sua vida, assim como James foi na vida do pequeno loirinho de olhos azuis.

- Sherlock?  -  Trevor o chamou hesitante. 

É claro que ele deveria contar. Ele estivera lá, vira James quase morrer. 

- Diga, my Little. - Sherlock bebia lentamente um copo de água, fixou seu olhar no rosto oval de Victor e esperou o mesmo se pronunciar. 

- Eu estive na casa de James recentemente...

- Como?! - Sherlock exclamou se levantando abruptamente do sofá, uma expressão de espanto e desgosto vacilava em seu rosto. 

- Sher... - O loiro também se levantou, tentando acompanhar o passo nervoso do amigo. 

- Victor,  você é um idiota!  - Sherlock exclamou agarrando o sweater que o menor vestia. - Ele te traiu! 

Victor arregalou os olhos em espanto, sua surpresa misturada ao medo que lhe tornava fraco o impedia de falar. Sherlock apertava o tecido de sua roupa entre suas mãos crispadas de desgosto e ira. 

- Sherlock... Ele teve uma a - ataque car - cardíaca... - As mãos do cacheado se relaxaram instantaneamente, seus olhos vidraram na janela. 

- Como soube?  Quem te contou?  - O moreno carregava uma expressão de dor. 

- Sally me ligou,  disse que o James tinha passado mal, eu acabei comprando o remédio dele, mas não foi suficiente. - O loiro dizia brincando com seu sweater. - Levaram ele para o hospital, ele já está melhor. 

Victor sabia do ódio mortal que Sherlock sentia dele, mas mesmo assim quis informar o estado de saúde de James. 

- Certo...

Sherlock estava estranho, disso Victor tinha certeza. 

- Sally me disse que acha que o mal estar súbito de James foi uma mensagem que ele havia recebido minutos antes. - Victor falou quase como um sussurro. 

- Eu vou beber mais água! - Sherlock caminhou novamente para a cozinha, em busca de repouso mental. 

Victor, contudo, ignorando que havia soltado uma bomba na cabeça do moreno, se sentou novamente no sofá e passou a colher as migalhas doces dos biscoitos com a ponta dos dedos feito uma criança. 

- Sherlock, eu trouxe aquele livro que você me ... - John se manteve inerte perto da mesa de madeira em frente à janela. 

- John? - Sherlock correu da cozinha, espantado com a presença inesperada do namorado. 

- Você o conhece de onde,  Sherlock? - Perguntou nervoso. 

Sherlock engoliu em seco, e contrariado trocou olhares com Victor, que parecia, ou melhor, estava extremamente angustiado.
 

 

 

Continua...


Notas Finais


Na próxima semana atualizo El Dourado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...