História Traits Of Destiny - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Tags Bangtan Boys, Bts, Bullying, Jeon Jungkook, Jungkook
Visualizações 354
Palavras 1.639
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 37 - Esse olhar...


Fanfic / Fanfiction Traits Of Destiny - Capítulo 37 - Esse olhar...

Acordei com dores na cabeça e olhando ao meu redor, vi que permanecia presa. Pisquei algumas vezes, tentando recobrar minha visão devidamente. A sala estava escura e continuei olhando ao meu redor, esperando que minha visão se acostumasse a falta de claridade.

 Tentei me levantar com muito custo, mantendo o equilíbrio. Assim que consegui, me escorei na parede ao lado da porta, sentindo que ali havia um interruptor e empurrando minhas costas na direção do mesmo, consegui ligar a luz.

 Na porta do local, não havia janela, me impedindo de saber quanto tempo já haviam se passado e no momento, só torcia para sair logo.

 Observei os objetos que estavam ali, encontrando uma tesoura no canto da sala. Me aproximei e me sentando no chão, tentei pegar a tesoura ainda com os braços amarrados para trás. Assim que a alcancei, percebi que não conseguiria cortar as cordas, então tentei utilizar as lâminas como serra. Passei alguns minutos tentando, até que meus pulsos começassem a arder.

 Cansada, acabei por soltar a tesoura e já não conseguia pega-lá novamente, pois a mesma havia se afastado. Desisti e permaneci sentada pensando no que fazer. “Não acredito que tô presa aqui. Será que ninguém notou minha falta? Alguém...“ Fechei os olhos frustrada, quando finalmente ouvi um barulho na porta.

— (S/N)! Você tá aí?! — batiam na porta insistentemente, enquanto eu tentava reconhecer a voz que me chamava. — (S/N)!
— Jun... Jungkook! Eu tô aqui! Me ajuda, me tira daqui! — ouvi os barulhos cessarem e por um momento pensei que ele havia ido embora sem escutar o meu chamado, porém não muito depois ouvi um barulho de chave e a porta era aberta em seguida.

 Caminhou até mim e vendo o meu estado, se abaixou, retirando as cordas que me prendiam. Notei que me olhava preocupado, me abraçando em seguida.

— Caralho! Nós te procuramos por toda a parte. Olha o seu braço. — olhei, vendo que estavam vermelhos pelas cordas. — Quem fez isso com você? A sua testa tá sangrando também. Vamos, precisa de cuidados.

 Chegamos na enfermaria e logo fui atendida, recendo um curativo em minha testa e um calmante para a pele em meus braços. Eu estava sentada em uma das camas, enquanto Jungkook permanecia em uma cadeira ao lado. A enfermeira avisou que sairia, nos deixando sozinhos na sala.

— Já avisei a todos que você está bem. Eles devem estar vindo pra cá agora. — olhava para as mãos mas parou, me encarando.— Como isso aconteceu?
— Fui beber água e no caminho escutei alguém pedir por ajuda. Quando fui ver, a garota me puxou pra dentro da sala, me xingando e dizendo que eu não ficaria com você e coisas assim. As amigas dela me prenderam e me bateram, foi quando perdi a consciência. Quanto tempo fiquei lá?
— Três aulas... Se continuasse desaparecida, teríamos que chamar a polícia. Estávamos todos preocupados. Cho, Yoongi, Jin, Nam, Jimin e... O Lay estávamos procurando por você. Mas, sabe quem fez isso? — me olhou nos olhos, esperando uma resposta.
— Não sei o nome dela, mas você deve conhecer. É aquela sua noona, do terceiro ano, acho. Lembra? A que esbarrei sem querer uma vez..
— Hyori... Isso não vai ficar assim. Eu vou falar com ela! — se levantou mas eu o segurei, o impedindo. 
— Deixa isso pra lá. Não vale a pena. Ela não é louca de fazer de novo, correndo o risco de ir pra direção. — escutei uma movimentação e um falatório no lugar, vendo que todos chegavam para me ver.

 Cho estava com os olhos cheios de água e veio correndo me abraçar, fazendo com que eu quase perdesse o fôlego pelo seu aperto. Os meninos se atropelavam nas palavras, perguntando desesperados se eu estava bem e até olhavam meus braços e rosto procurando por mais machucados. Ri com tal desespero e os tranquilizei, dizendo estar bem.

 Em pouco tempo a enfermeira voltava e vendo aquela bagunça, os mandou para a sala, avisando que eu poderia ir embora para casa se quisesse. Assenti e vi Jungkook sair. Troquei de roupa, mudando meu uniforme de educação física pelo normal e permaneci ali por mais um tempo, aplicando gelo sobre minha cabeça até vê-lo voltar com as nossas bolsas.

— Aish. Não era pra ser só a minha? — questionei olhando-o, vendo-o me entregar a mesma.
— Pedi permissão pra ir com você até em casa, dizendo que você ainda podia sofrer alguma coisa de alguém. E já que o professor sabe sobre o nosso suposto relacionamento, deixou. — sorriu me olhando. “Esse sorriso... Alguém me segura.

 Fomos andando até em casa em silêncio. Jeon abriu a porta de meu apartamento e vi Key vir até mim correndo, todo desengonçado. O peguei, afagando sua cabeça. Joguei minha bolsa no sofá e Jungkook fez o mesmo. Deixei o gatinho no chão, indo até o banheiro para tomar um banho, mas parei ao ver que o garoto também me seguia. 

— Algum problema? — perguntei, arqueando uma de minhas sobrancelhas.
— Na verdade sim. — passou a me empurrar lentamente até o box, abrindo o chuveiro e me colocando debaixo ainda de roupa. 
— Tá louco?! — passei a mão em meus cabelos molhados, os colocando para trás.
— Eu apenas pensei que você provavelmente precisaria de ajuda pra tomar banho, já que acabou de passar por um trauma e ainda está com os braços machucados. — fez bico, me olhando inocente. — Vamos, eu vou te ajudar. — passou a retirar meu blazer e minha gravata de escola.
— E-ei! Pode parar. — Se afastou, fechando a porta e retornou me encarando. Direcionou o seu olhar até minha camiseta agora transparente e grudada em meu corpo.

 Me olhou de cima a baixo, parando em meu rosto. Sorriu de canto, mantendo um olhar malicioso. “Droga, droga! Esse olhar... Não. Eu não vou resistir assim. Socorro!

 Se aproximou novamente, retirando minha saia. Apenas o observava enquanto a água percorria o meu corpo. Passou a retirar minha camisa, me deixando apenas de roupas íntimas que também foram tiradas, sendo jogadas no canto do cômodo. Estava nua e podia sentir totalmente o toque da água em minha pele. Jungkook se afastou novamente, retirando a própria roupa. Olhei para o mesmo e suspirei, vendo-o caminhar nu em minha direção.

 Me fitou por alguns instantes passando a me beijar com voracidade. Ele apertava minha cintura, aproximando-me dele até que meus seios fossem pressionados contra o seu peito. Cessamos o beijo ofegantes e não muito depois meu corpo era pressionado contra a parede gélida do banheiro. Seus lábios macios foram até meu pescoço, onde dava mordidas e chupões, descendo pouco a pouco pela minha barriga, até que o mesmo já se encontrasse na altura de minha intimidade.

 Jeon levantou uma de minhas pernas, deixando-a apoiada em seu ombro enquanto a outra permanecia no chão. Notei sua respiração quente próxima a minha púbis e ofeguei, sentindo sua língua invadir minha área sensível. Uma de suas mãos passou a apertar levemente minha coxa, e a outra a minha bunda. Eu até contestaria, mas no momento não conseguia pensar em nada além de seus toques.

 Ele movia a língua agilmente e eu fechava os olhos em resposta, deixando alguns gemidos baixos escaparem de minha boca, o que parecia apenas incentivá-lo a continuar. Penetrou um dedo em minha intimidade e formigamentos começaram a surgir em meu corpo, indicando meu auge próximo. Continuou, adicionando mais um dedo, movimentando-o dentro de mim. Minhas pernas estremeceram e o mesmo segurou meu quadril, lambendo todo o fluído que eu havia expelido.

 Se afastou brevemente, pegando um preservativo e o vestindo. Voltamos a nos beijar novamente e eu passei minhas mãos sobre seus cabelos molhados, sentindo suas mãos percorrerem todo o meu corpo sem pressa. Mordi seu lábio inferior no final do beijo, fazendo-o sorrir e me levantar um pouco para que eu entrelaçasse minhas pernas em sua cintura e eu o fiz. Já podia sentir seu membro duro encostar em minha intimidade e o abracei, mordendo o pescoço do mesmo.

 Meu corpo foi pressionado contra a parede novamente e ele se posicionou, me penetrando com força, o que me causou um gemido alto em surpresa. Logo de início o ritmo das estocadas eram rápidos e profundos. Ambos gemíamos progressivamente, quase que em uníssono, abraçados. 

 Minhas costas úmidas deslizavam na parede conforme o movimento de nossos corpos. As estocadas tornaram-se lentas e nos afastamos levemente. Suas mãos estavam apoiadas na parede ao meu lado e aproveitei para encarar o seu rosto, vendo uma expressão de satisfação maravilhosa no mesmo. Seus olhos que estavam fechados, se abriram quando toquei sua pele. Me olhou por alguns instantes e nos beijamos, porém, dessa vez um beijo calmo, nos permitindo aproveitar cada momento.

 Ainda no mesmo ritmo, senti meu segundo orgasmo se aproximar e mordi os lábios. Jungkook aumentou a intensidade e profundidade, me estocando firmemente e cheguei em meu limite. Já ele continuou um pouco mais, até que também se desfizesse. Se retirou de dentro de mim e nos encaramos ofegantes. 

 Vi um sorriso escapar de seus lábios e o mesmo colocou uma mecha de meu cabelo para trás de minha orelha, dando um beijo em minha bochecha. Me surpreendi. Ele parecia calmo desde que havia me encontrado naquela sala e não parecia querer discutir comigo. Provavelmente por saber que eu estaria estressada por ter passado tal situação inusitada na escola.

 Recuperamos o fôlego com algumas carícias e abraços; e assim que já estávamos recuperados, tomamos banho.

 Depois de me trocar, fui até o banheiro pegando as roupas molhadas, colocando-as para lavar. Jeon avisou que sairia e se retirou, se despedindo com um rápido selinho. “Sei que ele só vai agir assim hoje, mas... Não posso negar que gostei desse lado carinhoso.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...