História Transformers - Nova Era - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Transformers
Visualizações 11
Palavras 709
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Canibalismo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Não sei, deu vontade de colocar tal capa diferente, não gostei das outras 4.

Capítulo 2 - Falsos Sentimentos


Fanfic / Fanfiction Transformers - Nova Era - Capítulo 2 - Falsos Sentimentos

Falsos Sentimentos.



Ela segurou firme se caderno de anotações. Estava de frente com três membros da grande Divisão de Justiça Decepticon. 

O que levou sua surpresa? Não. Não foi o fato de estar vendo eles em um bar de Kaon, e sim por Tarn, do qual olhava para a mesma. Ela não intimidou-se, e ambos permaneceram, olhando um para o outro, como se já se conhecessem a muito tempo.

Tarn, também não se intimidou. Apesar de duas aparência, com uma máscara com marcas de batalhas em rosto, escondendo sua verdadeira identidade, a garota não deixou de notá-lo.

Em sua cabeça, ele se perguntava;

Como é possível, existir algo tão belo?

— Ei, senhorita, quero um cardápio. - falou Tesarus, percebendo que seu lider não iria se manifestar tão cedo.

Ele então, repetiu novamente, alterando seu tom de voz, fazendo ambos voltarem a realidade.

— S-Sim senhor, aqui está. - ela respondeu, lhe entregando o cardápio.

Cada um fez seu pedido, se serviu, e saiu.

Crystalline recolheu a mesa, voltando ao balcão para devolver os pratos a cozinha.

— Eei! Não finja que eu não vi seu momento com o líder da D.J.D! - exclamou Amunet.

Amunet, por sua vez, era a melhor amiga de Crystalline, na verdade, a única. Ambas passaram grande parte de suas vidas juntas, com uma pergunta relação muito próxima.

— N-Não diga isso tão alto, eles vão olhar! - respondeu, se referindo aos Cybertronianos presentes no local.

— Hmmm, nunca me falou deste seu lado de gostar dos perigosos, sua pervertida! 

Ela, por sua vez, abaixou a cabeça, cheia de vergonha, entregando os pratos a cozinha e voltando a atender os clientes, em silêncio.

Amunet, sorriu.

Naquele dia, o tempo pareceu voar, Crystalline não parou de pensar no que ocorre naquela manhã.

Já a noite, ela não retornou a sua casa sozinha, prefereu ir acompanhada de sua amiga Amunet.

— Você.. Acha que aquilo foi normal? - perguntou.

— Alôôô Crys! Em que planeta está? Tenho certeza que você ficou toda bobinha com ele, hã hã? Vai dizer que não? - Amunet respondeu.

— Sua boba! C-Claro que não! Além de tudo, ele é um grande líder de respeito, seria até ridículo ele se importar com relacionamentos.. 

— Opa, tá afim dele pra já falar de relacionamento!? 

— Não foi isso que eu quis dizer! 

— Você é boba demais! Um cara cheio da fama e com um prestígio grande, aí aí, até eu queria! - Zombou Amunet.

Crystalline olhou para ela séria, como que não queria brincadeiras. Amunet também, porém, fazendo uma cara engraçada, acabou por tirar um sorriso da amiga, ambas riram. Sem perceber que já haviam de chegar na casa de Amunet.

— Tem certeza que vai ficar bem? Se quiser, pode dormir aqui. 

— T-Tenho! Minha mãe está sozinha, não quero deixa-lá sem mim, é seguro aqui - respondeu.

— Ah, verdade, se você precisar, Tarn pode aparecer para ajudar o grande amor dele 

— A-Amunet! 

Ela entrou, fechando a porta. Do lado de fora era possível ouvir seus risos. 

— Ela nunca muda.

Crystalline coloco seus fones, reproduzindo a música Scars To You Beautiful.

Ela, desde pequena era uma amante de música, ouvia tanto as de sua cultura, quanto as produzidas por humanos, ela se sentia ccomple, se sentia pura e em paz.

A noite estava muito bonita, enquanto ela ouvia a melódia da música, sentia o vento passar por seu corpo.

Ela acabará de virar uma esquina, dois quarteirões de sua casa, quando foi abordada, três garotos.

Um, segurou a mesma firme, enquanto o outro procurava seus pertences. Outro permaneceu um pouco afastado, com uma arma em mãos.

Crystalline era uma mera Cybertroniana, mal sabia fechar seus punhos para agredir alguém.

Derrepente, em meio ao desespero, o responsável pela arma, foi atingido por um tiro, um tiro semelhante ao que matou milhares de Cybertronianos, o tiro do canhão de fusão de Megatron.

Assustados, já correndo o que seria capaz de surgir, correram. Porém, sem escapatória, também atingidos pelos tiros.

A garota, caiu ao chão, assustada, abaixando sua cabeça.

Derrepente, viu uma mão, de coloração púrpura e com dedos pontudos, se estendendo em sua direção. Ela levantou a cabeça, e por um momento, lembrou das palavras de Amunet.

“ Ah, verdade, se você precisar, Tarn pode aparecer para ajudar o grande amor dele. ”

O fone, permaneceu ligado, tocando no refrão da música.

No scars to your beautiful, 

We're stars and we're beautiful

Oh oh oh 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...