1. Spirit Fanfics >
  2. Transição >
  3. Prazer, me chamo Itachi Senju

História Transição - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oiiee
passando aqui pra avisar que essa fic é voltada para o casal Itasasu, ou seja, é um incesto.
Era só esse recadinho mesmo.
Espero que gostem

Capítulo 1 - Prazer, me chamo Itachi Senju


Era cinco e meia da manhã.

O despertador tocava loucamente num som demasiadamente considerado irritante para Sasuke. Todos os dias era o mesmo ritual, ele desligava o despertador antes que o jogasse pela janela e ficava uns bons vinte minutos em sua cama deitado de barriga para frente olhando o teto do seu quarto, criando forças para assim iniciar mais uma manhã.

Já havia se cansado de se deparar todo santo dia com o mesmo cenário de sua vida. Nada de novo acontecia, nem mesmo coisas ruins como um assalto. Diariamente ouvia fofocas de seus colegas de classe ou até mesmo dos professores, ficava extasiado como coisas novas e surpreendentes acontenciam com as pessoas a sua volta, mas ao mesmo tempo sentia-se extremamente melancólico quando lembrava que nem mesmo 1% do que acontecia na vida alheia ocorria na sua.

Até mesmo Naruto, seu melhor amigo, possuía uma rotina movimentada, fruto é claro de sua personalidade intensa e energética, muito diferente da sua. Lembrava-se que o Uzumaki ia em diversas festas promovidas pela elite do colégio, algumas vezes o loiro havia o convidado, porém sasuke não via nenhuma graça em ir num lugar onde estaria um monte de adolescentes bebendo e dançando feito baratas tontas e fazendo coisas que normalmente são feitas entre quatro paredes.

Preferia mesmo era ficar no seu precioso muquifo lendo mangás e se empanturrando de salgadinhos ou jogando videogame. Adorava gastar seu tempo nessas atividades. Porém, isso já não lhe satisfazia mais, lia sempre os mesmos mangás e jogava sempre os mesmos jogos, o que era sua fonte de entretenimento agora não se passava de passatempos entediantes. Precisava mudar isso, precisava trazer mais emoções para sua vida.

Com esses pensamentos em mente se levantou da cama com decisão de reverter essa situação. Não sabia ainda como iria fazer isso, o que tinha certeza era que não poderia continuar mais vivendo sua vida daquela forma, era um desperdício.

Era jovem e aparentemente bonito, as garotas sempre lançavam-lhe olhares quando passava pelos corredores, porém ele só não tinha mesmo era vontade de retribuir, não sentia a menor necessidade disso, gostava de ficar sozinho e a ideia de ter uma garota em sua cola era bastante incômoda. No entanto se fizesse tais coisas teria um gatilho para sair de sua vida monótona.

Resolveu, porém, deixar para pensar em como iria fazer para tornar sua vidinha mais agitada depois, pois se continuasse iria se atrasar para a aula e não queria estragar seu histórico de aluno exemplar, não era desse jeito que queria que sua vida mudasse. Rumou então para o banheiro, onde fez suas devidas higienes matinais e depois se dirigiu a cozinha a fim de preparar o seu café da manhã.

Seus pais não estavam em casa, então normalmente passava sua manhã sozinho. Sua mãe era médica e trabalhava num hospital local realizando plantões na área pediátrica. Já seu pai era representante de uma multinacional japonesa e por esse motivo só vivia em viagens e raramente parava em casa, o que não fazia muita diferença para Sasuke já que ele nunca exerceu o papel paterno de verdade. Dinheiro nunca foi um problema para seus pais, o problema era o tempo disponível deles.

De café tomado e de farda vestida, Sasuke se dirigiu para porta de sua residência, trancando-a logo em seguida. O colégio em que estudava ficava bem próximo do local onde morava, e por isso sempre ia a pé.

Caminhou por aproximadamente cinco minutos até avistar uma cabeleira loira vindo em sua direção.

– SASUKE! – Naruto sempre cumprimentava-o assim, aos gritos. Sasuke porém odiava tal ação do loiro, pois atraía diversos olhares das pessoas ao redor, que os achavam dois garotos malucos. 

– Seu dobe, fala baixo! – diz Sasuke lançando um olhar de reprovação para Naruto.

– Ei, você fez sua atividade de matemática? – diz Naruto ignorando por completo a repreensão do moreno, que soltou um suspiro como resposta.

– Fiz, mas pra quê você quer saber? – pergunta voltando a caminhar sendo acompanhado pelo Uzumaki.

– Pra eu copiar – Mostrou um de seus sorrisos amarelos que Sasuke pôde entender como um pedido de “ajuda seu amigo só dessa vez”.

– Tá, mas você tem que fazer suas atividades, baka – Sasuke tentava criar um senso de responsabilidade no loiro mesmo sabendo que era em vão e que ele esqueceria dessa conversa assim que atravessasse o portão do colégio – Ah, Naruto – chama o seu amigo que até então estava distraído com uma menina com um laço absurdamente grande na cabeça.

– Fala.

– Eu preciso que você me ajude em uma coisa – Diz recebendo agora a total atenção do seu amigo ao lado – Eu quero tornar minha vida mais agitada, mas não sei como faço isso.

Ao ouvir essa frase os olhos de Naruto brilharam de uma maneira tão intensa que Sasuke logo se arrependeu do que disse percebendo que o loiro viria com mais uma de suas ideias mirabolantes.

– Então quer dizer que vai deixar de ser bicho do mato? – Naruto o chamou de seu apelido fazendo o moreno revirar os olhos. Era impossível não reparar na sua animação, sempre quis que Sasuke fosse mais aberto e disposto a experimentar coisas novas, ouvir isso era como um sonho se tornando realidade – pode deixar comigo, sua vida se agitar mais que escola de samba no carnaval, tô certo!

– Pode ir parando, não quero nada que envolva pular a janela do quarto e sair pra uma rave no carro de um desconhecido ou fazer uma obra artística no rosto da Tsunade – fez questão de pontuar algumas coisas que o loiro havia feito e proposto para que ele fizesse também.

– Ah qual é? Aquela rave foi ótima e você deveria ter visto a cara da Oba-san – Deu risada relembrando das suas antigas aventuras – Mas fique tranquilo, vou pensar em coisas sutis para você.

– Assim espero – diz atravessando os portões do colégio.

Os dois seguiram direto para sala. Algumas pessoas paravam Naruto no caminho, o que era bastante normal já que o loiro era muito alegre e comunicativo, o que fazia com que as pessoas simpatizassem consigo. Por vezes o moreno se irritava com essa situação, pois as pessoas roubavam o seu único amigo de si deixando-o sozinho, não que isso fosse problema para Sasuke, mas ficar sozinho dava abertura para outras meninas (e até mesmo meninos) tentarem algo com sua pessoa, importunando sua preciosa paz.

Adentraram na sala e cada um sentou em sua carteira. Alguns alunos também começavam a chegar mas Sasuke não reparou muito nisso. O primeiro horário seria de literatura com o professor Chouza, matéria essa que Sasuke particularmente gostava e por isso se empenhava mais nela do que nas demais.

Como Sasuke não era um exper em interação social, ele passava a maior parte do seu tempo lendo mangás, que logo foi ampliado para livros. Por esse motivo literatura passou a ser uma de suas matérias favoritas.

Como de costume, pegou seu celular para colocar alguma música para ouvir enquanto Chouza-sensei não chegava, porém sua ação não chegou a ser finalizada pois uma garota de cabelos rosas se pôs na sua frente.

– Sakura – pronunciava seu nome como se tivesse acabado de beber ácido.

– S-sasuke-kun! –sakura era mais uma das iludidas pelo moreno. O mesmo já havia dado várias aberturas para que a rosada se tocasse de que ele claramente não estava afim, no entanto suas tentativas nunca pareciam funcionar pois a mesma voltava novamente a perturbar sua humilde paciência. – bem, o que acha de sentarmos hoje juntos para almoçar? Eu e minha mãe fizemos alguns Onigiris e eu provei, estão deliciosos! Gostaria que experimentasse alguns comigo – Seus olhos brilhavam em expectativa.

Por um instante imaginou a cena de como seria compartilhar o seu sagrado horário do almoço com a rosada e rejeitou essa ideia com todas as forças que possuía, não gostava de almoçar com outras pessoas no mesmo lugar, com a companhia de Sakura então seria comparável a um pesadelo.

– Não – foi curto e grosso. Sasuke não dominava a arte da sutilidade e por isso acabava na maioria das vezes sendo grosso com as pessoas. A rosada se murchou rapidamente ao ouvir a resposta e voltou a se sentar na sua carteira, esperava pelo menos uma explicação, ou um "não" menos mal humorado.

Naruto estava sentado na carteira ao lado da do moreno e pôde observar toda a cena. Quando a mesma terminou tentou chamar a atenção de Sasuke jogando algumas bolinhas de papel na face alheia, recebendo um olhar intimidador do Uchiha como resposta e um "o que foi?" em sussurro.

O moreno não entendia o porquê de Naruto se comunicar com ele por sussurros, o professor ainda não havia chegado então não tinha motivos para ser discreto, mas logo entendeu do que se tratava ao ler nos lábios do loiro a frase “Vá falar com ela”.

– “Porque eu iria?”– disse ainda em sussurros, quase inaudível.

–“Você não quer agitar sua vida? Chama ela para sair” – Sasuke agora olhava para Naruto como se ele fosse a criatura mais louca da face da terra.

– “Pirou de vez, dobe?!”– mesmo em sussurros havia uma irritação na sua fala fazendo o loiro revirar os olhos.

– “Só faça o que eu tô dizendo, teme” – Sasuke se perguntava no que chamar a Sakura para sair ajudaria para movimentar sua vida. Depois de vários "Não" proferidos pelo moreno seguidos de alguns “confia em mim” do loiro, Sasuke finalmente resolveu ir de encontro a rosada para fazer o tal convite.

Levantou-se lentamente e andou até a sua carteira na mesma velocidade, era como se estivesse indo comprar seu passaporte para o inferno e ainda sem desconto. Chegou finalmente em frente a rosada que se encontrava de cabeça baixa anotando alguma coisa que não fez questão de saber, então para chamar a sua atenção para si o moreno bateu levemente na sua mesa com o dedo.

– Sakura – a mesma havia levantado seu olhar para Sasuke, ela claramente não tinha entendido a atitude do Uchiha em aparecer na sua frente logo após a rejeitar tão friamente, mas continuou olhando para ele, que parecia querer falar algo– Você quer...– dizer essas palavras era um sufoco para o moreno, mas se isso fosse de ajudar, então faria – sair comigo?

Sakura não podia acreditar no que tinha acabado de ouvir. Aquele era mesmo o Sasuke Uchiha? O garoto mais frio da sala, quiçá o da escola inteira? Não podia ser real, fazer com que ele falasse um "oi" já era um grande vitória. Não podia acreditar que o mesmo em carne e osso a havia convidado para sair.

– Sim!– Ela respondeu sem nem ao menos pensar duas vezes, seu rosto estava radiante, porém o sorriso que estava estampado em sua face logo se desfez fazendo Sasuke ficasse confuso com a reação repentina da rosada.

Sasuke iria perguntar se tinha algo errado, pois a expressão da Sakura não era uma das mais amigáveis, o que lhe causou um estranhamento. Porém antes mesmo de se pronunciar escutou alguns passos que estavam vindo em sua direção, quando os mesmos pararam Sasuke fez menção de se virar, mas não chegou a fazer tal ato pois ouviu uma voz masculina soar bem próximo de seu ouvido fazendo todos os seus pelos do corpo eriçarem por completo.

– Já terminou garanhão? Preciso iniciar minha aula – Sasuke gelou. Aquela voz não a era do professor Chouza, não mesmo, na verdade ela lhe era estranhamente familiar.

Se virou rapidamente e deu de cara com um homem alto de cabelos grandes e negros que estavam presos por um simples rabo de cavalo frouxo. Sasuke parecia muito desconcertado com a imagem de seu até então mais novo sensei, pois ele era misteriosamente parecido consigo. O professor não se encontrava muito diferente do mais novo, pois assim que o mesmo se virou seu coração pareceu ter falhado numa batida e se encontrava boquiaberto, posição essa que durou por apenas alguns segundos até ele se recompor novamente e coçar um pouco a garganta.

– Que isso não se repita, agora sente-se no seu lugar – Falou seriamente para o jovem moreno e começou a caminhar para mesa.

As pessoas olhavam para Sasuke um tanto surpresas com o seu comportamento, afinal o mesmo nunca havia feito algo que merecesse a repreensão de um professor. Já Sasuke não estava ligando de fato para isso, ele se encontrava não só indignado com a audácia daquele homem como também abismado com a tamanha semelhança entre ele e sua pessoa.

– Olá alunos, eu me chamo Itachi Senju e a partir de hoje eu serei o novo professor de literatura de vocês – se apresentou e instantaneamente a sala tomou-se em burburinhos, os alunos não entendiam o porquê do professor Chouza ter saído de repente, o que deu gatilho para que Itachi continuasse sua fala – O professor Chouza precisou se mudar por motivos familiares e não há previsão para que ele volte, por isso eu estarei assumindo o cargo dele permanentemente nesse colégio. Agora vamos começar nossa aula – Não deu mais abertura para possíveis perguntas serem feitas.

O restante da classe agora estava começando a abrir seus livros na página que Itachi havia indicado, começando um novo assunto. Sasuke então resolveu dissipar todos os seus pensamentos a cerca do novo professor e prestar atenção na aula. Porém sentia algo errado acontecendo consigo, sua intuição parecia gritar dizendo que as coisas seriam por fim diferentes em sua vida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...