História Trapped - Suho (EXO) - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Kim Jun-myeon (Suho)
Tags Exo, Kim Junmyeon, Policia, Romance, Suho, Traficante, Trapped
Visualizações 50
Palavras 4.271
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


╭── Espero que gostem. 🌟🍒
╰ Boa leitura.💕

Capítulo 4 - Capítulo 4


Fanfic / Fanfiction Trapped - Suho (EXO) - Capítulo 4 - Capítulo 4

Jongsuk: - Sim. Sim, Superior! Eu sei. - Diz e desligou o telefone - Vocês sabem mesmo como me deixar ocupado. E com a Interpol de novo! - Diz se levantando da cadeira e olhando para os quatros, Jonghyun, Jinyoung, yuqi e Jack. - O que vocês têm contra eles? Ou não escreveram cartas de auto-reflexão o suficiente? - Jonghyun acaba gemendo de dor - O que é agora? - Diz perguntando para o mais novo que coloca a mão no peito -

Jonghyun: - Eu senti as batidas do meu coração e acho que não estou muito bem.

Jongsuk: - Se o seu coração não batesse você ainda estaria aqui? Eu estou pior do que você agora! - Diz caminhando até o Jonghyun ficando na frente dele - Eu te disse para procurar a S/n. Onde você está procurando?

Jonghyun: - Bom, ela...

Jongsuk: - Han! Há tantos de vocês e não podem nem cuidar dela. Um membro da minha equipe sumiu durante uma operação. Se isso vazar, onde eu vou esconder a minha cara?

Jack: - Capitão, estamos todos ocupados vendo se Chen Wenhao aparecerá. Cada um tem sua própria zona para cobrir, quem saberia que ela ia desaparece. Como saberíamos para onde ela foi?

Yuqi: - É verdade. Acho que a Sênior saiu, ela deve ter...

Jongsuk: - Não invente desculpas por ela. Ela deve ter visto Kim Junmyeon de novo. Kim Jonghyun, não quero fala com os outros. Você conhece bem a S/n! Por que não pensou em tomar precauções? - Jonghyun se inclina para frente sentindo dor no peito -

Jinyoung: - O que foi? Você está bem?

Yuqi: - Irmão Jonghyun!

Jack: - Aqui, sente-se - Diz pegando uma cadeira e colocando o Jonghyun sentado lá -

Yuqi: - Não se exalte! Respire fundo. Devagar.

Jongsuk: - Jonghyun, eu não quis gritar com você. - Diz preocupado - Eu só estava falando rápido e minha voz ficou um pouco alta. Olhe pra mim e respire fundo. - Começou a fazer expire e inspire com o Jonghyun - Expire. Inspire. Melhorou?

Yuqi: - Como está? Melhorou?

Jonghyun: - Estou melhor.

Jinyoung: - Você tem problema no coração?

Jack: - Dê uma olhada nisso, e fique bem.

Yuqi: - Sim, acho que deveria checar se está tudo bem.

Jonghyun: - Eu sei. Eu não estou sentindo dores no peito. Só o meu coração que continua batendo forte.

Jongsuk: - Então está bem agora.

Jonghyun: - Agora estou.

Jongsuk: - Se está bem, vá encontrar a S/n e traga-a de volta!

Donghae: - O que está havendo? - Diz o Donghae chegando no escritório -

Yuqi: - Donghae! - Diz indo até ele - A S/n sumiu.

Donghae: - Como? Como ela sumiu?

Jongsuk: - Não precisa se preocupar. Jonghyun já estava indo atrás dela. - Diz e saiu de lá -

Jonghyun: - Eu nunca tive isso antes. Será se aconteceu algo com a S/n?

Yuqi: - Não fale besteira!

Donghae: - Tudo bem, vá descansar um pouco.

Capanga: - Vá!

Capanga 2: - rápido!

S/n e Suho ainda estavam fugindo dos homens que estavam indo atrás deles. Os homens se separaram sendo assim mais fácil de encontrá-los.

Suho: - Espere. Aqui é muito aberto, é perigoso. Vamos por ali.

Eles estavam indo em um caminham que não sabiam aonde iam para, pois a mata é um lugar fácil de se perder e difícil de se encontrar.

Capanga: - Olhem ali em frente.

Suho: - Vai.

Suho puxou a S/n para um lugar bem escondido onde não possam ser vistos pelos capangas.

Capanga: - Nada por ali?

Capanga 2: - Nada.

Capanga: - Verifique ali - Diz apontando para um canto aleatório - Vou por ali.

Suho e S/n saíram da onde estavam e foram tentar sai daquela mata sem serem vistos.

Jonghyun estava batendo na porta da casa da S/n e ligando para a mesma que não atendia nenhuma ligação.

Jonghyun: - S/n, você está aí? S/n! - Diz batendo na porta novamente -

Jonghyun desistir e saiu de lá voltando para a delegacia.

Jonghyun: - Eu estou no beco da casa da S/n. Ela não está e nem atende o telefone. Tudo bem, mantenha contato. Retorno assim que encontrá-la. Certo, Tchau - Diz e desliga o telemóvel, mas logo foi parado pelo XiaoJun fazendo o mais nova se assusta - Está me procurando?

XiaoJun: - Vamos! - Diz o puxando -

Jonghyun: - O que você quer? Para onde está me levando?

Suho e S/n estavam de baixo de uma pequena montanha.

Capanga: - Não deixem eles fugirem!

Diz e os dois se encostam na montanha para aqueles homens não verem eles.

S/n: - Essa foi por pouco. - Diz e pegar seu telemóvel - Ahn? Como eu quebrei isso? Não vai ligar mais. Rápido, ligue para a polícia. - Diz para o Suho que a olha -

Suho: - Você acha que eu vou ligar para a polícia?

S/n: - Então ligue para o seu povo. Basta chama por apoio.

Suho: - Eu não trouxe meu telefone.

S/n: - Você é o homem das cavernas? Quem sai sem levar o telefone?

Capanga: - Verifiquem ali. - S/n pega na mão do Suho e o puxa fazendo eles encostarem mais na montanha - Não tem ninguém. Vamos procurar ali!

Diz saindo de lá, Suho segura a mão da S/n mais forte e foram para outro caminho.

Suho: - Ali.

Diz olhando para a S/n e logo para suas mãos e soltando a dá S/n vendo a mesma o olha com tédio.

Capanga: - Apressem-se e continuem procurando! - O homem diz e o Suho puxa a S/n fazendo a mesma encosta numa pedra grande e ele ficando na frente dela olhando aquelas caras - Eles são bons em se esconder.

Capanga 2: - Já procuramos por todo canto e não conseguimos encontrá-los. Olhem por lá.

Diz indo para o caminho reto. Suho se aproximar mais do rosto da S/n e respira aliviado e apoio a cabeça no ombro da garota que achou estranho o ato do mesmo. Ele logo percebe o que estava fazendo e se separa dela sentando ao lado dela na pedra.

S/n: - Se não tivéssemos isso, tudo estaria bem. - Diz levantando a mão com a algema. -

Suho: - Quem trouxe elas?

S/n: - Está bem, é tudo minha culpa. - Suho olha para sua mão e a S/n faz o mesmo - O que está fazendo?

Diz olhando para a mão dele, ele respira fundo e deslocou o osso do polegar e retirou a algema de sua mão e logo colocou o osso no lugar. S/n o olhou assustada e ele se levantou indo para um canto aleatória.

S/n: - Isso funciona também? - Diz se levantando e indo atrás do Suho -

Jonghyun estava sentado em uma cadeira no escuro, mas não estava sozinho. XiaoJun ligar a luz e o Jonghyun olha para todo o canto da sala.

Jonghyun: - Por que me trouxe aqui? - Diz se levantando mas logo o XiaoJun coloca ele sentado de volta na cadeira -

XiaoJun: - Para onde Lee S/n levou o meu chefe?

Jonghyun: - S/n saiu mesmo com o Kim Junmyeon? - Diz se levantando mas o XiaoJun colocou ele sentado novamente na cadeira -

XiaoJun: - Está brincando comigo? - Diz e pega o telemóvel do bolso e mostrou o vídeo de segurança do restaurante para o Jonghyun -

Jonghyun: - Eles estão mesmo juntos. Sabe onde eles estão? Eu preciso encontrá-la. Deixa para lá, talvez você também não saiba. Senão não teria me trazido aqui. - Diz entregando o telefone para o XiaoJun - Se eu não encontrá-la, quem escreverá cartas de desculpas será eu. - Diz se levantando e coçando a cabeça, quando ele ia sair o XiaoJun segura o mesmo impedindo dele ir embora -

XiaoJun: - Ligue para ela.

Jonghyun: - Eu já tentei. O telefone está desligado.

XiaoJun: - Não acredito em você.

Jonghyun: - Eu já disse, não consigo falar com ela.

XiaoJun: - Então me dê o número dela, eu ligarei.

XiaoJun não queria o número da S/n para apenas sabe onde o seu chefe estava e sim também para saber mais dá mesma.

Jonghyun: - De jeito nenhum.

XiaoJun: - Ligue. - Diz mostrando o telefone para ele -

Jonghyun: - Nós somos da polícia. - Diz sentando no pequeno sofá que tinha ali - Preciso proteger a segurança da minha colega. Não posso dar o número dela para você. Sem chance. - Diz e o XiaoJun se aproxima mais do Jonghyun - Até se me bater até a morte - XiaoJun apenas rir e sai da sala a trancando - Para onde você vai? Abra a porta! Não me deixe aqui sozinho. - Diz batendo na porta -

Suho estava andando faz alguns minutos e a S/n estava o seguindo.

S/n: - Este não é o caminho para descer a montanha. - Diz e o Suho a olhou -

Suho: - Se esconda na casa primeiro.

Diz e os dois caminham até a casa abandonada que havia por lá. Quando eles entraram olharam pelas janelas para ver se não havia nenhum daqueles homens por lá.

S/n: - Quem era aquelas pessoas? São os comparsas de Wong Kunchen ou de Chen Wenhao? Diga alguma coisa. - Diz e tenta segura o braço do Suho, mas foi uma tentativa falha, pois quando ela esticou o braço o corte doeu - Yaa!!

Diz tampando o corte com sua mão e respirando fundo. Suho a olha preocupado mas logo sua atenção foi para o meio dá mata. S/n sentou no chão e olhou o corte e respirou fundo fechando os olhos, ela retirou seu moletom ficando apenas com a blusa de mangas longas cinza que estava usando por baixo do moletom. Suho caminhou até a janela atrás da S/n e olhou para o braço dela e viu o corte, ele tirou sua gravata e entregou para ela enfaixar o braço, ela pegou e coloca uma ponta da gravata da boca e a outra ela segurou dando voltas no seu braço, Suho revira os olhos e se abaixou tirando a gravata da boca da S/n e começando a enfaixar para a mesma, ela ficou o olhando surpresa pois nunca tinha visto o mesmo todo cuidadoso, mas logo parou de olha-ló e olhou para o chão porque o Suho acabou apertando o seu corte fazendo ela gemer de dor.

Suho: - Por que me protegeu? - Diz olhando para ela que logo faz o mesmo -

S/n: - Até que eu encontre provas de que é um criminoso, você é um cidadão comum. - Diz e o Suho fica mais sério do que estava respirando fundo e volta a olhar para o braço dela - Você está sob minha proteção. - Diz e o Suho aperta novamente o seu braço e a mais nova acaba gemendo de dor novamente -

Suho: - Não sente que está se contradizendo?

S/n: - Vai morrer se disser obrigada? - Ele aperta novamente o braço dela com força fazendo ela lagrimejar -

Suho: - Obrigada - Diz e se levanta indo até a porta da casa -

S/n: - É só isso? - Diz se levantando e indo atrás dele -

Suho: - O que mais? Eu agradeci, qual é a palavrinha mágica?

S/n: - De nada - Diz e o Suho ia sai mas a S/n chama a atenção dele novamente fazendo o mesmo se vira para ela - Me ajude com isso. - Diz amostrando a algema no seu pulso -

Suho: - Não tenho as chaves. - Diz e ia sai novamente -

S/n: - Para onde você vai?

Suho: - Fique aqui.

S/n: - Eu vou com você. É perigoso andar sozinho. - Diz indo até ele que se virou para ela a impedindo de continua -

Suho: - Eu disse para fica aqui. - Diz e saiu da casa -

ꕥ⃟ꠂ⏱ꦿ Break Time ࿐

Já era de noite o Suho tinha feito uma fogueira dentro da casa para aquecer a S/n, ele voltou com mais madeira para coloca no fogo e a S/n foi o ajudar.

S/n: - Não encontrou mesmo nenhuma rota para descer a montanha? - Pergunta abaixada perto da fogueira, Suho a olha já sem paciência por ser a quinta vez que a jovem o pergunta e se senta no chão - Só estava perguntando. Mas obrigado - Diz a S/n sorrindo - Em um dia tão frio, estou feliz que tenha madeira para fazer uma fogueira. Tudo o que falta é um frango. Estou com tanta fome.

Suho a olha sem nenhuma expresso, e a S/n se calar por alguns segundos e logo se levantar ficando no lado do Suho.

S/n: - Não pode mesmo me ajudar a tira? - Pergunta esticando o braço com a algema para ele quê logo se levanta -

Suho: - Vai doer. - S/n rir e vira de costa para o Suho -

S/n: - Eu já aguentei até balas, quem tem medo de uma dorzinha. Quão doloroso isso pode ser? - Diz e entrega a mão para o Suho que ia quebra o polegar dela e ela grita de dor fazendo o Suho rir -

Suho: - Dói? - Diz rindo -

S/n: - Sim, está doendo. - Diz tentando tira a mão do Suho da sua -

Suho: - Achei que você não ia nem senti?

S/n: - Que dor, realmente dói!

Suho: - Eu nem quebrei ainda.

S/n: - Deixa para lá. Tudo bem, vou deixar assim. Eu vou usá-las assim. - Diz segurando seu dedo que estava doendo e o Suho dá um sorriso e volta a se senta no chão - Como isso pode não doer? Que pessoa estranha. - Diz e pega algumas madeiras para levar para dentro do grande buraco que havia dentro da casa -

Suho: - O que está fazendo? - pergunta a olhando -

S/n: - Está frio lá fora, farei uma fogueira lá dentro. Vamos dormir aqui dentro esta noite.

Suho: - Quem vai dormir com você?

S/n: - Você. - Suho olha para a garota de um jeito estranho - Tudo bem. Se não quiser passar frio, então pode dormir aqui. Eu vou dormir lá. - Diz e pega o isqueiro do Suho, mas logo ele pega dá mão dela -

Suho: - O que é agora?

S/n: - Pegando o seu isqueiro para fazer a fogueira. - Diz e tenta pega novamente mas o Suho não deixa -

Suho: - Não toque nisso.

S/n: - Por que você é tão chato? Só estou pegando o isqueiro. Como farei uma fogueira sem ele? - Diz e o Suho dá um pedaço de madeira pegando fogo para a S/n que logo pegar - Só pegando o isqueiro. Por que tão chato? O que o isqueiro tem de especial - Diz entrando no grande buraco - Que estranho, como farei uma fogueira sem ele?

A Quatro Anos Atrás

Suho pega o isqueiro do Tang e acender o cigarro do velho, logo entregando para ele que não pegou de volta.

Tang: - Aqui.

Suho: - O que é isso? - Diz colocando o isqueiro na mão dele -

Tang: - Você não gosta disso?

Suho: - Nada é de graça. Você me ensinou isso. - Diz se virando para a pista vendo a cidade - O quer que eu faça?

Tang: - Pequeno Tang, você é difícil de enganar. - Diz sorrindo para o Suho que faz o mesmo - Você sabe disso. Deixe o grupo Hsin-Tien e trabalhe sozinho.

Suho: - Você já está fazendo isso.

Tang: - Preciso de alguém para dar continuidade. - Diz e o Suho retirou o cigarro da boca do Tang -

Suho: - Não fale como se estivesse prestes a morrer, está bem.

Tang: - Quando você está na máfia, você tem que entender que pode viver hoje e morrer amanhã. Está disposto a aceitar?

Suho: - Usando psicologia reversa agora? - Diz e o Tang rir -

Tang: - Você aceitará. - Diz e pega o cigarro da mão do Suho - Você odeia drogas mais do que ninguém. Precisa de dinheiro para manter as pessoas. Não há nenhuma gangue que não mexa com drogas. Já que decidimos finalizar isso, você tem que se preparar.

Suho: - Há algum problema com a reunião de amanhã? - Pergunta olhando para o Tang -

Tang: - Não, é só... Pequeno Tang, apenas finja que é uma medida de segurança, estou ter perdido. Te imploro a aceitar. - Diz com o cigarro na boca -

Suho: - Quantos anos você tem? - Tang olha para a cidade e tira o cigarro da boca olhando para o Suho -

Tang: - A humanidade é fraca demais. Ela não aguenta ser testada. Desculpas são usadas para escapar, criando razões para errar. No final, todos esquecem que precisamos ser responsáveis por nossas ações. - Suho apenas concordar com a cabeça ainda olhando para a cidade - O dinheiro que ganhamos com as lutas, mortes e as drogas que lidamos é dinheiro sujo. Vivemos para ganhar dinheiro, mas não temos uma vida para gastá-lo. Pequeno Tang, quero uma vida mais estável para os nossos irmãos. Não tenho medo de que você ria de mim. O Velho Tang demorou muitos anos para perceber que viver uma vida normal é a verdadeira felicidade. - Diz e o Suho vira de costa para a linda vista de Seoul -

Suho: - O que há de tão bom sobre ser normal? Você só vai ser intimidado.

Tang: - Ser normal permitirá que você e seus irmãos vivam uma vida estável. - Diz se virando de costa para a cidade - Algumas pessoas, por minha causa, foram forçadas a desistir de suas vidas normais. - Diz e o Suho o olhar - Devo muito a eles, e não tenho nenhuma maneira de compensá-los - Diz olhando para o isqueiro que estava me sua mão -

Suho: - Quem? Mulheres? - Diz e o Tang rir e olhou para o Suho -

Tang: - Um dia, haverá uma pessoa que irá fazê-lo entender qual é a sensação de ter uma vida normal. - Suho volta a olha para frente e o Tang continua o olhando e estender a mão com o isqueiro para o Suho pega, mas o mesmo apenas o olha - Está disposto a aceitar? - Suho olha para a mão do Tang e pegar o isqueiro -

Suho: - Eu aceito. Se algo acontecer com você, vou continuar o seu desejo. Mesmo se eu morrer, ainda vou...

Tang: - Só temos uma vida, não a desperdice. - Diz interrompendo o Jovem -

Suho: - Quando você está na máfia, você tem que entender que pode viver hoje e morrer amanhã. - Diz e os dois dam risada -

Tang: - Pequeno Tang - Diz rindo e pegando no pescoço dele - realmente não desperdicei meu tempo o tratando tão bem. Pequeno Tang, nada mal.

Suho olhou para aonde a S/n estava deitada e sorriu logo olhando para a fogueira.

Suho: - Realmente a admiro. Você consegue dormir em qualquer lugar.

S/n: - Deixe-me dizer. - Diz se sentando - Ser uma pessoa é capaz de ir com o fluxo. Um jovem mestre como você que não consegue dormir a não ser que esteja em sua própria cama não será capaz de entender.

Suho: - Sabe como praticar a arte de escapar? - Diz e a S/n ficou calada - Você tem que começa cedo. Começa dobrando seu polegar até que ele quebre. Quando ele se curar, quebre-o de novo. Ele se curar, quebre-o de novo. Repita isso até que um dia você finalmente aprende. Pode me dizer, por favor, que jovem mestre cresce desse jeito? - Diz triste -

S/n: - Quem o obrigou?

Suho: - Ninguém me obrigou, apenas eu mesmo. - Diz e deu uma pausa em sua fala - Às vezes a gangue está mais próxima da morte do que a lei. Quando está tentando apenas sobreviver, você se obriga a fazer muitas coisas.

S/n: - Então... não é que você não consiga dormir, mas está com medo de dormir. - Diz e o silêncio permaneceu por alguns segundos - Está tentando sair da vida de gangue, e por isso está tentando ser honesto? - Diz e o Suho dá um sorriso mínimo e se levanta indo até a janela -

Suho: - Estou fazendo isso sob a fachada de tudo. Navegando sob as cores falsas. (K/N: Pendura a cabeça de cervo e fingir está vendendo carne de cachorro) - Diz e apoia as mãos na janela - Fingindo ser honesto mas na verdade...

S/n: - Sinto muito. - Diz a S/n se levantando e ficando atrás do Suho - É minha culpa. Fui muito arrogante e o julguei pelo que vi. Junmyeon, sinto muito. - Diz e o silêncio permaneceu novamente no local - Já disse isso tudo, você pode pelo menos mostrar algum tipo de reação?

Suho: - É a primeira vez que vejo um macaco se examinar - Diz olhando para ela -

S/n: - Quem está chamando de macaco? Junmyeon estou falando sério sobre o perdido de desculpas. - Diz e o Suho riu voltando a olhar pela janela - Deixe-me dizer. Mesmo se estiver falando sério sobre ser honesto, irei continuar a observá-lo. - Suho a olha - Se ousar a fazer algo que seja contra a lei, irei jogá-lo na cadeia sem hesitação.

Suho: - Continuar me observando? - Diz se aproximando dela -

S/n: - Sim, o observando. Vou observá-lo com meus dois olhos.

Diz e voltou para onde estava deitada e o Suho sorriu com loucura da menina e deu uma última olhada pela janela e logo caminhou até a onde ele estava sentado.

{•••}

Suho estava sentado ao lado da S/n com a cabeça apoiada nas pernas dela e estava dormindo.

S/n: - Tão frio.

Diz a S/n tremendo e puxa a jaqueta do Suho que estava cobrindo o seu corpo e onde o Suho estava deitado em cima fazendo o mesmo acorda. Ele olha para ela e nota que a jovem está mais pálida do que o normal e logo olhou para fora da casa vendo que já estava claro. Ele logo levantou e saiu de perto da S/n e olhou em volta da casa e voltou a olhar a S/n

S/n: - Tão frio.

Suho: - Lee S/n. - Diz se aproximando dela, ele não teve resposta e logo se abaixou e tocou na testa dela vendo que a mesma estava com febre - Quente. - Ele retirou a jaqueta de cima do corte da S/n e viu que estava infectado - Lee S/n. - Diz mexendo no braço dela -

S/n: - O quê?

Suho: - Você está com febre. Porque seu corte está infectado.

S/n: - Está tudo bem. Só me deixe dormir mais um pouco. - Diz voltando a se embrulha, Suho se levantou indo para as janelas olhando tudo e logo foi até a S/n novamente -

Suho: - Lee S/n, levante-se logo. - Diz a levantando com cuidado -

S/n: - O quê?

Suho: - Levante-se. Você está com febre. Está claro lá fora. - Diz e ambos olharam lá para fora - Acho que eles vão encontrar este lugar bem rápido. Vamos nós apressar e descer esta montanha. Você está bem? - Diz olhando para a S/n que estava de cabeça baixa -

S/n: - Estou bem. - Diz e o Suho se levanta e quando ia pegar a sua jaqueta a S/n já tinha pego - Por que estou com sua jaqueta? - Suho nada responde e pega a sua jaqueta - Obrigado.

Diz a S/n tentando vestir seu moletom, Suho revira os olhos e se abaixa ajudando a garota a se vestir, ele colocou nela e em seguida colocou o capuz na mesma e se levantou vestindo sua jaqueta. S/n estava fraca e quando ela foi se levanta quase caiu mas o Suho foi mais rápido e a segurou.

Suho: - Você está bem? - Diz Suho ajudando a mesma a se levanta -

S/n: - Estou bem. Apenas se preocupe com você mesmo.

Diz tirando o capuz de sua cabeça, Suho a olha e solta um "aff" e colocou novamente o capuz na cabeça da menina, logo saindo de lá. S/n e Suho já estavam distante daquela casa, Suho estava guiando o caminho para sair daquela mata.

S/n: - Ya! - Diz se batendo na árvore, o Suho vira para a garota sem nenhuma expressão - Tudo bem. Continue.

Eles continuam a andar e a S/n como sempre atrás. Suho ia para um caminho e a S/n vê outro.

S/n: - Espere. Não é por aqui? - Diz apontando para um caminho aleatório -

Suho: - É por aqui. - Diz apontando para o caminho certo -

S/n: - Estou lhe dizendo, é por aqui. Vamos - Diz indo para o caminho que para ela era o certo, Suho apenas a ignora e continuou o caminho, S/n olhou para trás e viu que o Suho estava indo embora - Junmyeon, Junmyeon, é claramente por...

Ela respira fundo e continuou a seguir o Suho. Eles estavam passando por uma terra molhada e estava muito liso, Suho passou normalmente mas quando foi a vez da S/n a mesma acabou escorregando e acabou caindo fazendo o Suho vira e olhá-la.

Suho: - Tenha cuidado. - Diz e estendeu a mão para ajudar a S/n levantar, S/n sorriu para o maior mas quando foi pegar na mão dele ele retirou - Está bem agora?

S/n: - Estou bem.

Suho continuou o caminho e a S/n se levantou se apoiando na árvore e voltou a seguir o Suho. Suho estava passando em alguns lugares que tinham algumas pedras e troncos fazendo o caminho fica difícil para S/n que era alguém muito desastrada, S/n acabou tropeçando em um tronco sorte dá garota que o Suho se virou a tempo e consiguiu segurá-la antes que caísse. Os dois ficaram se olhando como se fosse a primeira vez que eles tivessem se visto.


Notas Finais


╭── Até o próximo 💞🍒
╰ Espero que tenham gostado, e perdoe-me qualquer coisa.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...