1. Spirit Fanfics >
  2. Traumas Passados - Romione. >
  3. Perseguição Incansavel.

História Traumas Passados - Romione. - Capítulo 24


Escrita por:


Notas do Autor


Boa tarde pessoal, mais um capitulo cheio de emoções para vocês!
Espero que gostem, pois me empenhei bastante para escrevê-lo.
Nos vemos nas notas :)
Boa leitura.

Capítulo 24 - Perseguição Incansavel.


Fanfic / Fanfiction Traumas Passados - Romione. - Capítulo 24 - Perseguição Incansavel.

-Senhor, nossa equipe avisou que está perseguindo o carro que a garota, e nosso alvo estão! – Harry viu um homem loiro atarracado, que estava sentado de frente a um computador, avisar ao Draco.

-Excelente, eu mesmo vou pegar ele! – Draco apontou para Harry. –Cuide dele, não o deixe fugir, precisamos dele também!

-Senhor, eles não estão muito longe daqui; eles acabaram de entrar na freeway, estão no quilometro vinte e nove!

-Eu vou pega-los! Depois quero ver a cara da agencia...

- Sim o senhor vai! – o homem o incentivou.

  Harry que algum tempo raspava a corda dos seus pulsos em um pedaço de ferro pontiagudo, que o mesmo havia escondido na sua meia, havia aumentado a velocidade das suas mãos. Ele sorriu imaginando a sorte que teve, por Draco e seus capangas apenas terem amarado suas mãos, e sua cintura, deixando suas pernas livre. Fora muito fácil para ele se abaixar, e com a ponta dos dedos, pegar o pedaço de ferro de dentro das suas meias. Assim que ele cortou a corda; com as mãos livre, ele não teve muito trabalho para desamarrar a corda da sua cintura.   

  Ele se considerou muito sortudo, pois o único homem que permanecia - pelo o que ele havia percebido que estavam em uma van -, na van, estava concentrado de mais no computador, para perceber que ele havia se soltado.

  Harry pegou uma arma que estava em cima da mesa, e sem cerimônias acertou na cabeça do homem, que estava mexendo no computador. Ele precisou acertar três vezes para desmaiá-lo. Ele pegou seus pertences, e quando estava prestes a sair da van, escutou alguém chamar pelo rádio:

-Eu o perdi, preciso de ajuda! – ecoou uma voz pelo rádio, que Harry conhecera com sendo Draco.

  Harry pegou o rádio comunicador e disse:

-Conhecendo o Rony como eu conheço você nunca vai conseguir pega-lo!

 -Veremos Potter! Vamos ver por quanto tempo ele, e sua ruivinha consegue se esconder!

-Deixe a Gina em paz, seu demente!

    ************************************

  Hermione observava Rony, na tentativa dele de fazer a ligação direta na caminhonete; foram duas tentativas falhas, que a deixaram super preocupada. Ela olhava com certo desespero dele para o prédio, verificando se os agentes não estavam se aproximando. Ela o viu sorrir quando a caminhonete funcionou. Foi um sorriso de alivio, que para ela serviu como calmante.

   Ele engatou a primeira, e saiu cavando, tentando ir para o mais longe possível dali.

-Para onde vamos agora Ron? – pediu ela, olhando seria para ele.

-Precisamos nos livrar desse carro, e depois eu preciso pensar!

-Vamos ao shopping – ele sorriu para ela, imaginando que ela estivesse brincando. – Sim, o estacionamento vive cheio de carros, e lá podemos trocar de carro!

-O que foi? – pediu ela, o vendo sorrir para ela.

-Você com essa sua mania de me surpreender!

  Após algum tempo Rony esmurrou o volante do carro.

-O que foi Rony? – indagou à castanha, um tanto assustada.

- Droga, eles estão nos seguindo de novo, será que eles não cansam?

   Hermione olhou pelo retrovisor, e notou que a cada rua que Rony virava o carro, um carro preto que estava mais atrás deles, virava também. Rony virou em varia ruas na tentativa de despistá-los, contudo, o carro continuava a segui-los.

  Ela viu Rony acelerar a caminhonete a toda velocidade, fazendo ultrapassagem, passando berrando aos outros carros, indo na contra mão. Ela sorriu vendo a quantidade de leis de trânsito que Rony estava burlando.

  Entretanto, tudo pareceu piorar quando Rony entrou em uma área menos movimentada de Londres, e um carro vermelho se juntou a perseguição. O ocupante do carro vermelho começou a atira na direção deles.

-Meu Deu Ron, e agora! – exclamou a castanha, muito apavorada.

- Pegue uma pistola dentro da mochila – ordenou o ruivo, assim que ela entregou a arma a ele, ele disse: - Segure o volante!

-O que você vai fazer? – perguntou à morena, rangendo os dentes.

- Vou tentar encontrar uma maneira de nos tirar dessa – respondeu ele, retirando o pente da pistola, para checar as munições. – Quatro balas; vamos ver o que eu posso fazer com essas belezinhas!

-Acho que nas outras duas, devem ter mais balas! – disse a morena, tremendo ao segurar o volante. – Ainda temos algumas das dinamites.

-Só preciso de duas balas – disse Rony sorrindo confiante. Ela não sabia explicar, mas aquele sorriso fazia ela se sentir calma, era incrível a confiança que ele passava a ela.

  Rony ultrapassou alguns caminhões, e quando passou entre meio de dois, ela olhando atenta pelo retrovisor, notou que o carro vermelho conseguiu acompanhá-los, porém, o preto acabou colidindo lateralmente contra um dos caminhões, e acabou sendo arremessado para fora da pista.

-Excelente! – berrou Hermione, sorridente. – Agora só falta um...

-O carro dele é mais rápido do que o nosso! – sibilou Rony, olhando pelo retrovisor.

-Rony ele vai bate... – Hermione não teve tempo para terminar a sua frase, quando sentiu a colisão.

  O carro vermelho colidiu contra a traseira da caminhonete deles.

-Não se preocupe amor – o coração dela pulou dentro do seu peito. Hermione pareceu ver tudo em câmera lenta quando ouviu ele a chamar de amor, se não estivessem onde estavam ela o beijaria ali mesmo -, eu vou dar um jeito nesse babaca.

  Rony acelerava e trocava de marcha, tentando ganhar velocidade, foi quando ele disse:

-Segure o volante!

-Que?

-Segure o volante...

  Hermione hesitou, uma coisa era segurar o volante quando o carro estava em baixa velocidade, agora segurar o volante na velocidade que o carro estava, ainda com um maluco atrás deles, querendo a todo o custo matá-los, ai já era loucura de mais!

  Assim que ela segurou, Rony colocou sua arma para fora da janela, à castanha tentou imaginar o porquê ele estava mirando na direção contraria do carro que estava os perseguindo, no entanto, sua pergunta não demorou muito para ser respondida. Um caminhão vinha na direção contraria a deles; Rony acelerou o carro, e fechou um dos olhos mirando em algum lugar que ela desconhecia. Quando o caminhão estava próximo, ele atirou. Foi questão de segundos para ela repara que ele havia atirado no pneu esquerdo do caminhão. O mesmo perdeu o controle, e foi na direção do carro vermelho o obrigando a ir para o acostamento.

  Rony a empurrou, pisando no freio, e puxando o freio de mão; e virando todo o volante. O carro derrapou virando na direção contraria da que eles estavam indo. Quando Hermione conseguiu entender tudo o que estava acontecendo, ela reparou que eles estavam lado a lado com o carro vermelho, e Rony apontava a sua arma para o motorista do mesmo.

  Hermione notou que o motorista do carro estava tossindo, devido a toda a poeira que a caminhonetes deles levantou, quando fora para o acostamento, e com a cara no volante.       

   Assim que ele levantou, ela ficou espantada vendo quem era. Ela lembrava perfeitamente de quando se mudara de Londres para Godric´s Hollow, e aquele mesmo homem sem ao menos conhecê-la, deu em cima dela. Ela também lembrara que há poucos dias a trás, ele a ameaçou no centro de Londres. E algumas perguntas vieram em sua cabeça, quem era ele, e por que ele sempre está onde o Rony está?

Ela notando que Rony estava preste a atirar o segurou.

-Quais são suas ultimas palavras Malfoy – urrou Rony, segurando firme a sua arma.

-Não Ron! –berrou ela. – Não faça isso...

  O ruivo atirou, porém, atirou no pneu do carro, já Draco revidou atingindo o ruivo. Rony segurou seu pescoço, e acelerou para longe dali.

 -M-meu Deus Ron, v-você e-stá s-sangrando... Des- desculpa... eu... eu não achei que ele fosse atirar – esganiçou Hermione, sentindo lágrimas escorrer por todo o seu rosto.

  Hermione havia tirado a própria camiseta - sem ligar por ficar só de sutiã -, e pressionava a mesma contra o ferimento no pescoço dele. Por sorte a bala pegou de raspão no pescoço dele, e por mais sorte ainda, à bala também não a atingiu.

-E-entre aqui – indicou Hermione, ainda segurando sua camisa contra o pescoço dele.

  Rony em silencio virou com tudo o volante, fazendo o carro derrapar, entrando em uma rua estreita, entre meio aos prédios. Eles seguiram pela rua, até chegar à frente do que parecia ser uma velha oficina.

-P-por que parou? – perguntou à castanha, ainda amedrontada.

-Precisamos trocar de carro, esse já está acabado!

  Hermione pareceu lembrar-se de alguma coisa; deixando Rony confuso, ela pegou no banco de trás a bolsa, e com cuidado abriu um dos bolsos do lado de fora. De La ela tirou algumas das coisas, que ela usara quando precisou tirar a bala que estava presa no abdômen do ruivo.

- Você precisa de alguns pontos – bradou ela, o vendo negar com a cabeça. – Só que o rum acabou! – completou rindo.

  Rony até o então não havia reparado que ela estava apenas de sutiã, quando ele lançou a ela um olhar malicioso, ela corou o seu rosto.

-Só você mesmo para pensar numa coisa dessas, num momento como esse – ela corou o seu rosto. – Eu estou toda suada, e preciso urgentemente de um banho!...

  Após algum tempo ela já havia conseguido dar os pontos necessários no pescoço dele, e percebendo a cara de dor dele, se sentiu culpada.

-Eu... eu sinto muito Ron... Não imaginava que ele fosse atirar! – disse ela com algumas lágrimas no rosto.

-Não se preocupe! Eu estou be...

Rony não teve tempo de completar a sua frase, quando Hermione avançou ferozmente contra ele, o beijando. Não, não, praticamente o devorando. Rony instintivamente parecendo não ligar se ela estava ou não estava suada, passava a mão por todo o corpo dela, querendo explorar cada curva do corpo dela. O amor entre os dois era recíproco, e mesmo sem nenhum dos dizer o que sentia, um parecia entender a vontade do outro!

 As coisas estavam esquentando quando os dois se separaram de um salto, quando ouviram um barulho. Os dois não conseguiram não sorrir um para o outro, percebendo que o barulho era apenas um alarme de um carro, que disparou a poucos metros deles.

-Que susto – Hermione sorrindo do seu próprio susto, levou a mão ao coração.

-Precisamos de um novo carro... Estou pensando em pegar dessa oficina um emprestado – disse Rony, apontando para os vários carros no pátio da oficina. Ele tirou uma camisa dele de dentro da bolsa. –Vista isso, eu sei que é grande, mas é o melhor que nós temos!

  Hermione não hesitou, e vestiu de bom grado a camisa dele, podendo sentir a hora que ela quisesse o cheiro dele.

  Assim que os dois pegaram suas coisas, atravessaram a rua até o pátio da oficina. Os dois entraram sem ser convidados, e estavam procurando um carro que estivesse em perfeitas condições, quando eles escutaram uma voz chamar pelas suas costas:

-Hermione... – a castanha congelara quando reconhecera a voz. – Eu não acredito que é você!

Continua..............


Notas Finais


Então pessoal, o que acharam?
Por favor me digam que vão comentar dessa vez kkk.
Estou precisando de incentivos kkk.
Bom agora a história vai tomar um rumo bem legal, queria ter escrito uma parte mais legal nesse capitulo, contudo, ia ficar muito grande. Eu sei que os dois estão só fugindo ultimamente, porém, o próximo capitulo sera bem diferente. É que não coube tudo mesmo kkkk. Por isso também não vi um titulo melhor que esse para intitular o capitulo.
Boa semana... E se vocês quererem escolher a próxima fic, deixem nós comentários.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...