História Traveler - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Monsta X
Personagens I'M
Tags 2won, Changki, Got7, Joohyuk, Monstax, Seventeen
Visualizações 52
Palavras 1.586
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


bom este é o segundo capitulo espero que gostem

Capítulo 2 - O começo changkyun


Fanfic / Fanfiction Traveler - Capítulo 2 - O começo changkyun

-- anda logo Chang acorda sua ressaca vai ter que espera, vai trabalhar, ou você sabe o que vai acontecer – jooheon disse pulando em cima de changkyun ele tinha bebido muito na noite passada e quando jooheon disse aquelas palavras levantou-se rapidamente e entrou no banheiro para se arrumar.

-- isso sempre funciona -- jooheon indagou baixo e sorrindo. Changkyun gostava de trabalhar mais quando parava, sentia sede de sangue novamente mesmo com o pentagrama em seu pescoço.

South Korea 1998

-- pai aonde vamos dessa vez? -- Chang perguntou animado pensando que iriam a loja compra mais brinquedos para ele.

-- iremos viajar meu filho, para uma fazenda do meu amigo. Ela é um pouco mais afastada da cidade quero ver um pouco mais de verde -- O senhor Lim-kwan disse já pegando a mala dele e de Chang e colocando-as no carro.

-- há pai eu não que ir é muito mato e meu amigo disse que tem alguns que quando encostam-se a você, você começa a se coçar todo eu não quero ir -- Chang disse com raiva nunca tinha ido a um lugar como esse e seus amigos diziam que era ruim isso desmotivava ainda mais o garoto.

-- Lim changkyun eu não criei você para ser fresco desse jeito, você vai tem muitas coisas legais lá. Vou te levar a um lugar aonde eu e jae sempre íamos quando éramos crianças --

-- eu não sou fresco eu vou -- changkyun não gostava quando chamavam ele de fresco ou fraco ele se sentia imponente e faria de tudo para se torna forte inclusive cumpri qualquer desafio. Chegando lá o senhor kwan cumprimentou o amigo que há tanto tempo não via.

-- jae meu amigo quanto tempo -- eles deram um abraço apertado e demorado enquanto isso Chang no carro lendo um livro fictício de vampiros, lobisomens e monstros ele gosta dessas coisas. -- Jae quero que conheça o meu filho, changkyun vem cá -- O menor sai do carro e foi de encontro de seu pai.

-- changkyun este é Young-jae, Young-jae esse é Lim changkyun meu filho -- o pai falou apresentado seu filho o mesmo levantou a mão para que o outro apertasse e assim o fez.

-- é um prazer conhece-lo changkyun -- indagou Young-jae. Chang percebeu que quando os olhos do mais velho encontram os seus eles mudaram de cor passando do preto para o roxo descendo para o lilás, mas ele não ligou muito pra isso e deixou passar ate alguém lhe contar algo que pensou que nunca pudesse existir.

– igualmente –

-- olha eu não tenho filho, mas o meu vizinho sim ele deve ter a mesma idade que você passe lá para falar com ele -- Young-jae disse para o menor.

-- serio onde é, onde é -- Chang disse estava muito feliz de saber que tinha outro adolescente lá por que desde quando ele chegou, ele não viu ninguém. Jae levou ele ate a mansão de hiro, seu vizinho apresentou Chang a ele e a seu filho eles se deram muito e depois de um tempo subiram para o quarto do novo amigo e ficaram conversando ate que changkyun toucou em um assunto de monstros.

-- há eu me esqueci de pergunta, qual é o seu nome? -- changkyun indagou.

-- é Mark, Mark-tuan. -- Mark era um pouco mais velho que Chang, mas isso não atrapalhava em nada.

-- você gosta de monstros como vampiros lobisomens e etc. -- Chang perguntou.

-- gosto acho super. Legal você está sabendo da lenda que assombra essas terras --

--não --

-- dizem que é um cara bonito, rico, jovem que ninguém poderia desconfiar dele, em tempos de lua cheia ele se torna uma criatura horrenda, dizem que ele se prende ha correntes de aço para não sair, mas não adianta ele quebra as correntes com sua força e se liberta, sai pela floresta querendo saciar sua fome, alguns idiotas se arriscam na floresta tentando captura-lo, mas acabam morrendo e pelas fotos que vi as mortes são horríveis decapitados, esquartejados, e alguns são entrados com apenas dois furos no pescoço e o sangue completamente retirado de seu corpo. Da a ideia de que há um lobisomem e um vampiro aqui. Eu nunca vi, mas estava querendo ver como é um lobisomem pessoalmente. Eu vou à floresta na próxima lua cheia você vai comigo? -- Mark perguntou.

-- primeiro eu quero ver essas fotos que você disse que viu, segundo eu só acredito vendo pessoalmente e terceiro é claro que eu vou!-- e foi ai que cometeu seu primeiro erro. Semanas se passam e ele como prometido colocou todo seu nisso comprou bijuterias, livros, feitiços e tudo mais. Quando chegou o dia de lua cheia eles foram para a floresta onde pessoas diziam ter vistos mais aparições ele levaram duas lanternas e dois pingentes de ouro com um L desenhado uma cruz de cabeça para baixo e um pentágono desenhado ao redor da cruz, uma arma com balas de prata e uma moeda que estava escrito umas palavras em outra língua. A arma ficou com Chang e a moeda com Mark. Uma câmera e uma bússola.

-- você acha que estamos seguros, que essas coisas irão nos proteger? -- Chang disse apreensivo não sabia em que estavam metidos .

-- eu sinceramente não sei, não temos provas fixas de essas coisas realmente funcio... --Mark foi interrompido quando os dois ouviram um barulho vindo do sul apontaram as lanternas, mas não viram nada de repente Chang cai no chão e dispara uma bala sem querer esta mesma que quase acerta Mark, ele correu para ajuda-lo.

-- v-você tá bem -- Mark perguntou desesperado pensando que o amigo tinha se machucado.

-- e-eu to bem eu, eu vi algo correndo ai alguma coisa me puxou para trás e eu acabei caindo -- changkyun disse se levantando e limpando as mãos, de repente ele vê um vulto atrás de mark e antes que ele pudesse avisa-lo esse mesmo vulto puxa mark floresta a dentro Chang corre para ajuda-lo mas a criatura é mais rápida que ele então ele engatilha a arma e dispara duas vezes contra o suposto lobisomem e a criatura joga mark no chão ferido changkyun corre para ajuda o amigo e percebe que ele tem marcas de garras no braço direito e na sua perna esquerda.

-- precisamos ir pra casa agora! -- changkyun disse pegando o amigo e apoiando-o sobre seus ombros.

-- Chang -- mark disse baixinho e changkyun respondeu com um ''humm''

-- o que iremos dizer a nossos pais quando... Eles me verem assim -- continuou com um tom baixo e dando uma aceta pausa entre algumas palavras.

-- eu não sei, mas vou pensar em algo -- changkyun disse preocupado com Mark.

-- eu já sei podemos dizer que fomos dar um passeio e encontramos um urso... ai quando ele me atacou você deu um tiro... Nele -- mark disse com muita dificuldade.

-- eles vão pergunta de onde nos tiramos uma arma --

-- meu pai tem armas espalhadas e guardadas pela casa... Nos podemos dizer que pegamos uma... Por precaução... E acabou acontecendo isso –

-- tá bom agora não se esforce muito estamos quase chegando -- changkyun já estava cansado carregar uma pessoa não era fácil, mas ele tinha uma ótima condição física. Chegando em casa os empregados de hiro foram logo ajudando Chang e Mark e se espantaram ao ver as marcas no braço e perna de mark e chamaram com urgência um medico. O pai de Chang tinha saído por isso que ele ficou com ele e em cinco minutos o pai de Mark, hiro, chegou.

-- saiam da frente, saiam da frente eu quero ver o meu filho o que aconteceu com ele? -- hiro disse foi de encontro ao filho e se assustou ao ver aquelas marcas em seu braço, aquelas marcas tão bem conhecidas por hiro.

-- NÃO! Chang, Chang, diga, diga o que foi que fez essas marcas no braço de mark diga pra min que não foi o que eu to pensando! -- hiro já falava entre as lagrimas Chang o abraçou forte e contou

-- hiro nos fomos passear pelo floresta, e antes de irmos pegamos uma de suas armas e quando nos estávamos andando um urso apareceu e atacou Mark eu dei um tiro nele e eu e Mark voltamos pra casa -- hiro sabia que aquelas garras não eram de urso, mas não queria pensar no pior e acreditou no que changkyun dizia. Mark estava à beira da morte e foi ai que changkyun se viu sem chão seu amigo prestes a morrer seu pai sem confiar nele ele e ele se culpava pelo que tinha acontecido com Mark. Mark ficou uma semana inconsciente apenas dormindo Chang ficou ao seu lado em todos os momentos. Depois de uma semana exata Mark acordou e hiro temia o que podia acontecer.

Changkyun desceu as escadas foi ate seu escritório e começou a trabalhar fazendo a conta das financias do traveler changkyun gostava muito de café e decidiu abrir uma cafeteria e também em homenagem a sua mãe que queria realizar esse sonho, mas não conseguiu ela dizia que se conseguisse iria colocar o nome de ''TRAVELER'' ele terminou o seu trabalho e foi preparar a festa já que seria o aniversário de wonho e ele e jooheon estavam planejando fazer uma festa surpresa para o amigo e teriam muito trabalho pela frente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...