História Treinada Para Matar - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Candice Swanepoel, Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Ryan Butler
Personagens Candice Swanepoel, Justin Bieber
Tags Assassina, Candice Swanepoel, Jazmyn Bieber, Justin Bieber
Visualizações 115
Palavras 1.194
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Da pra acreditar que eu postei no prazo? kkkkkk
Boa leitura :)

Capítulo 21 - Please, Wake Up...


Fanfic / Fanfiction Treinada Para Matar - Capítulo 21 - Please, Wake Up...

POV KRYSTELL

Assoprei o ar preso em meus pulmões completamente irritada e frustrada, desacreditada que um homem tão patético como esse idiota poderia me causar tanto trabalho. Juro que quando o vi correndo atrás de Jazmyn bem em frente á minha casa, a primeira coisa que me passou pela cabeça quando eu finalmente notei a pulseira em seu pulso com aquele maldito pingente de lobo foi “é só mais um pateta que vai me dar trabalho” e adivinhem, eu acertei!

Brittany foi idiota em acreditar que ele se quer me machucaria, na verdade de todos, ele pode ser considerado a única piada. Achar que poderia vir atrás de mim numa boa foi um erro dele, e sabe por que? Porque agora ele está dentro de um saco, enterrado em uma vala qualquer e em inúmeros pedaços (afinal não teria graça só mata-lo).

As gotas de sangue escorriam pelo meu braço parando em meus dedos antes que pudessem tocar o chão perfeitamente limpo da casa. Subi as escadas de volta para o quarto do Justin, degrau por degrau, sem me preocupar com nada.

Abri a porta entrando no cômodo, Justin continuava com seus olhos fechados, e eu continuava atenta ao seu peito que subia e descia conforme sua respiração. Direcionei meus passos ao banheiro e parei em frente ao espelho analisando meu estado. Tinha algumas gotículas de sangue pelo meu rosto, já meus braços estavam cobertos pelo líquido vermelho já quase seco. A blusa que eu usava há algumas horas atrás estava no carro irreconhecível.

FLASHBACK ON

Lhe acertei um tapa forte em seu rosto sabendo que ele não poderia revidar por conta dos seus braços estarem amarrados atrás da cadeira – eu só gostaria de saber oque se passou pela sua cabeça e a da Brittany para acreditarem por um minuto que você daria conta do trabalho – me inclinei sobre a cadeira – você por um acaso pensou em pesquisar um pouquinho só para ter a chance de descobrir que por culpa minha “vocês” estão extintos!? – ele ri na minha cara como se eu houvesse contado uma piada.

- Você não sabe de nada, tem algo muita maior por trás de todos nós.

- Como a incapacidade de pensar? – me afasto voltando á minha postura ereta.

- Como aquele que você tanto caça, a sua presa, o causador dos seus pesadelos...

- Agora é o momento em que eu te pergunto algo e você rir dizendo que não vai me contar nada, não é? – cruzo os braços na altura do peito olhando atentamente suas íris castanhas.

- Exatamente docinho – responde cínico me fazendo sorrir em satisfação, que m foi que disse que eu gosto de coisas fáceis?

- Quantos anos você tem? – me virei de costas andando até a mesa atrás de mim – uns quarenta, quarenta e cinco? Mais ou menos isso? – peguei o objeto metálico em cima da madeira grossa da mesa e passei minha mão pela mesmo analisando o material – a verdade, é que eu quero saber – me virei para ele com aquele objeto e sorri – como vai se sentir sendo torturado e morto por uma garota de dezessete anos?

FLASHBACK OFF                                     

Liguei o registro do chuveiro e entrei embaixo do mesmo deixando com que a água morna caísse sobre meu corpo. Sobre meus pés estavam o sangue que descia junto à agua se desprendendo da minha pele.

FLASHBACK ON

A blusa que eu vestia já tinha sido retirada do meu corpo á mais ou menos uma hora, depois de todo esse tempo eu acabei percebendo que com a teimosia desse cara eu só ía perder aquela peça de roupa.

Soltei o objeto afiado de volta em cima da mesa e voltei á ele pegando a pulseira no seu braço.

- Gostou? – ele levantou a cabeça quase desfalecido tentando mais uns dos seus sorrisos debochados – tenho certeza que ele ficaria feliz em lhe dar uma.

- Tenho a leve impressão que depois de tudo oque eu fiz não seria facilmente aceita no grupo, e você sabe... aceitação é tudo – debochei – além do mais a cara da Brittany quando me vir com isso e descobrir que eu dividir o seu copo em milhões de pedacinhos  em sacos vai ser bem melhor.

FLASHBACK OFF

Levantei meu pulso encarando a pulseira quase totalmente limpa de todo aquele sangue. Não era pra isso ter acontecido, eu só queria que eles me deixassem em paz, e em todas as ocasiões tentei deixar isso bem claro, mas como eu disse uma vez a Brittany, eles são burros demais pra fugirem, e eu sou sanguinária de mais pra deixar pra trás.

FLASHBACK ON

- Por que eu tenho a leve impressão de que você sabe que eu não vou dizer nada? – ri do seu comentário, se tem uma coisa que aparentemente ele não é, é burro.

- Desisti de tirar algo de você já faz umas duas horas, afinal, por que perder tempo se eu tenho outros meios de descobrir oque quero saber? – continuei de costas para ele.

- Então isso nãos passa de uma diversão? Um joguinho pra você?

- Há três anos atrás quando vocês começaram a me perseguir, eu tentei deixar claro de todas as formas, que tudo oque eu queria era ser deixada em paz, quando eu percebi que vocês não desistiriam de mim eu comecei a matar um por um, da pior maneiro possível, como um aviso, de que todos que continuassem a vir atrás de mim seriam torturados até a morte, e quando eu achei que tinha acabado Brittany veio atrás de mim, e depois você.

- E quando finalmente vai me matar?

- Quando eu decidi que finalmente é a hora certa de arrancar a sua cabeça – literalmente – agora... – virei novamente com um objeto cortante em mãos, só que agora um pouco maior – oque acha de começarmos pelas suas mãos?

FLASHBACK OFF

Desliguei o registro do chuveiro assim que percebi que finalmente havia me livrado dos “restos mortais“ daquele homem. Me enrolei na toalha e voltei ao quarto, andei até o closet do Justin e peguei uma das suas camisas na cor branco e vesti novamente minha calça assim que percebi que por uma milagre ela estava limpa.

Voltei a mesma posição de todas às vezes em que entro nesse quarto, parar em frente á porta e encarar o rosto sereno dele, que dormia tranquilamente como se sua, nossas vidas não corressem perigo, e sabe qual é o pior de tudo? Que ele sabia que a morta estava bem atrás dele, só não sabia que ela era eu.

Caminhei até a cama e me sentei ao seu lado colocando minhas pernas, uma por uma em cima da cama. Minhas costas entraram em contato com a cabeceira fria e meus dedos tocaram seu braço trazendo-o até meu colo e fiquei assim, nessa posição pelo oque pareceu uma eternidade, esperando que por um milagre ele acordasse, mas nada aconteceu, ele só continuou igual.

Me inclinei suavemente sobre seu corpo e encostei meus lábios em seu ouvido, sussurrando baixinho ao pé do mesmo:

- Tudo oque eu quero é deixar de ser um monstro, então me dê um motivo pra não te matar Bieber... por favor, acorde...


Notas Finais


E então? Oque acharam? Aparentemente a Krystell pode ser bem instável em certos momentos kkk
Esperam que tenham gostado, até sábado novamente meus amores :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...