História Treinamento de Ouro - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Avatar: A Lenda de Aang, Naruto
Personagens Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha
Tags Abo, Alguns Crackship, Cephex, Narusasu, Naruto, Naruto Abo, Omegaverse, Sasunaru
Visualizações 192
Palavras 1.658
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


mais um cap, não tão grande quanto eu gostaria mas com partes importantes kkkk mais ou menos
boua leitura^o^/

Capítulo 3 - A Cerimônia da Fênix


Os dois gêmeos corriam pelo palácio, pequenos de cinco anos que segundo a criadagem era mais demôniozinhos que realmente crianças. Um, de cabelos escuros como as asas de um corvo, o outro de cabelos dourados como raios de sol. Luz e sombra contrastando de forma tão bonita e irreal que ninguém acreditaria no quanto eles eram unidos. Uma extensão de si mesmos.

Naruto era barulhento e sorridente, não era o mais traquina dos dois, mas dava dores de cabeça ao pai. Menma era mais quieto, porém segundo testemunhas também mais maquiavélico. Era o mais velho.

Dois minutos mais velho.

No entanto nada disso durou muito, aos nove os garotos gostavam de fugir para andar pelo centro comercial da vila. Numa dessas saídas apenas um deles voltou. Após cinco dias.

O mais novo.

Naruto estava calado e fraco, o corpo tinha escoriações e a única coisa que falou após um longo tempo foi “Menma está morto”.

Todos choraram, os criados do palácio e até mesmo os vendedores da vila. Menma não era o mais simpático mas era amado e todos eles choraram por Naruto também, pois sabiam que o menino havia acabado de perder parte de sua alma.

O que eles não sabiam era que Naruto não apenas tinha perdido parte de sua vida como não esqueceria daqueles momentos nunca mais. Em seu peito o coração batia por causa do fogo que era seu desejo de vingança. De causar dor.

Todo mundo percebeu a mudança — não tanto quanto deveriam, mas perceberam. O garoto loiro estava arisco e seus olhos azuis brilhavam de um modo diferente agora. O rei, preocupado com o único filho que havia lhe restado e ainda sem entender o que havia acontecido com o menino mais velho chamou Jiraya, padrinho do garoto.

Ninguém sabia disso, mas ao contrário de Menma que era afilhado de Tsunade, a melhor parteira do reino e a mulher que trouxe os garotos ao mundo, Naruto era afilhado de um pirata. Jiraya era um espírito livre que gostava de viver sua vida pelos mares. Parente distante de Minato e a melhor pessoa que este conheceu.

 Quando ele retornou depois de anos fora trouxe uma esperança ao rei que há meses não via o filho sorrir: Jiraya disse que levaria o garoto com ele e o faria sobrepujar qualquer quer que fosse o problema que afligia o menino

 

[...]

 

Encarei a garota de cabelos rosas e puxei pela memória de onde poderia conhecê-la, mas não consegui. Era um branco completo.

— Me desculpe, mas deve estar me confundindo com alguém — expliquei, meneando a cabeça — por favor continuem, estava apenas indo para meu quarto.

Os olhos do Uchiha pareceram brilhar em divertimento com aquilo, sua boca se curvando em um sorriso maldoso.

— “seu quarto”? — questionou, chamando a atenção da garota que até aquele momento me encarava com uma expressão confusa — bastardos nem mesmo deveriam estar nesse palácio.

Olhei para o homem à minha frente que há pouco tempo tinha tirado meu foco com sua beleza. Sasuke era mesmo um maldito como todos os Uchihas afinal e ainda por cima estava bêbado. Suspirei revirando os olhos prestes a sair, quando o som de passadas nas escadas chamaram minha atenção. Eram duas garotas, uma morena e outra loira.

— Naruto meu amor — Ino, que vinha à frente me chamou com um sorriso no rosto — por um momento achei que você já estivesse dormindo.

— Que festa não é? — Tenten se pronunciou, chegando em seguida. As duas vestiam roupas de viagem e eu soube naquele momento que tinham acabado de chegar em Indra.

Dei de ombros e abri os braços vendo as duas vindo na minha direção e passando os braços magricelos por meu tronco.

— É aniversário de Itachi — expliquei brevemente.

Claro, nenhuma das duas se importou com isso. Eram duas abusadas.

— Estávamos à caminho do porto — Ino começou animada, penteando os longos fios dourados com os dedos — daí pensamos que devíamos te chamar para ir conosco já que essa festa deve estar tediosamente mortal.

Ri baixo de sua escolha de palavras.

— Venham aqui, — acenei para que me seguissem — vou trocar de roupa.

Ao olhar para o casal que há pouco havia interrompido notei que o príncipe me encarava confuso. A garota encarava Ino com um olhar mortal.

Fui interrompido novamente quando mais passos ressoaram nas escadas. Desta vez era Itachi acompanhado de uma Tsunade bêbada.

Era fácil reconhecer quando ela estava naquele estado, afinal as bochechas vermelhas e o inesperado bom-humor eram inconfundíveis.

Ela abriu um largo sorriso assim que me viu e me permiti retribuir, mesmo que minimamente.

— Meu Deus você já está um homem! — ela alardeou, se aproximando perigosamente para tentar arrancar minhas bochechas com apertos “carinhosos” — tão lindo com esses olhos azuis incríveis!

Seguido disso ela começou a puxar minha orelha irritada por algum motivo, provavelmente por ser a primeira vez que me via após a recepção quatro anos atrás. Suspirei apenas e peguei Itachi sorrindo ao me ver não fazer nada sobre a agressão.

— Eu amo isso — Tenten assumiu enquanto ria com a loira.

Eram duas diabas.

— Entendi, vocês já chegaram — analisei a mulher após sua sessão de beijos que provavelmente havia me deixado com as bochechas e as roupas marcados pelo batom vermelho — e nem ao menos pararam para descansar, certo?

 Os dois homens Uchiha que ainda permaneciam ali se encaravam confusos, assim como a garota de cabelos cor de rosa. Até eu estaria se não conhecesse o trio o suficiente.

— Sim, elas já te falaram sobre a cerimônia da Fênix? — Tsunade perguntou — será daqui a duas semanas.

Tenten e Ino me encaravam como duas criancinhas que tinham sido pegas fazendo malcriações.

— Entendo.

Com uma risada alta Tsunade partiu, não esperando mais que isso como resposta e dando as costas em seguida, saindo com um sorriso no rosto.

— Você vai estar aqui certo? — a loira perguntou, preocupada.

Elas eram as pessoas mais próximas de mim recentemente, e ao que parecia haviam adquirido o mesmo temor que minha mãe: o medo de perceber que eu tinha saído mais uma vez para o mar sem avisar quando voltaria. Não tinha com o que elas se preocuparem, toda a minha vontade de viajar tinha sido extinta quando Zuko morreu, mas eu não diria isso a elas.

A vida às vezes nos prega peças perigosas para que eu não seja temeroso em relação ao meu destino.

— Você vai fazer a cerimônia da Fênix? — A garota de olhos verdes parecia confusa enquanto me encarava — você não é ômega.

Sorri para ela mais azedo do que o costume. Geralmente as pessoas não falavam tão certas sobre o que eu era.

— Você está enganada.

— Não, não estou — ela disse com mais firmeza na voz dessa vez, mais do que eu poderia esperar de alguém que não me conhecia — você é alto e forte, nem um pouco delicado e não se veste como um. — então seu olhar se tornou afiado — a não ser que seja mais um desses que queria ser o que não é.

  Desde meus queridos onze anos — quando meu primeiro cio chegou, mais precoce do que qualquer um que conhecia — eu havia notado que não eram apenas os alfas que faziam questão de forçar os ômegas a rastejarem aos seus pés. Qualquer um que não fosse um homem ômega tinha essa mania para conosco, primeiramente porque era raro um homem ser e quase sempre homens ômega tendiam a ser mais frágeis que o natural para feromônios. Talvez por ser uma aberração ou simplesmente porque nossos corpos não eram preparados para isso.

Essa atitude me irritava. Que todos quisessem fazer os mais frágeis se tornarem a escória, rebaixados pelo fato de terem nascido assim.

Encarei a garota. Ela estava com a expressão ferina de quem ganhava algo. A mesma expressão que eu já tinha visto várias vezes e em muitas ocasiões diferentes.

Preferi ignorá-la, passando por ela e me encaminhando ao meu quarto para trocar de roupa como havia dito as meninas que ainda me esperavam.

Os alfas presentes não se pronunciavam, eu não sabia se por concordarem ou apenas por não darem a mínima.

— Realmente não pode ser Menma se aceita insultos assim — seu sussurro ressoou pelos meus ouvidos.

 Não deveria me irritar com aquilo, ela nem ao menos devia conhecer Menma realmente. Mas eu não conseguia, se havia algo que tinha o poder de me tirar a racionalidade era esse nome.

Olhei para trás, ela ainda encarava minhas costas.

— Deveria parar de mencionar nome de mortos — avisei — é como diz aquele ditado “quanto mais menciona, mais tenciona”. Por acaso quer se juntar à ele?

Seu corpo estremeceu levemente e eu sabia que não era por causa da minha ameaça. Ela não sabia que Menma estava morto. Poucos conheciam sua existência.

— Você só pode estar mentindo.

— Menma morreu há mais de dez anos — Tenten se pronunciou, séria — ele tinha apenas nove. Pare de importunar Naruto sobre isso e de…

Suspirei e saí dali sem ouvir o que a morena falava, não precisava que ninguém defendesse a minha honra ou a memória do meu irmão, mas aquele assunto me cansava. Principalmente quando era preciso explicar a forma de como tudo aconteceu.

Apenas lembrar o que aconteceu fazia meu sangue virar lava.

Era engano das pessoas imaginarem que a vingança pode trazer paz ou calma a um coração cheio de rancor, a vida não é assim. Se alguém te rouba algo, isso não voltará a você se liquidar quem o tomou, apenas vai garantir que não aconteça novamente. Não da mesma forma ou com a mesma pessoa.

Nunca fiz algo esperando paz eterna ou de espírito, mas o buraco no meu peito não sarou de qualquer forma.


Notas Finais


a partir daqui eu tenho boa parte dos capítulos escritos então acredito que vou postar logo.
beijos de luz bebes<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...