História .três é muito pouco ; hyunin. - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Hwang Hyun-jin, Yang Jeong-in
Tags Changlix, Hyunin, Hyunjeong, Minsung
Visualizações 85
Palavras 2.016
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi genteKKM não é uma oneshot, e sim uma shortfic, foi mal não ter frisado isso antes. mas enfim, aí está o capítulo, espero que gostem.
tava mt sem idéia pro nome do cap, confesso. mas pelo menos tem relação ok!
boa leitura :)
whou esse capitulo ta meloso

Capítulo 2 - .traços juvenis ;; two.



minho, félix, e changbin estavam estáticos. jisung mantinha um sorriso ladino, mal intencionado. jeongin se tremia por inteiro, nem sabia como estava tendo coragem de se posicionar ali.
e hyunjin não sabia qual reação tinha.

jeongin suspirou e tomou um dose de coragem, se inclinando na direção do mais velho. com o olhar, pediu permissão.
hyunjin, pela primeira vez ali, reagiu. era a única coisa possível naquele momento. tomando conhecimento do que se tratava, sorriu levemente em incentivo e trouxe o corpo do outro para o seu colo, puxando-o pela cintura com as duas palmas.

jeongin corou intensamente e olhou nos olhos do acastanhado. não acreditava estar perdendo seu maldito boca virgem dessa forma. poderia ser mais especial. mas a vida assume um complô contra yang jeongin.
ou a favor.

hyunjin, ainda surpreso, permitiu ao menor fazer tudo o que quisesse. isso pode ser nojento, mas não era de negar beijos. não de quem quisesse recebê-los. na verdade, não estava nem raciocinando direito. o fato de jeongin escolhê-lo para cumprir o desafio só enrolou ainda mais um nó em sua mente. pensamentos a parte, deixou-se levar.

jeongin engoliu em seco. como diabos se beija? o mesmo entrou em pânico quando viu o rosto de hyunjin extremamente próximo do seu, e então apenas seguiu os falatórios cansativos de changbin em relação à félix.
fechou os olhos e cresceu um biquinho, também aproximando-se do maior. ao sentir o toque dos lábios demorar, se afastou imediatamente antes que hyunjin intensificasse aquilo e voltou ao seu lugar. sentando-se em pernas de índio, cobriu o rosto com as duas mãos e mordeu o lábio inferior recém beijado, contendo um grito pelo quão nervoso e envergonhado estava. podia sentir seu rosto arder de tão rubro.

o trio que não entendia nada estavam parados observando a mini-ceninha de jeongin com olhares de quem o achava um tremendo cute cute. jisung dava de ombros, afinal fez algum dos dois tomar iniciativa.
já hyunjin ainda estava na mesma posição, sem entender a saída do yang.
e então recordou-se do "bv" do amigo mais novo.

mas, ainda mais de outra coisa.

"você tem que beijar a pessoa que mais gosta nessa sala"

o pensamento fez o hwang observar o ruivinho mais uma vez, com um sorrisinho emergindo no cantinho da sua boca. mas aquele sorriso imediatamente desmanchou.

jeongin estava gostando logo de si?

jisung pigarreou, limpando a garganta apressadamente, apenas para cortar o clima estranho que havia se instalado.

jeongin estava envergonhado, mas não arrependido. queria tanto beijar seu hyung até os lábios cansarem e não restar ar algum no peito. todavia, antes disso seria necessária a confirmação do mais velho, porém.. não conseguia nem chegar perto do outro pela vergonha que o dominava, imagine mais.

lembrou-se que praticamente revelou seus sentimentos, e sentiu vontade de se bater ali mesmo.

ㅡ iai.. já querem ir dormir ou..? ㅡ o han questionou, prolongando a última alternância. era notório como ninguém mais estava no clima pra prosseguir com desafios e verdades.

ㅡ eu vou comer alguma coisa.. ㅡ o yang segregou baixinho, fitando suas mãos. ㅡ não me esperem. ㅡ disse e se virou, batendo a porta do quarto pouco em seguida.

antes que hyunjin se mexesse, félix o segurou pelo braço.

ㅡ ele tá confuso. não quer deixar ele pensar um pouco?

hyunjin ficou mais uns instantes tentando escapar da bagunça de pensamentos dos seus amigos, enquanto vez ou outra fitava a porta, ansiando pela volta do garoto mais novo.

quando os amigos desistiram de tentar convencê-lo a não ir e partiram a se organizarem sobre os colchões, o hwang aproveitou e desceu as escadas.

ao chegar na sala, o ambiente estava calmo, pra falar a verdade, ele sequer viu jeongin. por um segundo, permaneceu vidrado no teto revestido por pequenos pontos brilhantes, que sabia terem vindo da luminária do ruivo. jeongin também amava sentir-se acolhido pelas estrelas. talvez essa fosse uma forma de se sentir mais perto dos seus pais.

ㅡ innie? ㅡ o chamou pelo apelido, se deslocando até a pedra larga da cozinha. pôde ouvir um suspiro.

ㅡ o que foi, hyung? ㅡ o mais novo apareceu atrás de si, o dando um susto. devia estar nos fundos do quintal, na área da piscina.

ㅡ a gente pode conversar rapidinho?

ㅡ eu já vou dormir.. ㅡ olhou para qualquer canto que não fosse hyunjin.

ㅡ você tá fugindo de mim, jeongin? ㅡ arqueou uma sobrancelha, analisando o olhar amedrontado do citado e seu engolir. ㅡ sabe bem que se fugir, nunca vai resolver isso, né? ㅡ assentiu, envergonhado. ㅡ então por que nunca me contou?

ㅡ eu gosto muito de você, hyung. ㅡ olhou em seus olhos, luminados apenas pela luzes no teto. ㅡ você é o único que nunca notou isso. por que acha que o jisung me lançou esse desafio?

ㅡ eu pensei que você fosse pro chang..

ㅡ changbin namora, você sabe. e ele é meu melhor amigo, nada mais que isso. infelizmente, a única pessoa que gosto mais que apenas amizade é você. ㅡ hyunjin estava absorto na mesma idéia. não acreditava em nada que estava acontecendo.
ao mesmo tempo que um diabinho insistia em soltar as seguintes palavras, o anjinho sabia o efeito destas, e que não deveriam ser soltadas.

e o diabo venceu.

ㅡ eu não pedi pra você gostar de mim. ㅡ jeongin arregalou os olhos. não acreditou ter ouvido essas palavras saírem logo de hyunjin, seu tão sonhado namorado. agora, se decepcionava imensamente com o fato de gostar do outro. mas não tinha mais jeito, nem gostava mais. estava apaixonado.

ㅡ hyung, não me culpe por ter sentimentos. eu não sou como as outras pessoas que você pegou e jogou fora. elas, diferente de mim, não gostavam de você. desculpa por jogar na cara, mas nem a yeji gostava de você, e você sabe bem disso. senão, não teria te traído e te usado como passatempo. caralho, por que você nunca reparou que quem realmente te ama sou eu? enquanto você se engasgava com álcool em festas eu sempre te consolei, você nem deve saber disso, mas sempre soltava palavras ligadas às suas decepções amorosas. ㅡ hyunjin arregalou os olhos. ㅡ não sabia disso? pois é. e todas as vezes que você bebia demais a ponto de desmaiar, afinal, você sabe que é fraco com bebidas, como sempre acordava em casa? sã e salvo? quem cuidava de você, hyunjin?

ㅡ chan hyung disse que..

ㅡ não, droga! chan sempre foi orgulhoso demais pra admitir que o mais novo do nosso grupo cuida dos outros. isso é responsabilidade dele, né? mas ele nunca estava aqui pra cuidar de vocês, e sempre sobrou pra mim. eu cuido de você, mesmo sem que você perceba. e você pode até não retribuir o que eu sinto, mas pelo menos não seja tão ruim a ponto de me tratar assim. ㅡ abaixou a cabeça, já soltando algumas lágrimas. as limpou com a barra da camisa. ㅡ eu sei que você não pediu que eu gostasse de você. mas é necessário pedir a alguém que tenha sentimentos, hyunjin? ㅡ jeongin olhou nos olhos do mais velho uma última vez naquela noite. hyunjin se esfaqueou mentalmente por ser o responsável pelos olhinhos marejados do de fios avermelhados. sentiu um aperto no peito, e uma imensa vontade de se esconder de tudo.

ㅡ innie..

ㅡ para de me chamar assim. não agora. ㅡ se virou, voltando para o quintal. ㅡ preciso ficar sozinho.

antes de pensar em desrespeitá-lo e ir atrás de si, o acastanhado analisou seu tom de voz. jeongin estava sim, quebrado. e o hwang só se odiou ainda mais por isso.

hyunjin suspirou e apoiou os cotovelos na pedra lisa e de mármore, alisando os próprios fios entre os dedos longos.
passou as mãos pelo rosto e soltou o ar pela boca.

como eu nunca percebi isso antes? ㅡ murmurou pra si mesmo, encarando o teto bonito.

hyunjin não queria ferir o ruivo, e muito menos vê-lo afastado de si. nunca foram extremamente próximos ao ponto de serem vistos como melhores amigos, mas isso não significa que não fossem amigos. eram amigos de longa data.

nos últimos tempos, o próprio hwang se percebia olhando demais pro mais novo, e até se ampliando mais quanto a ousadia de seus atos.
na maioria das vezes, o mesmo é alguém até recolhido e sarcástico, como é com jisung. mas seu humor com o de bochechas grandes é algo indiscútivel, afinal sempre se trataram assim e estão acostumados com isso.
mas com jeongin, parece que tudo se reverte. hyunjin não desgruda de si um instante, sempre o abraçando, o beijando, e o tratando de forma mais carinhosa que o normal.
de certa forma, ele deu esperanças.

a dúvida cruel que o abordava era sobre os seus sentimentos. estava tão confuso..

hyunjin suspirou mais uma vez e se dirigiu até o quintal, dessa vez decidido a conversar com o yang. e, claro, pedir desculpas.

o encarou de longe. estava sentado na borda da piscina, olhando para o céu. hyunjin acompanhou seu olhar, e se surpreendeu com tamanha beleza.

sem que jeongin percebesse por conta da distração, hyunjin chegou pela costa do mesmo e o abraçou.

jeongin soltou um grito assustado e o empurrou para dentro da água.
mas ao ver quem era, pulou junto. pelo menos para salvá-lo.

ㅡ meu deus do céu. desculpa, desculpa, desculpa, desculpa.. ㅡ jeongin o sentou na beirada com toda força que pôde, e se aliviou por não ter matado ninguém. ㅡ qual é, não tem noção do perigo não? ㅡ tomou um impulso ao se segurar na borda e se sentou ao lado do hwang, que se encontrava tossindo. deu tapinhas em sua costa, para que passasse mais rápido.

ㅡ eu só queria te abraçar. foi mal. ㅡ ao se aliviar, soltou. um silêncio preencheu os ouvidos de ambos. o máximo que podia ser escutado era o som de grilos e alguns insetos voadores, que não causavam dano a ninguém no período invernal. ㅡ me perdoa? ㅡ hyunjin se virou, segurando a mão do ruivo com carinho.

ㅡ por..? ㅡ arqueou uma sobrancelha, na espera de uma continuação. jeongin ignorou seu coração pela rapidez que bombeava o sangue, em causa e consequência do leve toque entre os corpos.

ㅡ olha, me perdoa por ser e por ter sido um babaca, tá? eu sei que falei besteira, mas eu estava fora de mim. na verdade, eu tô muito confuso. eu só quero te ver bem, innie. eu não sei se sou a pessoa certa pra você, não quero te magoar. você sabe como eu sou. a única pessoa que eu persisti, foi a yeji. mas.. ㅡ sua fala foi cessada quando hyunjin travou o olhar nos olhos de jeongin.

ㅡ e você não ficaria por mim, hyung?

a pergunta ficou solta no ar, e antes que hyunjin pensasse em respondê-la, os rostos marcados pelos belos traços juvenis já estavam próximos demais pra uma singela afirmação.
de início, os lábios se grudaram um no outro levemente e depois, repetidas vezes.
algumas sugadas, mordidas, até mesmo lambidas, mas nada que proporcionasse um suposto cenário que.. buscasse outras intenções.
mesmo com a blusa meio úmida pelo recém-quase-banho de piscina, nem ligaram para a possível gripe.

a mão de hyunjin acariciava o rosto do outro de forma tão bela que arrancava alguns sorrisos bobos do mais novo vez ou outra.
após afastar-se beijou sua bochecha, seu queixo, seu nariz, de jeito que não precisasse resposta para sua pergunta.

"e era dessa forma que eu queria perder meu belo boca virgem. obrigado aí em cima!"

e hyunjin o beijou uma última vez com ternura, levando a mão ao seu ombro, onde realizou movimentos circulares com a canhota.
se afastaram e ficaram uns segundos trocando carinhos na pele exposta um do outro, enquanto encaravam o céu e sentiam o tempo sereno e o ar gelado bater em seus corpos molhados, secando-os de uma forma natural.

ㅡ innie? ㅡ o referido levou os olhos ao mais velho.

ㅡ fala.

ㅡ posso me apaixonar por você?





Notas Finais


foi curto, mas é oq temos
comentem o que quiserem, sou toda olhos :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...