História Três passos para a morte - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 6
Palavras 1.270
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Canibalismo, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - P.T 2


Fanfic / Fanfiction Três passos para a morte - Capítulo 2 - P.T 2

Seus olhos lentamente se abriram, com a necessidade de encontrar a luz do sol, porém para sua surpresa tudo que podia ver era um vazio eterno de nada, ao mesmo tempo que sentia seu corpo caindo em direção a nada

Uma força o puxava enquanto caia, um ser escuro envolvido em um manto vermelho vinho surgiu perante sua frente. O manto cai revelando uma bela mulher, alta e de cabelos loiros, seus olhos pareciam refletir as emoções de todos aqueles que fossem ao seu encontro

Ela lentamente se aproximou e sussurrou em seu ouvido

- Viva-

Após isso ela passou a encara-lo, e de forma sedutora o beijou, mais diferente de muitos, aquilo demonstrava ser doloroso, como se algo cortasse seus lábios e ao mesmo tempo tentasse perfurar seu coração

- Teremos mais tempo na próxima vez –

Mais uma de várias perguntas sem respostas surgiu

- Para sempre estará comigo –

Ela disse mordendo os lábios de forma sedutora, porém mortal

- Volte! –

Seus olhos se fecharam de forma rápida, tudo aquilo devia ser só mais um pesadelo, ou não, depois de tudo que já havia passado, era impossível não acreditar no que estava a sua frente naquele momento

Sua consciência estava em outro lugar, que lugar era esse, bem, ele também não sabia

Um cheiro de madeira podre com uma mistura de cera derretida invadiu suas narinas. Era possível sentir algo se movendo entre suas mãos, não haviam duvidas, eram baratas. Seus olhos não se abriam mais, não importasse o esforço que fizesse, era praticamente impossível

Onde estava, oque era aquilo

Morte

Me tire daqui

Morte

Uma prisão mental

Morte

Todos seremos um só

Derrepente leves passos puderam ser ouvidos, a cada passo mais Alex se arrepiava, o medo de ser algo a mais para temer, oque seria, um monstro, a mulher, ou talvez a morte indo até seu encontro

Algo abriu a porta, e agarrou Alex pelos cabelos

- Estávamos esperando por você –

Disse como uma voz rouca e de forma amedrontadora

Ele puxou Alex de forma violenta

- Ela nos disse que estaria conosco hoje –

- Estou contente de termos alguém a mais para o jantar –

Alex finalmente pode abrir seus olhos se deparando com o ser que estava a sua frente, ele era alto e pálido, sua boca estava dilacerada com alguns pontos costurados, olhos negros que pareciam ter vindo das portas do próprio inferno, seus dedos estavam grampeados uns nos outros, dentes amarelados e tortos e um olhar que penetrava a alma daquele que o observava

- Quem e você? –

Ele simplesmente ignorou a pergunta e arrastou Alex para um quarto. As luzes forma acesas, revelando um banheiro sujo, mofado, fedendo, com um cheiro de corpo apodrecido e uma banheira cheia de sangue. Havia também uma mulher, com logos cabelos escuros cobrindo seu rosto

- Garotinha, pare de chorar, nós temos uma visita –

Ele passou suas mãos entre os cabelos da garota

- Devia ter mais educação, olhe como esta, deveria tomar um banho, isso não e modo de se apresentar para a visita –

Ele soltou Alex no chão, e foi em direção da garota agarrando seus cabelos e jogando sua cabeça na banheira

- Oque esta fazendo? –

- Não questione rapaz, higiene e coisa de deus –

A garota se debatia cada vez mais rápido, fazendo parte do ar de seus frágeis pulmões escaparem entre o sangue. Alex estava paralisado com tanta crueldade que observava com seus olhos recém-abertos, a garota estava prestes a morrer porém...

- Que merda você esta fazendo –

Uma mulher entrou no banheiro se deparando com tal cena

- Não e assim que deve tratar sua irmã seu idiota –

Ela tirou a menina da banheira e a colocou de volta na cadeira

- Se acalme minha menininha –

Ela começou a acariciar levemente os cabelos dela, até tirar uma faca de cozinha do avental que estava usando

-Rapaz entenda uma coisa, aqui não existe deus –

Ela esfaqueou violentamente a garota no estomago deixando parte de seu intestino sair, era uma visão horrível de se ver, Alex não se conteve e passou a vomitar olhando para tal ato

- Eu sempre achei essa garota esperta, oque será que tem nessa cabecinha –

A mulher abriu a cabeça da garota, mostrando seu crânio que estava em partes, quebrado, um pouco de seu cérebro estava a mostra

- Será que tem um bom gosto? –

Ela retirou o cérebro e começou a lambe-lo

- Quer provar? –

Perguntou para Alex, ele engoliu seco e passou a encarar o chão, olhando para seu reflexo na possa de sangue que havia. Lagrimas estavam escorrendo de seus olhos, ao mesmo tempo que seu corpo voltava a se contorcer de dor, seu coração era perfurado e cortado em duas metades, sua agonia e dor era motivo de rizada para as pessoas que o observavam, talvez eles nem fossem pessoas, com tamanha crueldade que foram capazes de cometer com aquela garota

- Vamos deixar você sozinho por enquanto, quando eu voltar será a sua vez –

Os dois saíram do banheiro deixando Alex, que estava cuspindo muitos sangue. Sua dor estava ficando a cada segundo mais intensa, era tudo muito rápido, ele estava morto ou vivo, onde estava, oque estava fazendo ali e quem eram aquelas pessoas. As duvidas que agrediam sua cabeça, porque estava sofrendo tanto daquela forma, o fim estava próximo, ou mais dor estava por vir.

Quando não havia mais esperança, a pequena luz azul surgiu diante de sua dor

- Levante-se –

- Não consigo –

Disse Alex se afogando nas lagrimas que escoriam de seus olhos

- Tente –

Ela disse com um tom delicado

- Não precisa se esforçar tanto –

Alex colocou suas mão a frente de seu corpo, se levantando ao mesmo tempo que era obrigado a aguentar a dor que seu corpo sentia, por muitas vezes ele gritava e caia no chão com o sangue saindo da boca, mais mesmo assim ele se aguentava e tentava de novo e de novo

- Levante-se –

Ele usou a última força que suas mãos fracas tinham, e tentou mais uma vez se erguer. Dessa vez ele consegui, porém seu corpo estava muito debilitado, seus passos estavam lentos e muito profundos

- Siga-me –

A pequena luz se moveu para fora do banheiro, Alex um pouco fraco seguiu o pequeno rastro deixado pela pequena, se encontrando em um corredor escuro sem nenhuma fonte de luz, era possível escutar o choro de um bebê

Ela caminhou pelo corredor que parecia não ter fim, sem ter a menor ideia de onde estava indo, o choro do bebê ficava mais alto e agudo a cada passo que dava, seus olvidos estava sangrando e seus braços estavam dormentes, até que uma luz amarelada surgiu

Ele pode ver uma vela, ao seu lado estava um quadro, uma família, um pai, uma mãe, uma filha, um filho e um bebê

Derrepente uma janela surgiu, e nela estavam as palavras

Alex deve morrer?

Escritas com sangue

Alex gelou ao ver aquilo, uma pergunta sobre sua vida, escrita em sangue, fazendo seu corpo tremer e se quebrar em milhões de pedaços, era inevitável não olhar para aquilo

Um som de agonia invadiu seus ouvidos, lentamente se virou e viu uma mulher grávida usando um vestido brando, com o rosto pálido e parte da boca cortada

- A culpa e sua –

Ela correu em sua direção gritando várias e várias vezes, o choro de bebê sò aumentava, e o som de uma sirene podia ser ouvido

Era tudo muito rápido, e quando ele menos percebeu, estava na mesma floresta de antes, a diferença era que havia uma mancha negra em sua mão esquerda

CONTINUA...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...