História Três passos para a verdade - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Martina Stoessel, Personagens Originais
Tags Suspense
Visualizações 25
Palavras 2.140
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Hello my's loveres!

Capítulo 2 - Corto sua língua!


Fanfic / Fanfiction Três passos para a verdade - Capítulo 2 - Corto sua língua!

Pov's Madelaine

Minutos depois de investigar tudo, fui até o necrotério...

Billy: conseguiram encontrar alguém na floresta?

Madelaine: não, mas eu sinto que estamos perto... (Vou até o cadáver) quem fez isso com você garoto? (Acaricio o cabelo dele)

Billy: Oque vamos fazer quanto a ele?

Madelaine: você irá tirar uma foto dele, e mandar para todas as delegacias do estado! Temos que encontrar a família dele... (O examino)

Billy: acha mesmo que o assassinato dele tem ligação com o desaparecimento das nossas crianças?

Madelaine: Não, eu não acho... Tenho certeza! (Levanto o braço do garoto) acho que encontrei alguma coisa... Desliguem a luz!

Alfred: (desligo) nossa...

Billy: que merda é essa? Porquê o braço dele tá brilhando?

Madelaine: é um tipo de caneta invisível que acende no escuro... (Falo e leio oque está escrito)

Billy: se é invisível, como viu?

Madelaine: quando passei meu braço perto do dele, brilhou com a sombra...

Alfred: E oque está escrito aí?

Madelaine: “farei com que passem pelo mesmo que eu passei!" (Leio e olho pra ele)

Billy: oque isso significa?

Madelaine: eu ainda não sei... Vão, tirem a foto e mandem para as delegacias. Eu irei continuar aqui...

Alfred: sim senhora. (Ligo a luz e tiro foto do cadáver)

Billy: Boa sorte... (Saio da sala)

Madelaine: Alfred?

Alfred: sim?

Madelaine: pode passar pra mim no nosso agente de computação, e ver se ele encontrou alguma coisa?

Alfred: claro. Irei direto pra lá, e aviso se tiver novidades... (Saio)

_Minutos depois no carro_

Billy: a Madeleine é meio mandona né?

Alfred: é o trabalho dela!

Billy: um “por favor" ou um “obrigado..." Não mata ninguém!

Alfred: não a leve a mal... As circunstâncias a deixaram assim... Ela era o oposto de tudo aquilo ali...

Billy: e oque de tão ruim aconteceu? Ninguém é bom e do nada vira mau assim...

Alfred: não podemos falar sobre esse assunto. Agora anda! Envia a foto para todas as delegacias!

_horas depois_

*Ligação on*

Madelaine: eu ja falei Richard, não dá pra ir agora... Tô cheia de trabalho aqui!

Richard: eu sei amor, mas eu larguei cedo, achei que poderíamos passar a tarde juntos...

Madelaine: eu adoraria, mas realmente não vai dar pra mim ir...

Richard: ao menos virá pro jantar?

Madelaine: eu não sei. Qualquer coisa eu aviso... (Suspiro) escuta, tem outra ligação na linha, preciso desligar...

Richard: (desligo)

*Ligação off*

Daniel: (entro na sala) Senhorita Andrews?

Madelaine: Sim? (Guardo o celular)

Daniel: estamos ligando pra senhora a um tempo...

Madelaine: É, eu vi... Me desculpe, eu estava ocupada. Oque houve?

Daniel: encontramos um suspeito, e a cidade onde está localizada a família do garoto...

Madelaine: que bom, o suspeito está na mesma cidade que os familiares da criança?

Daniel: sim senhora. Irei lhe acompanhar no lugar do Billy... Algum problema?

Madelaine: não, nenhum. Vamos (pego a chave do carro e vou até o mesmo) qual a cidade?

Daniel: Hardeeville.

Madelaine: (entro no carro) sabe oque mais me assusta?

Daniel: oque? (Sento no banco do passageiro)

Madelaine: as cidades mais tranquilas e mais acolhedoras de todo Estado da Geórgia, estão virando de cabeça pra baixo...

Daniel: tranquila, vamos conseguir solicitar!

Madelaine: solucionar não é o problema, o problema é encontrar as crianças, e elas não terem mais vida pra celebrar... (Dirijo)

_34 minutos depois_

Pov's Madelaine

Ao chegar na delegacia de Hardeeville, me assustei ao ver várias pessoas em frente a mesma. Eu não entendi muito o porquê delas estarem ali, então apenas desci do carro e entrei na delegacia...

Felipe: Chegou a nossa Salvatore! Como está senhorita Andrews?

Madelaine: bem, e por favor. Sem enrolar... Vamos logo ao que interessa!

Felipe: sim, claro. Antes de entrar pra falar com o suspeito... Gostaria de falar com os pais da criança encontrada?

Madelaine: Não, isso é serviço seu! Agora me leve logo até aquele delinquente!

Felipe: venha comigo... (Caminho até uma sala junto com ela e o ajudante da mesma) entra sozinha? Ou quer que eu vá com você?

Madelaine: entro sozinha! (Falo friamente entro na sala e fecho a porta)

Xxx: Senhorita Andrews? É um prazer finalmente conhecê-la (falo ironicamente)

Madelaine: não achará um prazer quando estiver atrás das grades... (Pego a ficha dele e olho a mesma) Carlos não é?

Carlos: sim (sorriu) e ao que devo a honra?

Madelaine: ora, não se faça de sonso. Sabe muito bem porque eu estou aqui! (Coloco a papelada sobre a mesma) me conte tudo!

Carlos: tudo oque? Eu não sei de nada...

Madelaine: Escute, meu trabalho é falar calmamente com você. Mas caso me faça perder a paciência, usarei os métodos que costumo usar na minha delegacia! (Falo ameaçadora olhando nos olhos do mesmo)

Carlos: quer saber mais oque? Eu matei o garoto! Isso já está na cara.

Madelaine: não Carlos, você não matou o garoto. Você apenas quer que as pessoas acreditem nisso. Mas adivinha? (Sento em cima da mesa e cruzo as pernas) eu não acredito! Então ou você fala pra quem você trabalha, ou eu corto sua língua!

Carlos: (engulo seco) olha... Eu não sei pra quem eu trabalho, a pessoa apenas me pagou uma grana alta pra levar o corpo até sua cidade...

Madelaine: era você na floresta mais cedo?

Carlos: sim...

Madelaine: e porque Savannah? Se o garoto é daqui...

Carlos: não sei, eu só fiz oque me mandaram. Juro por Deus que não falaram mais nada pra mim!

Madelaine: (empurro a cadeira que ele está sentado pra trás fazendo o mesmo cair) Não coloque Deus no meio disso tudo! (Caminho até ele e piso com o salto alto na garganta do mesmo) pisarei mais forte, se não contar exatamente tudo pra mim...

Carlos: não, por favor... Eu juro, juro que não sei mais de nada... (Falo com medo)

Madelaine: tem certeza? (Piso com um pouco mais de força)

Carlos: bom... Eu tenho um endereço, e um número de telefone... Se quiser, te dou. (Falo com medo)

Madelaine: ótimo (tiro o pé de cima dele) DANIEL?

Daniel: (entro na sala) sim?

Madelaine: anote o endereço e o número que ele vai te dar, eu já acabei por aqui... (Saio da sala)

Daniel: sim senhora...

_Fora da sala_

Felipe: já? Ele foi útil?

Madelaine: não muito, só consegui um endereço e um telefone, que provavelmente já não existe.

Felipe: como sabe?

Madelaine: ligue os pontos Felipe, se ele tem dinheiro o suficiente pra pagar pessoas pra trabalhar pra ele, tem dinheiro o suficiente pra comprar telefones descartáveis!

Felipe: já falei que acho sexy esse seu jeito de agir? Cara... você resolve tudo com uma facilidade.

Madelaine: é não é? Da mesma forma que você agi como um trouxa pra cima de mim (falo ironicamente e sorriu)

Felipe: cara eu amo muito você (riu)

Madelaine: (reviro os olhos) ah, quem são as pessoas na calçada? E porque estão aqui?

Felipe: cidadãos preocupados. Não é fácil ver uma cidade calma e aconchegante, virar um lugar onde crianças não podem sair...

Madelaine: eu quem diga...

Daniel: (vou até eles) Senhorita Andrews? Aqui... (Entrego o papel pra ela)

Madelaine: obrigada. Vamos... Felipe? Qualquer coisa de anormal, não exite em ligar pra mim!

Felipe: pode deixar. E boa sorte!

Madelaine: Obrigada, vamos precisar...

Pov's Madelaine

Fomos até a localização dada pelo Carlos, era uma casa velha e abandonada, digamos que um tanto assustadora... Comparada com todas as casas que existem aqui...

Daniel: quer que eu chame reforços?

Madelaine: oque? Não. Temos armas e só iremos revista a casa, não tem oque se preocupar aqui (pego a arma e saio do carro)

Daniel: (vou atrás dela)

Pov's Madeleine

Olhamos a casa inteira, não havia nada de anormal ali. Ao menos não que pudéssemos ver...

Madeleine: Daniel?

Daniel: sim?

Madelaine: ligue pro pessoal, precisamos de gente pra colher todas as digitais por aqui!

Daniel: ok...

Madelaine: (pego o celular pra ligar pro número que o Carlos me deu, mas ao discar os números outra pessoa liga pra mim então eu atendo)

*Ligação on*

Madelaine: alô?

Fred: Perita Madeleine? Rápido! Precisamos de você aqui! (Falo desesperado)

Madelaine: calma, prefeito. oque houve?

Fred: encontramos mais 3 crianças mortas! Os corpos estão no meu jardim! (Falo desesperado)

Madelaine: aí meu Deus, acalme-se, ligue pro resto do pessoal da polícia! Eu estou indo pra ir! (Desligo)

*Ligação off*

Madelaine: (saio da casa e vou até o carro) vamos!

Daniel: oque? Porque? O pessoal tá vindo pra cá...

Madelaine: era uma distração! Eles nos queriam aqui. Encontraram mais três corpos, eu preciso ir!

Daniel: mas quanto ao pessoal que irá colher as digitais?

Madelaine: eles sabem o caminho! Agora vem (entro no carro) realmente temos que ir!

Daniel: (suspiro e entro no carro) oque disseram pelo telefone?

Madelaine: verá quando chegarmos.

Pov's Madelaine

Ultrapassei todos os limites de velocidade, tanto é que eu deveria demorar 34 minutos pra chegar em Savannah, cheguei em 19 kkkk

Enfim, fui até a casa do prefeito e ao sair do carro me deparei com algo semelhante a um massacre....

Madelaine: (saio do carro e ponho as luvas)

Daniel: aí meu Deus...

Madelaine: a que horas colocaram esses corpos aqui? (Falo indo até os cadáveres me abaixo e examino os mesmos)

Eduardo: acho que na hora em que vocês foram pra Hardeeville...

Madelaine: os vizinhos viram alguma coisa? (Levanto)

Eduardo: um disse que sim... A polícia já falou com ele, mas acho melhor você ir lá verificar direito!

Madelaine: divida os homens em duas partes, uns pra vasculhar dentro da casa do prefeito, e outra pra continuar verificando aqui...

Eduardo: acha que o prefeito tem algo haver com isso?

Madelaine: bom, se ele não tiver nada a esconder. Não se incomodará de ver seus homens vasculhando as coisas dele! (Vou até a casa do vizinho e bato na porta)

Xxx: (abro) Olá...

Madelaine: oi, boa tarde. Eu sou a perita criminal, posso entrar e conversar com você um pouquinho?

Xxx: Sim, claro... (Dou espaço)

Madelaine: com licença (entro na casa e observo todos os lugares)

Xxx: Então, oque a senhora quer saber? (Fecho a porta)

Madelaine: exatamente tudo...

Xxx: Bom, eu estava saindo pra colocar o lixo pra fora. Quando dei de cara com uma van preta, jogando umas coisas no jardim do prefeito... Na hora eu não sabia oque estavam jogando, mas assim que a van saiu, pude ver... Então liguei pra polícia e logo em seguida o prefeito saiu de casa e viu...

Madelaine: você saiu para colocar o lixo pra fora, exatamente as 11:45... Sendo que. O caminhão que recolhe o lixo da cidade passa apenas as 08:00 dá manhã... A senhora poderia me explicar isso melhor? (Sento no sofá)

Xxx: É, é... Co-como a senhora sabe que eram 11:45? (Falo gaguejando ao ficar nervosa)

Madelaine: bom, os policiais me disseram mais ou menos a hora em que os corpos foram jogados lá, então eu calculei...

Xxx: Então... Eu fui colocar o lixo pra fora nesse horário, porquê justamente hoje. Eu acordei tarde...

Madelaine: acordou tarde? Que horas a senhora costuma acordar?

Xxx: as 06:00 dá manhã...

Madelaine: hum... E oque a fez acordar tão tarde hoje? Oque fez na noite passada?

Xxx: olha, eu não me lembro... eu realmente não me lembro! (Engulo seco)

Madelaine: ok, mais uma coisinha... Os corpos jogados no jardim do prefeito, contém algumas marcas de cordas em seus pulsos, cordas pequenas e que provavelmente devem estar manchadas de sangue. Exatamente iguais aquelas ali... (Aponto para umas cordas meio escondidas em um vaso de plantas) a senhora poderia me explicar isso?

Xxx: e-eu.... Eu peguei as cordas dos pulsos deles assim que os jogaram lá, eu preciso de gordas para amarrar algumas plantas.

Madelaine: então a senhora saiu de casa logo após jogarem os corpos no jardim?

Xxx: Sim...

Madelaine: mas a senhora tinha me dito que não saiu de casa, apenas saiu para colocar o lixo na porta e voltou. Ligando em seguida pra polícia. Senhora...

Xxx: Albert. (Completo a frase dela)

Madelaine: Senhora Albert, algo na sua história não está batendo. Então teremos que levá-la sob custódia...

Xxx: Não, por favor... Eu juro que não fiz nada!

Madelaine: nós só saberemos sobre isso na delegacia... (Levanto algemo a mesma e saio da casa)

Daniel: (vou até ela) suspeita?

Madelaine: sim, leve-a pra delegacia... E façam umas perguntas! (Entrego ela pra ele) e mande uns homens na casa dela para colher provas 

Daniel: sim senhora. 

Alfred: SENHORITA ANDREWS? ENCONTRAMOS OUTRO CORPO! (grito)

Pov's Madelaine

Corri as pressas até a garagem do prefeito e ao chegar lá me deparei com um bebê de aparentemente 2 anos caído no chão repleto por balas e sangue. E foi exatamente ali, no momento em que bati os olhos no bebê morto que a minha máscara de garota forte caiu... Então na sequência caí ajoelhada no chão com meu rosto inundado por lágrimas e um aperto enorme no meu coração... O plano era: Investigar, solucionar, não se envolver e não se apegar...

Mas quem está no meio desse assassinato em massa, sabe exatamente como me quebrar....


Notas Finais


Ateeeeee!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...