História Três passos para a verdade - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Martina Stoessel, Personagens Originais
Tags Suspense
Visualizações 10
Palavras 1.850
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oooi amores!

Capítulo 6 - Uma vilã disfarçada!


Fanfic / Fanfiction Três passos para a verdade - Capítulo 6 - Uma vilã disfarçada!

_A noite_

Richard: eu não sei se deveríamos fazer isso...

Gregório: óbvio que devemos! Ainda faltam 11! Mas eu tô cansado dessa jogada repetitiva. E isso, irá mudar...

Richard: ainda são crianças...

Gregório: sim, excerto sua esposa! (Sorriu) vamos Richard, vai ser divertido... Vai ver pela primeira vez sua esposa implorar! Não é você que saí por baixo agora...

Richard: você tem razão...

Gregório: eu sempre tenho (entro na sala que a Mad está)

Madelaine: (olho pra ele) já veio terminar o trabalho? Deixa eu adivinhar... Vai me torturar com a morte de mais alguma criança, até que eu peça pra você me matar. Acertei? (Pergunto ironicamente)

Gregório: (riu sarcasticamente) Mad. Eu admiro você... De verdade! Porque se pararmos para pensar vemos que você tem um grande potência...

Madelaine: (arqueio uma sobrancelha)

Gregório: veja bem... Você é uma ótima pessoa, foi uma ótima mãe, digamos que uma ótima esposa, e o último mas não menos importante, você é uma ótima perita criminal... Digamos que isso está no seu sangue. Liga os pontos em segundos, e faz de tudo pra separar trabalho, do pessoal...

E sabe? É isso que todas as pessoas de Savannah pensam de você. Por isso sentem inveja! Agora me responda, se eles te odeiam, porque? Porque continua querendo ajudar?

Madelaine: porque enquanto eles jogam o mal, eu jogo o bem!

Gregório: e porquê?

Madelaine: porque cada um só dá oque tem!

Gregório: poético, mas nem um pouco comovente! (Aperto um botão fazendo a “parede" subir mostrando uma sala de vidro com uma pessoa dentro)

Madelaine: (olho pras pessoas) aí meu Deus...

Gregório: lembra desse senhor Madelaine? (Pergunto ironicamente)

Madelaine: Otávio...

Gregório: isso aí. Ao vivo e em pessoa...

Madelaine: e oque ele faz aqui?

Gregório: então (sorriu e pego uma arma) você irá mata-lo!

Madelaine: como é que é? (Pergunto indignada)

Gregório: isso mesmo! E sabe oque é mais divertido? Enquanto estiver matando ele, estará passando em todas as TVs da cidade! Pra todo mundo ver a pessoa que você realmente é!

Madelaine: eu não vou fazer isso! Eu não sou uma pessoa má!

Gregório: Mad... Eu sei que seu coraçãozinho anseia por vingança, porque foi por causa desse homem, que sua vida está como está!

Madelaine: Não! Não foi por causa dele! Fui eu quem encontrei a gangue, fui eu quem prendeu todo mundo lá! Como você disse: eu chamei pra sair. Então eu pago a conta! (Falo firme olhando pro mesmo)

Gregório: ah, claro, e você irá pagar... Mas até que faça isso. Vai matar esse cara sem pestanejar!

Otávio: (olho pra ela aflito e murmuro tentando falar, mas não consigo por conta da fita na minha boca) 

Madelaine: eu não vou matar ninguém!

Gregório: ótimo, quer um motivo maior pra concretizar isso? Irei te dar! (Pego meu celular e faço uma chamada de vídeo pro Richard) tá vendo seu marido? (Mostro o celular pra ela)

Madelaine: onde ele está?

Gregório: no hospital, e você soube? Essa semana nasceram vários bebezinhos... Mas especificamente o bebê da sua vizinha, aquela. Que demorou anos pra gerar um filho, e o médico disse que esse seria o único que ela podia gerar...

Madelaine: oque acontece se eu desobedecer? (Pergunto aflita)

Gregório: Richard irá explodir todo o hospital! E todos os bebês, todos os médicos, enfim... Todo mundo vai pro ar! Mas... Isso pode ser evitado, se você aceitar matar... (Aponto a arma pro Otávio me referindo ao mesmo)

Madelaine: ele não faria isso...

Gregório: você é muito inteligente, mas as vezes muito ingênua! Tem que parar de tentar ver o lado bom das pessoas... Ele matou o filho de vocês Madelaine, oque impede dele mandar todo mundo pro ar?

Madelaine: eu faço...

Gregório: isso... (Sorriu) as regras são o seguinte: não matou o Otávio, o hospital explode! Tentou atirar em mim, o hospital explode! Tentar fugir quando eu te soltar, o hospital...

Madelaine: Explode! É. Eu já entendi...

Gregório: pois bem! (Desamarro a mesma) entre na sala...

Madelaine: (respiro fundo e entro na sala)

Gregório: dá um tchauzinho, tá aparecendo nas televisões na cidade!

Madelaine: (não falo nada)

Gregório: (entro na sala) Cidadãos de Savannah? Irão testemunhar oque sempre souberam... Madelaine Andrews, não é a mocinha, mas sim. Uma vilã disfarçada! E irá tirar a vida de um homem inocente, para salvar a própria!

Madelaine: não é verdade!

Gregório: xixixixi... Apenas. Faça! (Entrego a arma pra ela)

Pov's Madelaine

Quando peguei a arma e apontei pra cabeça do Otávio, pude sentir meu coração gelar... Eu sou acostumada a atirar em coisas ou em criminosos, e só mato quando é preciso matar... Mas nesse caso, eu não acho certo. Mas é a vida dele, ou a de todas as pessoas naquele hospital...

Enfim, quando puxei o gatilho e respirei fundo coisas invadiram minha mente sem parar...

Madelaine: Quem é a pessoa que mais me ama na face da terra?

Miguel: Eu! (Falo sorridente)

Madelaine: e quem é a pessoa que mais te ama no mundo? (Sorriu)

Miguel: Tetê! (Sorriu fofo)

Madelaine: é, é você! (Sorriu)

Pov's Madelaine

Eu estava me vendo naquela sala... Era como se fosse real. Ou um programa meu do dia em que o Miguel morreu, ao ver aquela cena. Meu coração se tranquilizou, mas ao piscar duas vezes, a realidade voltou...

Logo vieram imagens claras na minha mente, do Miguel morto na minha frente... E logo em seguida do outro bebê de dois anos...

Então eu me desesperei, meu coração acelerou e eu atirei...

Gregório: Boa garota! (Sorriu)

_Na cidade_

Alfred: ela não está bem... Não está bem! (Falo preocupado olhando pra tv)

Daniel: claro que não está bem! Matou um cara bom...

Jonny: eu não apostaria nisso... Otávio era tão ruim quanto as pessoas que estão aterrorizando essa cidade. O que diferencia ele dos outros, é que ele sabe jogar...

Alfred: temos que fazer alguma coisa! Seja quem for que estiver por trás disso, vai mata-la! (Falo aflito)

Jonny: não podemos fazer nada... Apenas esperar que algo bom aconteça, ou que a sentença final da cidade seja marcada...

_Na casa que a Mad está_

Madelaine: pronto! Eu ja fiz... Mande o Richard voltar! (Falo nervosa limpando o sangue que espirrou no meu rosto)

Richard: voltar? (Falo entrando na sala) mas meu amor... Eu nem sai! (Riu)

Madelaine: oque? Como? (Pergunto sem entender)

Gregório: abalada e traumatizada demais pra ligar os pontos não é? Aquela imagem na chamada de vídeo era apenas uma foto na parede... Se estivesse menos estressada, teria notado isso. Mas como não está, acabou de matar um homem, em rede local... Te fazendo as pessoas te odiarem ainda mais do que já odeiam!

Madelaine: porque estão fazendo isso comigo? Porque não me matam logo de uma vez? (Pergunto com os olhos marejados)

Gregório: iremos fazer isso. Mas não aqui... Vamos. Temos hora marcada!

Pov's Madelaine

Eles me colocaram dentro do carro e me levaram até a praça central, me amarraram em uma estátua que ficava localizada no meio e várias pessoas apareceram no local...

Gregório: Olá cidadãos de Savannah. Lembram de mim? (Falo e todos me olham sem acreditar) Pra quem não lembra, eu sou o lider da gangue que foi pega e morta a 9 anos atrás... Estou aqui para lhes explicar o motivo dos sequestros, assassinados. E da nossa querida perita Andrews estar amarrada...

Richard: (parado do lado da Mad)

Gregório: então... Não fiz do que fiz sozinho... Pois é! Não joguem o crédito só pra mim! (Sorriu) meu amigo Richard, que por conhecidência é marido da perita, teve tanta culpa quanto euzinho aqui...

Eduardo: (me aproximo e observo de longe)

Gregório: eu queria me vingar pela minha família! Queria fazer vocês passarem, sentirem... E presenciarem a dor da perda! Cada um dos nomes nessa lista perdeu um filho. E isso doeu, não doeu? Pois bem... A parte de ser o filho de vocês foi escolhida pelo Richard, ele queria que sentissem oque a Mad sentiu quando perdeu o bebê dela. Mas sabe oque é mais irônico? Ele matou o próprio filho! Sabe oque é ainda mais irônico? Essa mulher, a mulher que vocês odeiam, a perfeitinha da cidade, a senhorita Andrews aqui. Não deu as costas e julgou vocês... Ela os ajudou. Bom... Não trouxe o filho de nenhum de vocês vivo, mas ela tentou! (Riu) injusto né? Mas esse é o mundo em que vivemos! Pessoas boas morrem. E pessoas ruins como vocês, ficam pra contar história! (Sorriu e puxo o gatilho) Eis que lhes dou o presente tão desejado. O banimento eterno da perita Andrews de Savannah!

Richard: não! (Pulo na frente da Mad) Prometeu não mata-la! Eu deveria ficar com ela pra sempre! Você me prometeu isso...

Gregório: e eu vou cumprir caro amigo, mais rápido do que você imagina! (Atiro na cabeça do mesmo)

Madelaine: (arregalo os olhos ao me assustar)

Jonny: temos que fazer alguma coisa... (Falo baixo pro Eduardo)

Eduardo: ninguém parece se importa... Deixe as coisas assim!

Gregório: Onde estávamos? Ah, sim! (Puxo o gatilho mais uma vez)

Pov's Madelaine

Assim que ele puxou o gatilho, ouvi a arma dispara...

Mas quando olhei pra mim não vi nenhum ferimento, daí ouvi mais umas três vezes o barulho da bala ecoar...

Logo as pessoas entraram em desespero e saíram do lugar. Provavelmente todos os tiros tinham cido pro ar... Então olhei pra frente. Onde estávamos apenas: eu, o Gregório... E alguém que costuma tentar me salvar...

Alfred: atira nela é eu estouro sua cara! (Falo ameaçador apontando a arma pra cabeça do mesmo)

Gregório: (sorriu sarcástico) eu não tenho medo de você Alfred. Não irá atirar...

Alfred: experimenta tentar...

Pov's Madelaine

Enquanto eles seguiam no jogo de palavras, senti as cordas que me amarravam afroxar.

Daniel: não faça movimentos bruscos... Continue no seu lugar... (Sussurro no ouvido dela, coloco uma arma na mão da mesma e saio de lá)

Gregório: porquê veio salvar a perita, Alfred? Acha mesmo que depois daqui ela vai te notar? Você é só o assistente de campo! Ela gosta de caras com grandes carros... Ou melhor. É preciso matar crianças, para ela se apaixonar! (Falo sarcasticamente)

Madelaine: Oh número 23?

Gregório: me chamou de que? (Olho pra ela sem perceber as cordas folgadas)

Madelaine: número 23, é isso que você é né? Porque você fazia parte da gangue. E eu prendi 22... Então o 3. É por sua conta!

Gregório: brincadeira antes de morrer? Te subestimei, perita! (Sorriu)

Madelaine: é subestimou, e jogou um jogo de azar...

Gregório: como assim?

Madelaine: número 3 é o meu número da sorte!

Gregório: e oque tem isso?

Madelaine: quando o 3 aparece na fileira de números, eu costumo ganhar! (Sorriu) sabe? Errou quando disse que pessoas boas morrem, e as más vivem pra contar!

Gregório: ah, é? Porque?

Madelaine: porque eu sou uma pessoa boa! E adivinha? Sairei viva pra contar história! (Coloco as mãos pra frente e rapidamente atiro nele)

Pov's Madelaine

Atirei no meio da cabeça dele. Mas na sequência, mais uns 4 tiros surgiram no lugar...

Quando me dei conta eu já estava no chão e pessoas estavam “em cima" de mim tentando me ajudar, até que tudo ficou preto, e eu não escutei mais nada...


Notas Finais


Ateeeeee


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...