1. Spirit Fanfics >
  2. Três Tiros >
  3. Eu amo você

História Três Tiros - Capítulo 5


Escrita por: e Karineg22


Notas do Autor


Boa leituraa

Capítulo 5 - Eu amo você


Cheguei com a Sakura no hospital ainda desacordada. Corri pelos corredores com ela nos meus braços, um dos médicos trouxe a maca e a levou, me pediu para que eu esperasse no corredor por notícias.

Se passaram mais de meia hora e nada.

Eu estava tremendo, nunca me senti assim antes, eu poderia perder ela ali mesmo e aquilo era surreal, nunca tinha passado por tal situação ou algo parecido antes. Fui arrancado de meus pensamentos pelo  barulho da porta se a minha frente se abrindo.

O médico vinha em minha direção carregando uma prancheta e seu rosto livre de expressões.

-E então, como ela está? - Perguntei me levantando rapidamente.

-Por sorte você trouxe ela a tempo. Mais alguns minutos e ela estaria morta agora, ainda bem que tínhamos o sangue compatível com o O dela. Daqui a pouco liberarei para que ela possa receber sua companhia.

Ouvi ele atentamente mil vezes mais aliviado.

-Tudo bem, obrigado doutor, por tudo.

O médico assentiu com a cabeça em positivo e voltou para a mesma porta que ele sairá antes. Esperei por mais 5 minutos e pude entrar para ver como ela estava.

Abri a porta em passos quase silenciosos e lá estava ela, detada, pálida, não estava dormindo, estava apenas com o rosto virado para janela do quarto. Olhei para ela, parecia tão indefesa ali, aparência doentia e com uma agulha enorme no braço. Parece que fiquei a encarando tempo de mais em silêncio, porque quando vi ela já olhava para mim com os olhos brilhando por lágrimas ameaçando chorar.

- Me desculpa, eu sou uma idiota, uma inútil, nem fazer uma coisa tão simples quanto me matar eu consigo. - Olhei para ela incrédulo por suas palavras e então caminhei até ela rapidamente a abraçando de forma que não a machucasse.

- Nunca, nunca mesmo, repita essas palavras, ouviu Sakura? - Disse me afastando limpando uma lágrima fujona que escorria por sua bochecha. Ela sorriu fraco me olhando intensamente com seus olhos esmeralda e por 1 segundo pude jurar ter visto um brilho vermelho em seu olho esquerdo, mas deixei isso para lá.

- Eu te amo. - Ela sussurrou como se fosse um segredo acariciando minhas bochechas com sua mão livre. Sorri para ela já prevendo o que ela falaria: " Você é o melhor amigo do mundo".

- Você já disse isso lembra? Eu sou o melhor amigo do mundo. - Me gabei sorrindo carinhoso.

Fiquei curioso quando quando a vi fechar os olhos sorrindo de canto e balançar a cabeça em negativa, já ia perguntar o que era quando a vi acenar para chegar mais perto, me controlei para não corar quando cheguei perigosamente perto do rosto, e então ela susurrou no meu ouvido com uma voz um pouco rouca.

- Eu te amo. - E então deu um selinho calido no canto da minha boca me deixando estático no lugar a olhando incrédulo. Vi ela sorrir sem dentes e virar a cabeça para o outro lado quando uma enfermeira entrou falando que precisavam fazer alguns exames nela, saí da sala totalmente desnorteado e confuso.

Depois que amanheceu Sakura se sentia melhor, o médico disse que ela precisava de mais repouso e outros cuidados.

Saímos em direção ao meu carro e antes de entrar a rosada me fez um pedido.

-Naruto, antes de irmos, você poderia ir a um lugar comigo primeiro? - Assenti em positivo. 

Tinha decidido não me agarrar a falsas esperanças por conta do dia anterior, Sakura poderia estar dopada de mais e acabou confundindo as coisas.

Entramos no carro e Sakura me indicou o caminho, segui por um bairro quase não abitado, era um dos mais antigos de Tóquio. Segui até o fim da rua até que chegamos em frente a um cemitério.

Descemos do carro sem trocar muitas palavras, querendo ou não eu ainda estava meio desconfortável na presença dela. Sakura percorria um caminho específico, parecia saber onde ir, já eu a seguia sem saber de nada.

-Foi aqui que eu vim ontem Naruto, estava visitando meu irmão Sasori, ontem completou 6 anos que ele morreu. - Parou em frente a uma lápide, falava calmamente e sem emoção.

Olhei pra ela com tristeza, ao mesmo tempo me sentia surpreso, Sakira tinha um irmão!? Mas e seus pais? Nunca encontrei com ninguém que fosse da sua família.

-Por isso ontem senti nojo de mim mesma ao pensar que enquanto estou tocando a minha vida agora, ele está morto, o pior é que na época eu não pude fazer simplesmente nada por ele, fui uma inútil.

Ela parecia tão indefesa, tão machucada, queria tanto poder curar suas feridas, a abraçar e falar que ficaria tudo bem e que eu sempre estaria aqui para ela.

-Eu lamento pela morte do seu irmão, mas não diga isso Sakura. Tem coisas das quais não temos o poder de mudar, talvez fosse o destino. - Desviei meu olhar para o céu que agora estava com grandes nuvens carregadas.

-Aceitar o destino talvez seja uma merda você não acha? Se fosse hoje eu poderia salvar ele... - Senti o peso na voz de Sakura, para ela me levar ali tinha sido um grande passo e provavelmente muito difícil para ela. - Asvezes eu chego a simples conclusão que o mundo é sim perfeito, o que o torna imundo são as pessoas, eles me fizeram isso. - Sakura encarava os pulsos cheios de faixas com ódio em seus olhos esmeraldas. - Eu tinha que escutar tudo, calada, enquanto as criancas brincavam, eu era a excluída, a aberração, como se não bastasse, em casa era pior, o olhares de nojo que eram direcionados a mim me faziam sentir um dor que até hoje não some. - Me aproximei dela mais um pouco com calma, ela parecia imersa em seu passado e nas dores que o mesmo carregava. - Eu também tinha sonhos, planos, mas caí em mim quando percebi que naquele mundo em que eu vivia a realidade insistia em me colocar no chão. Meu irmão chegou no seu limite e não aguentou mais viver daquela forma, foi aí que percebi que destino é a gente quem faz e não as pessoas ao nosso redor, a partir daí não espero nada dos outros, pois quanto mais você espera, eles te sugam tudo de bom que você tem, até você não ter utilidade e ser deixado de lado.

Ficamos em silêncio por um tempo, eu tentando assimilar a situação e suas palavras e ela olhando fixamente o túmulo com o nome "Sasori" escrito em linhas tortas na lápide.

- Você vai me deixar baka? - Ouvi sua voz entrecortada por causa das lágrimas que caiam sem parar, a abracei por trás com força como se ela fosse sumir a qualquer momento e sussurrei em seu ouvido.

- Jamais. - Vi ela tremer de leve com minhas palavras e alguns pelos da sua nuca arrepiarem, sorri de canto gostando de ser o causador daquilo.

Ela se virou na minha direção botando os braços ao redor do meu pescoço e coloquei meus braços em sua cintura. Ela chegou mais perto fazerndo sua respiração quente bater contra meu rosto e meu coração ir a mil.

- Eu te amo Naruto. - E então acabou com a distância entre nós selando nossos lábios em um beijo calmo e cheio de sentimentos.

Naquele momento eu me senti tão feliz que não cabia em mim, seu gosto era doce como imaginei, porém muito melhor do que nos sonhos, seus lábios eram macios e meu maior fetiche naquele momento foi mordicalos, suas mãos passeavam pelos meus fios loiros os bagunçando mais do que já eram. Nos afastamos a contragosto, por que seres humanos tinham que respirar mesmo?

- Eu te amo de mais pink. - Vi um sorriso que nunca tinha visto antes em seus lábios. Um sorriso que continha admiração e felicidade real, não como seus sorrisos vazios que dava a todos, me senti maravilhado ao saber que eu seu lado ela ficava tão feliz quanto eu ao seu.

- Você precisa descansar, avisei Sasuke sobre o que aconteceu e ele lhe deu 2 semanas de repouso e disse para mim ficar cuidando de você. - Disse a arrastando para o carro a vendo fazer um bico extremamente fofo, não me aguentei e dei um beijo curto neles mordiscando seus lábios.

Seu bico foi desfeito se transformando em um sorriso de canto.

- Posso dirigir? Quero te levar em um lugar. - Perguntou e assenti a dando as chaves vendo ela entrar no carro e dirigir por ruas de Tóquio que fui poucas vezes.

Sakura agora dirigia, estavamos em silêncio total, talvez ela quisesse desabafar sobre algumas coisas, e eu precisava estar ali, se perguntas e sem julgamentos.

Depois de alguns minutos paramos em lugar abandonado, descemos do carro.

-Aqui era minha casa,  eu creci aqui.

Olhei para cima onde tinha uma placa enferrujada onde pude perceber que era um orfanato, estremeci ao pensar o que ela poderia ter passado todos aqueles anos antes de nos conhecermos, sentir raiva em não poder estar por perto para ajudá-la a enfrentar tudo aquilo.

(...)

O tempo de descanso da pink havia acabado, depois de tudo o melhor era trabalhar para relaxar a cabeça. Chegamos a Sharingan, agora recebidos como qualquer outro.

Sasuke havia dado ordem que assim que chegássemos, teríamos que ir direto para sua sala para um nova missão. Bati na porta e entrei sem esperar resposta.

-Sasuke, você gostaria de conversar com a gente sobre a missão? - Ele me olhou surpreso.

-Dobe, como você mudou, resolveu até bater na minha porta. - Dei um risada baixa e Sasuke continuou. - Estamos a um passo de pegar Orochimaru, há dois lugares em que devemos investigar, por isso irei com Neiji, você - Apontou para mim - e alguns outros homens ao lugar onde é mais provável que ele possa estar, um galpão onde a gangue dele se encontrava recentemente e você Sakura irá para um acampamento subterrâneo onde Idate mantinha seus contatos com ele.

Não queria deixar Sakura ir sozinha, mas desrespeitar as ordens do Oyabun seria o mesmo que pedir a morte.

-Tudo bem Sasuke. - Fiz uma referência com a cabeça e Sakura fez o mesmo.

A rosada tinha saído antes de todos nós e eu estava preucupado por ela ter ido sozinha, sabia que era pouco provável Orochimaru estar lá mas mesmo assim não podia deixar de me preocupar.

Depois daquele dia nunca mais tocamos no assunto sobre aqueles beijos, confesso que fiquei chateado, talvez ela se arrependesse do que tinha feito.

Suspirei pegando uma metralhadora M4 e entrei no carro preto blindado com Sasuke e Neiji.

Mais 3 carros da gangue nos acompanhávamos pela rua e me senti mal novamente por te deixando Sakura ir sozinha.

- Estamos perto, se mantenham preparados e com o dedo no gatilho, atirem em qualquer coisa que se mecha ou repire. - Sasuke deu ordens como sempre, frio e autoritário.

Saímos do carro abaixados e pegando cover em árvores ou qualquer coisa que nos cobrisse até a cabeça ou impossibilitasse a visão de outros.

Entramos na mansão mal cuidada arrombando a porta. Nada.

- Sigam por ali, vocês venham comigo. - Sasuke sinalizou, uma parte foi para o andar de baixo e Sasuke, alguns homens e eu para o andar de cima.

- Nada! - Ouvi Neiji gritar lá de baixo.

- Nada aqui também! - Gritei para ele sentindo a ansiedade me tomar, se ele não está aqui...

- Reúnam todos os homens!! Eles não estão aqui de sim no acampamento subterrâneo que mandamos Sakura!! MECHAM-SE! - Sasuke deu ordens gritando e foi aí que entrei em completo desespero.

Lembrei da primeira missão de Sakura, ela matou 200 homens sem nenhum arranhão, porém a maioria era inexperiênte, agora era um caso diferente. Eram todos membros de altíssima patente e ainda por cima Kabuto, assasino profissional que fica 24h colado ao Orochimaru.

- Merda! - Xinguei enquanto estravamos no carro seguindo para o acampamento subterrâneo.

Saímos rápido dali, ela estava sozinha e concerteza Orochimaru estava esperando com toda sua gangue. Paramos eim frente ao acampamento subterrâneo, não havia ninguém lá fora então entramos.

Paramos no final das escadas vendo varios corpos jogados no caminho, olhei para frente vendo varios pedaços estilhaçados, como se estivessem sido rasgados e eu já imaginava pelo que.

Sasuke e Neiji estavam logo atrás de mim, ambos ficaram surpresos ao verem aquilo.

Tentava encontrar Sakura, até que vi um luz fraca logo na frente do corredor. Aumentamos mais os passos em direção a porta.

Já ia abrir a mesma, mais parei ao ver Sakura com Orochimaru, eles estavam em uma sala de tortura, porta de ferro e vidros blindados.

Tentamos abrir a porta de ferro porém estava trancada, ouvi Sasuke batendo do vidro.

- Saia daí agora Sakura! É uma ordem!! - Ele gritava mas ela parecia não ouvir, conversava tranquilamente com o merda do Orochimaru, tinha até mesmo um sorriso de canto, se falavam como velhos amigos, fiquei abismado com a cena.

- Mas que merda ela tá fazendo Naruto!? - Neiji perguntou confuso e irritado enquanto Sasuke se segurava para provavelmente não pensar em várias formas de matar Sakura.

- Eu não sei...- Falei quase susurrando olhando a cena sem saber o que fazer ou achar.

Vi quando Orochimaru olhou para o vidro dando um sorriso cínico em nossa direção, vi a rosada olhar na nossa direção de relance mas logo se virou para Orochimaru que se levantou da cadeira que estava sentado desviando o olhar de nós, sentia que ele me encarava especificamente.

Olhou nos olhos da Sakura e falou algo que não pude saber o que era, mas tinha certeza que seus lábios em algum momento tinham citado a palavra "loirinho querido", e foi nesse momento que Sakura desferiu um soco no rosto de Orochimaru que fez ele cambalear para trás caindo novamente na sua cadeira, vi a mesma o olhar como se pudesse ver sua alma, e então ela se virou para o vidro e sorriu carinhosamente para Neiji, Sasuke e eu.

Chegou perto do vidro ainda sorrindo, pensava que ela abriria a porta, mas diferente disso ela puxou uma cordinha e um pano preto caiu impossibilitando a visão, bati no vidro incansávelmente por vários minutos, mas não conseguia escutar nada, até que vi um objeto aparentemente cortante bater no vidro através do pano causando um pequeno arranhão, muito pequeno, porém com o barulho do metal se chocando ao vidro tanto eu quanto Sasuke e Neiji recuamos um pouco afoitos.

- O que aquela coisa rosa pensa que tá fazendo!? - Sasuke berrou já puto tacando sua automática no vidro causando um barulho incômodo, já ia mandar ele calar a boca quando ouvi a porta de metal sendo aberta e uma cena que provavelmente eu não esqueceria em pouco tempo.

Sakura abriu a porta coberta de sangue, suas roupas estavam manchadas por vermelho vivo, as faixas do braço totalmente tomadas por sangue juntamente com sua mão que parecia ter sigo afogada no mesmo.

Seu rosto era sereno e calmo, se fosse por suas feições diria que nada estaria errado, porém seu olho esquerdo estava manchado de sangue com formato de dedos, ela provavelmente usou a mão direita que estava com sangue para mecher no olho esquerdo. Passou por nós como se não existissimos e ninguém ousou parar ela.

Vi Neiji indo em direção a porta e a empurrando para ter uma visão da sala, não sabia o que tinha acontecido na sala, mas chutei que foi bem feio, tanto pelo sangue no corpo de Sakura, tanto porque depois de 10 segundos encarando a cena de olhos arregalados o de olhos perolados saiu correndo e vomitou no pé de uma escada. Por conta da porta aberta o cheiro de sangue invadiu minhas narinas, fui juntamente com Sasuke e meus olhos quase pularam fora da orbita quando vi.

Sangue para todo lado, uma massa de trapos de roupas rasgadas, sugeri que fosse Orochimaru porque era o único que estava aqui com Sakura, mas estava irreconhecível.

Sua barriga estava aberta, as tripas pulavam para fora, suas mãos e pés sem nenhum dedo se quer, seus olhos... Puta que pariu onde estavam seus olhos? Seu corpo era tomado de sangue e no mesmo canto que deveria ficar o coração estava aberto em uma ferida enorme e bruta, seu coração já não jazia lá.

Tum-tum

Tum-tum

Tum...

Tum.

...

Tive sair correndo da mesma forma que Neiji e vomitei não muito longe das escadas, com Sasuke não foi muito diferente.

Aquilo tinha sido o fim da picada.

O coração de Orochimaru estava em cima de uma mesa pequena, ainda batia fraco e fazia um barulho esquisito, os olhos dele estavam na mesma mesa com duas agulhas fincadas nele.

Estava incrédulo e acima de tudo assustado.

Por que Sakura-chan?

Por que é assim?

(...)

Ela saiu primeiro que todos nós, Sasuke e Neiji não fizeram mais perguntas, afinal eu estava sem cabeça para qualquer uma naquele momento.

Voltei para Sharingan para pegar minhas coisas, notei que Sakura não estava ali, provavelmente ela deveria ter ido para casa.

Entrei no meu carro, parei em frente a minha casa e desci.

Abri a porta e entrei, as luzes da casa estavam acesas dessa vez, subi as escadas na esperança de coversar com a Sakura.

Notei que a porta do quarto estava aberta então entrei.

Vi a luz do banheiro acesa, já ia me virar para sair mais parei ao perceber una fresta na porta e ver Sakura parada de frente ao espelho.

Cheguei mais perto e fiquei estático.

Ela estava de roupão se olhando no espelho, mas o que mais me chamou atenção foi que um de seus olhos era vermelho. Pegou um recipiente branco tirando de lá uma lente, a colocou no olho e suspirou olhando mais um vez no espelho.

Desci as escadas quase que em câmera lenta, então aquele era seu segredo?

Sentei no sofá tentando digerir tudo que aconteceu naquele dia.

Sakura tinha heterocromia, um olho com uma cor diferente do outro, conheci algumas pessoas assim, muito poucas, mas já. Agora alguém com olho vermelho? Nunca.

Agora entendia o porquê de Suigetsu chama-la de aberração daquele jeito.

Entendia ela falando sobre padrões.

Eu entendia agora.

Subi para o meu quarto e tomei um banho refrescante deixando a água levar por um momento, mesmo tão pequeno, todas minhas preucupações embora.

Vesti calmamente uma calça moletom e uma regata preta apenas, segui a passos lentos e calmos em direção ao quarto da Sakura. Abri a porta sem me importar em bater, vendo que ela estava sentada na cama olhando para o nada, assim que entrei vi sua face meio suspresa, mas ela botou um sorriso no rosto e me olhou gentil.

- Eu já vou descer pra jantar, pode ir indo. - Mas fingi que não ouvi suas palavras sem emoção porém tão bem ensaiadas, fingi não ver seu sorriso aparentemente feliz porém cheio de tristeza e sofrimento tão bem disfarçadas, fingi não ver seu olhar tão carinhoso porém cheio de tortura e dor bem escondidas.

- Naruto? - Ela me olhou confusa e apenas fui em sua direção a abraçando sentindo seus músculos ficarem meio tensos, mas logo depois relaxarem, minha respiração batia em seu pescoço, botei minha mão em seu cabelo fazendo carinho em seus fios lá espalhados.

- Eu tô aqui, eu sempre vou estar aqui, não precisa ter medo, eu não vou te abandonar, eu te amo. - Susurrei no seu ouvido sentindo seu corpo tremer de leve.

- V-você viu não foi?...- Pela primeira vez na minha vida vi Sakura com medo. Antes eu daria minha BMW para presenciar esse momento, mas agora não me parece uma ideia muito legal. Assenti de leve e vi seus braços finos enlaçarem meu pescoço dando, não me permitir ter tempo para ficar surpreso, apenas a abracei de volta.

- Eu te amo tanto, tanto Naruto. - Falou fazendo meu coração se aquecer, mas não tanto quanto meu corpo quando seus lábios macios encontrarem os meus em um beijo afoito.

Me surpreendi ao ver a rosada se aproximar de mim me dando um beijo, de início fiquei parado, mais logo segui seus movimentos junto a minha boca.

Caralho, ela poderia pensar que sou um tarado, mas ela realmente me fazia sentir coisas surreais, aquele simples beijo me fez ficar de pau duro em menos de três minutos.

Talvez eu estivesse louco, peguei na cintura da rosada e a levantei ate a minha cintura, a mesma enlacou suas pernas em volta de mim.

Agora nos beijamos com necessidade, desejo.

Ela segurava meus cabelos já bagunçados, dei alguns passos em direção a cama e a coloquei deitada lá.

Tirei minha camisa e minha calça ficando apenas de cueca.

Cheguei perto dela retirando sua blusa em movimentos cuidadosos, vi inúmeras cicatrizes de cortes por toda suas costas, estranhei, mas deixei aqui para lá, nada podia estragar aquele momento, já ela me olhava agora com um olhar sexy.

Tirei sua calça deixando ela apenas de calcinha e sutiã.

Me surpreendi ao ver ela me virando e ficando em cima de mim.

Agora era eu quem observava os movimentos da rosada.

Ela desceu sua mão até minha cueca e apertou meu membro por fora da mesma, gemi contido. A rosada retirou minha cueca com agilidade jogando a mesma em qualquer canto do quarto. Pegou meu membro com suas mãos pequenas e começou a o estimular me deixando incrivelmente mais duro do que já estava. 

Por um momento Sakura parou por completo todos os movimentos, a olhei vendo a mesma dar um sorriso safado. Deu pequenos beijos por toda a região do meu maxilar descendo cada vez mais pelo pescoço e tronco. Não aguentei e peguei seus seios medianos e macios em minhas mãos grandes. Brincava com eles acariciando seu bico rígido mas parei por um momento quando senti Sakura segurando novamente meu pau em sua mão, mas dessa vez o botou quase por completo com sua boca.

Juro que por um minuto sai da órbita da terra, a boca dela era quente e me engolia por inteiro, descia e subia com a boca no meu pau, aquela visão era do cassete. Quando a mesma aumentou o ritmo dos movimentos não aguentei e gozei violentamente em sua boca. Peguei nos cabelos da mesma, fazendo seu rosto se virar para o meu.

-Sua boca é gostosa para caralho, mas agora eu quero te fuder até você não conseguir andar amanhã.

Me levantei arrancando a calcinha da rosada e colocando ela de quatro na minha frente. Enchi minhas mãos com suas nádegas fartas a ouvindo gemer baixo. Dei um tapa estalado em sua bunda vendo ela arquear as costas e dar um gemido mais alto. 

- Gosta disso não é? Que menina mais safada. - Dei mais um tapa dessa vez muito mais forte deixando a marca de minha mão ali.

Percebi que ela se virou para me olhar, um olhar sacana apreceu no rosto da rosada, estava me provocando e eu claramente não deixaria aquilo barato. Delizei minha destra até encontrar sua boceta extremamente molhada, gruni satisfeito e então enfiei um dedo em sua intimidade e comecei a estocar o mesmo. Escutei ela dar um gemido alto, então coloquei mais um dedo, movimentando os dois com maestria.

- Naruto, me fode logo... - Pediu manhosa e eu nunca poderia negar tal pedido. Tirei meus dedos melados de dentro dela e botei na boca sentindo seu gosto.

Me inclinei um pouco pegando um pequeno pacote prateado do criado mudo, rasguei e botei a camisinha com maestria.

Segurei na cintura da mesma e enfiei sem aviso prévio e com força. A rosada deu um gritinho que soou extremamente erótico aos meus ouvidos. Comecei a me movimentar tirando meu pau quase que totalmente e enfiando novamente apenas para saborear a sensação dela me engolindo por completo. A partir de um momento comecei a me mover rápido e com força grunindo de prazer.

-Naruto, não para, eu vou gozar-

Peguei no cabelo da rosada puxando com um pouco mais de força, meti mais forte e fundo ambos gozamos juntos.

Sai de dentro dela e me segurei para não cair por cima do seu corpo.

Ela se aconchegou na cama me olhando corada e sorrindo.

-Idiota, não fica me olhando assim, até parece que nunca transou.

Eu quis rir, mais me deitei ao seu lado na cama.

-Realmente eu nunca tinha transado com alguém dessa forma, você é cheia de mistérios pink.

Cheguei mais perto dela e dei um beijo na sua testa.

-Talvez se você fosse como as outras, eu não estaria tão apaixonado por você.

Vi ela dar um sorriso baixo e me abraçar, ambos estavamos cansados e acabamos apagando ali.


Notas Finais


Essa foi apagar o fogo de vocês KKKKK
Até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...