1. Spirit Fanfics >
  2. Triangulo amoroso >
  3. Capítulo IV

História Triangulo amoroso - Capítulo 4


Escrita por: Anne_Shirley_Cuthbert

Capítulo 4 - Capítulo IV


Nada, absolutamente nada, tinha mensagens e chamadas perdidas de pessoas da minha família que eu não pretendia responder e nem retornar as ligações, mensagens do grupo da escola, mas nenhuma mensagem dele. Desanimado, observei o celular até a tela escurecer e fechar e o coloquei na mesa novamente. Subi as escadas degrau por degrau e entrei no banheiro tomando um banho gelado para despertar e vestido meu uniforme da lanchonete.
O que eu esperava? Um motoboy gato que me dá o seu número de telefone e te responde como se já te conhecesse a décadas, daria uma ótima fanfic seu eu ao menos gostasse de ler, quer dizer, eu leio mas não é o meu passatempo favorito.
Calcei meu fieis tênis e saí de casa sem esquecer de pôr o celular no bolso da calça, já na rua levei minha atenção para o céu, ele estava numa cor acinzentada, as nuvens se juntavam fazendo uma espécie de barreira escondendo o sol e seu brilho. Estávamos em época de chuva, eu particularmente gosto, é uma desculpa para me enrolar em minha capa protetora e quentinha (mais conhecida como cobertor) e tomar uma boa xícara de chocolate quente com biscoitos e assistir algum filme que esteja passando na Tv, normalmente são os mesmos de sempre, como estamos nos aproximando do Natal então provavelmente irá passar "Esqueceram de mim", "O Grinch", "Os fantasmas de Scrooge", enfim, filmes clássicos que marcaram a infância de qualquer um.
O caminho até a lanchonete foi tranquilo, coloquei minhas mãos no bolso do moletom, a fim de poder me esquentar um pouco e segui meu caminho calmamente sem muita pressa.
Quando finalmente cheguei na frente da lanchonete percebi que ela já estava bem movimentada. Corri para dentro do estabelecimento, Allen estava servindo as mesas e anotando os pedidos com a ajuda de Tim, o outro funcionário da lanchonete, e enquanto isso Judy cozinhava e atendia os telefonemas, estava uma loucura, todas as mesas estavam cheias e vi algumas pessoas do lado de fora esperando para entrar, corri e tirei o casaco e coloquei meu avental e assumi no lugar de Allen para que ele pudesse cuidar do caixa e do telefone para que Judy pudesse focar em suas deliciosas comidas, era quase uma tortura ter que segurar a bandeja com tanta comida cheirosa de dar água na boca e não poder comer nem mesmo um pedacinho.


-Atrasou hoje de novo, anão de jardim!


Falou Tim quando passou por mim com uma bandeja, rindo. Por algum motivo ele não vai muito com minha cara ou talvez apenas goste de caçoar dela, eu sinceramente não ligo muito para ele, apenas tiro por menos e continuo meu trabalho, mas às vezes ele consegue ser mais chato do que o normal, tipo semana passada quando ele derramou ketchup "sem querer" na minha roupa quando estava pronto para ir para casa depois do expediente, e não foi pouco, foi literalmente uma grande quantidade que até mesmo caiu no chão, nos meus tênis e salpicou em meu rosto, por sorte Judy e Allen moram em cima do restaurante então Judy me arrastou literalmente para o andar de cima e me fez tomar um banho enquanto ela pegava uma camiseta de Allen, no fim voltei para casa com uma camisa do "Piper Pump", enquanto eu torço e sempre torci para o "blue devil" (o time rival), mas acabei aceitando já que não tinha escolha, pude ver Tim rindo da minha cara ao me ver descer e Allen rindo junto com ele, que maravilha. Tim é mais ou menos da minha idade, tem o cabelo bem liso e preto com mechas verde escuro, mas que não é possível ver por baixo da rede de cabelo que ele usa exatamente para isso no trabalho, ele é extremamente alto, acho que 1.80 no mínimo, a pele extremamente branca como papel, é possível ver com clareza as veias azuladas em suas mãos e braços, seus olhos são castanhos, apenas castanhos, nem tão escuros e nem tão claros, seu rosto esbanja um ar de tranquilidade e um sorriso fácil.
Custou algumas horas para que o movimento diminuísse, pudemos finalmente nos sentar e descansar um pouco. Sem esperar, Judy apareceu dois pratos com sua deliciosa sopa de carne e legumes e colocou na mesinha nos fundos onde eu e Tim estávamos sentados.


-comam, os dois estão muito magros, tenho até medo de ficarem tão fracos e não conseguirem nem mesmo levantar as bandejas


Falou Judy brincalhona e bagunçou nossos cabelos, ela é uma mãezona para qualquer um que conquiste sua amizade.
Não perdi tempo e logo peguei uma colher e comecei a comer, saboreando cada colherada, Allen passou para a cozinha e abraçou Judy por trás, ela pareceu se assustar e deu um tapinha nele e então riram, o casamento deles é como um modelo que eu gostaria de seguir um dia, Allen é um homem grandão, mas sempre preza pelo bem estar de sua família, e muito carinhoso com Judy. Judy é uma mulher brincalhona, sempre tira sorrisos de todos sem dificuldade, principalmente de Allen, ela diz que quando ela era pequena sonhava em um príncipe encantado que viesse pedir sua mão em casamento em um cavalo branco como nos contos de fada, mas no caso dela o príncipe apareceu de moto "Vespa" e cabelo de John Travolta em "Grease", mas com um sorriso tão "charmoso" que na hora ela soube que era com ele que ela queria se casar. Allen vendeu a moto para comprar as alianças de casamento um ano depois, Judy diz que ele era apaixonado por aquela moto, bem, de acordo com Allen "não tanto quanto eu sou apaixonado por você, não me arrependo, venderia de novo".
Nem percebi que já tinha terminado de comer, fui acordado dos meus pensamentos com as gêmeas descendo as escadas rindo, cada uma com uma boneca em mãos. As gêmeas tem 7 anos e são muito espertas e bonitas, tem os cabelos ruivos da mãe e os olhos negros do pai, elas são idênticas na aparência, se não fosse uma pequena pinta que Anna tem em sua bochecha eu acho que ninguém conseguiria diferenciar... quer dizer, Judy com certeza sim, mães sempre conhecem bem seus filhos, mesmo que eles sejam extremamente parecidos um com o outro, e de qualquer forma a personalidade das suas são bem distintas, a Anne é muito calma como o pai, já Anna tem a personalidade energética da mãe, mas no fim as duas se entendem bem, claro mesmo com uma pequena briga aqui ou ali, coisa de irmãos.
Tomo um leve susto quando sinto meu celular vibrar no bolso, suspiro pesadamente imaginando ser alguma mensagem da minha mãe, pego o celular e quase caio para trás, Andrew havia me respondido finalmente.
Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...