1. Spirit Fanfics >
  2. Trilha do destino >
  3. Tiro

História Trilha do destino - Capítulo 44


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura amores ❤️

Capítulo 44 - Tiro


Pov Camila

Assim que chegamos em casa senti o cheiro gostoso que vinha da cozinha, caminhei até lá e percebi que minha mãe fazia uma macarronada maravilhosa ela deu um leve sorriso ao perceber minha presença e da Lauren.

- Como foi a aula?- Ela perguntou sorridente.

- Foi até legal.- Sorri me sentando.

- Ela até dançou com as líderes.- Lauren falou sorridente se sentando do meu lado, não que eu esteja reclamando nem nada mais a Lauren está 24h grudada em mim, sei que ela se preocupa comigo mais está me sufocando um pouco.

- A comida já está pronta.- Minha mãe falou sorrindo, me levantei pra colocar pra mim.

- eu coloco pra você.- Lauren passou na minha frente sorrindo.

- Acho que eu consigo colocar minha própria comida.- Murmurei.

- Eu faço questão.- Ela falou pegando um prato e indo até o fogão, me sentei um pouco com raiva eu não sou uma pessoa que não consegue se mover ou algo do tipo eu não posso nem colocar minha própria comida?- Aqui meu amor.- Ela falou carinhosa colocando a comida na minha frente.

- Obrigada.- Sorri e comecei a comer.

- Eu amo macarrão.- Shawn chegou todo sorridente e esfomeado, foi direto pro fogão e encheu o prato

- Prato de peão.- Lauren falou rindo, ela e meu irmão começaram a ter uma relação muito próxima ultimamente. O almoço estava tranquilo até que o bendito do meu nariz começou a sangrar, só pra me fazer parecer mais dependente de todo mundo.- Vou buscar papel.- Lauren falou afobada e sem rumo, ela estava estranha.- Aqui.- Ela se abaixou na minha frente e passou o papel higiênico no meu nariz.- Agora levanta a cabeça um pouco pra trás.- Ela falou e eu bufei mais fiz, depois de alguns minutos meu nariz parou de sangrar.

- Vou pro meu quarto.- Falei me levantando e Lauren veio atrás de mim, ok eu sei que ela está passando por várias coisas comigo mais eu acho que está demais.- fecha a porta.- Falei séria e ela fechou, me deitei e ela também deitou.

- Você tá bem meu anjo?- Ela falou apoiando o queixo na minha barriga.

- Sinceramente não.- Murmurei.

- Porque?- Ela me olhou um pouco confusa.

- Você está me sufocando.- Falei olhando fixamente pra algo aleatório.

- Porque?- Ela me olhou confusa.

- Você está em cima de mim, literalmente.- Fui um pouco grossa e ela se sentou.

- Desculpa.- Ela falou baixinho.

- Não Precisa pedir desculpas.- Falei me sentando também.- Eu acho que preciso dormir.

- Você deve tá cansada né .- Ela fez um leve carinho no meu rosto, mais eu me virei.

- Eu preciso de um tempo pra mim.- Falei grossa novamente.- Eu quero dormir sozinha, quero respirar sozinha, será que pode me deixar sozinha?

- E-eu.- Ela se levantou um pouco sem jeito.- Claro, amanhã a gente se fala.

- Que horas seu pai vai buscar a gente?- Falei me lembrando que amanhã ele levaria eu, Lauren e Verônica pra caçar.

- As 8:00.- Ela falou sem graça e saiu, sem se despedir de mim. Peguei uma coberta e me encolhi na cama...

[....]

- Camila?- Senti alguém balançando meu corpo.

- Hmm.- Resmunguei.

- São 7:00 da manhã.- Minha mãe falou carinhosa.

- Eu dormi a tarde e a noite toda?- Abri os olhos assustada com a quantidade de tempo.

- Sim, sua dorminhoca.- Minha mãe sorriu.- O pai da Lauren vai vim daqui a pouco.

- Eu sei.- Falei respirando fundo e me sentando, minha mãe saiu do quarto e eu me levantei pra trocar de roupa, fiz todos as higienes pessoais e decidi conferir meu celular não havia nenhuma mensagem ou ligação da Lauren, ok acho que tem alguém brava comigo. Depois de alguns minutos escutei a buzina do carro do Mike e desci.

- Cuida da minha menina.- Minha mãe gritou toda sorridente pro Mike.

- Pode deixar.- Ele sorriu de volta, Lauren estava sentada de cara fechada no banco do carona e Verônica sentada atrás.

- Bom diia.- Verônica falou sorrindo ao me ver entrando no carro.

- Bom dia.- Sorri de volta, o caminho todo o pai da Lauren ficou contando casos engraçados, Verônica sorria e a Lauren continuava com mesma cara emburrada. Depois de uma hora e mais chegamos no tal lugar, era uma mata fechada porém Mike conhecia muito bem e guiou a gente até um lugar que tinha uma bela cachoeira.

- Eu vou colocar as latas lá do outro lado.- Ele apontou pro outro lado da cachoeira.- E aí a gente começa a atirar.

- Ok.- Concordamos e Mike pulou na água e começou a atravessar pro outro lado.

- Vai ficar me ignorando?- Olhei pra Lauren e ela não falou nada.- Eu tô falando com você 

- Não vou invadir espaços aqui.- Ela falou raivosa.- ME ESPERA PAI.- Ela arrancou a blusa ficando só de toper e short, pulou na água e foi ao encontro do pai.

- MUITO MADURO.- Gritei mais ela nem me deu crédito.

- Brigas de casal.- Verônica sorriu sentando em uma pedra.- É fofo.

- Ela não é fofa com raiva.- Falei me sentando do lado dela, Verônica observava a paisagem atenta.- Acho que está chegando minha hora.- Falei e ela me olhou assustada.

- Como assim?- Ela arregalou os olhos.

- Minha hora sabe.- Passei o dedo no pescoço indicando morte.

- Para de besteira.- Ela falou um pouco nervosa.

- Eu sinto sabe.- Resmunguei.- Preciso que você me faça uma promessa.- Falei e ela me observou atenta.- Quando eu não estiver mais aqui promete cuidar da Lauren?

- Para com esse assunto bobo.- Ela falou revirando os olhos.

- Me Promete?- eu insisti.

- Ok.- Ela sorriu sem jeito.- Eu Prometo.

- Obrigada.- Sussurrei perdendo que Mike já estava voltando.- Ela não vai vim?- perguntei pra ele vendo que a Lauren tinha ficado do outro lado.

- Ela disse que vai arrumar as latas.- Ele deu os ombros.- Aqui - Ele pegou uma pistola.- As balas são de borracha porque não confio em nenhuma de vocês.- Ele riu.- Então você faz assim Camila.- Ele falou apontando a pistola pra lata.- Mira.- ele se posicionou.- Atira.- Ele falou dando um único tiro e derrubando a lata.

- AEEE CARALHO.- Lauren gritou do outro lado pegando a latinha e levantando ela pra mostrar o furo.

- Minha vez.- Verônica falou rindo e se posicionando.- Mira.- Ela olhou atenta.- Atira.- Ela riu de lado e acertou em cheio a lata.- EU AINDA SOU BOA NISSO LAUR.- ela gritou e a Lauren ergue o braço sorrindo.

- Sua vez.- Verônica colocou a arma na minha mão.

- Ok.- Mike se aproximou.- Você olha bem pro alvo, depois posiciona a arma.- Ele tocou na arma me dando uma direção.- Mira.- Eu respirei fundo.- atira.

- Em cheio.- Verônica sorriu vendo que eu acertei a lata do meio.

- Não foi tão difícil.- Mike sorriu.

- EU CONSEGUI.- gritei pra Lauren mais ela me ignorou.

- Então é com você que ela está brava.- Mike riu.- Passou o dia todo ontem bufando e xingando geral.

- Ela me estressa.- Resmunguei.

- Porque você não tenta Sozinha?- Verônica Sorriu gentilmente.

- Boa ideia.- Falei apontando a pistola pra latinha.- Mira.- Foquei minha atenção.- Atira.- Apertei o gatilho na força do ódio.

- PORRA.- escutei o grito.

- Manooo.- Verônica disparou a rir e o Mike pulou na água rapidamente.- Você acertou ela.- Ela soltava altas gargalhadas.- É assim que você termina uma briga?

- Merda merda.- Falei preocupada.

- Relaxa.- Verônica sentou no chão rindo.- Só vai deixar roxo.- Ela não parava de rir.- Melhor método de parar uma briga, mate a namorada.

- Ela vai me matarrr.- Falei fazendo birra e olhando o Mike conversar com ela, ela estava deitada no chão.

- ELA TA VIVA.- Mike gritou rindo.

Pov Lauren

- Caralho isso dói.- Falei sentindo uma dor enorme na mão.

- Podia ter sido pior.- Meu pai riu.- Podia ter pegado bem no meio.

- Não tem graça.- Resmunguei sentindo muita dor, a bala de borracha pegou em cheio na minha mão.

- Levanta daí.- Ele me tirou do chão.- Sobe.- Ele falou indicando pra eu subir nas costas dele, ele entrou na água e atravessou o lago comigo.

- Lo eu...- Camila começou a falar mais eu ignorei, eu estou puro ódio, EU DEDIQUEI TUDO DE MIM DEDIQUEI 110% DE TUDO QUE PODIA PRA FICAR PERTO DELA, PRA CUIDAR DELA E ELA VEM COM " VOCÊ ESTÁ ME SUFOCANDO". Caminhei rapidamente até o carro e entrei.

- Tem gelo por aqui.- Meu pai falou abrindo a caixa térmica.- Coloca isso até chegarmos no hospital.- Todos entramos no carro, foi uma tortura colocar gelo nesse machucado não pensei que levar um tiro de borracha doeria tanto, meu pai dirigiu com muita velocidade porque percebeu que estava doendo muito, chegamos no hospital e eu fui direto pra sala da minha mãe.

- Oi filha.- Ela me olhou curiosa e eu estiquei a mão.- Meu Deus que isso.- Ela me olhou assustada.- Senta ali.- Ela falou apontando pra maca e eu me sentei.- o que aconteceu?

- Levei um tiro de borracha.- Falei séria.

- Sempre soube que isso daria merda.- Ela sorriu.- Vai arder um pouco.- Ela falou passando soro fisiológico na minha mão, não pude evitar tentar puxar a mão porque realmente ardeu muito.- Vou limpar com cuidado..- Ela falou toda delicada, na minha memória se passou todas as lembranças que eu tinha com ela... Todas as vezes que eu caí e ela me ajudou a levantar... Sinto falta da minha mãe... Daquela que cuidava de mim e não tentava fuder minha vida..- Vou colocar uma faixa porque feriu, você vai ter que lavar com soro durante uma semana.

- Isso vai ficar roxo.- Resmunguei.

- Mais vai voltar ao normal.- Ela sorriu.- Tem soro na casa do seu pai?

- Acho que não.- Falei sem jeito.

- Aqui.- Ela pegou quatro vidrinhos.-  Pode levar.

- Obrigada.- Sorri sem jeito.

- Precisando.- Ela me olhou e eu saí, meu pai já havia deixado as meninas em suas respectivas casas meu celular estava vibrando de segundo em segundo com mensagens da Camila mais agora eu estou muito puta pra responder.


Notas Finais


Um pouco de comédia pra gente antes de tudo virar lágrimas ksksks
Boa noite ❤️
Amo vocês ❤️
Favoritem e comentem ❤️
O cap do trabalho está pronto gente 🤧
Teve um capítulo atrás que eu escrevi "Meu pau" ao invés de "Meu pai" kkkk gente como vocês me deixaram passar essa vergonha????


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...