História Triple - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Cosmic Girls (WJSN)
Tags Bonlu, Hyunlu, Lesbian, Seolbo, Wjsn, Yuri
Visualizações 32
Palavras 2.700
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, LGBT, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


aqui tô eu de novo...

Capítulo 4 - Juntas.


BONA POV 


Luda parecia adorável naquele vestido, sempre que íamos em eventos separadas tentávamos ir ainda mais impecável que o normal, afinal, seria apenas uma representando todo o grupo. 


─ Vai ficar tudo bem. Você é divertida. - eu disse tentando lhe manter calma. Logo o carro iria vir lhe buscar. 


Ainda estávamos um pouco estranha uma com a outra mas eu não poderia deixar de lhe apoiar. Apesar daquilo tudo ainda éramos amigas e companheiras de grupo. Seria infantilidade não se falar, além de que, era só o tempo pra se acostumar com o que tínhamos conversado. 


─ É o que eu espero. Obrigada Jiyeon. 


Ganhei um selinho rápido nos lábios, o suficiente pra me deixar com vontade de sorrir, mas me contive. Não demorou muito para Exy entrar no quarto avisando que o carro já tinha chegado. 


─ Tenha um bom dia. - disse por fim lhe vendo deixar o quarto. Aquele cômodo era engraçado, tinha exatamente sua casa já que meiqi nunca tava ali pra deixar um pouquinho diferente. 


Eu podia observar cada cantinho dali e ver a gente, o que pra mim era incrível. Talvez eu só devesse aceitar de vez que gostava daquilo, sem medo algum. Um relacionamento estável não parecia algo tão ruim assim? Parecia?


Entre todos esses pensamentos apenas suspirei deixando o local, quase todas ainda dormiam e tinha certeza que Hyunjung também mas seria o único momento que teria para conversar com ela sem as outras no nosso pé.  


Andei até a porta do seu quarto e bati três vezes antes de abri-la. Como esperado Soobin e Seola dormiam igual anjinhos. Andei com todo cuidado do mundo até a cama de Hyunjung e sentei no cantinho, era incrível como ela só conseguia ficar mais bonita a cada dia que passava. 


Seu rosto era sereno, a respiração tão calma que me dava inveja. Queria poder deitar ali, me aconchegar no seu corpo e dormir o resto do dia.  Lembro que tinha momentos em que fazíamos isso no passado, eunseo de forma divertida sempre vinha se deitar entre nós duas. Deixei uma leve risadinha escapar.


─ Jiyeon. - ouvi sua voz me chamar e quase me espantei ao ponto de levantar de forma exagerada, mas sua mão tratou de segurar o meu braço o mais rápido possível. 


─ Desculpa, eu… eu só iria te acordar, mas me distrai. - eu literalmente tinha sido pega ali. Olhei pra sua mão no meu braço e logo ela entendeu, me deixando. 


─ Tudo bem, eu dormi o suficiente. Você está precisando de algo? Não me diga que veio me pedir pra fazer café pra você. 


Sua voz era divertida. Essa era uma boa história. Talvez eu conte em outro momento. 


─ Não. - lhe respondi rindo. ─ Eu quero conversar com você, a sós. 


Senti ela ficar nervosa imediatamente, eu simplesmente amava como, ao contrário de Luda que eu tinha que tentar ler constantemente, Hyunjung era completamente transparente sobre o que sentia.  


─ Tudo bem, me dê apenas alguns minutos. Preciso lavar o rosto. 


Assenti lhe direcionando um sorriso compreensível, me levantei de verdade dessa vez.


─ Eu vou usar o computador da Luda pra fazer umas compras online então você pode ir lá quando tiver pronta. 


Observei que ela assentiu e logo após coçou os olhos de forma preguiçosa. Me virei e ri do quão adorável aquilo era.  


Era óbvio que o lance sobre as compras online era uma mentira, estava ali apenas por ser o único local da casa que estava vazio. No caminho até ele percebi que Exy já havia voltado a se deixar, perfeito. Quanto mais tranquilidade melhor.  


Deitei na cama de Luda e fiquei a encarar o teto, tinha muitas coisas em minha cabeça mas a principal era… o que eu ia fazer ? Simplesmente perguntar se ela queria entrar em um relacionamento a três com nós duas ? 


FLASHBACK ON: 


─ Pode admitir, você prefere ela mil vezes. - disse pela décima vez olhando pro rosto de Luda, que revirou os olhos. 


─ E se eu preferir ? Você não ia se importar não é? Não é como se você se esforçasse pra eu só pensar em você. Na verdade, é exatamente o que você NÃO FAZ. - sua voz se alterou um pouco no final. 


Eu não poderia discordar, meu medo de relacionamentos sempre me fez querer demonstrar menos possível. Eu sabia que ela queria que fosse diferente.


─ Você não precisa se prender a mim. - disse por fim, desistindo da ideia de reclamar se algo. 


─ Você sempre faz isso, fica com ciúmes e quando eu mostro as coisas que faz finge que nada aconteceu. 


Baixei a cabeça sabendo que era verdade, eu me sentia mal por conta daquilo mas o que eu poderia fazer? É assim que eu sou. 


─ Desculpa, eu só… Eu tenho noção das coisas que eu faço, e eu não quero te prender em mim. Você pode ficar com quem quiser. 


─ Isso tá longe do que eu queria ouvir mas tudo bem, talvez eu não possa esperar mais que isso. - eu não disse nada. ─ Você pode fazer o mesmo então.  


FLASHBACK OFF.


sim, quando eu disse que entramos em acordo sobre aquilo foi exatamente dessa forma conturbada. Mas algo mudou, eu sei que elas dormiram juntas, isso me deixou com tantos ciúmes que eu sequer consegui lidar na noite passada, estava ciente de tudo que rolava entre nós três; sentimentos e etc, e estava disposta a mostrar pra Luda que eu poderia deixar de fugir alguma vez na minha vida. 


A porta foi aberta e uma Seola completamente acordada entrou, pelo visto seja lá o que ela tenha feito funcionou pra acordar. Percebi que sequer tinha ligado o computador e foi a primeira coisa que ela notou. 


─ Pensei que ia ficar fazendo compras online. 


─ Eu acabei me distraindo pensando, nem deu tempo de ligar. 


Ela riu, o que me fez rir também. Ficamos em silêncio por um tempo, até ela suspirar e fechar a porta que até agora estava aberta. Observei a garota sentar do meu lado fazendo exatamente o que eu fazia a alguns minutos atrás quando passou a observar meu rosto. 


─ Você ficou magoada comigo? - foi o que ela perguntou. 


Aquela era a Hyunjung que eu conhecia, sempre se preocupando com os sentimentos dos outros. Incrivelmente ela não precisava me explicar pra saber do que se tratava.  


─ Não fiquei, Luda ficou feliz e creio que você também. - suas bochechas ficaram vermelhas e ela desviou o olhar na mesma hora. Adorável. ─ Sabe porque eu não me incomodo ? 


Minha pergunta lhe pegou de surpresa, ela voltou a me encarar e balançou a cabeça negativamente. 


─ Apenas porque foi você. Acho que eu e Luda já entramos em acordo sobre nenhuma de nós resistirmos a você. 


Se seu rosto estava vermelho antes nesse momento seus lábios perdiam completamente para o tom das bochechas. Era meio estranho falar aquilo, eu nunca tinha admitido aquilo sobre mim em voz alta pra ela. Levantei da cama indo até a porta, não se comete um erro duas vezes se você for inteligente. Quando eu girei a chave podia jurar que Hyunjung até engoliu em seco. Deixei uma risada soprada escapar e voltei a ficar do seu lado, dessa vez sentada. 


─ Faz quanto tempo que não nos beijamos? - perguntei encarando seus lábios cheinhos. Eram lindos. 


Seus olhos dançavam pelo meu rosto, como se fosse incrível me olhar tão de perto. Eu gostava dessa sensação.  


─ Anos. - foi a única coisa que ela me respondeu e bem, ela não estava errada. Eu amava o beijo de Luda e sentia a falta do de Hyunjung.  


─ Eu posso te beijar agora? - perguntei tateando o colchão até chegar na sua mão que descansava sobre ele. Como era de costume. Mãos dadas, frio na barriga.  


Por incrível que pareça, eu sequer tive que ouvir uma resposta. Lhe vi se aproximando e logo nossos lábios estavam se tocando. Os lábios dela ainda eram tão macios quanto antes, sua mão fazendo carinho na minha fazendo meu coração gritar. Era disso que eu sempre tive medo antes, era essa mesma sensação que me fazia errar com Luda. Eu estava disposta a não me assustar com ela nunca mais.


Levei minha mão livre até sua nuca, passando os dedos lentamente sobre a pele, pra minha felicidade, eu não estava precisando tomar tanta iniciativa. Hyunjung sentia tanta falta quanto eu. Abri espaço para que sua língua pudesse deslizar contra a minha. Merda, era difícil pra mim controlar o que sentia. Eu queria aproveitar todo o tempo que perdemos ali mesmo, naquele momento, mas foi tanto tempo que sequer caberia em um dia só. Ou até alguém acordar. E outra, provavelmente eu iria assustar a garota se…


─ Hyunjung… aah - o gemido saiu quase que automático, para minha surpresa. Sua língua havia deslizado sobre a pele do meu pescoço logo deixando um chupão digno de maquiagem no outro dia. 


Não sabia quando ela tinha se tornado uma pessoa de atitude, se tratando daquilo, mas talvez eu devesse agradecimentos a Luda. Esse pensamento me deixou curiosa, tinha pensado nisso no dia anterior. 


─ Foi você quem fodeu ela ? - perguntei de olhos fechados, recebendo como resposta inicial outro chupão daqueles, outro gemido escapou dos meus lábios. 


Aquilo naquele momento não estava me incomodando nada, na verdade parecia tão erótico pensar nelas duas que talvez o erro de perguntar foi tudo que me veio em mente. Ainda era Hyunjung na minha frente e eu deveria ir com calma.  


─ Ela praticamente se fodeu com os meus dedos. - engoli em seco quando ela me respondeu daquele jeito. Onde diabos estava Hyunjung e quem era aquela garota na minha frente. 


Fiquei completamente mexida com sua resposta, devia ser a cena do próprio paraíso. Luda e Hyunjung… céus


Larguei a mão de Hyunjung na mesma hora que meu corpo praticamente queimou pensando naquilo, estava pronta pra começar algo ali, de verdade. Mas ela mesma tratou de me parar. 


─ Mas não vamos fazer o mesmo. 


Lhe olhei confusa, de certa forma não precisava ser o mesmo mas…


─ Naquele dia as meninas tinham saído, hoje elas podem acordar a qualquer momento, se já não tiverem acordado. Devemos ser responsáveis. 



HYUNJUNG POV:


Sequer sabia o que estava sentindo naquele momento, mas estava fazendo apenas o que desejava. Tinha aprendido com Luda que, quando ambas as pessoas querem, as coisas acabam sendo gostosas. As cenas da nossa noite ainda vinham na minha mente e agora com Jiyeon na minha frente tudo que eu desejava era repeti-las. Observei as marcas que eu tinha deixado a poucos segundos no seu pescoço e passei a língua em cima das mesmas, apenas para lhe provocar um pouco mais.  Estava impressionada comigo mesma, eu sempre tive fome daquela garota mas quando tinha a oportunidade de qualquer coisa éramos jovens demais. Naquele tempo sequer ficávamos sozinhas. 


Eu não podia negar que estava tímida, ainda era tão inexperiente com qualquer coisa que sempre ficava com medo de fazer algo errado. Mas eu já tinha colocado na minha cabeça, não iríamos fazer nada naquele momento, as meninas ainda estavam dormindo e poderiam acordar a qualquer momento. Ou seja, eu poderia provocar sem medo do que viria depois. 


Quando Bona claramente iria dar seguimento a algo do tipo logo tratei de lhe explicar. Ela parecia… frustrada. Era muito engraçado. Sua mão que descansava em minha nuca logo foi removida, seu rosto era de dar pena. Ela se levantou assentindo, pronta pra sair. Devia tá tão frustrada que nem sabia mais o que fazer.  


─ Espera. - disse lhe chamando com o dedo pra ficar em minha frente. Me ajeitei na cama para que pudéssemos conversar cara a cara, ela o fez sem rodeios. Era engraçado o fato de que não tínhamos uma diferença tão grande de altura, mas com ela em pé na minha frente, enquanto eu estava sentada, parecia que ela era tão pequena quanto Luda. 


─ Nós conversamos tudo que você queria ? Não pareceu muita coisa. - disse tomando coragem pra abraçar sua cintura e descansar meu rosto ali. Eu sentia falta do tempo que tínhamos essas liberdades afetivas. Senti sua mão fazer carinho em meus cabelos e sorri. 


─ Eu só… eu só queria me explicar na verdade. Sobre todas as coisas; você, você e luda, nós três. 


Lhe escutei com calma, fazia alguns dias que tudo parecia uma bagunça. E em relação a nós duas, fazia anos. 


─ Quando nós tínhamos algo, eu terminei com você alegando sentir medo que alguém descobrisse, mas não era bem isso. 


Engoli em seco esperando que não fosse algo tão ruim, eu me sentia bem em ficar bem com Bona. Não queria me magoar com algo que falasse justamente agora. 


─ Eu sempre tive medo de relacionamentos, medo de me entregar demais e sair magoada depois. Eu estava sentindo muito por você e eu me desesperei. - fiquei em silêncio indicando que continuasse. ─ Eu praticamente estou fazendo o mesmo com Luda, eu sempre deixei claro que queria que fosse apenas sexo, nada além. Mas eu sei que ela gosta de mim, e eu gosto dela do mesmo jeito que eu gostei de você. 


─ Gostou ? - foi a única coisa que me incomodou. ─ Você não gosta mais? 


─ Eu gosto, eu não estaria aqui se não gostasse. 


Assenti me afastando pra poder olhar pro seu rosto, fiquei um pouco chocada ao ver algumas lágrimas descendo por suas bochechas. As limpei e beijei seus lábios como tive vontade. Nessa foi algo calmo, eu só queria dizer que estava tudo bem se sentir daquela forma. 


─ Jiyeon… não tem nada de errado em se sentir assim. - disse assim que me afastei. ─ Você só não pode deixar isso afetar as pessoas que ama. Se você tivesse confiado o suficiente em mim naquela época, nada de mal teria te acontecido, eu nunca ia magoar você. E, se você passasse confiança o suficiente pra Luda, eu tenho certeza que ela sequer ligaria pra mim. Você é perfeita, quem pensaria em mim tendo uma namorada como você. 


Ela deu uma risada soprada logo seguida de um tapinha em meu ombro. As lágrimas não paravam de descer e eu sabia que era culpa. 


─ Você ainda gosta de mim ? 


Sua pergunta me pegou de surpresa, pensei que ela iria falar qualquer coisa menos aquilo. 


─ Naquela época eu me decepcionei muito com você, o motivo que você deu me deixou magoada pois eu tava disposta até a largar tudo isso por você, mas depois de meses pensando eu entendi que ninguém sente igual. Eu tentei esquecer tudo, eu falhei miseravelmente. Mas não posso dizer que é tão intenso quanto naquela época, muita coisa aconteceu. 


─ Eu entendo. - ela assentiu algumas vezes. Parecia tentar convencer a si mesma de que tava tudo bem. ─ Você gosta da Luda? 


Outra pergunta que me pegou de surpresa. Aquilo tava rondando em minha cabeça desde o momento que pisei o pé pra fora do quarto naquele dia. 


─ Eu não tenho certeza. Eu não sentia nada antes de qualquer coisa acontecer, mas depois do que tivemos, eu só fico pensando nela. Pensando no sorriso dela quando estávamos deitadas depois de tudo. Eu não quero confundir nada, não quero magoar ela. Acho que estou tentando me entender ainda. 


 Fui o mais sincera possível, Bona suspirou, parecia… aliviada ? Sim, não entendi e nem quis entender, parecia que viria mais coisas pra ficar louca. 


─ Bem… se é assim, podemos continuar do jeito que estamos. 


─ E como estamos? - perguntei confusa. 


"[...] Aliás, não precisa se preocupar com a Bona, na minha conversa com ela ontem chegamos a conclusão de que está tudo bem isso que tá acontecendo entre nós três." 


Foi essas as palavras que Luda tinha me dito a uns dias atrás e me deixado completamente confusa. Agora Bona…


─ Estamos juntas. 


─ Juntas ? 


─ Sim juntas. 


Dito isso Bona limpou o rosto com as mãos, se afastou de mim e saiu do quarto, me deixando completamente paralisada.  


─ Juntas ? 







Notas Finais


seola que lute pra entender que o que bona diz é o que tem que ser feito


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...