História Troca de corpos (NaruSasu) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Inochi Yamanaka, Itachi Uchiha, Naruto Uzumaki, Sai, Sasuke Uchiha, Yamato
Tags Lemon, Narusasu, Short Fic
Visualizações 102
Palavras 6.086
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Nada a dizer apenas desculpa (T~T)

Capítulo 2 - Punição prazerosa


Naruto on*


;-;Sala 4 da academia ninja;-;


16:26 (04:26 da tarde)


Estávamos Sasuke e eu, mais uma vez, sendo feitos de faxineiros da academia. Estávamos quase acabando a limpeza e em todos os momentos minha mente acabava me levando à noite anterior. E eu não pude deixar de planejar como poderia punir meu lindo e delicioso Sasuke.  Meu lado "sádico" me mandava tortura-lo de forma prazerosa, mas meu lado romântico me dizia que já havia sido muito agressivo da primeira vez, e que devia ser calmo e demorado desta segunda vez. Mesmo pensando em formas de ser romântico, a verdade é que, se tratando de foder, eu não consigo desenvolver minhas ideias fofas e carinhosas.

- Finalmente acabamos - Disse ele pondo as luvas e o esfregão no banco de madeira da sala.

- Então, Sasu? Você tá animado? - Pergunto pois eu estou muito ansioso.

- Pra ser bem sinceros Naruto... Nem um pouco. - Disse ele meio sério. - Olha, depois de ontem e de tanto trabalho do tipo que eu não tô acostumado, eu tô exausto. Pelo menos ainda são 16:48 hrs e eu vou poder descansar um pouco antes de nos vermos mais tarde. - Ele realmente parecia exausto e bem desanimado.

- Na verdade, eu não disse literalmente de noite, eu disse " Aproveite enquanto o sol ainda ilumina as ruas". E o sol já já vai se por. - Não pude evitar comentar o que eu achava, afinal ontem eu fiquei tão preocupado com ele que nem tive a chance de aproveitar de verdade.

- Naruu~~ pelo menos até as 19:00 hrs. Eu preciso dormir um pouco. - Meu lado carinhoso me fez concordar com a cabeça.

- Mas eu não prometo nada. Eu vou te deixar descansar, isso eu prometo, só não sei se vou aguentar até exatamente 19:00 hrs, mas prometo te deixar descansar...- Disse deixando a frase em aberto.

- Valeu, Naruto. Agora se me dá licença eu vou pra casa dormir. - Disse me dando um selinho demorado, que logo, por insistência minha, se transformou em um beijo mais intenso e quente. Realmente eu não sou o tipo de pessoa que conseguiria passar um único dia sem tranzar, porque apenas esse beijo me fez querer joga-lo com força na mesa, arrancar suas roupas e foder ele ali mesmo. Separo o beijo assim que percebo que ele está com falta de ar. Ele se afasta, vai até a porta e diz. - Espere, Ok? Isso é sério. Tchau. - Ele saiu me deixando sozinho.

- Descansar apenas um pouquinho. - Digo finalizando a frase antes deixada em aberto.

Naruto off*


***


Sasuke on*


;-;Casa do Sasuke;-;


16:57 (04:56 da tarde)


- Finalmente eu posso descansar. - Respirei fundo, soltando o ar pesado de meus pulmões.


Retiro minhas roupas, vou até o banheiro tomando uma ducha rápida. Me seco e coloco apenas uma cueca boxer vermelha. Me deitei na cama e liguei o ar-condicionado deixando-o em apenas 10°C e me cobrindo com um edredom até a altura do pescoço. O cansaço me atingiu imediatamente e adormeci com facilidade.


***


;-;casa do Sasuke;-;


18:13 (06:13 da tarde)


Acordo com um pouco de frio, abri um pouco os olhos, mas não vi nada, talvez por minha visão estar embaçada por conta do sono. Pude sentir minha ereção desperta e isso me incomoda um pouco. Fecho os olhos tentando voltar a dormir mas não consigo por conta do frio e do desconforto. Finalmente abro de vez meus olhos e passados uns três segundos minha visão volta ao normal, mas ainda não consigo ver nada. A forma como eu me encontro é bizarra. Estou com os pulsos presos atrás das costas, tem alguma coisa amarrada por todo meu tórax, podia sentir que tinha algo na minha bunda, mas não era isso o que mais me incomodava, e sim meus olhos estarem vendados e a sensação de uma mão apertando meu pênis. Eu ainda estou deitado, mas não em minha cama e sim no chão ou qualquer lugar tão frio e desconfortável quanto. Tentei mover meus pés, mas ouvi o barulho de correntes e não consegui move-los. Essas sensações não me agradam nem um pouco. Outra coisa desagradável é não poder falar e a dificuldade de respirar. Parece ter uma mordaça com uma bola na minha boca, a mantendo aberta e dificultando minha respiração, além de me impedir de engolir minha própria saliva, que está escorrendo pelo canto da minha boca. Parece também haver algo no meu escoço prendendo-o.


Sasuke off*


***


Naruto on*


;-;Loja de brinquedos para adultos;-;


17:03 (05:03 da tarde)


- O que eu devo comprar? - Me pergunto olhando um monte de coisas as não sei pra que servem.

- Naruto? - Ouvi uma voz conhecida, mas que não poderia pertencer a quem estou imaginando.

- Hinata? - Pergunto ao me virar e ver que realmente era ela. - O que está fazendo aqui?

- Sakura me pediu pra comprar umas coisas pra ela e pra Ino. - Diz com o rosto ruborizado. - E-e você? O que faz aqui? - Perguntou olhando pros meus olhos de um jeito estranho.

- E-e-eu... eu... - Eu não sei o que responder. - Eu vim a pedido de um amigo também. Ha Ha. - Posso pelo menos usar a mesma desculpa dela.

- Sério? Quem? - Me olho surpresa.

- Do... - Paro pra pensar em alguém com quem a Hinata não fala. - Do Sai.

- O que? O que ele pediu pra você comprar? - Perguntou pondo um produto que estava do meu lado na sexta.

- Por que a pergunta? - Não sou obrigado a ouvi-la perguntando essas coisas sem motivo.

- É que você parece bem perdido. Não precisa de ajuda? - Disse, parando o que fazia e sorrindo.

- Na verdade sim. - Se ela está se oferecendo a me ajudar. É melhor que ter que chamar uma das atendentes e perguntar.

- Já que pelo visto não sabe exatamente o que ele quer, poderia me falar se ele gosta de coisas do tipo, mais fofas e calmas, como a saky e a Ino, ou coisas mais agressivas, tipo aquelas. - Apontou pra uma seção cheia de coisas que eu sabia ainda menos pra que serviam.

- Hinata. Eu não sei pra que servem nenhuma dessas coisas. Eu tô aqui tem uns vinte minutos, só olhando pras coisas.

- Quer que eu te explique pra que servem algumas coisas? - Perguntou novamente ficando vermelha.

- E você sabe pra que servem essas coisas? - pergunto muito surpreso.

- B-bem, algumas, sim. - Virou seu rosto, agora está ainda mais vermelha que antes.

- Então pode me explicar o que sabe?

- Hai - Disse finalmente me olhando de novo.

Começamos a olhar umas coisas, e, por mais incrivel que pareça, ela sabe muito sobre esse tipo de coisa mais SM. Assim como ela mesma disse, e eu não sei direito o que significa "Se você passa muito tempo lendo, acaba aprendendo coisas meio inúteis, mas que podem vir a ser necessárias algum dia". Seja lá o que significa, eu concordo plenamente.

Ao terminar de me mostrar as coisas e de eu escolher o que queria, eu estava com umas cinco bolsas cheias de coisas, que aprenderia como usar de alguma forma.

- Certeza que o Sai vai precisar de tudo isso, Naruto?

- Sim, Hinata. Ele disse que era pra algum tipo de desenho diferente, que ele pretende fazer. - Disse nervoso, apenas querendo sair dessa situação constrangedora.

- Tudo bem então, Naruto. Ja ne. - Se despediu e foi embora.

Fui até a casa do Sasuke e entrei pela janela de seu quarto. Quando, finalmente, entro no quarto e retiro o edredom que cobria seu corpo, vejo que ele está apenas com uma boxer vermelha. Minha vontade é de abocanhar seu corpo e come-lo agora mesmo. Mas ele não está merecendo.

Para comprovar que ele está dormindo mesmo, eu fiz alguns barulhos, mexi em seu corpo um pouco e até consegui tirar sua boxer. Ele nem deu sinal de que estava perto de acordar. Sabendo que ele está dormindo pesado, parto pra segunda parte do plano. Começando por uma corda vermelha que a Hinata me explicou muito sobre, até me deu uma aula de como deveria amarrar. Começo a amarrar a corda e quando termino vejo que estava cada parte no devido lugar. De acordo com a Hinata, aquele jeito de amarrar a corda, fazia com que ela apertasse apenas os lugares certos. E realmente parecia isso já que no peito, ela ficou bem ao lado dos mamilos dele.

Logo depois coloquei as algemas, prendendo os braços dele atrás das costas. O próximo passo foi a coleira, o mais fácil de colocar. Vendei seus olhos com uma venda preta de seda. Coloquei uma mordaça preta com uma bala vermelha no meio em sua boca. Coloquei também as orelhinhas pretas de gato e, por último, inseri em seu traseiro, com a ajuda de um lubrificante, um plug-anal com um rabinho de gato também preto.

Como já conheço muito bem a casa do Sasuke, sei que tem um lugar onde eu posso colocar as correntes pra prender os pés dele. O ruim é que esse lugar é numa parede da sala, sendo assim ele vai ter que ficar deitado no chão. Depois de levá-lo até o sofá e prender as correntes naquela tal parede eu o coloquei no chão e acorrentei seus pés. Apaguei todas as luzes da casa, tranquei as janelas, fechei as cortinas e arrastei os móveis e o tapete da sala deixando assim mais espaço para que pudesse fazer o que me divertirá muito. Fui de volta ao quarto e peguei as sacolas, levando-as até a sala e tirando apenas as velas e a caixa de fósforos. Assando algumas velas próximas ao corpo do meu Sasu. Havia me esquecido apenas de algo que eu havia feito com o Neji, que pelo que pareceu o agradou, e eu queria testar com meu Sasu. Com esperanças fui até a geladeira, e, por sorte tinham 4 formas de gelo, e até uma garrafa de vinho que não estava aqui ontem.

- " Pelo visto um certo alguém estava se preparando para essa noite. - Penso enquanto pego o vinho e o gelo. - " Sasu, Sasu, Sasu... Você não perde por esperar. Humm será que ele já acordou? " - Pensando nisso, volto a sala e posso ver que meu lindo Neko ainda está dormindo.

A pele branquinha, toda exposta, apenas iluminada pela luz das velas, enquanto ele dorme tão angelicalmente... Olha-lo daquela forma, tão vulnerável, deixou meu pênis desperto. Para que ele acordasse logo e a gente pudesse brincar, decido que é melhor desperta-lo em baixo primeiro. Assim ele com certeza vai despertar de seus sonhos, os quais eu espero que sejam comigo. Vou andando em direção ao meu Sasu e posso ver que ele já estava um pouco desperto.

- " Mesmo dormindo, esse tipo de coisa te excita? Ah, Sasu. Você sempre me surpreende positivamente."

Coloco minha mão em seu pênis - Um dos pontos positivos do Sasu é que ele não é pequeno. Ele deve ter uns 17 centímetros ou mais. - e começo a fazer movimentos para cima e para baixo. Quando percebo que ele já está prestes a acordar, diminuo a velocidade e aperto um pouco mais, quando chego na cabecinha passo o dedo na fenda, onde, infelizmente, ainda não está úmida.

Percebo que ele está tentando mexer os braços, sem fazer movimentos bruscos, e depois os pés, ainda com calma e sem se mover muito.

Naruto off*


Sasuke on*


Não sei que horas são, só sei que não dormi o suficiente. E, se isso for coisa do Naruto, eu vou matar ele. Não sei o que esse demente está pensando, mas se ele pensou, nem que por um segundo, que eu ia topar esse tipo de coisa de gente que tem demência e gosta de se machucar, ele penso muito, muito errado. Se ele me machucar eu vou cortar aquilo que ele chama de pênis e joga-lo aos cães.


- " Se eu estiver dormindo, ele não vai poder fazer nada comigo, então, mesmo que eu não esteja dormindo, se eu fingir que estou, ele não vai se atrever a abusar de uma pessoa inconsiente. " - Penso e continuo parado, sem me mexer.


Nada que ele tente dará resultado. Afinal eu sempre fui muito bom em me controlar e isso não é difícil pra mim.


Sinto a mão parar seus movimentos e algo úmido tocar meu pênis. Meu pau, derepente, foi abraçado por inteiro. Quase deixo escapar um gemido. Senti que estava tocando a garganta.


- " Se isso continuar, eu não sei quanto tempo serei capaz de aguentar. "


Repentinamente começaram os movimentos de vai e vem. Sempre que subia, sugava a glande, dando um beijo ou lambida logo depois. O ritimo lento, a pressão na base, os movimentos com a língua, isso é uma tortura. Meus pensamentos não fazem sentido e não serei capaz de segurar meus gemidos. Sou muito persistente pra deixar ele vencer tão fácil. Minha ereção está doendo e latejando, meu orgasmo está muito próximo, no entanto, não deixarei escapar um único gemido.


Para piorar tudo, agora os movimentos estão ficando mais rápidos, meus testículos também estão sendo estimulados e meu mamilo esquerdo sendo besliscado e puxado de uma forma prazerosa.


- Humm... - deixo escapar, sem querer, um gemido.


Os movimentos param. Isso me assusta. A tensão se espalha pelo meu corpo, enquanto aguardo o seu próximo movimento. Não ter certeza se é ele ou outra pessoa me deixa com ainda mais medo doque pode acontecer agora.


- HUMMP~~~H... NNMMMP!! HUMMM... HUMP!. - "Isso queima! Para! Por favor, para!" - Sinto algo bem quente tocar minha pele. Gotas. Dez gotas. Deve ser cera de vela. Mas por que exatamente dez gotas? E por que nós meus mamilos e na minha barriga também?


Está parando de arder. A sensação pós queimação, a leve ardência, é bom e incômodo. Como pode ser os dois ao mesmo tempo? Não sei. Apenas sei que é melhor doque eu esperava, melhor doque eu queria que fosse. Ouço o barulho das correntes novamente e meu corpo é bruscamente virado, me deixando de bruços em cima de algo mais alto, e mais confortável, que o chão, possivelmente eu estou em cima das pernas dele. Sinto uma mão acariciando minha bunda e então.


Slap!


- NNNMM~~H... NMMH!. - Um tapa, bem forte, na minha bunda. O tapa fez o que estava dentro de mim se mover mais pra dentro. - " Esse filha da puta tá achando que eu sou o que? "


Slap!


- NNMMH... HUMP! - Um segundo tapa, ainda mais forte que o outro, é desferido contra minhas nádegas. - " A ardência é horrível! "


Slap!


- HUMMP! - " Acho que entendi o sentido das dez gotas de vela. Dez gotas, dez tapas? Se for isso, vão ficar umas marcas horrorosas na minha bunda. "


Slap!


- HUMMMM... HUMP~~H - É impossível controlar minha dor agora. Isso está passando dos limites que eu consigo suportar.

Slap!

- NNMMM~~H!!! HUMMP. - " Esse desgraçado! " - A dor aos pouco está se tornando algo mais agradável. - " Isso me irrita. Para!  Está me deixando confuso! " - Pensar que a dor que estou sentindo agora não é ruim, me irrita, mas também me excita. Meu corpo reage muito positivamente a isso, mas minha mente tem uma reação oposta.

Slap!

- HUMP... HUMP... HUMMP~~H

Slap!

- Hump! NNMM~~H! - Agora só faltam três tapas e isso acabará. - " Mas, eu até que estou gostando disso. Pera! Não! Não, estou não. " - Minha mente está uma bagunça. Um pensamento contradizendo o outro, causando um conflito interno entre a razão e o prazer. A dor nunca foi algo que eu gostasse, mas, nesse momento, ela me atrai de uma maneira misteriosa. As sensações, ruins e boas, estão se completando, dando origem a um novo prazer, o qual eu nunca poderia imaginar experimentar.

Slap!

- NNMM~~H! HUMMP! - Pensar que falta pouco para minha "seção masoquista" acabar, me dá um certo alívio, apenas mais dois tapas e minha dor terá fim. Mas, e o prazer que essa dor me causa, também acabará? Querer que não acabe, me torna tão "ruim", mentalmente, quanto aqueles que sentem prazer com a dor? Ou me torna alguém que, apenas, aprecia o que sabe me causar prazer?

Slap!

- NNMMH! HUMMP~~ NUMHH! - Esse tapa, esse foi bem mais forte que os outros. Como se a força tivesse dobrado apenas por ser quase o fim. Dessa vez o que está dentro de mim, seja lá o que for, acertou minha em cheio, me deixando atordoado. Isso me fez quase ter um orgasmo imediatamente. Queria poder gritar e deixar sair todo esse prazer, mas acabei de notar algo que não havia percebido antes. Não sei se foi durante o boquete, ou se já estava aqui antes, mas tem alguma coisa apertando meu pênis, me impedindo de gozar. Essa tortura não é boa, mas é muito, muito prazerosa.

Slap!

- HUMM... NNMM~~H! - Acho que agora acabou, mas não ter certeza se foi o fim me deixa muito confuso.

Sinto algo escorrendo pela minha bunda, sei bem que ele não jogou nada em mim, afinal, suas duas mãos estão em mim. Uma na minha bunda e a outra fazendo carinho nas minhas costas. Uma lágrima começa a escorrer pelo meu rosto, assim como, provavelmente, meu sangue está escorrendo pelas minhas pernas e bunda.

- " Agora que acabou, tudo que eu quero e poder gozar, liberar todo esse maldito tesão que, infelizmente, me foi causado por essas brincadeiras estranhas. E, depois, tomar um bom banho demorado. " - Enquanto minha mente pesava apenas no fim disso, a pessoa que está à brincar comigo, lambe o sangue que está escorrendo das feridas causadas pelos tapas desferido em minha pele. - " A-ainda não acabou? Ou ele tem algum problema? "

Foram poucas lambida, alguns chupões e uma mordida. Esse "carinho", depois de tanto sofrimento, me acalma. É a primeira coisa normal que estou sentindo, fora o medo, depois que isso tudo começou. As lambidas voltam, agora subindo com beijos e chupões pelas minhas costas até chegar em minha nuca. Um beijo é depositado lá e sinto as mãos soltando a mordaça.

- "Agora que estou com a boca livre, posso sentir, que o tempo que passei com isso em minha boca, me fez ter mais uma dor pra colocar na conta. " - Penso, movendo a boca algumas vezes pra tentar diminuir a dor.

- N-Naruto? - Chamo-o em tom manhoso.

Não recebo resposta alguma, apenas sinto meus braços serem liberados. Exausto, me viro de lado caindo no chão frio.

- Q-que bom... que a-acabou... arf - Minha dificuldade pra respirar ainda não passou. - P-preciso... Gozar... T-tire isso... De mim. - Digo, tocando meu pênis, tentando tirar uma espécie de anel que estava lá, mas não consigo. Me falta força até pra isso.

- Você acha que já acabou, Putinha? Eu nem me diverti ainda. Estamos apenas começando. - Disse isso bem perto do meu ouvido. Quando terminou de falar, deu uma mordida no lóbulo da minha orelha.

- Como a-assim? Me deixe... Gozar... E-eu pr-preciso... G-gozar. - Ele quer realmente usar mais ainda meu corpo? Isso foi muito cansativo. Eu preciso gozar e descansar.

- Ah, você vai poder gozar. Mas só vai gozar depois que eu gozar dentro de você. Se gozar antes, receberá outra punição. E estão, Puta? - Enquanto ele falava, alisava meus mamilos. - Ah, você ainda não viu. Você está com orelhas e um rabo de gato. Estão, assim como os gatos, você deve ficar de quatro. - Disse em tom rouco, me puxando pela cintura, deixando-me totalmente inclinado pra frente.

- " Eu não estou em condições de apoiar meus braços, nem minhas pernas, pra ficar de quatro. Você é muito burro ou o que? " - Penso permanecendo parado.

- Apoie os braços no chão. É uma ordem. - usa mesmo tom.  Isso me faz arrepiar.

- S-sim... H-Hokage-sama. - Minhas opções são: Entrar nessa e tornar isso melhor pra nós dois, ou, resisti e tornar mais difícil. Óbvio que eu prefiro deixar ele me foder dessa forma a ferar todo meu corpo.

- Bom Gatinho. - Diz levando sua mão até minha bunda e tira o tal rabo que estava dentro de mim.

- AAHHHH... HAA... - Maldita dor que essa merda me causou.

- Isso já deve ter te preparado o suficiente. Certo, Gatinho? - Diz e continua a acariciar minha bunda.

- Só me foder logo... E tira esse negócio do meu pau, porra! - Minha paciência, que nuca foi muita, acabou de vez.

- Gatinho, eu não vou te foder tão rápido assim. Quero que você implore por isso como nunca implorou por algo na vida. Quero que me peça com todas as forças pra eu meter meu pau no teu cu. - Mesmo não combinando nada com ele, quando ele usa essas palavras vulgares e agressivas, ele fica muito sexy.

- Me fode H-Hokage-sama... Por favor, me fode. - Peço no tom mais manhoso possível.

- Não, Gatinho, não. Você está fazendo errado. Quando começar você vai entender. - Logo ele retira suas mãos do meu corpo e um silêncio momentâneo se instala , me deixando apreensivo.

- Pode pelo menos tirar essa venda? Por favor? É tudo que te peço. - Espero uns segundos e quando finalmente sinto sua mão desamarrando aquela venda me sinto aliviado. A primeira coisa que vejo são umas cinco sacolas, com uma calcinha vermelha desenhada na frente.

- Espero que goste das coisinhas que eu comprei. - Disse indo até as sacolas.

Pega uma sacola e despeja todo conteúdo dela no chão. Tem muita coisa que eu não sei pra que serve e, sinceramente, prefiro continuar sem saber. Naruto pega as outras sacolas e, uma a uma, ele despeja todas no chão. Quanto mais eu olho as coisa a minha frente, mais medo eu tenho.

- O que você prefere, Gatinho? - Ele está segurando dois objetos diferentes, os quais eu nunca havia visto em minha vida.

- Pra que eles servem? - Pergunto, tentando ver qual seria a opção menos pior.

- Escolha um e descubra, Gatinho. - Fala balançando os objetos.

- " Eu tenho que escolher uma dessas coisas pra poder saber pra que servem? Isso é ridículo! " - Penso considerando apenas que é uma situação muito ridícula. No entanto é muito excitante.

- Prefere que eu escolha? - Pergunta abaixando apenas um pouco o objeto que está em sua mão esquerda.

- " Isso foi um ato inconsiente, indicando que ele escolheria o da direita? Possívelmente, ele não deixaria óbvio o que ele escolheria assim tão fácil. Então, o menos pior deve ser o da esquerda? " - Pensando no que seria mais óbvio logo dou minha resposta.

- O da esquerda. - Realmente o da esquerda não parecia tão ruim assim. É uma correntinha com uma coisa em cada lado. Parece inofensivo pra mim.

- Ótima escolha, Gatinho. - Logo ele vem até a mim e passa a mão nos meus mamilos. - Ajoelhe. - Obedeço sua ordem e fico de joelhos com os braços largados ao lado do corpo. - As mãos. Levante-as em frente seu rosto. - Obedeço novamente e ele dá um sorrisinho de lado. - Bom, Gatinho. - Disse e se aproximou novamente.

Faz um carinho no meu rosto, descendo sua mão um pouco mais e acariciando perto da minha orelha também. Sua mão volta a decer e ele toca mais uma vez meus mamilos. Logo seu rosto desce de encontro a sua mão que aperta meu mamilo entre seus dedos e dá um pequeno beijo, lambendo e chupando devagar e carinhosamente. Logo ele faz o mesmo no outro mamilo. Quando termina eles estão vermelhos e bem durinhos, então ele pega aquele objeto estranho e aperta nas pontas. Eram como pregadores de roupa, mas eram diferentes. Ele coloca um em cada mamilo, e, quando ele solta, sinto a dor se instalando no local.

- Hump! Tira! isso machuca. - Peço em tom manhoso.

- Desculpe, mas essa foi a sua escolha. Aguente as consequências de seus atos, Gatinho. - Diz se afastando e pegando mais dois objetos que estavam no chão. - Qual?

- E-eu não... Quero mais b-brincar... Disso. - respiro fundo pra controlar a dor e falar. - Me fode. Por favor, me fode! Eu quero que me foda.

- Cedo demais. - Disse soltando os objetos que segurava. - Se você não vai escolher, então eu usarei o que eu quiser. Não saia dessa posição a menos que eu ordene que saia. - Fala enquanto observa os brinquedinhos que estão no chão.

Ele pega uma coisinha pequena, que eu não sei bem descrever como é, mas tinha um controle da mesma cor na outra mão, o que me leva a pensar que isso deve ser um vibrador. Olhando bem, ele não parece ser algo que vá me incomodar, é bem pequeno e não vai conseguir me dar prazer algum. Naruto vem até a mim e cola o vibrador no meu pênis com um pedacinho de Durex. Finalmente ele tira o anel que tanto me incomodou. E liga o vibrador.

- AAH~~ N-Naaahh! - O que estou sentindo e tão bom que poderia gozar agora mesmo. Mas fazer isso deixará o Hokage-sama irritado. Mesmo pensando em segurar, sinto os espasmos pre-orgasmo e começo a tremer e suar.  Minha respiração volta a ficar ofegante e meu pênis está latejando, me implorando pra soltar todo esse tesão.

- P-Por... ahf... F-favor... M-m-me f-fode... AAAHM! M-m-me fode... Eu imploro... Me come. - Já não posso mais aguentar meu corpo está quente, em chamas, por dentro.

- Está começando a aprender a pedir as coisas, Gatinho. Muito bem, eu vou te foder. - Diz se levantando e tira a camiseta. - Mas vou te foder com isso. - Se abaixa novamente e pega um consolo rosa com umas bolinhas em toda sua extensão. E um vidro de lubrificante também.

- " Aquilo parece machucar. "

- Fique de quatro de novo, Gatinho. Vou foder você como tanto deseja ser fodido. - Vai pra trás de mim e começa a despejar o lubrificante no meu cu. É gelado e pouco incômodo. - Posso colocá-lo aqui? - Pergunta, forçando a ponta contra minha entrada.

- Uhum. - Algo me fez concordar e eu sei bem o que foi. Foi o prazer e o anseio. Mesmo sendo difícil de confessar, eu anseio por isso. Toda essa nova experiência tem despertado o pior de mim. É ruim eu gostar muito mais desse lado, doque do meu lado sério e que, realmente, não gostaria nada disso? Se é, então não tenho outra opinião sobre o que os outros acham, a não ser, foda-se. Já não me importo nenhum pouco.

- Bom Gatinho. - Disse, aumentando a intensidade do vibrador, penetrando-me imediatamente após isso. Não enfiou tudo, mas pude sentir que realmente não pensei errado sobre aquilo. Ele machuca.

- H-Hokage... i-isso machuca. - Falo, deixando as lágrimas caírem. - Fi-fique... Parado! HUMMP~~ - Peço tentando controlar meu corpo pra não gozar. A dor me causa alegria e prazer. Isso é bom, muito bom. As lágrimas que correm meu rosto me acalmam. Segurar tanto um orgasmo me deixa louco. Meu corpo está em combustão e minha mente em êxtase.

Derrepente os movimentos começam. Movimentos lentos, dolorosos, deliciosos e satisfatórios. Estar de quatro, com um vibrador estimulando meu pênis, uma coisa apertando meus mamilos enquanto tem um consolo entrando e saindo de mim. Não vou mais aguentar isso, eu quero. Não! Eu preciso dele. Apenas dele, dentro de mim.

- N-Naaahh... ahf... urgh. - As lágrimas, a dificuldade de respirar, o cansaço. Está me impedindo de falar. Minha voz está embargada. Se  eu não pedir a ele, se eu não conseguir falar, eu vou gozar.

- Fala, Gatinho lindo. Você me quer? - Sua voz soou como um sussurro rouco próximo ao meu ouvido.

- " Quero. Quero muito. Onegai Naruto, eu quero você dentro, com força. Quero mais que tudo. " - Outra coisa que quero é poder falar o que estou pensando, no entanto, mesmo tentando insistentemente, eu não consigo.

- Na-Naruto... O-o-onegai... Ahf... Me f-ode... Ahf... O-onegai... Me f-f-fode... Com força... rápido. Ahf... coloca s-seu pau... com força... dentro... de mim. - Imploro em meio ao choro e aos soluços. São tantas as lágrimas que começou a formar uma pequena poça.

- Está implorando, Gatinho? - Usa um tom sarcástico.

- S-sim... - Me viro para olhar seus olhos. Ele para os movimentos prestando atenção em mim. - E-e-eu... eu te... te i-implo... i-imploro. M... Me fode... ahf... ahf... ahf. - .Minha respiração está muito pesada, isso dificulta ainda mais minha fala, mas não me impede de suplicar.

- Que gatinho lin... - Ele para de falar, está um pouco assustado. - " Ele está chorando? Ele está realmente chorando, por minha culpa? E-eu o machuquei tanto assim? " - pensou.

- " Pela cara dele dá pra ver que ele se sente mau por isso. Ele é burro ao ponto de não ter percebido, que meus gemidos, não são de dor, e, sim, de prazer? Ele não percebe que eu estou gostando? " - Estico minha mão até a mão dele, apertando-a de leve. Ele parece ter voltado a si e me olha nos olhos. Então, pro idiota entender que eu quero continuar, eu forço um sorriso, fechando os olhos.

Ele retira o brinquedinho de dentro de mim, e desliga o vibrador, que ainda está em meu pênis.

- Cama? Hein, Gatinho? - Me olha com uma sobrancelha levantada. Acho que não posso recusar uma proposta dessas.

- Huhum. - Resmungo chacoalhando a cabeça duas vezes e mordendo o lábio inferior.

Tira o pequeno vibrador do meu pau e libera as correntes que prendiam meus pés. Se abaixa, ficando com uma perna no meio das minhas e a outra ao lado do meu corpo. Aproxima seus lábios dos meus selando-os em um beijo lento e apaixonado. Passa a mão esquerda em volta da minha cintura, findando nosso beijo. passo meus braços em volta do seu pescoço e minhas pernas em sua cintura. Ele se levanta, apertando mais minha cintura contra seu corpo e retomando o beijo. Caminha em direção ao quarto batendo em alguns móveis e paredes pelo caminho.

Abre bruscamente a porta do quarto, me jogando com força na cama. Retira suas calças e cueca, sobe na cama tomando vorazmente meus líbios para si. Sua boca continua tendo um gosto adocicado e cítrico.

- Camisinha? - Pergunta assim que separamos o beijo.

- Você sabe que não. Eu gosto quando você goza dentro. - Dou um sorrisinho sapeca e abro minhas pernas o convidando a entrar.

Ele posiciona sua ereção na minha entradinha forçando a entrada. Finalmente está tudo dentro. É tão bom me sentir totalmente preenchido que não consigo resistir e acabo gozando na mesma hora.

- Mas já, Gatinho? - Posso sentir que ele também está bem próximo do ápice. Seu pau está pulsando.

As estocadas firmes e fortes não demoraram a vir. Cada vez mais rápido, cada vez mais forte me levando à loucura com tão pouco.

***


;-;casa do Sasuke;-;


01:42 da madrugada


Até agora não fui capaz de me segurar por muito tempo. A cada vez que ele goza dentro de mim acabo gozando também. Já devo ter gozado umas dez vezes, preciso de um tempo. Estou enlouquecendo com tudo isso. Já foram tantas e tantas vezes que meu corpo parece estar quebrado em pedacinhos. Já não sou capaz de gozar mais. Meu corpo não tem mais nada.


- Na-Naruto, já chega... Eu n-não posso... m-mais gozar.

- Está dizendo que não tem mais nada? Vamos ver... - Ergue mais meus quadris , meus joelhos estão quase tocando meu rosto. Se eu gozar vou sujar todo meu rosto. E, é bem desconfortável mas, está tocando com muita facilidade minha próstata. - Que tal assim, Gatinho?

Continua as estocadas e posso sentir que meu ápice se aproxima novamente.

- E-eu vou... Gozar! - mal termino minha frase e gozo sujando todo meu rostinho.

- Por que não prova do seu próprio gosto, putinha? - Disse passando a mão no meu rosto, melando seus dedos com minha porra e passando nos meus lábios. - Abre a boca e lambe tudo. - provar meu próprio gozo parece estranho. - Se fizer isso depois pode mamar o leitinho do Hokage. Você não quer?

Com esse incentivo abro minha boca e coloco minha língua pra fora lambendo tudo que foi possível.

- A-agora quero o seu leitinho. - Digo me ajoelhado sobre a cama e esperando que ele desse sua permissão.

- Claro. Venha aqui. - se sentou à beira da cama cam as pernas abertas.

Vou até ele e me ajoelhando em sua frente abocanho seu pau com volúpia, sugando tudo que eu consigo. Está tocando o fundo da minha garganta e ainda não foi tudo. Preciso me empenhar para satisfaze-lo e poder engolir sua porra deliciosa. Continuo meus movimentos de vai e vem e alguns minutos depois ele goza na minha boca. Engulo tudo não deixando nada pingar pra fora da boca e por fim lambendo seu pau para deixá-lo limpinho.

Isso me deu ainda mais estímulo para poder continuar com isso por muito tempo. No mínimo até o amanhecer e um pouco mais.

Sasuke off*


***


Naruto on*


;-;Casa do Sasuke;-;


9:49 da manhã


Infelizmente eu não pude dormir o tanto que queria. Acordei, ereto, após sonhar com minha maravilhosa noite. Estou morrendo de fome e quando olho pro lado vejo que o Sasu já não está mais lá. Respiro fundo sentindo um cheiro delicioso de bolo. Me levanto rápido pra ver se aquele cheiro realmente estava vindo daqui de dentro.

Quando chego à cozinha me deparo com um pequeno banquete. Torradas, ovos, bacon, panquecas, bolo de cenoura com cobertura de chocolate, torta de limão, suco de laranja, café, leite desnatado, morangos, uma pequena bacia com chocolate derretido dentro e até onigiris( onigiris, são bolinhos de arroz, geralmente em formato triangular, com uma alga em baixo.) Mas, o que eu mais quero comer, está apenas com uma blusa longa e uma cueca preta, distraído mexendo em algo na pia.

- Sasu, posso comer? - Pergunto insinuativo.

- Se está se referindo às tortas, bolos e quitutes... (N/A: Sim! Tem maconha com atum. Meu sonho!🤩 Quem entendeu entendeu, quem não entendeu, vai assistir os vídeos do luba e do orochinho!) Pode comer a vontade. Se se refere a mim... Nem em mil anos. Ainda estou todo machucado. Olha meus pulsos! Meu corpo tá todo roxo dos seus chupões e eu não posso nem me sentar por dois motivos. Porque você ferrou com a minha coluna, e também, porque você deixou minha bunda cheia de cortes pelos tapas que me deu.

- Desculpa. Quer alguma coisa pra compensar tudo que eu fiz?

- Sei, sei. "Compensar". Isso me dá a impressão sabe de quê? De que você vai acabar com meu corpo. De novo. - Falou bufando e dando um meio sorrisinho sarcástico.

- Wonnt. Você fica tão fofo quando tá bravinho. - Falo me aproximando e abraçando ele por trás, beijando seu pescoço.

- Vai se ferrar!

Continua...

^-^Pequeno bônus dos bastidores^-^


Meus amores foi só isso mesmo mas no próximo Cap veremos um lado bem interessante do SasUke hehehe que, talvez, não seja tão Uke assim... ( ͡° ͜ʖ ͡°)


Sasuke: Mas é isso, neh? A gente descobre o que essa autora com demência quis dizer só no próximo cap. Afinal nem eu sei ainda.


Autora: não sabe, porque não leu o roteiro, não é? Depois esquece a fala e fica só gemendo fingindo que não tinha nada pra falar.


Sasuke: É pra passar realismo maior na cena. E outra coisa, na maioria das vezes, a culpa é do Naruto porque ele me faz esquecer as cenas.


Autora: Hummm... Realismo? Nunca tinha falado pra fazerem de verdade. Cês não tão fazendo de verdade, neh?


Naruto: Se eu não fizer de verdade, vai ficar uma merda, então tô mesmo fodendo ele.


Sasuke: Na-naruto!


Autora: pelo visto vai ter discussão nos bastidores. Uhuuuuu! Depois, se der certo eu mostro a briga. Agora, tchau!


^-^Fim do bônus^-^



Notas Finais


Não liguem pra mim as vezes eu tenho demências e faço isso.

Gostaram do Cap?
O "bônus" ficou bom?

Ah, ia me esquecendo vou postar um Cap da minha outra fic sexta feira então quem lê a outra fic pode ficar tranquilo que vai ter Cap em breve. *SPOILER* E vai ter Lemon em breve também.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...