1. Spirit Fanfics >
  2. TRONO DAS TREVAS- DRACO MALFOY >
  3. CAPÍTULO III

História TRONO DAS TREVAS- DRACO MALFOY - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - CAPÍTULO III


Fanfic / Fanfiction TRONO DAS TREVAS- DRACO MALFOY - Capítulo 3 - CAPÍTULO III


          EU ESTOU FELIZ... EU JURO

DEPOIS DAQUELE DIA, nunca mais se ouviu falar em Lord Voldemort e em sua liderança cruel e sádica. O mundo bruxo havia recuperado suas forças com a derrota do Lord, Harry Potter ainda um bebê e sem nenhum conhecimento sobre a magia conseguiu derrotar um dos maiores ditadores da história, assim deixando o mundo bruxo em paz, por enquanto.

Haviasse passado 15 anos desde a derrota de Lord Voldemort. Hydra cresceu e se tornou uma linda mulher, no auge de sua beleza e poder, os cabelos castanhos com pequenas mechas loiras que desciam até a cintura, os olhos castanhos que combinava com a luz do sol e reluziam com o seu brilho, as bochechas ruborizadas, o nariz perfeitamente alinhado e sua boca rosada e bem definida. As mulheres da familia Grindewald sempre foram cativantes,isso não se pode negar.

A garota se encontrava sentada em frente a sua penteadeira branca com espelhos triplos se olhando, as cortinas de cor verde escuro estavam abertas, assim deixando a luz natural do sol entrar pela janela e iluminar seu quarto. Ela observava cada detalhe do seu rosto observando cada imperfeição que poderia ser encontrada ali, para ela um belo rosto e lindas roupas eram essenciais para a conquista de algo e execução de um plano. Se aprontasse algo, quem desconfiaria do rostinho inocente e bochechas rosadas? Ninguém! A beleza é uma dádiva e ela estava disposta a utiliza-lá, por mais que tenha um preço, por mais que a beleza doa.

Uma batida vinda da porta a interrompe de seus pensamentos.

- Pode entrar - Ela autoriza e lá adentra sua mãe. Uma mulher de cabelo loiro com mechas castanhas,os grandes e atentos olhos azuis claros como os de Grindewald, usava um vestido preto com renda na parte de cima e um salto de ponta fina preto, a postura intacta e esguia. Octavia atravessa o quarto indo em direção a garota com duas cartas em mãos.

- Minha querida, suas cartas de Hogwarts chegaram e pelo o que eu vi, você será monitora. - Ela anuncia entusiasmada e se senta em uma poltrona perto da janela.

- Isso é sério mãe? - Ela pergunta animada e vai em direção a mais velha e se senta no chão perto dela - Eu queria fazer Quadribol esse ano, mas acho que se eu dividir meus horarios talvez eu consiga fazer os dois.

- Hydra, você não precisa de tudo isso. Já vai ter os estudos e os N.O.M's esse ano, não acho que seria certo se sobrecarregar atoa - Ela fala preocupada e passa suas mãos pelo cabelo da garota.

- Mas eu queria tanto ser jogadora, passei as férias inteiras treinando - Suspira decepcionada - Mas mesmo assim irei tentar.

- Se é o que você quer - Hydra descança sua cabeça no colo da mulher - Me desculpe por não estar presente durante as férias, você sabe que eu tava ocupada com os pedidos - A mais nova suspira ao lembrar que sua mãe estava sempre fora e ocupada com o trabalho. Octavia é dona da maior loja de roupas e acessorios de bruxos do mundo da magia, e a cada dia crescia cada vez mais. Desenhar roupas era seu talento e ela resolveu investir nisso, mesmo não precisando do dinheiro, era sempre diversão coisa que sua mãe amava
- Você entende não é?

- Sim - Mente - Eu entendo.

- Ótimo! As crianças já estão chegando, melhor se arrumar - A mãe levanta da cadeira - Deixei sua roupa para o jantar no closet, acho que Draco vai amar.

- Mãe pelo amor de Merlin, eu e Draco não temos nada - Revira os olhos - Ele está namorando agora.

- Sério? Cissa não me falou nada, então acho que não deve ser nada sério - A mulher dá de ombros achando graça. 

- Você não sabe mãe, eu e ele somos só amigos. Não força a barra

- Tudo bem! Não tá mais aqui quem falou - Ela se rendeu e deixou as duas cartas em cima da cabeceira da cama e saiu do quarto indo para o andar de baixo.

A garota balança a cabeça negativamente e vai em direção as cartas.

"Querida, Hydra Grindewald


Temos o prazer de informar que você foi selecionado para servir como monitora de sua casa, Sonserina. Seu histórico escolar que exibiu muita ambição, a capacidade de liderar os outros e a engenhosidade que os Sonserinos têm sido elogiado por décadas.


Estamos certos de que você continuara a ser um modelo para seus amigos e levara suas novas responsabilidades a serio, incluindo, por favor, usar o broxe com o emblema dos monitores, que deve ser usado em suas roupas escolares e em todos os momentos.


Parabéns! "

Ela suspirou e pegou o broxe com o emblema de uma cobra e observou cada detalhe, o dourado em volta do brasão e a cobra prateada, era lindo e ficaria magnifico em seu uniforme. O poder que aquele broxe poderia dar é impressionante. Agora parou para pensar melhor e se tocou de que teria outro monitor e revirou os olhos, era um garoto e ela odiava o jeito que eles a tratavam. Como se fosse apenas um rostinho bonito, estavam bem enganados, ela era bem mais que isso e seu olhar de superioridade e sua lingua afiada mostrava isso. Esse era o mal dos garotos, se enganam com um rostinho bonito e fazem loucuras por mulheres, e isso os tornavam idiotas iludidos, coisa que eram mesmo antes de se encantarem por uma garota.

- Tudo bem! Mas uma responsabilidade, mas uma coisa para ser a melhor e perfeita.

Ela respira fundo e se joga na cama em meio aos lençois de puro algodão, pensou sobre como esse ano seria difícil, agora realmente estaria entrando para a parte complicada do ano letivo. Os pensamentos e ideias passavam avoaçados por sua cabeça,sempre se perdia em sua própria realidade e isso era bom, disfarçava o fato de sua vida está entediante, e teorias e livros lhe ajudavam com isso. A garota levantou de sua cama com preguiça deixou as cartas de lado e adentrou no closet e foi para a última porta, seu banheiro. Retirou sua roupa ficando completamente nua e foi de frente ao espelho, tinha medo dele, do seu reflexo tinha medo de se enxerga torta ou defeituosa, de se enxerga insuficiente. Sempre teve medo do que o espelho poderia lhe mostrar, mas continuava vendo, por que sempre somos obrigados a fazer coisas que não gostamos.

Tirou seu foco do próprio reflexo e se virou para a banheira que já estava cheia com água quente e o seu livro de Defesa Contra as Artes das Trevas que estava ao lado em cima de uma mesinha de marmóre branco, gostava de ler enquanto relaxava. Caminhou até a banheira descalço pelo chão gelado e entrou dentro da água deixando apenas sua cabeça do lado de fora, deu uma última olhada em seu reflexo no espelho e mergulhou para de baixo da água, gostava de ficar ali, parecia tão calmo e convidativo, fechou os olhos e começou a pensar em seus amigos, Zabine seu melhor amigo estava com tanta saudade dele e de suas piadas sem graça e o sorriso sarcástico. Lola com os seus cachinhos encaracolados e olhos azuis como diamantes que encantava qualquer um com suas palavras, era fofa e persuasiva, Pansy com seus cabelos pretos e curtinhos, sempre foi a mais comilona do grupo, ia as festas apenas interessada em uma coisa, comida.  Kenna com o rosto perfeitamente simétrico e sua cor meia morena, sempre foi a mais inteligente um bom exemplo para poder em forma de conhecimento, conhecimento é poder! Lembrou Hydra de uma frase que sua amiga um dia lhe disse. E Draco... Aqueles olhos azuis de oceano penetrantes e chamativos hipnotizava qualquer um que quisesse embarca nessa tempestade, lembrou do último ano quando ele conheceu Astoria Grengrass, ela era artilheira do time de quadribol, era morena com olhos castanhos e cabelos que iam até a metade de suas costas, estavam em um fica mas não tinham embarcado em um relacionamento sério, ainda. Quando Hydra viu os dois juntos só queria chorar e bater em Astoria, mas não podia exibir seus sentimentos assim tão fácilmente. 

Ela lembrou de quando viu Astoria chamar Draco de amor, seu coração apertou, como se tivesse prestes a ser engolida por um tsunami e realmente foi quando viu Draco atender o chamado da menina.

- Oh meu Merlin, ela chamou ele de amor e ele correspondeu ? - Perguntou Hydra para Kenna com a voz embargada quando viu o casal sentado no pátio da escola a sua frente trocando caricias.

- Sim! - Kenna inspirou preocupada e com a voz desanimada - Tente ser legal.

- Ele gosta dela - Lola falou e passou a mão pelas costas dela tentando acalma-lá.

- Uhum - Ela confirmou com a cabeça e abaixou o rosto, odiava que a vissem chorando.

- Vem aqui meu bebezinho - Falou Pansy puxando Hydra para o seu colo, a menina riu fraco e encostou sua cabeça no ombro da amiga - Você quer um brigadeirinho para aliviar?

- Não! Tô em dieta, obrigada. - Ela agradeceu e a amiga assentiu.

Aquelas lembranças com suas amigas deixavam seu coração quentinho, mesmo que momento tenha sido triste.

De repente ouviu uma voz sussurando no seu ouvido que a despertou, a menina abriu os olhos ainda dentro da banheira e ali viu uma figura que fazia cada centímetro de seu corpo arrepiar. Não era um corpo, mas sim uma cabeça que  apresentava traços queimados e borrados, cerosos e estranhamente distorcidos, o seus olhos brancos pareciam uma fenda com a pupila dilatada quase saindo de órbita, que tinham uma aparência sangrenta e seu rosto era palido como a neve, o nariz era achatado para dentro, como se tivesse sido amaçado. Levou um susto com a visão a sua frente que implorava por socorro e ajuda, era o que o homem repetia várias vezes, a menina tentou sair da banheira mas não conseguiu, havia algo mais forte que a gravidade que a puxava para baixo, seus pulmões imploravam por ar e seu corpo estava amoleçendo, ela se debatia na água aguniada colocou as mãos na parte de cima da banheira e tentou puxar com toda sua força mas não conseguiu, a cabeça se aproximou com rapidez dela e sumiu tão rápido quanto surgiu.  Puxou para a superficie novamente com toda a força que ela tinha e puxou por ar que a aliviou, ainda estava com a respiração pesada e meio tonta. Saiu de fora da banheira e se sentou no chão gelado, passou as mãos pelos cabelos os puxando para trás, não era a primeira vez que coisas desse gênero acontecia, respirou fundo e saiu do banheiro, tinha que se arrumar seus amigos logo chegariam e os pais deles também. As familias Grindewald, Malfoy, Parkinson, Zabine, Miller e Stuart sempre foram próximas e isso gerou uma amizade entre suas crianças desde  pequenos.

Caminhou até seu closet e abriu uma caixa de cor azul marinho e com uma renda em volta da tampa da caixa, era uma roupa da nova coleção que sua mãe havia lançado esse ano. Abriu a caixa com cuidado e pegou o vestido, era um vermelho forte, com um decote chamativo e descia até acima de seu joelho.

- Mãe! - Exclamou com um sorriso no rosto e vestiu o vestido, colocou um salto alto preto de ponta fina e foi em direção ao espelho. Observava seu corpo, ano passado o corpo dela estava em desenvolvimento, mas agora estava mais formado e nítido. As pernas longas e as cochas um pouco grossas, a cintura fininha que o vestido vermelho marcava bem, os seios pequenos ainda em crescimento e o quadril um pouco mais largo que a cintura.

Se observou por mais uns segundos, arrunou o cabelo e passou uma maquiagem leve e saiu do quarto, passou em frente a todos os outros quartos e desceu as escadas com calma para não cair, já escutava burburinhos no andar de baixo e concluiu que todos já estavam ali, por algum motivo pensou em como Draco estaria e se gostaria de seu vestido.

Pisou no último degrau da escada e ouviu passos apreçados vindo em direção a ela, era seu tio\padrinho que ela considerava como pai, Lucius Malfoy. Ele usava um terno preto justo no corpo com uma gravata de cor verde, os cabelos loiros quase brancos presos em um rabo de cavalo baixo e os olhos azuis assim como os de Draco mas não tão intensos quanto os do menino, a olhava admirado.

- Minha querida - Falou baixinho ainda olhando a menina a sua frente - Você está tão linda que nem o próprio Merlin conseguiria lhe descrever com palavras.

A garota sorriu e pegou a mão de seu tio que estava estendida, ela entrelaçou seus braços nos dele e seguiram para a sala de estar. Ao adentrar no local viu um grupo de jovens que conversavam entre si atentamente, e um grupo de adultos que conversavam mas pararam ao ver as duas figuras ali.

- Minha querida - Falou Kevin Parkinson animado e se levantou do sofá indo até a garota - Quer um pouco de vinho?

- Deixe de ser idiota, Kevin. - Falou Hopper Stuart, pai de Kenna - Ela é apenas uma criança.

- Um pouco não vai fazer mal - A menina fala e ri. Os jovens que estavam no fundo da sala se viraram para a voz da amiga e vão animado até ela.

- É melhor não dá, ela já é alcoólatra só vai piorar as coisas - Fala Pansy que vestia um vestido azul simples, ela  pula nos braços da amiga e lhe dá um abraço apertado.

- Pansy cala a boca - Hydra sussura no ouvido da amiga.

- Como assim já é alcoólatra? - Lucius se interessa se virando para ela

- Altoólatra por livros - Pansy mente - Essa daqui é embreagada por eles.

- Só não tanto quanto eu - Kenna aparece ali com um vestido preto justo no corpo e o cabelo preso em um coque, um sorriso aparece em seus lábios e estende os braços para amiga e elas se abraçam.

- É, super ultra alcoólatra - Zabine rir e fala sarcástico. O garoto usava um terno preto com uma gravata vermelha combinando com o vestido de Hydra.

- Cala a boca Blás - Ela revira os olhos e pula nos braços do amigo que a aperta e a levanta do chão, ambos sorriem e ele a coloca no chão novamente.

- Hydra - Uma voz rouca e grossa a chama e ela olha para trás, era Draco.

- Draco! - Ela exclama e ver o menino loiro com os olhos de tempestades que usava um terno inteiramente preto de gola alta. Ela o abraça com força, atrás dele estava uma menina que logo reconheceu, Astoria Grengrass. Usava um vestido preto colado no corpo, um decote aberto que marcava bem seus seios grandes e fartos, sorria animada para Hydra.

- Oii - Falou Astoria mais animada ainda para Hydra e a abraçou depois que Draco a soltou.

- Oi - Falou ela seca e abraçou de leve Astoria.

- Estava com saudades - Falou Zabine e a puxou de novo para perto de si

- Eu também - Falou ela e se aconchegou de novo nos braços do amigo - Vocês chegaram todos juntos?

- Nos viemos juntos, estávamos na casa de Draco - Falou Pansy

- Estávamos no jantar de oficialização - Informou Kenna receosa pois sabia da próxima pergunta.

- Oficialização? Oficialização de que?

- Do nosso namoro, não é amor? - Astoria perguntou a Draco

- Sim - Ele deu um sorriso para Astoria e depositou um beijo na sua testa, a menina sorriu e voltou atenção para os amigos que estavam a sua frente.

- Entendi - Falou Hydra calmamente tentando controlar os sentimentos avalaçadores que passava por si, ela engoliu o choro - Parábens!

Ela exclamou com uma voz de alegria disfarçando tudo que sentia. Tinha vontade de chorar, mas não saía lágrima alguma. Era só uma espécie de tristeza, de náusea, uma mistura de uma com a outra, não existe nada pior. Acho que você cara leitor sabe do que estou falando, volta e meia todo mundo passa por isso. Hydra só não esperava que isso acontecesse tão de repente. Eu estou feliz... Eu juro.

             ━━━━━━◇◆◇━━━━━━

"Queria entender o que têm de tão errado comigo ou de tão certo com você para eu nunca ser o suficiente para te fazer ficar " 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...