História Trono de sangue - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Suspense
Visualizações 2
Palavras 3.196
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Capítulo hot com detalhes, quem se sente desconfortável pode pular nessa parte kkkkkk


(Roupa do baile da Alyssa e de Nicollas no final, o resto do pessoal vai ser em outro capítulo)

Capítulo 7 - Minha rainha


Eu encarava a janela enorme, observava cada gota descendo no vidro. O barulho da chuva trazia uma sensação confortável, o suficiente para fechar os olhos e sentir minha cabeça pesar. Pensava tudo que tinha acontecido, o pecado que cometi matando a pessoa que mais cuidou de mim, a pessoa importante para Gordon. O amor proibido com Nicollas, eu tenho uma imaginação fértil quando estou aproveitando com ele. As mentiras que estou contando para todos e a verdade que escondo. Os corpos que acharam perto do rio, que supostamente são dos meus pais. A pedra roubada, o passado visto, o quebra-cabeça incompleto e o livro horrível. Tenho que segurar firme até onde eu conseguir, mas se eu cometer um erro e todo mundo descobrir a verdade? E se todos ficarem contra mim e eu ficar com o mesmo futuro que Helena? Morta. Por puro ódio.

Meu momento de desespero em silêncio é cortado pela voz de Isabel.

- Você não pode ficar sentada no canto pra sempre – Depois de escutar ela falar, abri os meus olhos vendo a imagem de uma garota morena de cabelo liso sorrindo na minha frente.

- Eu prefiro o silêncio – Forcei um sorriso. Percebi que o clima estava pesado então resolvi tornar o negócio mais divertido – Soube que está tendo um clima com o Austin, é verdade? – Comecei a rir quando percebi que suas bochechas ficaram vermelhas rapidamente.

- Talvez – Ela sorriu envergonhada, ela ficava a menina mais fofa de todas – Emilly também está com um caso. O Hugo é apaixonado por ela – Isabel olhou sob meu ombro e logo virei para trás querendo saber o que chamou atenção. Mas é claro. Emilly e Hugo no meio da sala tentando dançar juntos, já que hoje era um grande ensaio para o baile de hoje à noite.

Mas o que me chamou atenção foi no canto da sala, Austin e Nicollas rindo sem parar. Meus olhos voltaram para Isabel e comecei a rir ainda mais ao perceber que estava caindo de amor por ver Austin.

- Daqui a pouco vai sair corações ao redor de sua cabeça – O foco dela mudou e deu um tapa na minha perna.

- Não é verdade – Ela cruzou os braços mostrando uma reação de ódio – Talvez – Sorri ainda mais.

- Morgane é sortuda por ter Nicollas – Meu coração congelou. Por ter Nicollas. Está dizendo que Morgane tem ele só para ela?

- Do que você está falando?

- Entendo que ela é apaixonada por outro garoto. Mas todo mundo sabe que Nicollas vai ser o novo rei ao lado dela. E o resto só vai ser os guerreiros de Adallon, junto com a riqueza.

Engulo seco, mas não é possível isso. Mas ele vai ser o meu par no baile.

- Então quem vai ser o par da Morgane? E por qual razão ela não esta aqui? – Disse com coração doendo. Não, não posso deixar um garoto me magoar. Eu sou Alyssa, e nunca tive problemas com isso.

- O par dela é primo do Nicollas. O Nathan, ele é mais velho, por isso ele não pode se tornar rei. Ela foi na casa dele para ensaiar junto, mas com certeza foi para fazer algo mais – Então eu não era a única garota cometendo pecado – Morgane não é pura, na verdade, ninguém aqui é. – Eu a olhei com uma cara de surpresa, com uma cara de inocente. – Eu sinto que você não é pura, Chloe. Todos aqui pensam que você e Nicollas...

- Não precisamos tocar nesse assunto – Eu não deixei ela terminar, cortei no meio da frase. Eu disse com tom de voz alto fazendo os quatros olharem para nós duas.

- Qual assunto não é para comentar? – Emilly solta Hugo e fica saltitando até nós com um sorriso no rosto.

- Não é nada – Sorri disfarçada, torcendo para trocar de assunto.

- Chloe não quer admitir que não é pura – Isabel comentou e Emilly me encarou rapidamente. Olhei diabolicamente para as duas. Percebi que os garotos não paravam de encarar a situação.

- Sério? Quem não queria pegar de jeito essa garota com esse corpo maravilhoso? – Emilly pegou no meu peito rapidamente e logo tirei sua mão e as duas começaram a rir – Se duvidar Chloe está segurando uma vida dentro da barriga dela. – Um desespero bateu no meu corpo, mas que diabos estava acontecendo?

- Vocês podem parar? – Levantei rapidamente olhando para Isabel e para Emilly – Ninguém ia me querer. Meu corpo não é bonito o bastante.

- Não foi o que Nicollas disse – As palavras de Emilly fez meu coração acelerar, num momento eu amei escutar aquilo. Será que é correto isso? Nicollas apenas ria, mas ainda continuava com olhar malicioso em mim, e aquele desejo apareceu. Porra, Alyssa.

Eu não sabia como reagir naquele momento constrangedor. Nicollas ia ser de Morgane, mas ela estava aproveitando com outro, por que não posso aproveitar com ele agora?

- Vocês são muito chatos – Comecei a rir e todos fizeram o mesmo – Acho que vou buscar um pouco de água.

- Espero que tenha ensaiado bem para estar fugindo – Hugo cruzou os braços e todos concordaram.

- Eu não vou fugir, apenas vou beber água. – Caminhei em direção a porta e todos me ignoraram virando de costas. Momento perfeito para Nicollas fugir da sala também.

Ele fechou a porta e começamos a rir.

- Todos vão perceber de qualquer jeito – Ele pegou em minha mão concordando comigo.

- Não me importo. Vou te mostrar um local ótimo. – Ele me puxou e começou a conduzir para um lugar secreto e meu coração começou a bater mais forte. Finalmente. Apenas isso eu falava na minha mente.

Ele me levou em um lugar magnífico, era algum tipo de jardim dentro do castelo. Eu corri para o meio e tudo era colorido, cheiroso e trazia uma paz que não sentia há tempos. Ele parou na minha frente acariciando meu cabelo castanho.

- É muito bom passar o tempo com você – Ele sorria e olhava cada detalhe do meu rosto – Você é diferente. Não nego isso.

Olhei para baixo, pra não mostrar que meu rosto fica vermelho facilmente. Ele colocou seus dedos no meu queixo me puxando levemente para cima, deixando nosso rosto mais perto um do outro e depositou um beijo. Eu não posso me apaixonar. Não posso entregar meu coração para ele.

O clima mudou quando ele novamente me puxou e me levou para outro lugar, mais fechado, numa sala pequena com várias mesas e cadeiras de madeira. Com prateleiras cheio de livros. Ele fechou a porta e trancou. Meu coração ainda acelera, agora estamos sozinhos, num lugar fechado e a porta está trancada. Ele queria tanto quanto eu, meu corpo o desejava novamente.

Finalmente parei de olhar para os móveis da sala e olhei para trás, percebendo ele encostado na porta mostrando aquele sorriso novamente que deixa eu fora de mim. Eu mordi meu lábio e isso fez com que ele me pegasse, apertando minha cintura para ficar colada nele. Agora quem começou o beijo fui eu, beijo calmo e à medida que ele me acompanhava eu aumentava o ritmo. Tornando aquele beijo selvagem que já conhecemos, que gostamos e que aumenta mais o desejo.

Ele me virou e quem estava contra a porta, era eu. Ele me pegou no colo e joguei minhas pernas ao redor de seu quadril. Meus braços em volta do seu pescoço e suas mãos me apertando cada vez mais. Comecei a massagear seus cabelos e sua boca foi direto para o meu pescoço fazendo eu soltar um gemido fraco. Ele percebeu o arrepio que me causou e continuava mesmo assim, precisava dele mais que tudo.

Ainda no colo dele, ele andou até a mesa enorme de madeira e me deixou ali, ficou no meio das minhas pernas e começou a me beijar novamente. Tirou sua blusa e a minha, e mesmo assim não tinha nada para cobrir meus peitos. Ele adorou aquilo mais que tudo, suas duas mãos quentes encostaram nos meus seios e soltei mais um gemido. Seu toque era delicado e com desejo e eu me sentia toda animada. Ele me animava. Depois de segundos senti sua língua quente e soltei um gemido mais alto porém eu não me importava nem um pouco. Não me importava na pessoa que ia escutar, eu estava repleta de prazer. Ele parou e percebeu que eu estava corada e parecia que aquilo aumentava mais o desejo dele. Seus dedos foram em minha calça e dessa vez ele conseguiu tirar, eu o ajudei a tirar, mostrando minhas pernas brancas e ele passava sua mão em minha coxa, me arrepiou mais uma vez. Ele adorava brincar comigo.

Seus dedos finalmente encontraram a minha parte íntima e ele continuava a brincar passando os dedos por cima da calcinha que eu estava usando. Eu não aguentava mais, eu precisava daqueles preliminares.

- Por favor... – Minha voz saiu em um gemido e ele ria como se tivesse gostado da cena.

Ele arrancou minha calcinha, arrancou. Era feita de algodão, era linda. Mas no momento não fiquei ligando. Finalmente realizei a parte do meu desejo, ele passando seus dedos quentes. Ele continuava a brincar e em segundos senti aqueles dois dedos dentro de mim, ele fazia movimentos rápidos e meus gemidos acompanhavam com um tom alto. A sensação era prazerosa. Minha mão foi até a parte íntima dele, sentindo todo o volume, ele queria mais que eu. E não tinha ninguém para atrapalhar.

Eu sentia que estava molhada o suficiente. Eu sai de cima da mesa e fiquei de costa para ele, sabia que eu ia sentir aquele prazer mais uma vez. Me apoiei na mesa e estava pronta e gritei isso na minha mente. Ele estava dentro de mim. Meu gemido aumentou mais do que o normal, o seu ritmo aumentava, aquele prazer que eu não sentia há tempos. Ele apertava a minha cintura, até que sua mão pegou em meu cabelo puxando. Eu arranhava a mesa de madeira deixando marcas da minha unha.

Ele parou e me virou para ficar em frente à ele.

- Você disse que ninguém queria o seu corpo – Ele falava ofegante – Ainda bem, pois eu vou ter você só para mim.

Suas palavras me deram mais vontade, ele adorava brincar com o meu psicológico, ele me deixava de todos os tipos. Meu corpo o pedia mais uma vez, e ele apenas me olhou e sentei na mesa mais uma vez e abrindo para ele. Começou a penetração novamente e meu corpo adorava isso, meu corpo o aceitava e eu apenas sorria.

Eu precisava descontar todo esse prazer de algum modo, minhas unhas encontraram suas costas e comecei a arranhar, ele soltava gemido de dor, mas eu não parava. Eu gemia alto ainda, ele não impedia, era música para seus ouvidos. Eu sentia que já estava alcançando o limite, eu não pedi pra parar ele me olhava e sorria e eu apenas ria soltando os gemidos.

- Atingindo o limite – Falei no meio dos gemidos e ele apenas continuava negando com a cabeça.

E atingiu, o limite foi conquistado. Mas a conquista foi realizada, pelo menos metade dela.

Ele se afastou ofegante, eu não conseguia respirar direito, mas eu olhava para o teto rindo.

- Acho melhor vestir a roupa – Ele não conseguia falar, estava cansado.

- Você arrancou a minha calcinha – Eu sai da mesa pegando minha blusa que estava no chão.

- Puta que pariu – Ele se vestiu e seu corpo estava tremendo. Caramba. – Peço desculpa para a dama.

- Desculpas não aceitas – Eu disse irritada e ele se aproximou mais de mim e depositando um beijo em minha testa. Eu tinha que dar um jeito com a minha calcinha.

                          ***


Todos estavam no hall, os olhares foram direto para mim e para Nicollas já que entramos juntos. Mas rapidamente todos disfarçam e olham novamente para o Heitor, ignorando nós dois. Fiquei sem entender por qual razão eles fizeram isso, mas percebi que não foi uma boa ideia ter voltado.

Eu comecei a andar para perto de Emilly e Isabel, quando me deparei com Morgane e Nathan do lado esquerdo. Engulo seco quando meus olhos foram direto para o garoto alto do lado da loira. Ele tinha traços parecido com o de Nicollas, mas eu ainda preferia o meu par. Heitor continuava a explicar sobre como ia funcionar o baile de hoje à noite, porém meu olhar estava fixo no garoto de cabelos castanhos. Meu corpo tremeu quando seu olhos foi direto para mim, um olhar estranho e assustador. Ele olhou para o cabelo da loira e começou a massagear, os dois faziam um belo casal.

- Você deveria ser menos escandalosa – Isabel chegou perto de mim sussurrando no meu ouvido direito.

- Do que você está falando?

É claro que eu já sabia do que se tratava. Naquele momento do prazer eu não me importava em gemer alto.

- Não se faça de boba – Ela me empurrou devagar – Todo mundo escutou.

Minhas bochechas queimaram, eu queria enfiar minha cabeça no chão e não aparecer mais. Por que diabos eu tenho que ser escandalosa?

- Achei que o lugar era longe. O castelo não é grande como eu pensei – Observava Heitor, mas eu não entendia nada que ele falava. Não fazia questão de entender.

- Ele é. Mas acontece que vocês escolheram a sala do Heitor. – Meu corpo ficou mole, eu queria fingir de morta, queria esconder minha cara. Virei minha cabeça devagar para Isabel e ela começou a rir da situação – Ele disse que ia resolver algumas coisas na sala dele, e era para nós irmos juntos. Porém tinha um casal apaixonado lá dentro.

Eu não consigo respirar. Era apenas isso que eu pensava enquanto olhava para Isabel.

Paramos de conversar e se concentramos em Heitor. Ele explicava tudo que iria acontecer esta noite mas meus pensamentos não queria prestar atenção, apenas lembrava de que todos sabiam o que tinha acontecido. Principalmente o professor, na sala dele. Mais uma loucura confirmada em minha história.


Já estava tarde, precisava voltar para casa e conseguir fazer todos os meus deveres. A chuva já tinha diminuído de manhã, a tarde estava ensolarada mas eu tinha certeza que a noite seria frio. Entrei no bar e estava lotado, o assunto com certeza era o baile mas nenhum camponês podia participar. Apenas os nobres. Meu sangue ferveu, eu sabia que não era qualquer um que iria competir. Os poderosos de outros reinos vão estar junto comigo, para derramar sangue em todas as provas. Eles querem a coroa, querem o poder, querem o trono e eu quero apenas saber a verdade sobre o passado. Os participantes que pertencem a Adallon se não passarem apenas vão ser guerreiros da Guarda do reino. Se eu não passar eu vou apenas ver outra garota conseguindo o trono e eu apenas vou estar segurando uma espada para defende-la. Não vou deixar isso acontecer.

Escutava os clientes apostando nas pessoas que podem ganhar. Apostaram na Morgane. Mesmo ela no poder, eles sabem que ela é forte o bastante para continuar no pódio. Suspiro para manter a minha paciência mesmo ela esgotando.

Subi para o segundo andar e entrei no quarto e me deparo com um vestido magnífico na cama. Estava de boquiaberta, que belíssimo traje.

Era um vestido longo vermelho e preto. A parte de cima era corpete vermelho com renda preta ao redor e um laço preto. A parte de baixo era vermelho cor de sangue e ao meio era preto. Tinha um bilhete em cima.

Seu vestido está pronto. Tenho certeza que vai ficar bonita, mais do que é. Espero você a noite no bar para vê-la.

Gordon.

Segurei algumas lágrimas, aquilo me emocionou bastante. Peguei o vestido e corri para frente do espelho, colocando apenas na minha frente. Dançando com o vestido alegremente e com esperanças que podia ser perfeito aquele baile. Sem querer pisei no vestido e bati no guarda-roupa caindo uma folha atrás. Deixei o vestido na cama e peguei aquele papel.

Querido papai, estou indo embora como a mamãe foi. Espero que não fique triste, você sabe que tenho outras tarefas em outros reinos. Eu prometo que vou ficar bem, prometo ser aquela guerreira que você sempre me disse em ser. Se eu morrer, espero que entenda que minha morte vai ser por defender nossa família. Eu amo você, mas tenho que ir embora.

Katherine.

Continuava a encarar aquele bilhete, essa seria a filha de Gordon? E por que estaria escondida atrás do guarda-roupa? Será que ele recebeu isso? Um barulho me assustou, fazendo eu pular e olhar rapidamente pra trás. A pedra tinha caído. Estava escondida embaixo da cama junto com a luva. Vesti a luva e peguei a pedra. Uma brilhante ideia veio em minha cabeça, quando eu não conseguia matar mercadores para conseguir riqueza, roubava algumas joias para fazer braceletes e colares para vender. Peguei um cordão preto e comecei a montar um colar com essa pedra, eu não ia usá-la mas era só um pequeno disfarce para não pensar que a pedra foi roubada. Mesmo que vão perceber que a pedra não se encontra lá.

Guardei a pedra embaixo da cama novamente e guardei o bilhete junto. Estava nervosa por estar escondendo algo que não é meu. Mas estava acostumada, todo dia digo um nome que não pertence a mim.

                          ***


Eu não parava de me observar em frente ao espelho, meu cabelo castanho estava natural, liso e apenas encaracolado nas pontas. Usava uma tiara de pérola e o corpete me deixou com cintura perfeita. O sapato preto me incomodava um pouco mas eu tenho certeza que não iria me importar a noite toda. Estava pronta, desci as escadas e percebi que todos estavam de costas. Quando cheguei ao final todos olharam par atrás e os olhos brilharam em mim.

Nicollas olhava fascinado, e Gordon também. Alguns clientes que ainda estavam no bar pararam e todos os olharem foram em mim. Me senti um pouco incomodada com aquilo.

- Estou bonita? Para todos me olharem desse jeito – Mordi o lábio e começava a olhar para baixo, disfarçando minhas bochechas vermelhas combinando com a cor do vestido.

- Está maravilhosa – Ouvi a voz de Nicollas e sorri mesmo cabisbaixa.

- Bom, já está quase na hora da primeira badalada para todos os convidados entrarem no castelo – Gordon dizia abrindo a porta. Nicollas saiu primeiro e quando passei em frente ao Gordon ele me puxou e suas mãos seguraram firmes em meus ombros. – Não faça nenhuma merda. Quero que se acalme, vai dar tudo certo. Seja uma garota comportada – Seus olhos castanhos cor de mel me encaravam. Engulo seco e concordo com a cabeça.

Seja uma garota comportada. Eu não sou uma garota assim.

Nicollas me esperava e coloquei meu braço em volta do seu. Caminhamos até o destino.

- Não acredito que vamos a pé até o castelo, que deselegante – Disse me equilibrando naquele sapato.

- Você queria uma carruagem? Uma rainha dessa exigindo justo agora? – O que ele estava falando? Fiz cara de dúvida.

- Eu não sou uma alteza – Forcei um sorriso e ele fez uma pausa sorrindo.

- Claro que é. Minha rainha.


Notas Finais


O vestido da Alyssa para o baile: http://womandmore.com/assests/images/21-gothic-wedding-dresses-challenging-traditions-gothic-wedding-5830917.jpg
( o casaco preto de renda ignora )

Vestes de Nicollas para o baile :

image.dhgate.com/0x0s/f2-albu-g3-M01-53-3B-rBVaHFZ2ZzSAClNjAACSFrpsRKo509.jpg/2016-customized-black-red-white-european.jpg

❤❤❤❤ se não funcionar o link, perdoe.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...