1. Spirit Fanfics >
  2. Trophy husband - namjin >
  3. Such unique

História Trophy husband - namjin - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


mano, eu gastei minhas únicas duas células cérebrais escrevendo isso, e fiz até playlist de leitura

espero mesmo que gostem

Capítulo 1 - Such unique


E lá estava ele, o jovem e audacioso Kim Seokjin, em frente ao seu espelho dourado, trajando seu longo roupão de seda preto onde atrás deste só tinha seu sutiã, que obviamente ia ser tirado antes de adormecer, e seu pijama, ambos, também escuros. Com uma tiara-de-pano que prendia seu lustroso e acetinado cabelo, deixando ainda alguns fios rebeldes caídos sobre a testa brilhosa deste enquanto estava a passar a maquiagem noturna e natural feita de arroz e grãos de girassóis usando uma larga esponja branca.

 

 

Toda vez que virava o rosto ele parava e sorria orgulho com o que via em seu próprio reflexo, era dono de uma beleza surreal junto com uma personalidade forte e egocêntrica, o fazendo ser sempre os centros das atenções por ser sobrenaturalmente belo e também por ser um ômega de personalidade tão incomum e até mesmo, sendo um tanto dominante.

Mas quem poderia culpá-lo? Isso é praticamente uma herança de família, foi muito bem ensinado á ser assim e nada mais abaixo que isso.

 

 

Apesar de não estarem mais nos antigos tempos pós-vitorianos, Seokjin ainda foi criado encima desses costumes. Estudo etiqueta, literatura, música, dança. Mas também seus pais, principalmente sua querida mãe, fez questão que este aprendesse política, matemática, filosofia e história em seu próprio lar, que em si, já era luxuoso por si só por pertenceram á sua família que era dona de muitas terras.

 

 

Jamais irá esquecer-se das palavras ditas por sua primordial quando tinha dezesseis anos e estava prestes a ter seu primeiro cio. Estavam os dois a banham-se em um rio perto onde moravam que ficava não muito fundo na floresta.

Um ritual bem comum onde o parente ômega terá que banha o filhote recém-crescido da mesma classificação á pétalas de rosas e essência de cacau. Isto servia para preparar o lobo do jovem filhote e para que o parente o concedesse suas bênçãos. E foi nesse banho tão sagrado que ele ouviu as palavras que ficaram gravadas em seu cérebro.

 

                                                                 (...)

 

⸺ “Meu filhote, nós, ômegas, somos quem dominam e carregam a terra. Alfas são criaturas ignorantes e selvagens, betas são inteligentes e astutos, mas não tem a capacidade de seduzir como nós possuímos. Alfas fazem o impossível para nós agradar, para nos impressionar. Lutam, matam, caçam.

Nós os temos na palma de nossas mãos, eles são fortes, mas são tolos, não somos submissos á eles, eles que são á nós. Jamais esqueça disso.” ⸺ a mesma dizia calma porém com uma expressão seria no rosto enquanto que em uma tigela amadeira que continha a água pura do rio mais a essência de cacau e as pétalas era derramada cabeça abaixo em Seokjin, escorrendo por todo seu corpo.

 

 

⸺ “Sim, mamãe.”  ⸺ o mesmo a responde de cabeça erguida, a fazendo sorrir orgulhosa sobre seu filhote.

 

 

                                                (...)  

 

Foi com esse pensamento que o Kim havia chegado onde havia chegado. Poderoso, rico, famoso, inalcançável. E foi assim que conseguiu conquistar o coração de seu alfa, que é o único que se mostrou digno de tê-lo como ômega, o poderoso alfa Namjoon, líder da República da Alcateia.

Mesmo sendo um homem com muito poder, o que fez Seokjin cair de amores foi sua imensurável inteligente e sua elegância digna do mais poderoso rei.

 

 

O ômega já havia conhecido, paquerado, cortejado por muitos alfas. Como citado antes, sua personalidade forte sempre foi algo que chamava atenção, porém parecia que essa atenção tinha um padrão, e tudo que ele mais odeia são padrões.

 

Jin era visto como: “O ômega que precisa ser domado”. Como se só pelo fato de ser um ômega não-submisso fosse um erro á ser consertado, e todo alfa que havia ficado, seja por uma noite, ou por um mês, tinha esse mesmo pensamento de si, mesmo que os mais inteligente escolheriam ficar de boca fechada, porém mais cedo ou mais tarde isso era jogado á mesa. Revoltante.

 

 

Com isso, ninguém podia julgá-lo por ter o pensamento de: “Todos os alfas são iguais.” Porquê definitivamente, todos eram.

Alfas viam ômegas como um lugar a onde enfiar sua genitália quando essa queria formar um nó, sem nem se importar com o prazer, ou a consequência que poderia vir de seu parceiro. E quando esses eram marcados por puro “instinto incontrolável” eram promovidos para empregado domésticos e cozinheiros particular.

Isso quando não acontecia coisa pior, pois o que ele ouviu de história no Abrigo para ômegas, abrigo esse que Seokjin doava roupas, comida e dinheiro, além de fazer visitas frequentes. Lugar esse que ele enchia a boca pra chamar de zona de conforto, já que o passa-tempo favorito das pessoas dali eram contar histórias e falar mal de alfas.

 

 

 

Lógico que com tanta decepção, o moreno pensou que seria melhor se relacionar com betas, mas este se decepcionar tanto, mas tanto, quando descobriu que os betas não tinham uma visão diferente dos alfas. Inclusive uma visão de sua pessoa.

E com isso Seokjin já estava se contentando em ser o: “ômega não marcado” de sua família e alcateia, com pelo menos cinco filhotes adotados. Já que em pleno vinte-e-cinco anos ainda não havia tido um relacionamento duradouro, e mesmo sendo bem disputado, ficaria difícil de casar com o tempo, já alfas sempre tinham sempre preferência em ômegas mais novos inclusive aqueles que o lobo ainda estava saindo da fase filhote. Repulsivo.

 

 

 

Eram esses conflitos que o moreno passava na época que conheceu Namjoon, no baile da primavera, em pleno período de cortejo e acasalamento, um completo clichê.

O baile sempre era organizado nessa mesma estação e podia ser considerada praticamente uma tradição da família Kim do Norte e do Sul. Que mesmo tendo o mesmo sobrenome, não tinham nada sanguíneo, apenas negócios e amizade.

 

E foi nessa festa, que o ômega só havia ido por pura educação, que o alfa fez o primeiro contato. Ele já havia ouvido de falar sobre Seokjin, afinal, quem não havia?

Porém esse não tinha a mesma curiosidade da maioria das pessoas, mas sim, um fascínio. Se o ômega fosse mesmo tudo aquilo que os boatos haviam dito, não iria medir esforços em tentar conquistá-lo.

 

 

E com toda sua confiança, ele criou a coragem de ir para onde o moreno estava sentado, bebericando seu vinho branco completamente entediado.

Apresentou-se formalmente, beijando sua mão em um ato de cavalheirismo, já deixando o ômega um tanto surpreso e corado, já que está foi a primeira vez que alguém, um alfa, havia se apresentado para si daquela maneira e ficando ainda mais chocado que depois de um tempo conversando com ele, descobriu que este era o famoso líder da presa sobre presa. E Namjoon ao contrário dos outros alfas que só sabiam falar sobre suas conquistas, lutas e afins, mostrou-se ter um verdadeiro interesse em Seokjin, e só falando sobre si quando o ômega perguntava e também mostrava interesse.

 

 

Resultado desse primeiro encontro?

 

Conversas que duraram praticamente toda festa.

 

E depois?

 

Cartas e presentes.

 

E depois disso?

 

 Encontros românticos e picnics.

 

 

E logo em seguida?

 

O pedido para um cortejo sério depois de três meses se conhecendo.

 

 

E então?

 

Depois do alfa lhe trazer um leopardo branco abatido como prova de seu interesse, veio mais encontros, seu primeiro cio e juntos e um pedido que namoro. Namoro esse que depois de três anos se transformou em casamento, com ambos os lobos completamente apaixonados um ao outro, e com isso, a marca que mostrava sua poderosa união.

 

Mas, ao contrário do usual, Seokjin não era o único a levar a marca de seu amado em seu ombro, já que Namjoon disse em peito cheio que também queria ter a marca do ômega em si. Mesmo que as presas deste não têm as toxinas fortes o bastante para ficar ali durante toda vida do alfa, ainda queria ela ali.

E lógico que o Kim mais velho realizou o desejo de seu ômega, tendo esse sempre olhando a marca orgulhosamente no reflexo do espelho toda manhã, ou se mostrando para o ômega quando este estava perto.

 

 

Porque ao contrário da mordida alfina onde as toxinas mostrava que o ômega já estava comprometido, e fazia sentir os mesmos sentimentos que esse sentia. A marca ômega apesar de também fazer o parceiro sentir o que o outro sentia, servia mais para revigorar e deixar o alfa mais, como pode dizer, selvagem sobre o parceiro. O lobo ficava em euforia, tentando mostrar ao companheiro que merecia está ali e merecia carregar aquela marca.

 

Algo que Seokjin sempre amou e que fazia questão de sempre na temporada de reafirmar a mordida, provocar o marido o máximo que puder para ver a sua pose tão refinada se quebrar em uma bagunça lupina e máscula. Igualzinho ao que sua mãe havia lhe dito.

 

 

 

                                               

 

                                                (...)

 

 

 

 

 

E foi ainda olhando em seu espelho encima de sua cômoda cara cheia de porta-jóias enquanto penteava seu cabelo que já tinha as pontas tocando os ombros, que ele se pega pensando apaixonadamente em seu marido. Suspirando com um jovem apaixonado em saudades, já que este estava passando mais tempo trabalhando do que aproveitando o tempo com o ômega.

Felizmente, agora estava trabalhando em casa, em seu próprio escritório. O alfa até gostaria de mentir falando que escolheu trabalha em casa por escolha própria pelo tanto de estresse acumulado de maneira desnecessária, já que a República era constituída por mais de vinte betas e alfas e que não havia necessidade das reponsabilidades caírem somente nas suas costas por conta de ser líder. Mas o real motivo foi que o seu marido foi furioso ao congresso, batendo os pés em fúria e atropelando qualquer um que tentasse o parar, chegando a sala de seu alfa e abrindo a porta de forma barulhenta antes de expulsar qualquer outro que estava no cômodo.

 

 

Seokjin havia ficado exata uma hora brigando com o marido, que apenas ficava de cabeça baixa ouvindo tudo, porém o que o fez se sentir péssimo foi ver seu ômega chorar, fazendo sua marca arder como brasa ao sentir que o lobo do mesmo também estava muito triste pela negligencia que estava tendo, o que fez o próprio lobo do alfa também se sentir mal e com raiva de si por ter tratado o amado daquela maneira.

Realmente, o seu marido estava solitário, e literalmente, sentiu isso na pele.

 

 

Porém não é como se o mau costume de trabalhar exaustivamente havia sumido só pelo fato de está fazendo isso no próprio lá e apenas voltando ao ofício para entregar os papéis.

Não. E por causa disso o ômega suspira pesadamente enquanto encara o relógio de madeira na parede do quarto. Exatas onze-e-treze e nenhum sinal do alfa, e este sábia que este não estava á banha porque não havia nenhum barulho de água fora do quarto, e com toda certeza não estava na cozinha, pós além de não saber cozinhar um mísero leite-com-açúcar, Seokjin já havia dado o aviso mortal pra ficar fora de seu lugar sagrado da casa.

 

 

 

 

O moreno finalmente se levanta do banquinho confortável, esticando seu corpo e ficando na pontinha dos pés, logo marchando para fora do quarto. O clima era gélido, mas não friento de outono, junto com a brisa que passava e fazia a bainha de seu roupão voar e seus pés se arrepiarem pela madeira fria enquanto desfilando de cômodo á cômodo até chegar ao escritório do esposo, se escorando á porta assim que chegou e cruzando os braços no processo.

E lá estava seu alfa, lendo alguns papéis, com sua franja bagunçada jogada de lado, seus óculos quadriculares, sua camisa amarronzada clara com dois botões abertos deixando o começo do peito amostra, com as mangas destas enroladas nos antebraços, deixando seus bíceps ainda mais destacados e uma calça cinzenta e estava completamente descalço e com as coxas grossas cruzadas enquanto seu pé balançava calmamente.

Um cachimbo se encontrava na sua boca, saindo uma fraca fumaça pelo fornilho e quando Namjoon largou as folhas sobre a larga mesa de marfim, se aconchegando na poltrona e segurando o cachimbo para tirá-lo da boca, que ele finalmente nota o amado ali, o observando com um sorriso apaixonado, o fazendo sorrir também e por consequência, mostrando suas covinhas.

 

 

Mas logo a expressão do ômega muda para uma séria, e Namjoon continua sorrindo porquê já sábia o que estava por vir.

 

 

⸺ Creio que não és mais um filhote para eu ficar te lembrando sobre horários, senhor Namjoon. ⸺ o moreno dita enquanto se aproximava da mesa.

 

⸺ Eu sei, eu sei, perdão querido. Eu precisava escrever algumas cartas para a cidade vizinha. ⸺ o alfa pega novamente os papéis e ‘Jin abaixa se tronco até que seu queixo encoste no ombro do marido e seus braços o rodearem em um abraço desajeitado.

 

 

⸺ E qual é o assunto? ⸺ indaga o ômega curioso.

 

 

⸺ Ajuda com comida e soldados. Está acontecendo uma revolução lá, estavam vivendo em uma espécie de feudalismo, mas resolveram não querer mais isso quando notaram que os monarcas pegavam todo o dinheiro do povo e usando para seus próprios beneficies. Deixando o povo com fome e doente. ⸺ entregou uma das cartas ao mais velho, que começa a lê-la rapidamente. ⸺ Querem também a nossa guilhotina para decapitar os porcos em praça pública. ⸺ Namjoon comenta bem humorado enquanto nega com a cabeça.

 

 

⸺ Ah, como eu amo uma boa rebelião. ⸺ o moreno se abana sorridente com as folhas antes de entregá-las novamente ao alfa e logo em seguida dá a volta á poltrona do alfa, se sentando sobre a mesa e cruzando as pernas. ⸺ Mas isso não é motivo de você se cobrar assim, creio que tens tempo para entrega essas cartas. ⸺ o ômega dita sério, tirando o cachimbo da boca do esposo. ⸺ Além do mais, você está passando mais tempo nessa sala do que comigo. ⸺ ele continua em tom ciumento e semicerra os olhos enquanto puxa para abrir a gaveta da mesa e pega um pálito-de-fosforo dali para queimar o pouco tabaco já fraco dentro do fornilho.

 

 

⸺ Peço-lhe perdão por isso, querido. Mas eu ainda sou o líder da República, tenho meus deveres indispensáveis-

 

 

⸺ Recite. ⸺ Seokjin interrompe as explicações do alfa enquanto tinha o rosto virado para direção oposta deste. Estava irritado e não queria as desculpas do marido, e sempre quando isso acontecia, ele mandava Namjoon recitar um de seus muitos poemas. Se caso fosse bom o bastante, ele seria perdoado.

O alfa suspira, tirando os óculos e se apoiando nos braços da poltrona para se levantar. Ficou ereto, em uma postura elegante e pois ambos os braços nas costas de maneira rígida, e com pigarro para limpar a garganta, esse começou.

 

⸺ Os corações são estrelas que florescem nas pessoas. Toda flor é céu. Todo céu é flor. Toda flor fosforesce. Todo céu floresce. ⸺ Namjoon olha para Seokjin confiante, já que ômega sempre se amolecia com suas prosas. O ômega apenas olhava de meio-rosto enquanto tinha a fumaça saindo de seus grossos lábios quando tirou o cachimbo da boca.  ⸺ Digo corriqueiras ‘frasinhas, baixinho, só pra mim. Para me encorajar, para me confundir, para esquecer-se da dor maior, do desamparo em que vivemos, digo boba ‘frasinhas. Para que me coração não doa, para que me mente não morra. Em pensamentos cruéis de um dia eu te perder, te não se foder para te proteger, ou te um dia você desaparecer. ⸺ o alfa segura à mão de seu amado, dando o beijo nas costas da mesma antes de abrir um de seus olhos que estavam fechados durante o selinho na pele, encontrando um ômega corado com um biquinho adorável nos lábios. Sábia que tinha conseguido de novo.

 

 

O moreno rola os olhos, colocando o cachimbo sobre a mesa e em seguida puxa o esposo pela gola, abrindo as penas para abraçar a cintura deste usando as canelas.

 

⸺ Você conseguiu de novo. Como pode? ⸺ o ômega indaga em um tom estreso. Começando a dar vários selinhos na boca do parceiro, esse que fincar ambas as mãos grandes na base da mesa. ⸺ Você me amolece todo apenas com palavras, se alguém descobrir isso, a minha reputação morrerá. ⸺ o moreno continua a falar enquanto passa seu nariz por todo pescoço do alfa até parar na glandular de cheiro, onde o cheiro de canela deste estava mais forte.

O mais novo sorrir orgulhoso antes de segurar delicadamente a nuca do ômega e começar um ósculo lento e apaixonante. Com as bocas se encaixando perfeitamente e se mexendo em sincronia pura, os estalos molhados e as línguas arteiras se dominando, fazendo o moreno suspirar em puro deleite sobre o beijo.

 

 

⸺ Prometo não contar á ninguém sobre isso, se você prometer não contar que gosta de usar seus feromônios apenas para descontrolar á mim e ao meu lobo. ⸺ o acastanhado responde um tanto rouco e baixo, segurando e acariciando o rosto delicado do esposo enquanto beija sua bochecha e desce para seu pescoço.

 

O ômega sorri maldoso antes de descarregar seu cheiro de morangos silvestres contra o alfa.

 

⸺ Tipo... Assim? ⸺ o mesmo rir sapeca ouvindo seu alfa rosna contra a pele quente de seu pescoço, dando um chupão bem encima de sua marca o fazer tremelicar e forçar os quadris de seu homem contra si, o abraçando de forma meio desesperada.

 

Os dois voltam a se beijar, dessa vez de maneira mais voluptuosa e Namjoon faz questão de esfregar seu membro que já estava dando sinais de excitação contra seu marido, que já tinha a pele febril e sua entrada já expelia uma pequena quantidade de mel.

O Kim mais novo leva ambas as mãos calejadas para dentro do roupão do marido, tocando as costas bonitas e largas, acariciando a cintura fina e tão bem moldurada enquanto se deliciava com os beijos e mordidas que acontecia. Quando o selar logo finalmente termina, deixando ambos ofegantes e ainda mais estimulados, o alfa joga todas as coisas que estavam sobre a mesa no chão com só uma passada de braço, deitando seu amado carinhosamente ali.

 

 

⸺ Aqui? ⸺ o ômega pergunta quebradíssimo pela ainda falta de ar causado pelo ósculo enquanto acaricia o peito exposto do acastanhado em um pedido mudo para tirar aquela camiseta.  

 

 

⸺ Aqui. No quarto. No sofá. Onde você desejar, meu amor. ⸺ Namjoon responde puxando os lados da camisa de uma vez, estourando alguns enquanto desliza o pano para fora de seu tronco largo e forte.

Seokjin ofega com força com visão que tinha de seu homem, abrindo mais as pernas, sentido seu mel molhar seu pijama. Arranhou o peito forte do alfa antes agarrá-lo pelos ombros e puxá-lo para baixo.

 

⸺ Eu quero aqui. ⸺ o moreno ordenou mimado antes voltar a beijar o marido com tanta luxúria que chegava á transbordar.

As línguas molhadas se atracavam como se fosse uma guerra, e Namjoon se deliciava com os lábios suculentos de amado, chupando-o e os mordendo com fome, deixando o pobre ômega uma bagunça enquanto este deixava um pouco de saliva escapar pela sua boca e tentava descontar toda sua excitação, agarrando e puxando os cabelos deu seu esposo.

 

 

O alfa beija o queixo bem marcado de seu marido, mordendo também ali, ouvindo um murmuro dengoso sair deste. Desceu mais os estalos até voltar novamente ao pescoço perfumando de Seokjin, enquanto suas mãos que ainda estavam nas costas dele tentavam desfilar o sutiã e assim que teve sucesso, puxou as alças e afastou a peça para fora do corpo do belo ômega. Encarou com água na boca, em completa fome, os seios gordinhos e com os biquinhos eriçados e marronzinhos de seu parceiro.

 

 

Levou os dedos esguios de ambas as mãos até as fofas mamas, apertando-as delicadamente enquanto dava uma massagem erótica nos botãozinhos, ouvindo o primeiro gemido da noite junto. Namjoon continua a massagem em um biquinho, enquanto que no outro ele beijava as beiradas do seio, antes de contornar a aureola com a língua e fazendo com que Seokjin tremesse e novamente agarrasse seus cabelos. Colou a boca no botãozinho o chupando com gosto, usando a mão livre para segurar a cintura do amado para que este não se machucasse com os próprios espasmos.

 

 

O alfa mamou com vigor e fome a mama do marido, deixando o botãozinho roxo e a pele envolta vermelha, logo partindo para a outra repetindo o mesmo processo e com o ômega empurrando a boca contra o mamilo excitado. Namjoon sai de cima do esposo, ficando ao lado deste, meio deitado sobre a mesa, levanto sua palma até a bainha do pijama curto e puxando para fora da cintura de Seokjin, o fazendo deslizar sobre suas pernas bonitas até que este encontre o chão.

Passeou seus dedos pela cintura e virilha do moreno, causando cosquinhas e sem se desgrudar do seio do mesmo. Até que finalmente largou o peito também já vermelho e inchado, passando a língua para barriga magra e contornando o umbigo, e quanto mais sua boca descia, mais seus joelhos se dobravam até que estes se encontravam ajoelhados no chão. O ômega ao ver onde seu amado estava, põe seus pés também sobre a mesa, erguendo um pouco seu quadril e se deixando completamente á mercê do mais novo, que beija sua glande molhada, passando a língua pela extensão curta de seu membro até chega á entradinha encharcada. E ela estava tão molhada, mas tão molhada, que a mesma esguicha contra Namjoon, fazendo um desses pequenos jatos acertarem bem embaixo de seus lábios.

 

⸺ Seu cuzinho está tão faminto assim, ômega? A ponto jorrar seu mel em mim? ⸺ o alfa fala rouco e sádico, apertando seu indicador contra o buraquinho piscante, que por pouco não engole seu digito.

 

 

 

⸺ E você não está com vontade de devorá-lo, alfa? De provar o meu sabor? ⸺ Seokjin o responde sapeca, erguendo a cabeça apenas para sorrir para si, serpenteando as pernas pelo seu pescoço apenas puxá-lo para mais perto e quase, quase, o fazendo se enterrar ali.

Mas não é como se o mais novo tivesse tomado um caminho diferente. Não mesmo. Ele farejou ali, rosnando em uma excitação descomunal, sentindo sem pênis prestes a rasgar sua cueca. E com isso, ele agarrou os joanetes de seu homem, antes de cair de boca naquela entradinha pulsante, fazendo com que o mel escorresse de seu queixo de tanto que transbordava e seu lobo se deleitava com o gosto centrado de morango em seu paladar, fazendo-o se enfiar mais ali, quero mais, muito mais.

 

O ômega estava uma bagunça completa. Seus cabelos estavam desgrenhados, sua maquiagem, mesmo fraca, completamente borrada pelo suor em seu corpo e seus lábios não conseguiam ficar fechados por um mísero segundo, nem se quisesse. Seus dedinhos tortos apertavam e puxavam a cabeleira de seu esposo, em um esforço para que a língua fosse mais longe em seu interior. Logo de um urro alto de prazer quando dois dedos entraram facilmente dentro de si, fazendo com que sua entrada apertasse tanto que fez com expulsasse a língua do alfa, deixando apenas as falanges indo mais fundo dentro de si.

 

 

 

Namjoon ergue se rosto, este que estava completamente sujo com a lubrificação natural de seu amado. Acelerou as estocadas com os dígitos deixando o mais velho completamente destruído e a beira de seu clímax, vendo isso, acastanhado agarra o membro negligenciado de seu marido, iniciando uma masturbação rápida junto com as investidas, fazendo-o revirar os olhos e gritar seu nome. O alfa rosna em luxuria quando seu parceiro goza forte contra sua própria barriga e a entrada jorrar dando mel que expulsa os dedos de seu marido.

Vendo-o aquilo, Namjoon sente sem lobo o dominar, e puxa os botões de sua calça de uma vez só junto com sua roupa de baixo meio rasgada e completamente suja de seu pré-sêmen.  

Seokjin que estava ofegante e meio fora de opta, apenas volta um pouco quando sente algo molhando sua barriga e quando ergue sua cabeça, notou que era a baba de seu esposo, que segurava seu pênis completamente tenso e molhado.

 

 

⸺ Se satisfaça me usando, alfa. Agora! ⸺ e mesmo híper sensível pelo recente orgasmo, o ômega dar o comando, vendo o alfa segurar suas pernas com toda força, metendo dentro de si em um só empurrão, se empalando por completo. Os sons molhados eram quase mais alto que os próprios urros de prazer dos dois, o chão já estava completamente molhado, assim como a parte superior do pé de Namjoon. Seokjin já estava chorando de tanta sensibilidade, se sentindo ainda mais necessitado com o pau de seu homem indo tão fundo, que conseguia acertar em cheio seu potinho sensível e o deixando completamente aberto de tão grosso que era. E novamente ele agarra os ombros do marido, que por está tão concentrado, cair encima deste, mas não o machucou já que suas mãos fortes fincaram em cada lado do corpo do ômega sobre a mesa.

Iniciaram novamente um ósculo, mas esse era completamente molhado e desastroso, já que nenhum estava sã o bastante para fazer aquilo direito e a investidas de Namjoon eram tão fortes que o corpo de Seokjin levava solavancos, o impossibilitando de ficar imóvel.

 

 

A entrada do ômega começa a se contrair ainda mais, babando por completo o pênis dentro que alargava. O mesmo arranhava com força costas abaixo enquanto sentia o membro de seu parceiro começar a inchar. Era o glorioso nó de seu alfa, e estava perto, muito perto.

Namjoon volta seu pênis até o começo do buraquinho, mas sem realmente tirá-lo e logo em seguida dar uma longa e funda estocada que fez ambos gritarem em prazer.

 

 

⸺ Ômega! ⸺ a voz rouca urra enquanto abraçava o corpo do moreno como se esse fosse derreter pelos seus braços.

 

⸺ M-Me dê seu nó... Po-por favo me dê s-seu nó! ⸺ Seokjin prende a cintura de Namjoon com as pernas e morde bem encima da marca feita por si, deixando suas presas soltarem mais ferômonios e deixando o alfa completamente descontrolado, que devolve a mordida também na marca de seu ômega, fazendo este de um espasmo tão forte que Namjoon teve que segurá-lo para que ele não se machucasse. Com isso, o Kim mais velho goza pela segunda vez, só ainda mais intenso, fazendo com que seu gozo acertasse seu queixo e com isso sua entrada se fechasse completamente, fazendo o nó engordar e prender o membro ali.

O alfa abraça mais forte o seu esposo, urrando alto e cambaleando com as pernas. Ambos ficaram assim por alguns minutos, com Seokjin chorando em sensibilidade e dengo, enquanto lentamente o lobo deste volta ao seu estado, voltando o controle para Namjoon e fazendo com que todo sêmen acumulado no nó jorrasse adentro do ômega, fazendo-o novamente gemer alto ao sentir a enorme quantidade de porra dentro de si.

 

 

 

Fracos e com a respiração completamente descompassada, o Kim mais novo usa suas últimas e poucas forças para sair lentamente de dentro do marido, para não machuca-lo e quase caindo no chão no processo pela falta de força nas pernas, deixando toda sua porra escorrer á fora misturado ao mel de seu amado. Seokjin leva as mãos tremulas até o rosto suado de seu esposo, fazendo um carinho ali e vendo-o se esfregar contra sua palma. Era meio canino afinal de contas.

 

 

 

⸺ Amo-te. Amo-te mais do que tudo. ⸺ o alfa se declara completamente apaixonado antes de chutar as testas e começarem um beijinho-de-esquimó.

 

 

⸺ Também amo-te, meu amor.


Notas Finais


playlist do youtube: https://www.youtube.com/playlist?list=PLaf6UxJrnyX4hxNvxqOX9mDBNnXaZLOup

playlist do spotify: https://open.spotify.com/playlist/33tP8Mva8X9QIUjzygDcY0?si=fYX3G0o9S5qGhEtQpI2oBw


também postada na wattpad, dêem apoio lá também: https://www.wattpad.com/story/231269488-trophy-husband-namjin


é isso, espero que tenham gostado, comentem por favor ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...