História TRouBLes- Kwon Hyuk (DEAN) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Crush, DEAN, Zico
Personagens DEAN
Tags 130mood, Deanfluenza, Deantrbl, Kwon Hyuk
Visualizações 12
Palavras 2.968
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


~ Jujubas

Revisada: Sim { } Não {x}

''Deveria esperar na fila, deveria fechar meus olhos?

Boa leitura!

Capítulo 3 - Should i wait in line, should i close my eyes?-Zico and Dean


Fanfic / Fanfiction TRouBLes- Kwon Hyuk (DEAN) - Capítulo 3 - Should i wait in line, should i close my eyes?-Zico and Dean

                                                                                  ‘'Isso dá a minha vida outra visão'' 
                                                                           - Como você pôde?

 
Mood´s bar 
3 anos depois
 
 
Depois daquela conversa, no dia seguinte eu já estava trabalhando como garçom junto com Jiho que me ensinou um pouco do que eu deveria fazer. De dia era mais tranquilo trabalhar naquele lugar mas de noite...acho que nunca desejei tanto que chegasse meia-noite logo para eu poder ir embora, felizmente eu não precisava ficar lá por muito tempo e infelizmente teria que voltar para casa, ver meu pai jogado no sofá ou no chão da sala, ele está indo de mal a pior e não conseguiu um emprego mas eu sempre juntava dinheiro para pelo menos comprar um lanche para ele. 
 Jiho estava um pouco distante do trabalho, já o peguei várias vezes saindo sem mais nem menos. O gerente não percebeu nada ainda e já tentei conversar com eles várias e várias vezes mas o garoto sempre me pede para não me preocupar ou que ele já tem tudo sob controle, espero que ele não entre numa fria. 
 O bar fica mais movimentado a cada dia, estamos até recebendo estrangeiros aqui, também tem uma garota que mexe totalmente com meu psicológico sem fazer absolutamente nada, não sei seu nome e ela só me olhou um dia pois eu fui atende-la. Já me apaixonei muitas vezes mas, foram coisas muito passageiras e eu não sei o que ela tem que me faz querer ficar ao lado dela ou pelo menos ouvir mais uma vez sua voz, ela vem bastante nos fins de semana, creio que ela seja estudante. 
Mood´ś mudou muito, o que era apenas o som do violão agora é uma pequena banda e eu nem posso reclamar porque tocam muito bem, o karaokê não morreu só tem mais instrumentos para serem ouvido também. Muita coisa pode mudar. 
 
Woo Jiho points vision 
Atrás do posto de gasolina, Busan. 
20 horas da noite. 

 
Tive que sair ás pressas ou perderia o ônibus para vir para cá, tive que falar para o gerente que estava com um parente doente por aqui e só assim para sair de lá. 
Agora estou esperando Penomeco, não sei seu nome real ainda. 
 
- Você é pontual, Zico. Bem que Penomeco falou que você não seria tão inútil. - Parei de mexer no meu celular e comecei a olha-lo confuso. 
 
- Quem é Zico? 
 
- Seu novo nome, vai ser chamado assim agora e ser reconhecido assim. Bem-vindo ao tráfico, moleque. - Disse ele logo jogando uma sacola para mim. -Só abre isso quando chegar na sua casa, entendeu? Esteja aqui nesse mesmo horário e se atrasar, pode esquecer seu novo ‘'emprego’’ 
 
Fico apenas concordando com tudo o que ele diz mas, logo ele vai embora, fiquei muito curioso para ver o que tinha dentro da sacola e pelo horário, talvez eu consiga um ônibus para Seul. 
 
Desde criança sempre vi pessoas vendendo ou comprando drogas e as usando também, porém, nunca tive curiosidade em experimentar tal coisa e sempre fui uma criança normal, eu e Hyuk estudamos juntos á vida inteira e juntos decidimos largar a faculdade. 
Estou prestes a perder minha casa por conta de aluguéis atrasados e preciso muito dinheiro, assim lembrei de Crush. É um velho conhecido, ele sim sempre viveu no mundo das drogas, desde pequeno ajudava seu irmão mais velho, Penomeco, com as entregas e até alertar se algum policial estivesse chegando. 
Muitas vezes ele faltava ás aulas no ensino fundamental e nem preciso dizer o porquê, nunca vi seu pai ou sua mãe mas parecia que eles “cuidavam” deles bem de longe. 

 Achei Crush e logo o pedi para me arranjar algo para fazer mas que não me prejudicasse e assim falou que iria conversar com o irmão, precisava ganhar um pouco mais do que ganhava naquele bar como garçom e como viram agora, parece que ele me achou útil mas precisava saber no que, talvez na sacola esteja a resposta. 
 
Apartamento de Woo Jiho 
20:58  

 
Jogo minha mochila no sofá e me sento no beliche abrindo a sacola, vejo uma carta e um caderno. Bom, a carta deve explicar o porquê do caderno. 

 ‘’Zico, cuidará da parte financeira, você era o nerd na escola não? Vai ajudar bastante e não ficará em problemas, use o caderno apenas para anotações e nada mais. Nos vemos amanhã'' 
 

Pego o caderno e guardo em minha mochila. 
 
- Agora estou dentro.
 
Kwon Hyuk points vision 
Cozinha do bar, mood´s bar
23:45


 Estou cantando a música Get You enquanto lavo os copos, Jiho teria que fazer isso mas, já que não está aqui, meio que sobra para mim, nosso gerente não me fala o que houve para Jiho sair dessa maneira...Confesso que estou preocupado. 
 
- Hyuk, você canta muito bem.- Aquela voz, eu a reconhecia bem.- Muito ocupado? 
 
Na hora me viro e vejo a moça na qual eu não parava de pensar, quase deixei o copo cair no chão e para não correr o risco o seguro mais forte. Essa garota está simplesmente perfeita, vestido preto e um casaco fino com listras, seu tênis branco só não brilham mais que seus olhos. 
 
- O...o que? Quem deixou você...Como chegou aqui? - Sou obrigado a me bater mentalmente por ter falado desse jeito, meu coração está começando a acelerar pois ela está se aproximando muito. 
 
- Isso é simples, você entrou aqui e eu te segui...você me olha tanto, achei que gostaria de falar comigo. Quer falar? - Sua voz mais parece um sussurro, é realmente agradável.- Você é mais bonito ainda de perto. 
 
- Digo o mesmo para você.- Falo no mesmo tom e fico estático sentindo suas mãos em meu rosto, só aquilo poderia me dominar por completo. 
 
- Temos coisas para conversar, Hyuk. 
 
Ela me empurra levemente e me faz bater no balcão e então fecha a porta, céus...que Jiho não chegue agora. 
 
- Você é meu hoje, bae. - Ela se aproxima e inicia um beijo calmo mas as coisas já estavam para esquentar e não deixarei ninguém interromper, sua boca é melhor do que eu imaginava. 
Quando percebo já estou sem a blusa e ela sem seu vestido, quanto mais desce seus beijos mais entro em total êxtase, isso está realmente acontecendo? 
 
- O que acha de eu fazer algo com isso?- Me olha com malícia e desse suas mãos para minha ereção coberta, certo, hoje ela é minha também. 
 
Dia seguinte. 
Mood´s bar 
10 horas da manha

 
Foi uma noite cheia, depois de tudo acordei em um dos balcões e fui correndo para casa tomar um banho, me deparei com vária marcas de batom em meu pescoço e boca. Sem duvida sorri ao olhar aquilo, como eu poderia imaginar que ela gostava de mim do mesmo jeito?
Agora estou arrumando ás mesas e vendo a pequena banda ensaiar um pouco das músicas para essa noite.

- Que droga, menino! o que custa cantar certo?-  O tecladista se levantou furioso indo até o garoto que estava os ajudando a ensaiar.

- Eu só varro o chão, senhor.- O garoto se encolheu e saiu correndo de lá. O tecladista quase chuta seu instrumento e me olha.

O que 'tá olhando hein? Continue seu trabalho ou venha me ajudar.

Como quer que eu te ajude? - Prefiro mil vezes o ajudar do que continuar acendendo velas nas mesas.

- Venha aqui e cante, mas rápido porque daqui á pouco o pessoal da banda vai vir e eu tenho que estar com isso pronto, rápido.- Vou até ele e fico em frente o microfone e assim ele vai até seu teclado e começa a tocar. Minhas mãos ficam extremamente trêmulas.- Espera! Que música é essa?

- Eu só improvisei um toque, cante qualquer coisa de forma que combine.- Ele revira os olhos e volta a tocar de novo.

- Calma! Eu não canto bem...espero que não fique bravo igual ficou com o garoto..- Ele solta um suspiro forte e começa a tocar.

Relaxa, você só está nervoso, respira.- Ele fala enquanto continua tocando o teclado.- Vai!- Levo um pequeno susto ao ouvir ele gritar e aproximo o microfone de minha boca começando a cantar. *¹Essa sensação de segurar o microfone eu não tinha desde minha audição e está sendo um pouco estranho pensar nisso, certo, tenho que me concentrar.
Mas, está sendo legal e quanto menos percebo já estou me movimentando o pouco no ritmo da música e olho para o tecladista que me olhava surpreendido e apenas continuei cantando.

- Tenho que colocar meu uniforme, daqui á pouco já vamos abrir.- Desço do palco e deixo o microfone em cima da mesa.

- Não! quer dizer...cante com nossa banda essa noite, por favor.

Isso já esta indo longe demais, mas e se gostarem de mim? Meu salário poderia aumentar, não quero ser cantor porém qualquer oportunidade boa de ganhar um pouco mais de dinheiro está valendo...

- Desde que você não me faça dançar também. Claro.

Autora.

Woo Jiho conseguiu a confiança de todos dos traficantes, depois dele veio outros três que precisavam de um cargo também e o jeito foi subir Woo de cargo para vigilante, foi fácil passou a ganhar 20% dos lucros e foi o suficiente para se manter com esse dinheiro e o dinheiro que ganhava no bar.
Kwon Hyuk, ou Dean, como prefere ser chamado agora virou a nova estrela do pequeno bairro de Seul onde se encontrava o bar e isso foi bom para ele, a quantia que ganhava aumentou e ele conseguiu comprar uma casa, seu pai faleceu poucos dias depois da mudança e seus tios cuidaram de todo o processo. Passou-se dois meses, dois meses e uma descoberta, Zico contou para Dean que fazia parte de um grupo de traficantes. A amizade poderia ter acabado naquele outono? sim, a verdade é que nada pode separar esses dois. 
Zico se demitiu do bar pois não teria tempo de ir em dois lugares ao mesmo tempo e também, com o dinheiro que estava ganhando no tráfico nem precisaria ser garçom, a vida dos dois mudaram para a melhor, mas até quando?

Dean points vision.
Casa de Dean, Seul
6 horas da tarde

- Como você quer que eu me concentre com você me olhando assim?- Disse a encarando e tirando o cigarro de sua boca tragando um pouco dele também.

- E como você quer que eu não te olhe?- Ela solta uma risada baixa e sobe em cima de mim.- Essa tatuagem ficou tão bela em você, deveria escrever sobre ela também, você escreve sobre tantas coisas. Meu cantor favorito.

- Não sou cantor e essa foi uma ótima ideia, irei pensar.- Acaricio teu rosto e ela se levanta rapidamente pegando o cigarro que estava em minha boca.- O que foi? Já vai?

- É, eu tenho que ir...me preparar para  a entrevista de emprego amanhã e já está ficando bem tarde, deveria relaxar suas cordas vocais para hoje á noite, huh? Tchau, bae.- Fala tão atrapalhada que mal entendi então apenas esboço um sorriso retribuindo o beijo que ela deu em minha bochecha.

- Tchau, gatinha.- Aceno e ela sai de meu quarto, apenas volto a escrever dando uma pequena olhada no relógio para ver se ainda estava cedo para ir para o bar e não, ainda falta uma hora e meia.

Depois de quase duas semanas sem nos falarmos aquela noite, ela apareceu no bar, eu estava cantando uma última música mas resolvi *²cantar a que ela escutou quando conversamos pela primeira vez e ela rapidamente me olhou. Depois do show bebemos um pouco e saímos já que havia terminado meu turno, fomos atrás do bar e nos beijamos novamente, senti-la tão perto de mim era a melhor sensação que eu poderia sentir, quando contei isso á Zico ele riu tanto que pensei que ele poderia morrer ali mesmo. Depois de rir muito ele me parabenizou e falou que iria estar torcendo muito para que tudo desse certo e como puderam ver, está sim.

Termino de escrever a musica e me levanto para me arrumar, não vou cantar tanto como na última vez que quase passei a madrugada lá dentro. A sorte grande foi que Zico estava lá para ficar dançando errado de propósito e me fazer rir na frente de todo mundo, sorte ou azar.
Pego uma calça preta e uma blusa branca apenas me trocando pois ja havia tomado banho pouco tempo antes de ir levar minha namorada para tomar sorvete, então apenas passei perfume e me vesti sempre de olho no relógio. 
Ok, agora só preciso passar na lanchonete e comer alguma coisa.

Lanchonete KangJong.
8 horas da tarde.


Chego na lanchonete já vendo a senhora Jong me olhar sorridente, devo muito á ela, desde que eu comecei a trabalhar ela sempre vem querendo me alimentar para que não fique fraco para o dia seguinte então sempre separava lanches e janta para mim e ás vezes até algum suco.

- Está bem atrasado, garoto.- Ela fala de forma brava mas era apenas fingimento. Apenas sorri e me aproximei para beijar sua bochecha.

- Minha namorada foi la em casa e resolvemos sair para tomar sorvete, acabei perdendo a noção do tempo.- Pego uma barra de cereal e coloco em cima do balcão já pegando minha carteira para pagar. Ela pega o dinheiro que coloco em cima do balcão e pega a barra á colocando dentro da sacola em que estava meu lanche.

- Obrigado, senhor a Jong, a senhora é meu anjo sabia?- A abracei e ela bagunço um poucos meus cabelos.

- Cuide-se, e cuidado quando for voltar para casa.

- Pode deixar.- Aceno e saio do estabelecimento indo rumo ao bar que não era tão longe, na verdade, se dou quarenta passos daqui até o bar é muito.

Começo a assobiar enquanto ando e vejo como incrivelmente essa rua começa a se encher, obviamente já sei o destino de todos e estava indo na mesma direção.
Chego no bar e entro pela porta dos fundos vendo toda a banda se preparando para ir tocar.

- Dean! o maior cantor desse país, por que demorou tanto?- Êne, o baterista fala animado e me abraça fortemente. 

Esse moleque e um caso perdido.- Tiles, o tecladista fala com desânimo sentado no braço do sofá enquanto bebia um pequeno copo de uísque.- Só sei que não foi eu quem ensinou isso á ele.

-
 Deve ter sido o...o...guitarrista, o novo.

- Vai se demitir, amigo?- Pego minha barra de cereal e guardo meu lanche na geladeira. - Só porque segui seus ensinamentos?

- Muito engraçado Dean mas mesmo assim vou te bater no final do show, aí! todos vocês! Eu vai bater no Dean esta noite e todos estarão convidados.- Começam a rir e eu principalmente.

- Não vou poder comparecer...- Ouvimos um leve ruído do microfone e em seguida ouvimos uma voz do palco

                                                                        ''Boa noite e sejam muito bem-vindos ao mood's bar...''

- Mas já?- Tiles se levanta e olha o relógio. - Certo, enquanto o cara faz propaganda, bebam água e principalmente você Dean, não se esqueça do que aconteceu quando ficou sem beber nada.- Ele aponta para mim e eu concordo indo até a geladeira pegar uma garrafa para beber a água e todos fazem o mesmo.

                                                                ''Não se esqueçam de provar a nova bebida da casa e divirtam-se''

Deixamos nossas garrafas em cima da mesa e subimos ao palco recebendo vários aplausos, como de costume, nos apresentei e o show começou.

10 horas da noite.

Estava ansioso para que o show acabasse, de vez em quando eu e Zico saímos para ir jogar mas hoje ele disse que iria me contar algo importante, por isso a ansiedade.

Terminei de cantar, Come Over, e agradeci já saindo do palco e indo junto com o pessoal para nosso cantinho, geralmente bebemos mas hoje todos nós temos compromissos. Comi meu lanche e me despedi de todos indo á caminho da praça que tinha ao lado onde Zico iria me encontrar.

10 e 45 horas da noite.

Se Zico demorar mais um pouco, eu cometo um assassinato.

- Dean!!- Levanto meu rosto e vejo Zico correndo em minha direção.- Desculpa...pela demora...- Ele diz ofegante eu concordo com a cabaça.

- O que aconteceu?

- Penomeco...ele...- Respira fundo e me olha- Ele pediu para ajudar o novo ajudante fazer as contas do mês. O cara é muito lerdo, demorou bastante.

- Fico feliz que nessas coisas erradas você esteja fazendo algo certo. Enfim! O que quer me contar?

- Vamos andar um pouco, ou melhor, vamos comer

- Eu comi um lanche agora pouco mas vamos sim.

Estamos andando até um food truck para ver se achamos algo interessante, eu ja estou começando a ficar meio irritado porque ele nunca chega na tal surpresa e isso está me deixando completamente louco!
Resolvemos pegar apenas kyeranppang e nos sentamos para comer.

- Zico, por favor, me conta logo o que queria falar antes que eu morra de ansiedade! 

- Certo então, eu...Hyuk, aquela ali não é a sua namorada.

- Para de enrolar e me fa...- Ele fez sinal de silêncio me interrompendo 

- Aquela é realmente a sua namorada, olhe logo para trás.

Bufo e olho logo para tra vendo ela e mais...outro homem, estão se beijando...

- Ela não esta fazendo isso...- Me levanto e vou ate ela, ouço os passos de Zico atrás de mim mas não me importo. Ela me vê e se afasta imediatamente.

- Como você pôde?

















 


Notas Finais


https://youtu.be/CUrbBWcqXN8

https://youtu.be/KH648mBJxHM

Kyeranppang- Pão com ovo.

Espero que tenham gostado, beijoos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...