História Troublesome Guy - Jikook - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Abo, Alfa, Beta, Jikook, Jikook Abo, Namjin, Ômega, Taeyoonseok, Yaoi
Visualizações 597
Palavras 1.479
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, desculpem pela demora XD outra semana meia ocupada ksksks LEIAM AS NOTAS FINAIS XD

Spoiler:
1º Esse capitulo não era pra ter tomado este rumo mas decidi mudar por que se não ia tar muito dramatico e cheio de cu doce kkkkk
2º Próximo capitulo é Jungkook POV eheh

Já agora, peço desculpa que o capitulo seja tão curto relativamente aos outros

Capítulo 13 - Boate


Óbvio que quem foi conduzindo fui eu ne, até por que eu não ia deixar eles tocar nesse bebe lindo, vai que eles riscam ou avariam ele? O Tae é sempre um azarado então nem a pau que eu deixava ele conduzir até por que ele nem carta tem e o Yoongi nem gosta de conduzir por isso, TAMOS OTIMOS.

Não demorou pra chegarmos e conseguirmos a atenção de todo mundo cá fora. Saímos do carro da forma mais chique e arrasadora possível e desfilámos até ao segurança que imediatamente liberou a nossa entrada.

Gente, um negócio, a minha omma e o meu appa sendo conhecidos, eu sou automaticamente conhecido também óbvio ne? E como eu costumo frequentar várias boates com o Tae e o Suga, os outros literalmente nos dão livre acesso as suas boates. Dá jeito ser conhecido vez ou outra.

Assim que entramos, já víamos o lugar lotado, a música bem alta, o cheiro a tabaco, álcool, suor e sexo pairavam no ar e só se via gente dançando, se pegando e alguns passando mal pelos cantos. Até aí, tudo normal como qualquer outra boate, isto é, até eu e os meninos avistarmos Jungkook, o Hoseok e os seus seguidores sentados nuns grandes sofás num canto da boate completamente rodeados por ômegas.

É sério essa merda?!

Haviam duas ómegas em particular que nos chamavam a atenção e elas estavam cada uma no colo dos dois se esfregando neles quase implorando que as fodessem.

“Sabem que mais?” – Chamei a atenção dos dois que obviamente estavam magoados com o que viam. Não é apenas eles, isso também me está a sufocar, não vou mentir. Por que justamente quando eu começo a pensar que talvez goste daquele maldito, ele me faz uma dessas. – “Bora beber pra caralho e aproveitar essa música pra esquecer essa merda antes que eu faça alguma loucura já.” – Tou capaz de matar aquela mina já, já. Tocando no que não deve, no que não lhe pertence.

“Isso! Bora nos divertirmos!” – Ambos falam ao mesmo tempo e acabam rindo.

Vamos em direção do bar atravessando a multidão que dançava com tudo completamente suados. Claro que pelo caminho levámos alguns apertões e tivemos direitos a umas mãos bobas.

Quando finalmente chegamos, vemos que o barman é um ómega e ficamos surpresos.

“Boa noite, o que vai ser?” – Ele pergunta docemente.

“O melhor da casa. A gente ta querendo se divertir e esquecer tudo.” – Falei meio frustrado enquanto olho para os meninos que trocavam caricias e beijos.

Sem falar nada, ele nos entrega as bebidas. Os meninos pegam as bebidas e avisam que vão se sentar mais afastado dali possível.

Ao que parece vou me divertir sozinho essa noite. E novidades?

“Desculpa mas eu tenho um pressentimento de que te conheço de algum lugar.” – O ómega fala todo pensativo. Gente, esse ómega é bem bonito e alto. Tem até cara de santo. Ele não é assediado aqui não?

“Park Jimin, prazer.” – Forço um sorriso antes de dar um longo gole na bebida que por sinal é forte mas boa. Me aquece por dentro de uma forma agradável.

“Ah, isso mesmo. O tão falado Park Jimin.” – Ele fala todo sorridente. Não sei o que ele quis dizer com aquilo mas nesse momento nem tou afim de descobrir.

“Você não é atacado por alfas aqui?” – Pergunto sincero e ele solta um riso super engraçado impossível não rir junto.

“Todo mundo aqui sabe que eu sou marcado.” – Ele fala puxando a gola da camisola pra baixo mostrando a marca. – “E aqueles que não sabem e tentam quase que nem tentam por que o meu alfa trabalha aqui e está sempre de olho e não deixa ninguém se aproximar.”

“Entendo.” – Meio que me arrependo de ter perguntado. A resposta dele meio que me dá uma certa inveja. Inveja por que eu também queria o mesmo pra mim.

“Você parece meio em baixo, veio aqui pra descarregar e esquecer?” – Ele pergunta cauteloso.

“Em cheio. Digamos que a vida amorosa não ta correndo bem. O cupido decidiu não colaborar.” – Solto um riso irónico pra mim mesmo. - “ Bem, te vejo depois…” – Aí percebo que não sei ainda o seu nome.

“Kim Seokjin mas pode me chamar só de Jin.” – Ele tem um sorriso tão doce e simpático. Quem quer que seja o seu alfa, tem de verdade muita sorte.

“Foi bom te conhecer Jin.” – Ele me piscou o olho, eu sorri e me meti por entre a multidão com o copo na mão. Eu me abanava enquanto bebia não demorando pra logo acabar e rapidamente entrar no ritmo da música e começar a me mover de forma intensa e sedutora.Com o calor eu já havia retirado meu casaco e prendido ele na cinta e eu já rebolava, me esfregava nos alfas que começavam a me rodear e já começava a haver um certo clima entre mim e um alfa que começava a me puxar com ele á força e estranhamente, possivelmente devido ao álcool e também pelo choque, eu não tentava lutar contra o jeito agressivo que o alfa estava a começar a me tratar. Isso se tornou estranho em um instante. Por que este alfa estava me arrastando com ele e me forçando a ir sei lá pra onde? Ele já não parecia o cara de cara simpática de á pouco e agora apenas via um cara muito assustador e com um semblante hostil. A situação definitivamente estava perigosa. Eu estava entrando em pânico e querendo gritar mas eu parecia estar dormente.

Pra piorar, o ambiente a minha volta estava meio zonzo e desfocado e a única coisa em que me conseguia focar era no Jungkook que por incrível que pareça estava olhando na minha direção desacreditado.

Desgraçado. Mentiroso. Maldito.

O alfa estava conseguindo aos pouco me arrastar sabe-se lá pra onde á força e eu não estava conseguindo revidar dos seus apertos fortes.

Só sei que quando dei por mim o alfa estava esbarrado no chão com a mão no rosto sangrando e sinto alguém me agarrando o braço. Quando viro pra ver quem era que me tinha safo, vejo que era o Jungkook e apenas me vem aquela vontade de o esganar e chorar.

“Seu maldito! Você vai pagar por tocar no que é meu!” – Ele rosna com voz de alfa e com os olhos já vermelhos.

“O caralho que eu sou eu!” – Ganho a sua atenção quando puxo o meu braço do seu aperto me deixando aquele local vermelho. – “Eu não sou seu porra nenhuma seu maldito desgraçado mentiroso!” – Rosno baixo coberto por raiva sentindo já os olhos lacrimejando.

Com toda a confusão, já todo mundo nos rodeava e não paravam de cochichar e no meio daquela multidão, Tae, o Suga e até Jin apareceram preocupados pra entender o que estava acontecendo.

Antes que pudesse pensar sequer mais um segundo que fosse, ele me agarra o braço uma vez mais e me puxa pra ele esbarrando nossos lábios. O que de início era apenas um selinho logo se intensificou e todo o meu corpo pareceu adormecer e submeter-se por completo ao Jungkook. Se não fosse por ele cercar minha cintura com o seu braço e me apertar bem contra si, eu teria caído direto no chão por que eu simplesmente já não tinha forças pra me manter em pé.

Aquele beijo intenso nada demorado me tirou todo o folego e quando já tínhamos nossos rostos separados, eu me encontrava ofegante e vidrado naqueles lindos lábios. Já não pensava, já não reagia e já não me mexia e eu sabia que estava deixando todo o peso do meu corpo mole para ele suportar, o que não deveria ser fácil.

Vejo os seus lábios mexer á medida que ele fala para alguém atrás de mim mas sou incapaz de entender. Parece que fiquei até surdo. Todo o meu foco estava nele.

Do nada ele me pega estilo noiva e eu rodeio meus braços em volta do seu pescoço aproveitando aquele cheiro confortante e o calor do seu corpo que pareciam me embalar. Enquanto ele me leva pra fora em direção ao seu carro eu pareço estar num transe, de olhos fechados apenas focado em sentir bem aquele seu cheiro e desejando pra que ficasse impregnado em mim também. Já sentia saudades. É estranho admitir mas senti falta dele assim perto de mim.

Quando finalmente chegamos no seu carro, ele abre facilmente a porta de trás e me deixa no banco, fecha a porta e dá a volta ao carro entrando para o lugar de condutor. Ele não tardou a ligar o carro e sair logo dali.

Eu não sei onde ele está me levando mas eu não me importo sinceramente, eu quero apenas que ele esteja por perto, onde eu o possa ver e sentir.

Acabo fechando os meus olhos e me deixo relaxar e cair no sono naquele silêncio confortável.


Notas Finais


Me digam o que acham que vai acontecer?
E onde acham que o Jungkook está levando ele?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...