História Trouxa por opção - YuWin - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter, Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Chenle, Doyoung, Haechan, Jaehyun, Jaemin, Jeno, Jisung, Johnny, Jungwoo, Kun, Lucas, Mark, RenJun, Taeil, Taeyong, Ten, Winwin, Yuta
Visualizações 25
Palavras 1.387
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Fantasia, Romance e Novela, Slash
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - 10-


Com as pazes feitas, as manhãs voltaram ao normal, sendo a mesma monotonia matinal daqueles quatro na mesa da Sonserina. DongHyuck estava literalmente dormindo com o rosto apoiado nos braços. Doyoung e Jisung estavam fazendo trançinhas em seu cabelo ruivo, enquanto Yuta apenas observava por de trás de sua xícara de chá, imaginando como o amigo reagiria quando acordasse.

Na mesa da Lufa-Lufa, um garoto mantinha os olhos voltados para aqueles quatro meninos, especialmente no mais velho deles...

- Enxuga a baba, tá encharcado a toalha da mesa. - disse Ten enquanto bebia seu suco, lendo a coluna de economia de seu O Profeta Diário.

- O que? - SiCheng se empertigou.

- O amor é algo tão bonito... - disse Taeyong, que apoiava-se em um dos cotovelo enquanto rodeava a beira da jarra de suco que estava em sua frente com os dedos da outra mão. Fez bico.

- Certamente que sim querido. - disse Ten ao dobrar seu jornal e o por no colo. Abriu um sorriso.

- Quanta melosidade.

- Não pode não? Amo uma pessoa e gosto de dizer isso. É contra a lei agora? - Ten levantou uma sobrancelha.

- Ten hyung é muito dramático. - disse Chenle.

- Eu não sou dramático.

- É sim. Pior que você só o Jeno quando ele passa pelo Jaem.... - foi interrompido por uma cotovelada do amigo que estava sentado ao seu lado. - Ai!

- Cala a boca Chenle!

- Não liga pra isso meu amor. - Taeyong disse a Ten e lhe selou os lábios. SiCheng revirou os olhos.

- Mas enfim. - Taeyong retomou a conversa. - O que você tanto olha na mesa da Sonserina?

- Não é o que e sim quem. É aquele cara com quem ele duelou no primeiro dia de aula. Nakamoto Yuta.

- Hum...O que tem ele?

- Parece que nosso amiguinho aqui esta gostando dele. - Ten sorriu maliciosamente.

- Eu não.... - SiCheng. Não sabia exatamente se era ou não verdade aquilo. - Parem de falar de mim como se eu não estivesse aqui!

- Ah, então é por isso que SiCheng hyung parece que está voando esses dias? - Jeno perguntou.

- Ãh?

- Você tá aí todo leso, aposto que não para de pensar nele. - disse Ten.

- Não é verdade... - respondeu, mas não tinha muita firmeza em seu argumento, pois sabia que lá no fundo, havia um pouco de verdade sim. Poderia parecer cliché, mas SiCheng se sentia diferente quando estavam perto um do outro.

- Você ficou até corado.

- Não fiquei não.

- Está sim. Vermelho igual tomate.

SiCheng atirou um pão em Ten.

- Para com isso.

Ten riu e voltou a tomar seu café. SiCheng terminou de comer e se retirou.

- Acho que ele gosta daquele menino da Sonserina. - disse Ten.

- Eles formariam um casal bonitinho. - disse Jeno

- É bom que ele se relacione com alguém...Ele é um pouco sozinho.

- Verdade...

- De qualquer forma, espero que ele fique bem. Ele merece.

Deu-se o horário e os alunos se retiraram para as aulas, Doyoung e Jisung um pouco mais rápido que os outros, diga-se de passagem, fugindo de DongHyuck.


            》》》¤《《《


Já pela noite os alunos estavam voltando a seus dormitórios após o jantar. Yuta havia notado que DongHyuck estava um pouco estranho, mas julgou que aquilo era normal, porém, quando estavam se encaminhando para o dormitório, DongHyuck o parou e o pediu para que se sentasse.

- Aconteceu alguma coisa?

- Sim...Er, quer dizer não sei...

- Está com problemas?

- Bom...Talvez...

- Fala logo eu estou ficando preocupado.

- Calma. - tentou sorrir para tranquiliza-lo mas meio que acabou saindo uma careta. - Não é tão importante assim....Pelo menos não pra você.

Yuta se afundou nas almofadas do sofá.

- O que foi?

- Bom...É que...Eu queria perguntar uma coisa já que você é meu amigo mais velho... - DongHyuck estava ficando vermelho, Yuta achou aquilo meio estranho.

- Tá, fala.

DongHyuck mexeu nos cabelos, nervoso. Yuta notou que ainda havia algumas tranças em seu cabelo que não haviam sido desfeitas.

- Hyung, como a gente sabe que ama uma pessoa? - perguntou, a face estando quase tão vermelha quanto seu cabelo.

- Amar como?

- Ah...Amar....do jeito que Doyoung hyung amava você.

- Ah... - Yuta suspirou. - Bom...Não é exatamente algo que se possa explicar...Você só sente.

- Mas como vou saber que não estou trocando as coisas?

- Bom...Sabe que gostar e amar é diferente, certo?

- Sim.

- Então, quando você ama uma pessoa, você se sente diferente... - se endireitou. - As vezes vem do nada sabe? A vida gosta de nos confundir...As vezes ela faz você pensar que não gosta dessa pessoa e pode acabar sendo o oposto...Mas nós sempre descobrimos, nunca vai parecer tão óbvio de primeira...

Ao falar tudo isso, alguns flash de memória passavam pela cabeça de Yuta. Perguntou-se se não estaria ele mesmo ignorando que estava passando por isso. Decidiu ignorar.

- Mas por que a pergunta assim do nada?

- Ah... É que eu gosto de uma pessoa e acho que a amo...

- É o Mark? - com essa pergunta, DongHyuck ficou mais vermelho que seus cabelos.

- Er...

- Nem precisa responder. Quando vocês vão assumir? Vocês se gostam desde o terceiro ano.

- Olha eu não quero ser feito de idiota Ok? Eu quero ter certeza de tudo antes...Não quero acabar como o Doyoung hyung...

Yuta resolveu ignorar a pequena nota de acusação na frase de DongHyuck.

- Você não sabe se ele corresponde, não é?

- Bom...Mais ou menos...ficamos algumas vezes...

- Haechan vocês tem catorze anos.

- Não fique surpreso, você fazia a mesma coisa!

- Er...Não mude de assunto!

- Você quem está mudando.

- Enfim, por que simplesmente não pergunta?

- Não é tão fácil assim. - suspirou. - Se fosse eu não estaria aqui falando com você. - Yuta tinha que admitir que o menino tinha razão.

- Bom....Você só deve ser sincero com ele. Só isso.

- Obrigado hyung. - DongHyuck o abraçou.

- De nada Hyuck...

- Só mais uma coisa. - disse se soltando.

- O que?

- Outra pergunta. Você gosta do SiCheng?

- O que?! - Yuta se assustou com a pergunta repentina e acabou corando.

- Ah, rola um clima entre vocês.

- Ãh? Do que você tá falando cara?

- Vai negar é? Vocês dois combinam, Doyoung disse isso.

- Ele disse?

- Disse. Acho que ele já te superou olha.

- Não diga...

- Okay então. - saiu dali rindo.

Yuta se levantou e foi até o dormitório. Pegou uma toalha e se dirigiu ao banheiro. Ouviu seu amigo cantado enquanto tomava banho em uma das cabines e entrou na do lado.

- Doyoung. - abriu o chuveiro e chamou enquanto se molhava.

- Yuta? Oi.

- Que história é essa que você disse que rola um clima entre eu e o SiCheng?

- Quem te disse isso? - perguntou calmamente.

- Hyuck.

- Ah, mas não deixa de ser verdade.

- É sério isso? - começou a se lavar.

- Você não vê? Tem toda uma tensão quando vocês tão juntos...Vocês deviam namorar.

- Doyoung você tá bem?

- Eu tô ótimo. - pode ouvir o sorriso na voz do amigo.

- Eu hein...

- As vezes você é muito retardado Yuta... - o chuveiro ao seu lado fechou e a cabine de Yuta foi invadida pelo amigo.

Yuta quase teve um treco, não pelo amigo ter invadido seu banho - até porquê já haviam tomado banho juntos várias vezes, principalmente quando eram crianças. - mas pelo amigo ter aparecido sem sinal de que ia fazer isso, o contemplando com um belo tapa na nuca.

- Você tem que acordar cara. Ele está te dando mole. Só vai. - fez um sinal de positivo e foi embora sorrindo. 

- Doido... - Yuta murmurou enquanto terminava seu banho rápido. Saiu e vestiu seu pijama, deitando na cama em seguida.

- Boa noite Yuta-ya. Sonhe com SiCheng, digo, com os anjos. - deu uma risadinha e desligou seu abajur.

Yuta revirou os olhos e se cobriu.

Yuta ficou com aquilo martelando na cabeça. As horas foram passando e ele era o único acordado.

Será que aquilo não era verdade mesmo? Havia alguns dias, Yuta havia chegado a uma conclusão: sentia algo por SiCheng. Mas, não era algo relacionado a amizade?

De acordo com seus amigos não. Mas quem deveria saber era ele, não é mesmo? Tentou esvaziar a mente com outras coisas, mas naquele momento a única coisa que isolava seus pensamentos era SiCheng.

Se ele me visse agora pensou Me chamaria de bobo

Sorriu com isso. Suspirou e voltou a tentar dormir.

Talvez seus amigos tivessem razão 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...