História True Love - Destiel - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Castiel, Dean Winchester, Gabriel, Jo Harvelle, John Winchester, Lúcifer, Mary Winchester, Meg Masters, Miguel, Personagens Originais, Sam Winchester
Tags Destiel, Jolie, Sabriel
Visualizações 69
Palavras 2.726
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


* Desvia das pedras, paus, machados, foices e qualquer coisa que machuque*
Opa! Turo bem com vocês?
Recado pra quem lê isso: Sorryyyyyyyyyyyyy! Eu sei que poderia ter postado antes, mas conhecem o famoso "bloqueio criativo"? Pois é, ele resolveu passar um tempo comigo e só foi embora hoje, muito sem graça. Ainda teve algumas maratonas ai de Teen Wolf, das minhas fanfics de Kuroshitsuji, eu também reassisti todos os novos ep da 13 de Supernatural, que aliás esta ótima, daí não deu pra escrever.
Mas cá estou eu, trazendo um novo capítulo.
Ah, pra quem não sabe, essa fic foi criada a partir de um vídeo e eu não escrevo ela no papel, escrevo no pc e posto. Se eu escrever no papel vou ficar muito enrolada.
Bom era só isso. Leiam.
P.s.: Desculpa os erros, tem alguns que eu nem vejo.

Capítulo 3 - O Professor James Carter e o Depoimento


P.O.V. DEAN
-Mas me diga, Dean, a sala de vocês tem qual fama?- Castiel me perguntou, logo após de abrir uma bala diferente. Era só o que faltava, além do Gabe que é um fã de doces o Cas é um aprendiz dele, só quero ver quantos doces ele vai comer. Bom o record do Gabe ele não passa tão cedo, eu acho, mas também foram dez pirulitos, quatro daquelas gelatinas que vem em potinhos, ainda por cima pra completar toda aquela "gordice" ele comeu 38 balas com um recheio meio estranho. Não, o Cas não passa essa marca tão cedo.
-Bom... Temos a fama da pior turma do colégio, é como dizem: "Eles são aplicados, mas a bagunça que fazem, Deus, parece que você acabou de entrar num lugar que foi quase que completamente destruído por um furacão!", sempre estudamos juntos desde antes de entrarmos nesse colégio o que só facilitou em sermos a pior turma, já que já sabíamos muito antes que podíamos colocar esse prédio abaixo, isso nos motivou e muito. E olha que conquistamos um ótimo lugar.- Falei lembrando as inúmeras vezes em que deixamos os diretores de cabelo em pé, e, soltando um risinho ao me lembrar o dia em que resolvemos nos fingir de comportados, então o diretor entrou pra falar algo mas deixamos ele cheio de ovos e farinha, aquele foi um dia histórico já que a turma toda ficou suspensa... Por uma semana, durante essa semana saíamos de nossas casas e nos encontrávamos  em um parque, nem por uma suspensão íamos deixar de nos ver.
-Mas você disse que são a pior turma no comportamento, como ficam as notas nisso tudo? Todo mundo vai abaixo da média?- Ele perguntou, novamente pegando uma bala, já estava na segunda. 
-O quê? Não! Somos uma perfeição nas notas, sempre muito acima da média. Bom, antes desse colégio não éramos tão bons, era tipo "cagar e andar para as notas, ligar o foda-se", não estávamos nem aí para as notas parecia até que nem queríamos ser alguém na vida, os professores tentavam fazer a gente estudar mas quem disse pra eles que seria simples? Eles tiveram muitos problemas com todos nós. Tínhamos até uma espécie de poema, como assim chamávamos, falávamos para os professores já que esse poema envolvia uma matéria e nossa especialidade, a coisa que mais fazíamos aos professores e entre nós mesmos, era assim: " Conjugação do verbo empurrar; eu empurro, tu empurras, ele cai, nós rimos, ele levanta e nós corremos."- Castiel riu muito depois que eu recitei o nosso "poema"- Não éramos muito bons com conjugação dos verbos, como pode ver "ele" e "nós" aparece duas vezes.
-Ah, cara, vocês não eram bons mas pelo menos foi engraçado, foi engraçado pra caralho!- Ele riu mais, enquanto pegava sua terceira bala, mas acho que ele não gosta de pegar uma de cada vez porque ele pegou mais cinco de uma vez, depois de deixar a que seria a terceira no banco, logo depois abrindo todas e colocando na boca tudo de uma vez! É, ele é um bom aprendiz do Gabe logo logo vão estar os dois com a glicose lá nas alturas.
-De qualquer modo. E quanto à você, suas notas são boas? É bagunceiro?- Perguntei.
-Minhas notas não poderiam ser melhores, bagunceiro eu não sou muito não, mas nem me pergunte se eu sou pegador as inúmeras garotas do meu antigo colégio estão aí pra essa pergunta.- Ele disse com um ar um pouco... Arrogante? Convencido? Agora eu sei que ele é super hétero, o corpo dele grita isso mas eu precisava da confirmação. O negócio  é que provavelmente não vamos passar a barreira da amizade, isso é uma porra. Vou ficar só na vontade mesmo.

Depois de muita conversa e o trouxa aqui quase babar encima do Cas, a porcaria do sinal bateu. Agora eu não teria nenhuma aula com o Cas, pelo menos até o intervalo, as duas próximas eram com ninguém mais ninguém menos que Joshua Turner, um dos garotos mais fofos, meigos e incrivelmente tímidos que eu sou bastante "amigo", Meg e minha querida Charlie. Me despedi do Cas enquanto ia em direção  a sala. Cheguei e já procurei com os olhos Josh, já que havíamos combinado de sentarmos juntos, achando ele bem perto de Meg e Charlie também.
-Josh!- Chamei-o antes de chegar perto de sua carteira, aquele garoto levantou numa velocidade sobre humana não dava nem pra dizer que ele esteve ali, eu já abria os braços para recebe-lo da forma mais calorosa possível.
-Deannnnnn!- Ele meio que gritou e gemeu no meu pescoço enquanto me abraçava.
-Cacete! Isso que é saudade né vadia!- Charlie disse se referindo ao entusiasmo de Joshua ao me ver.
-Ah, Lie, não amola eu estava morrendo de saudades desse loirinho, saudades demais que não seriam contidas em um simples "oi Dean, tudo bem com você?".
-Tudo bem, tudo bem.-Charlie falou.
-Mas, conta aí Dean o que tu conversou com o Cas?- Meg finalmente fez algo além de observar.
-Bom nada de mais só sobre nossa turma ser a pior do colégio, bom isso quando todos tínhamos aulas juntos, bons tempos aqueles.
-Ah, sim. Entendi.- Meg falou pegando o caderno porque a aula já ia começar.

As duas aulas passaram se arrastando bem lentamente, sempre que podíamos conversávamos um pouco mas só quando os professores se distraíam o suficiente, depois eu comecei a pensar:"Primeiro dia de aula, alunos novos, professores novos... Seria ótimo fazer uma primeira pegadinha com  os novos integrantes do nosso grupo...", bom foi esse pensamento que me levou a um caminho cheio de vários outros... Saímos todos os três, Meg, Charlie, Joshua e eu, a caminho das salas de nossos amigos para descermos todos juntos. Passamos na de Balthazar e Gabriel que saíram falando sobre suas aulas. Depois passamos na de Miguel que saiu com uma cara de cú porque a professora já mandou vários trabalhos pra casa, coitado. Passamos na de Lúcifer, foi só Miguel vê-lo que já colocou um sorriso de orelha a orelha no rosto, esses dois se o estado permitir provavelmente vão se casar, acho que farão isso mesmo sem a "permissão". Fomos a sala em que Jo estava, ela saiu decepcionada já que não conseguiu nenhum namorado. Por último fomos a sala do Cas, ele saiu bem radiante cumprimentando seus irmãos cada um com um abraço, a não ser Gabriel a quem ele deu um pirulito, ah Jesus esses dois vão se dar muito mal por causa desse açucar todo. Fomos diretamente ao refeitório, cada um pegou algo de seu interesse claro que o prato de Gabe e Cas tinha mais doce do que qualquer outra comida, se é que doce pode ser intitulado "comida".
-Eu estava pensando... Hoje é o primeiro dia, temos novos amigos, seria legal fazermos mais uma de nossas p-
-PEGADINHAS?!- Charlie, Jo, Miguel, Gabriel, Balthazar, Lúcifer e Joshua gritaram todos juntos como se fosse algo espetacular e incrível, e era mesmo.
-Isso aí, e eu já sei exatamente o que nós vamos fazer...

P.O.V. CHARLIE

Finalmente aquelas vadias e eu íamos aprontar com alguém, já estava com saudades dessas pegadinhas e claro deles todos também. Antes fazíamos pegadinhas só pra ver a cara de bosta dos outros, mas percebemos que isso não era nem um pouco legal, deixa as pessoas  tristes, irritadas, mas elas sempre saíam magoadas no final. Então decidimos que só faríamos pegadinhas críticas, mandando indiretas para as pessoas certas, porém, sem atingi-las diretamente o que funcionou perfeitamente. Separou alguns casais? Separou, mas porque a vadiazinha ou o desgraçado não aguentou a culpa consumindo sua alma. Antes das férias ficamos sabendo sobre um professor que tinha como atividade favorita, abusar de garotas do nosso colégio... O professor James Carter. Um pervertido de primeira linha, não tínhamos nenhuma ideia do que fazer com aquele puto então só nos restou sair de férias e ver se alguém voltava com uma ideia, pelo que parece Dean voltou com uma ideia espetacular.

P.O.V. JOSHUA

Dean sempre me chamou atenção, mas já me toquei que não vai passar de amizade. Ele pensando fica mais lindo meu Deus!
-Bom, vai ser assim: todos nós sabemos que no primeiro dia de aula eles dão uma palestra no horário após o intervalo, sobre diferentes assuntos, sabemos também que esse ano é a palestra "Todos Contra o Estupro", e claro, pela primeira vez o palestrante é o pedófilo do professor James. Sabendo disso eu preparei um material especial para ele apresentar, preparei tudo durante as férias. Coloquei tudo que eu juntei nesse pendrive, tem fotos, vídeos e um depoimento maravilhoso da nossa querida Lisa. Bom ele vai fazer como todos os outros professores fazem, vai colocar o pendrive lá e deixar ele fazer todos o resto.
-Okay espertinho, nós vamos dar o pendrive à ele e ele simplesmente vai achar que está tudo certo, que não a nada de errado? Duvido muito.- Gabriel era um dos que mais o queriam na cadeia, até porque James já tentou abusar dele dentro do próprio colégio.
-Não Gabe, nós vamos pegar o original e trocar pelo meu, vamos fazer isso do modo certo...

P.O.V. GABRIEL

Eu queria aquele cara na cadeia, canalha, nojento, ainda me lembro do dia que ele tentou abusar de mim... Um dia que eu gostaria de esquecer, um dia humilhante. Mas agora vamos fuder com a vida desse desgraçado! Saí junto com todos os outros, tínhamos o plano todo na cabeça cada mínimo detalhe que íamos colocar em prática.

Meg ficou na parte de descobrir onde aquele maldito deixou o pendrive, alguns minutos observando ele de uma distancia segura e ela disse que estava no bolso dele, mas que merda! Isso ia apenas dificultar nosso plano. Bom na verdade acabou facilitando, sabíamos que aquele merda adora "apertar" os alunos, bom Dean era o mais gostoso de nós assim como Lúcifer então eles iniciaram uma luta. Percebi que eles estavam se batendo  mesmo, pra ser bem convincente acho eu, logo o otário do James segurou o Dean que ligeiro colocou a mão dentro do bolso do James e retirou um pendrive de lá, eu estava perto de toda a confusão  então sem que ninguém visse ele jogou o pendrive para mim, Lúcifer viu esse movimento e simulou que iria pra cima de Dean novamente, me dando tempo de lançar o  outro pendrive para Dean que rápido como um ninja colocou-o dentro do bolso de James. Sem nenhum machucado os dois não precisaram ir a diretoria ou a enfermaria. A primeira parte do plano estava feita, faltava agora deixar a magia acontecer.

P.O.V. MIGUEL

Eu não acreditava que estávamos mesmo fazendo aquilo, fazia tanto tempo que não fazíamos uma pegadinha pensei que tínhamos perdido a manha, mas quando vi Dean e Lúcifer fazendo algo tão profissional quanto aquela briga, ainda não sei como Deam pegou o bendito pendrive e trocou por outro. Foi algo incrível. Fomos todos chamados para a palestra, então vi que os professores também iam participar algo comum quando é a primeira vez que se é palestrante. Só que algo me chamou a atenção... Tinha alguém de farda lá... Seria uma fantasia...? Meu Deus! Tem um rádio daqueles que os policias se comunicam, ai meu Jesus... É mesmo um policial!

P.O.V. JO

Nós tínhamos tudo pronto, não tinha como o professor se livrar dessa. Então eu pensei: "E se eu chamasse um policial? Contasse todo o plano e pedisse que eles seguissem todo o roteiro preparado pelo Dean?", pois eu fiz isso mesmo, chamei os policiais... O batalhão todo, na verdade. Depois de conferir que professores, alunos em geral, funcionários, o diretor e principalmente a policia estavam lá, me sentei e vi Castiel mexendo  em alguma coisa, no meio da escuridão, no computador do professor. Sabia que ele estava programando aquilo pra que o professor não conseguisse parar de passar o que havia no pendrive. A primeira coisa que passou foi o "depoimento" de Lisa:
        Bom, meu nome é Lisa. Estou no último ano e vou contar como o professor James Carter  abusou de mim... Na sala do diretor... Eu não sei desde quando ele estava naquela sala, eu entrei pra deixar alguns papéis que o diretor havia me pedido. Só que quando eu entrei ele, o diretor, não estava lá mas James estava. Eu pensei que só deixaria os papéis lá e sairia, fui uma tola, James me segurou pelo pulso e me jogou violentamente na mesa do diretor, eu acabei batendo a cabeça com força na parede, naquela época a mesa era deixa encostada lá, com o impacto acabei desmaiando. Fiquei assim por poucos minutos, posso afirmar isso porque quando acordei ele estava começando a tirar minhas roupas íntimas. Ele segurava meus pulsos com muita força, ele não tinha feito nada até o momento. Então ele me mordeu, saiu sangue eu podia sentir escorrer pelas minhas costas, até esse momento eu só podia senti-lo duro atrás de mim, mas parecia que meu sangue escorrendo deu mais tesão a ele... Então ele me penetrou... Poderia até dizer que "doeu como o inferno", mas aquilo era infinitas vezes pior do que o inferno, aquilo queimava, rasgava e doía muito. Mas não era o meu corpo que sentia isso e sim minha alma. Eu me sentia suja. Só estávamos eu e ele no colégio, eu havia decidido ir aquele horário porque não tinha tanta gente atrás do diretor. se eu soubesse teria evitado aquela sala ao máximo possível. Eu gritei muito. Só que chegou uma hora que meus pulmões não aguentavam se esforçar tanto. Então eu parei de gritar, eu só chorava, enquanto meu corpo ia pra frente e para trás e eu podia ouvir cada parte da minha alma se despedaçando.

P.O.V. LÚCIFER

Aquele depoimento deixou muita gente sem chão, eu conseguia ver algumas pessoas chorando na minha frente, eu não tinha visto o conteúdo antes então fui pego de surpresa com tudo aquilo. Então a voz do Dean começou a sair pelos auto-falantes:

Olá, eu sou Dean Winchester e estou no penúltimo ano, a alguns dias fiquei sabendo que o professor James Carter abusava de algumas de suas alunas e alunos, então fiquei alguns dias de guarda perto de sua casa e coloquei meu amigo Balthazar Novak  de guarda no colégio, bom as fotos a seguir foram tiradas por ele: como vocês podem ver James Carter segura um pano branco na boca da garota e uma faca perto de seu coração, não a escapatória para ela. Assim como podem ver nessa sequência, ela tenta se soltar até que ele faz um corte mínimo no pulso direito dela, ela fica quieta enquanto ele faz tudo o que deseja. Ele usa a mesma tática para outras garotas, sempre conseguindo destruir os sonhos de uma garota inocente, enquanto nesse colégio ele é visto como o melhor professore que  tiveram em anos.

Dean foi muito inteligente bolando esse plano, esse desgraçado tá ferrado.

P.O.V CASTIEL

Depois dessas inúmeras fotos, vieram vídeos com o mesmo conteúdo. Dean consegui outros depoimentos, mas o de Lisa foi de longe o mais comovente ainda mais quando ela apareceu por último novamente:

Eu... Me deito a noite em minha cama e penso: " E se eu tivesse ficado em casa? Não teria passado por essa humilhação.", eu ainda acho que foi só um pesadelo, mas então eu sinto um chute e vejo que não foi um pesadelo. Um chute por quê? Bom, porque eu fiquei grávida a partir desse incidente, eu poderia ter abortado, mas esse anjinho não tem culpa de nada. Eu vou tê-lo e ser uma ótima mãe para ele, porque mesmo que ele tenha vindo depois de uma coisa terrível ele ainda é minha benção.

Depois disso ela foi perto do policial que prendia o professor James Carter, com aquele barrigão lindo, com microfone em mãos e algemas e falou:
-James Carter, você está preso. Ah, não terá nunca o direito de ver seu filho.

Todos vieram nos dar os parabéns pela iniciativa. Lisa chorava de alegria por finalmente ter a certeza que aquele canalha vai ser preso. Tiramos uma foto com todos que participaram da "pegadinha", entrevistaram todos nós como se fossemos as estrelas. Mas eu estava pouco me importando pra fama, eu fiquei feliz por ter ajudado tantas pessoas que sofreram abusos e também ter impedido que outros acontecessem. 

Continua...
 

 


Notas Finais


Dae! Gente eu sei que ninguém é obrigado a favoritar, mas gente, cada favortito é um incentivo, então se vocês quiserem e puderem deixem seus favoritos, eu agradeço imensamente.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...