História True Me - Capítulo 32


Escrita por: e WuGray

Postado
Categorias Super Junior
Personagens Cho Kyuhyun, Choi Siwon, Henry Lau, Kangin, Kim Jongwoon, Kim Kibum, Kim Youngwoon, Lee Donghae, Lee Hyukjae "Eunhyuk", Lee Sungmin, Park Jungsu, Shin Donghee, Yesung
Tags Dupla, Eunhae, Kyumin, Personalidade, Tdi, Yewon
Visualizações 54
Palavras 4.915
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Lemon, Luta, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aaiin genteeee... Volteeei... GameKyu aqui. E agora com um puta capitulo de 5 mil palavras..
Só digo uma coisa... GOSTO ASSIM!!!!

Segundos meus calculos faltam em torno de 4 ou 5 capitulos para acabar a fanfic! Quem vai ficar triste? Hahahaha

Boa leitura a fotos s2

Capítulo 32 - Capítulo 30


Dae Guk havia assumido o corpo de donghae há muitos minutos e  andava sem rumo pelo hospício, observando tudo. Queria fazer alguma coisa engraçada e útil, mas o único amigo, KyuHyun, estava “desaparecido”. Ele não fazia ideia de onde ele poderia estar.

— Que saco! — faltou para si mesmo. — Não tem nada pra fazer nessa merda!

Depois de muito andar por aquele “mausoléu”, Dae Guk resolveu se  sentar num canto, simplesmente esperando algo de bom acontecer, porém, ficou tudo como antes.

Ele estava ficando estressado, precisava fumar algo. Resmungou ao sentir a perna enfaixada começar a pinicar, ainda não poderia sair sem cadeiras de rodas, mas Dae Guk dava a mínima pra isso, não acatava as normas médicas, achava as um saco.

— Acho que vou ir ao consultório  do Yesung, quem sabe ele nao me ajuda? — Continuou falando para si mesmo enquanto se levantava. Ele ainda pensava no amigo, onde caralhos estava KyuHyun? Ele deveria estar fazendo criancisse com aquele outro nanico retardado chamado Ryeowook. Dae Guk não gostava dele, alguma coisa não lhe cheirava bem.

O alter ego se viu de frente para a porta do escritório do psicólogo, então colocou a mão na maçaneta e a abriu de uma vez, sem nem mesmo bater. Porém, o que viu foi bem mais interessante do que pensava: Yesung estava de quatro, segurando fortemente o divã e Siwon metia nele como Dae Guk nunca vira em um vídeo pornô antes.

Paralisou ouvindo o gemido dos dois. Aquilo era muito melhor do que esperava.

Yesung percebeu quando uma luz, que não estava lá antes, batendo no seu rosto, e olhou para onde a mesma vinha. Não acreditou quando encontrou Donghae, ou melhor, Dae Guk, parado na porta olhando para ele. Se assustou e gritou.

Siwon teve a mesma reação  quando também percebeu o menino parado na porta, petrificado. Saiu de dentro do namorado e tampou o membro exposto, Yesung fez o mesmo. Ambos se sentaram no divã e olharam para Dae Guk sem saber o que fazer ou o que falar,  estavam morrendo de vergonha e se esqueceram de todas as palavras que existiam no mundo. 

— Yesung, Yesung… — Começou ele sorrindo abertamente. — Eu não acredito!!!!!! — O alter ego fechou a porta para não ter mais nenhuma outra testemunha.

— Q-Qu-e... 

— Nem trancou a porta, doutor? Aah, impossível!! Amadores!!!!!.. Por que parou? Finja que eu não estou aqui! — Dizia Dae Guk mais excitado do que nunca. Ninguém falou nada, então o alter ego continuou. — Eu sabia que você era delicioso, Siwon, só não esperava que fosse tanto…

Dae Guk percebeu que Yesung estava muito constrangido para dizer alguma coisa e, mesmo que ele quisesse continuar a brincar com a mente do psicólogo,  o respeitava acima de qualquer outra pessoa no mundo, então decidiu deixar aquilo por ali.

— Hyung, eu realmente queria ajudar nessa brincadeira maravilhosa aí, mas eu vim porque estava no tédio, porém…. Vejo que tem bastante coisa para fazer. — Sorriu, vendo o doutor ficar mais vermelho ainda. — Vou deixar vocês sozinhos. — Piscou Dae Guk andando de costas até voltar para a porta.

Yesung ia falar algo, mas o menino saiu antes que ele pudesse. Suspirando, olhou para baixo, mais especificamente para seu pênis, estava explicitamente excitado. 

— Isso é um problema... 

— O que é um problema? 

Guk se assustou e virou pra trás, vendo o diretor parado atrás de si. Perto demais para aquela situação. 

— N-Nada… Sem problema. O que está fazendo aqui? — Guk se aproximou mais e automaticamente, Leeteuk foi para trás. 

— Quero falar com o Yesung… Se não tem nada a dizer... — Leeteuk disse e ia entrar no escritório onde, provavelmente, Yesung ainda estaria nú com Siwon. 

— Ah, mas! — Dae Guk parou em frente à porta, a tampando com os braços. — Na verdade, eu preciso de ajuda na... na... cantina! Vamos, eu estou com fome! — Ele pegou o braço do diretor e foi o puxando para a cantina entre protestos e arranhões.

—  Mas o que você tá fazendo? Eu tenho que falar com o Yesung!!

— Não! Você precisa comprar algo pra eu comer... Vamos! Ah! — Parou Dae Guk… —  Quase me esqueci, você não tem algo pra mim né? — Olhava esperançoso. 

Leeteuk sorriu, sabia o que o castanho queria, cigarro, drogas, sexo... Mas não o daria. 

— Claro que não, Guk! Pelo amor!

O rapaz fez um bico e seguiu bravo até a cantina, onde escolheu algo pra comer. Estava realmente precisando de um doce para lhe tirar a vontade de fumar ou transar.

Escolheu um com bastante chocolate, o qual o diretor comprou pra ele e o insistiu a sentar consigo. Não queria que ele fosse até o escritório de Yesung, pois não sabia o que ele estaria fazendo, apesar de que tinha certeza que o psicólogo não continuaria a fazer o que lhe foi interrompido. 

— Vai me falar por que não quer que eu fale com o Yesung? Foi alguma coisa que você fez e não quer que eu te dê uma bronca? — Começou Leeteuk, comendo seu croissant.

— Aigoo, porque pensa isso de mim? Eu nunca faço nada errado! Sou um santo! — Guk disse rindo de si próprio.

~~~

O dia ia acabando e Eunhyuk estava super animado para passar mais uma noite no hospício. Dessa vez, iria sozinho com Donghae. Decidiu que ia pedí-lo em namoro, agora oficialmente.  Estava nervoso, pensava: e se ele negasse? E se se sentisse inseguro, e não ocorresse do jeito que ele havia imaginado? Estaria ele exagerando muito? Talvez sim, talvez não!

Essas perguntas insistiam em sua cabeça desde que Leeteuk permitiu sua estadia no local. Não conseguiu focar no treino direito e se penalizou por isso, pois a cada dia que passava, se aproximava da etapa final do concurso.

Eunhyuk arrumou suas coisas em uma mochila, como pijama e cueca e saiu de casa, dando um beijo em sua mãe. Seu pai ainda não falava consigo, então não fez muita questão de falar algo e levar uma patada desnecessária.

O caminho até o lugar não era longe, porém, precisava esperar o ônibus, e após isso, ele chegaria tranquilo até seu destino final. O que preocupava o dançarino era o tempo. A chuva começava a dar sinal de vida.

~~~

DongHae acordou no meio do pátio. Não se lembrava de ter ido até ali, então, o que havia acontecido?

— Ai!  — Disse ele colocando a mão na cabeça.

A dor de cabeça não era pela mudança de personalidade, mas sim, pelo fato de ter ficado em uma por mais de 5 horas. A tontura chegava a incomodar, mas nada que ele já não estivesse acostumado.

Se levantou devagar, sentindo a perna doer. Onde caralhos estava sua cadeira de rodas? Pensando nisso, foi em direção ao seu quarto, devagar, onde pegou o remédio que lhe ajudava nessas situações e sentou na cadeira, sentindo o alívio nas pernas. A enfaixada doía muito, o que lhe fez achar que devia ter ficado em pé por muito tempo.

Decidiu pensar em outra coisa para distrair da dor. Em KyuHyun, claro! Onde estava ele? Havia saído para uma aula extra de xadrez com Ryeowook e não havia voltado até aquele momento.

DongHae sorriu, era impressionante como KyuHyun gostava de jogos, independentes de serem os mais chatos do mundo. Decidiu ficar um pouco sentado para ver se passava a dor de cabeça antes da hora do jantar, mas então uma voz conhecida o chamou pelos auto falantes.

— Lee DongHae, favor compareça à recepção. — Uma enfermeira chamou.

DongHae estranhou, pois nunca foi chamado na recepção. Demorou mais do que o previsto para chegar, mesmo indo pelos atalhos, devido ao aparelho na qual ainda não estava acostumado. Ficou chocado quando viu quem era.

Eunhyuk estava parado lindamente com sua mochila preta em suas costas. DongHae foi até ele e o abraçou. Estava com saudade dele, não via ele desde o hospital e DongHae não estava em suas melhores condições, mas também não estava na pior.

— Vai passar a noite aqui?? Que ótimo!!! Por que eu não fiquei sabendo disso? E por que você está todo molhado? Pegou chuva? Oras, nunca anda com guarda chuva, não é? Vai tomar banho quando chegar no quarto. — DongHae falou rápido, demonstrando preocupação enquanto se deixava levar pelo outro.

— Eu deixei mensagem no celular mas você não visualizou!  E estou molhado porque peguei chuva,  mas não imaginaria que choveria tanto.

— Aah... O celular tem ficado com KyuHyun durante esses dias. Eu não sei o porquê de ele querer tanto, mas eu deixo!

Eunhyuk riu...

— Hae… Alguma vez já leu um quadrinho chamado "O rei amável"? — Começou Eunhyuk.

Donghae o olhou curioso, respondendo indiretamente a pergunta do maior. Hyuk riu.

— O rei era bastante amável, deu a todas as pessoas dinheiro e terras, mas então...  Ele perdeu o seu país e todas as pessoas se revoltaram contra o rei, mas eu o amava. Provavelmente, foi meu primeiro amor... 

DongHae ainda o olhava curioso, onde Eunhyuk iria com aquela história?

— Você é como aquele rei, Hae. — Disse parando e se agachando para ficar na mesma altura do menor. — A maneira como perde as coisas por causa da sua amabilidade, por você ser muito gentil, por você ver os problemas dos outros antes do seu próprio... — Eunhyuk deu uma pausa para que ele dissesse algo, mas DongHae continuou calado. — Penso que você será um grande rei, Hae... É por isso que...

Eunhyuk foi silenciado por um beijo sereno e sincero do, talvez, futuro namorado.

— Eu também te amo, seu lindo.

Eunhyuk sorriu e lhe deu mais um selinho antes de seguirem finalmente até o quarto.

Donghae amava a companhia de Hyuk, ele era atencioso, amoroso, amigo e estava consigo sempre que precisava.

 

Chegaram ao quarto e como sempre estava tudo arrumado, o mesmo quadro de fotos, a mesma bagunça. Parece até que foi ontem que ele veio pela última vez.

— Aqui não mudou nada! — Dizia Eunhyuk.

— Não tem muita coisa para mudar aqui. — Dizia DongHae um pouco sem graça. — Aah o Kyu... Está com o Ryeowook fazendo uma aula de Xadrez.

— Ryeowook? —  Perguntou Eunhyuk. Não conhecia esse terceiro indivíduo.

— Aah Ryeowook é um outro menino que anda com a gente aqui.

Eunhyuk pensou que sem a presença do maknae aquele seria a hora perfeita para o pedido. Foi até sua mochila e pegou a caixinha estava guardada já fazia alguns dias. Donghae o olhou curioso.

— Que é isso Hyuk?

Eunhyuk então se ajoelhou e abriu a caixinha. DongHae petrificou.

— DongHae... Não é nenhuma novidade que eu te amo demais, e a cada dia que passa, esse amor só aumenta. A saudade que eu tenho de você a todo segundo que estou distante, e quando estou perto quero ficar cada vez mais perto. Sabe, às vezes eu acho que você é fruto da minha imaginação, porque olha, nunca conheci alguém que me completasse tão bem, nunca conheci um olhar que eu tenho tanta vontade de ficar apreciando… Eu quero te dizer que você é meu tesouro, a alegria dos meus dias, a pessoa que eu espero o dia todo para contar banalidades que me ocorrem e quero saber se você gostaria de ser, oficialmente, o meu amor daqui por diante. Aceita namorar comigo, Lee DongHae?

DongHae chorava e o olhava sem saber o que responder, aquilo nunca havia acontecido com ele antes, e pela sua doença, nunca esperou realmente que acontecesse.

— Isso está realmente acontecendo? — DongHae perguntou ainda nas nuvens. Eunhyuk sorriu e concordou. — É Claro que eu aceito... Eu te amo HyukJae.

Eunhyuk sorriu e colocou a aliança no dedo de DongHae, pegou a segunda aliança e colocou em si, havia ficado perfeito. Abraçou DongHae com todas suas forças, colando seus lábios logo em seguida. O mais velho realmente não pensou em algo muito grande, até porque sabia que não poderia tirar DongHae daquele lugar, mas pensou em palavras especiais que saberia que ele ia gostar, escolheu a aliança especial que combinasse somente com a personalidade do seu amado. Foi altamente pensando no amor que sentia pelo pequeno. Simples, mas completo.

DongHae se levantou fazendo força com o pé, queria beijar direito agora seu atual e primeiro namorado. O beijo ficou mais intenso e Eunhyuk forçou sua cintura na de DongHae, o ouvindo gemer e sentindo uma semi excitação no menor. Sorriu e sentiu a mão do DongHae segurar sua cintura pedindo por mais contato, o que foi prontamente atendido.

O beijo foi cortado devido a falta de ar de DongHae, que era o mais inexperiente no assunto, mas deu e Eunhyuk a liberdade de ir trancar a porta do quarto e tirar sua blusa, logo depois tirando a de DongHae devagar, olhando em seus olhos, mostrando com o reflexo de sua córnea todas as malícias que se passavam em sua mente nesse momento enquanto via o abdômen definido do recente namorado.

DongHae parecia tímido, mas mordeu os lábios indicando que queria mais. Eunhyuk chegou bem perto e sussurrou em seu ouvido "Eu só continuo se você quiser",  e mordeu de leve sua orelha, ouvindo um gemido.

Eunhyuk sorriu novamente e olhou para DongHae, esperando a iniciativa que chegou logo após quando DongHae tomou aqueles lábios que tanto queria enquanto Hyuk passava sua mão pelo abdômen definido do outro.

Eunhyuk sabia que DongHae, a personalidade principal, era virgem e como parte do pedido de namoro queria proporcionar todo prazer do mundo para ele.

— Hoje eu vou te dar todo o prazer que você merece... E você não vai fazer nada a não ser aproveitar.

DongHae assentiu em resposta e Eunhyuk voltou a beijá-lo. Sua mão foi para o cós da calça do namorado e sentiu a cintura de DongHae indo para frente pedindo por mais contato. O mais velho então abriu o botão da calça e abaixou o zíper bem devagar, deixando propositalmente sua mão encostar no membro do moreno por cima da box azul.

DongHae suspirou pesado e se deixou ser levado pelo mais velho. Arrepiou quando sentiu a mão de Hyuk acariciando seu membro por cima da cueca, gemia baixinho. Eunhyuk colocava sua orelha perto da boca do menor, o ouvindo gemer só pra ele. Começou a beijar seu pescoço e sentiu DongHae apertar sua cintura mostrando que estava indo no caminho certo.

Não era nem de longe a primeira vez que Hyuk transava com um homem e era bem experiente no assunto, sabia ler o corpo humano como nenhuma outra pessoa.

Foi empurrando o moreno até o mesmo bater a perna na cama e cair... Aproveitou o tombo e terminou de tirar a calça do outro, vendo o mesmo ficar com vergonha.

Aquilo foi muito sexy para o dançarino. Puxou-o de novo para mais um beijo, agora mais caloroso, mais necessitado. DongHae correu a mão pelo seu abdômen e a levou até o membro desperto na calça, porém Eunhyuk segurou sua mão e a levou para cima, a prendendo na cama.

— Não! Hoje sou eu que vou te dar prazer. — Eunhyuk dizia olhando em seus olhos e logo depois voltando a maltratar seu pescoço.

DongHae gemia baixo, tentando diminuir o barulho. Eunhyuk descia os beijos e brincadeiras de língua pelo peito, abdômen e virilha, sentindo o corpo de DongHae se contorcer e pedir por mais, sua mão brincava com o resto do seu corpo. Chegou ao seu membro e passou só o nariz de leve na extensão, sentiu DongHae suspirar e mexer a cintura. Abaixou a cueca e viu seu membro pular pra fora, era maravilhoso, Eunhyuk passou a língua nos lábios, imaginando o gosto do menor. DongHae colocou as mãos no rosto com vergonha. Eunhyuk riu, ele era sexy e fofo ao mesmo tempo. Pegou seu membro e começou a fazer movimentos leves, sentia o corpo de DongHae pedir por mais, então assim o daria, colocou toda a extensão em sua boca e chupou com vontade. DongHae gemeu alto e apertou o lençol com força enquanto forçava a cintura pra frente.

Eunhyuk brincava com os mamilos de DongHae enquanto o chupava com vontade, com força. DongHae era uma delícia. Não passou muito tempo nessa posição até Eunhyuk sentir que DongHae estava prestes a gozar, então parou. DongHae gemeu em reprovação mas Eunhyuk sorriu novamente e colocou dois dedos na boca do outro.

— Chupa!

E assim aconteceu. Eunhyuk se deliciava com aquela visão e imaginava se aquilo fosse com seu pênis. Queria muito DongHae lhe chupando, mas hoje iria focar em apenas dar o prazer ao menino. Quando achou que era suficiente, tirou os dedos e os levou até a entrada alheia forçando de leve.

DongHae suspirou e então o ativo daquela relação colocou o primeiro dedo, mexendo devagar, mas não ouviu reclamações então colocou o segundo.

— Tem certeza que é sua primeira vez? — Perguntou Eunhyuk vendo que DongHae não reclamava de nenhuma dor, que seria normal.

— Para Dae Guk, não. — Dizia DongHae sorrindo. Graças ao alter ego ele não iria sentir essa dor, agradeceu internamente por isso.

— Bom.. Sendo assim...

Eunhyuk então tirou sua própria calça e sua box que machucava seu membro já bem desperto. DongHae babava enquanto olhava para o corpo do namorado, Daeguk tinha razão... Realmente aquilo era muito bom.

Sentiu o membro de Hyuk na sua entrada e por um momento ficou com receio daquilo, mas não demonstrou. Então sentiu Eunhyuk aos poucos entrar e se contorceu com o prazer que sentia, e em segundos o corpo de DongHae já se movia sozinho querendo mais contato. Hyuk sentiu vontade naquele exato momento, DongHae era muito perfeito. Então começou a se movimentar, primeiro devagar e aos poucos foi aumentando a velocidade e a força. DongHae se perdia entre o prazer e gemia incansavelmente, Eunhyuk estava amando tudo aquilo, Soava de cansaço mas não pararia nunca, estava no paraíso nesse momento. Metia com vontade, queria aquele corpo faz tempo, aproveitou seus pensamentos e lambeu o mamilo do moreno, o mesmo segurou seu cabelo para descontar todo o prazer que sentia. Hyuk não parou com os movimentos, queria que o tempo parasse naquele momento e que nunca mais voltasse.

Voltou a realidade quando DongHae praticamente gritou, seu membro se espremeu dentro dele, havia encontrado sua próstata e agora o outro estava louco e isso fazia com que o mais velho enlouquecesse também. Ficou mais um tempo ali antes de tirar seu membro, recebendo uma reclamação do DongHae que estava satisfeito com aquele contato contínuo de entrar e sair frenético.

Eunhyuk beijou DongHae com vontade, o menor acariciava seus cabelos carinhosamente, O mais velho se sentia nas nuvens.

— Hae. — Sussurrou lambendo o ouvido do menor logo em seguida. — Fica de quatro pra mim?

DongHae arrepiou ao ouvir Hyuk proferindo aquelas palavras em seu ouvido e prontamente atendeu, mesmo que com muita vergonha. Enquanto isso, Eunhyuk se deliciava com a visão, mas não por muito tempo, estava excitado demais e precisava de mais daquilo, então enfiou novamente.Devido a mudança de posição seu membro foi prensado novamente e não conteve um gemido alto antes de voltar a estocar, agora indo diretamente onde DongHae mais gostava.

Os dois suavam, as gotas de chuvas de minutos atras de misturavam com a água quente e salgada natural do corpo humano. Eunhyuk deu um tapa na bunda de Donghae, o ouvindo gemer mais forte. Mais gostoso aos ouvidos dele.  Quanto mais Eunhyuk estocava mais donghae empinava a bunda em busca de mais e mais contato físico, seus pelos se arrepiaram todo. E isso só piorou quando sentiram o orgasmo chegando.

Donghae tremia na cama, Hyuk aproveitou e pegou seu membro, o masturbado ao mesmo tempo. DongHae gemeu alto demais, e em poucos segundos desmanchou na cama.

Eunhyuk, sentindo seu membro ser pressionado gozou também dentro de Donghae e caiu ao seu lado. Respirando rápido.

— Caralho... Tô morto! — Eunhyuk dizia rindo enquanto tentava recuperar sua respiração.

Donghae caiu com o peito virado para baixo, também respirando pesado... Não havia nada a dizer só a sentir. Pegou a mão de Hyuk e juntou agora as duas alianças.

— Elas serão especiais pra sempre.

—  Disse DongHae. Eunhyuk sorriu e concordou. —  agora é melhor você ir tomar banho, já já KyuHyun deve chegar

Eunhyuk levou um susto, tinha totalmente se esquecido do Maknae, que sorte de ele não ter chego!

Não durou dez minutos o banho dos dois e antes mesmo que KyuHyun chegasse, eles já se encontravam caídos na cama. Estavam cansados e queriam dormir.

~~~

Era tarde e Leeteuk se encontrava no escritório resolvendo um último relatório antes de colocar as mudanças em prática, queria terminar logo para ver o resultado. Porém, seu cansaço o impediu de se concentrar nas inúmeras letras e gráficos que compunham a página do Word, por isso, desistiu daquilo e desligou o computador.

Pegou suas coisas e saiu andando pelos corredores em direção a saída. Como todos estavam em seus dormitórios, os corredores eram escuros, e a única fonte de luz eram algumas lâmpadas fraca do teto. Já ia embora quando ouviu uns cochichos e foi ver o que seria.

Era Kibum, ele cochichava com outros quatro meninos. Aquilo era um pouco suspeito. Decidiu tentar escutar o que diziam, mas eles saíram correndo. Leeteuk esperava profunfamente que eles não fugissem de novo.

Deixou aquilo pra depois, agora estava muito cansado para pensar em qualquer solução. Só queria ir até o seu namorado e dormir de conchinha com ele para ficar bem renovado para o dia seguinte

~~~

DongHae acordou manso, ainda estava abraçado com seu, agora, namorado. Sorriu sozinho e o abraçou mais forte. Poderia ser considerado o homem mais feliz do mundo nesse momento.

Olhou para a cama do lado, KyuHyun finalmente havia chegado e estava dormindo todo jogado de qualquer jeito na cama.

Sentia o peito de Eunhyuk subir e descer conforme sua respiração, focou nessa sensação, lembraria desse dia por um longo tempo. Se sentia confortável e protegido.

Tentou se levantar, mas foi impedido por uma mão que o agarrou fortemente. Eunhyuk ainda tinha seus olhos fechados, mas ao mesmo tempo pedia para DongHae não sair da cama.

— Eu tenho que me trocar para o café da manhã...

— Não! — Disse Eunhyuk ainda manhoso, se aproximando do namorado.

— Sério! O almoço sai tarde... Se não tomarmos o café da manhã você vai se arrepender!

Eunhyuk abriu um pouco os olhos, se virou na cama, ficando com o peito virado para cima.

— Depois eu compro algo para a gente na cantina… O que acha?

DongHae sorriu e concordou. Voltando a abraçar Eunhyuk e dormir novamente.

~~~

Era em torno de quatro horas da tarde quando a dor de cabeça chegou novamente a DongHae, que caiu no chão devido a intensidade. Eunhyuk lhe abraçou, lhe dando o suporte que ele precisava para não ser tão incômodo como geralmente. Donghae acabou desmaiando.

Ao abrir os olhos e sentiu os braços que lhe abraçavam.

—  Se quer me comer, faça isso logo. — Falou, o que fez o maior dar um pulo para trás. — Sabia que você era frouxo... Que triste, pois é gostoso!

— Dae... Guk? — Arriscou o namorado.

— Ah, meu amor, você já me conhece! Sabia que era especial. Vamos! Tenho que falar com Yesung urgente antes que eu vá embora.

Eunhyuk percebeu lágrimas nos olhos do alter ego, mas ele se esforçava para mantê-la dentro do corpo. Sorria para tentar enganar a si mesmo. Eunhyuk não entendia o que estava acontecendo.

— Ele deve estar na sala dele. — Disse Eunhyuk.

Dae Guk levantou e sem dizer mais nada, foi até a sala do psicólogo. Dessa vez, batendo antes de abrir.

— Entre! — Ouviu o moreno dizer e assim ele abriu.

Yesung corou quando viu quem era. Dae Guk riu, mas decidiu ir direto ao assunto.

— Yesung.. Agora está conversável.

—  A... Algum problema, D-Daeguk?

Eunhyuk franziu o cenho, que estava acontecendo?

— Humpf... Preciso falar com você Hyung! A sós.

Yesung concordou e pediu para Eunhyuk sair por um momento.

— Não!! Não aqui!! É importante… Eu preciso estar relaxado! Eu quero sair Yesung… Sério, rapidinho, só hoje!!

— DaeGuk eu já sei onde você quer ir... Você não vai pra lugar nenhum!

Uma lágrima caiu dos olhos de donghae. Ops, Dae Guk.

— Por favor, hyung... É meu último pedido! — Guk olhava vidrado nos olhos do psicólogo. O mesmo nunca havia visto o ego pervertido chorando, normalmente quem fazia isso era apenas DongHae e MinHyun.

— Okay, okay — Yesung estava assustado.

O que estava acontecendo com os alter egos do DongHae? Ele não entendia e isso o assustava, apavorado, não sabia se estava progredindo ou regredindo. Tentava avançar sua pesquisa sobre a irmã do menino, mas não conseguira nada até o momento e isso o frustrava. Faria esse desejo do Guk para ouvir o que ele tinha a dizer.

Levantou e tirou seu jaleco, passando de psicólogo para um simples cidadão dentro daquele lugar.

— YEEAH! — Guk sorriu e abraçou Hyuk, que ficou sem reação, mas automaticamente, o abraçou de volta.

— Bom... Vamos então! Você vai se trocar?

— Não! Vou assim mesmo. — Disse sorrindo. Dae Guk estava feliz, finalmente iria a seu lugar preferido no mundo, uma boate. Estava ansioso. — Eunhyuk, eu sei que você queria transar com DongHae mas agora eu tenho que sair com Yesung..

— AAAH N-NA...NÃO.. E-EU...

— Eunhyuk, eu levo as suas coisas depois. Eu preciso conversar com Dae Guk sobre seja lá o que for. — Yesung dizia sorrindo.

O doutor passou pela recepção, dando permissão para a saída do paciente e finalmente Guk conseguiu respirar um ar que não fosse de gente doente.

— O ar é diferente aqui fora. —  Guk dizia sorrindo.

— Impressão sua! Vamos! Eu ainda estou em horário de serviço.

Não demorou mais de vinte minutos para chegarem e então Dae Guk já foi direto ao bar pedir três shots de tequila, bebendo uma atrás da outra.

— Woow calma, aí!! Você tem muita coisa pra me contar ainda! —  Repreendeu Yesung.

— Calma... Eu preciso ficar a vontade primeiro, doutor.. Já volto! — Dae Guk saiu atrás de uma das iscas que estavam dançando loucamente na pista.

Yesung ficou de boca aberta enquanto via o alter ego saindo encoxando alguns meninos para ver quem se interessava.

Yesung negou com a cabeça e pediu uma bebida para si.  Já que estava lá e teria que esperar Dae Guk de qualquer jeito, decidiu aproveitar.

Viu Dae Guk pegando a mão de um menino loiro e o levando para fora.

— Humpf.. Impressionante como ele consegue sexo tão fácil. — Yesung disse para si mesmo e decidiu pedir mais um drink.

Não demorou 20 minutos e Dae Guk apareceu ao seu lado novamente, com o cabelo bagunçado e a blusa um pouco aberta.

— Satisfeito?

— Muito melhor. —  O alter ego sentou em uma das cadeiras e se virou para o moreno. —  Agora... Eu queria fazer isso... — Dae Guk se aproximou do psicólogo e colocou a palma da sua mão na cabeça do moreno, que ficou confuso com a ação do menino.

—  Eu...

— Yesung, hyung... Você sabe que eu te amo… Não intimamente, mas eu te venero como pessoa, como homem e como profissional. Eu te respeito acima de tudo, quero que saiba disso.

Yesung não sabia o que dizer. Será que Dae Guk estava muito bêbado? Será que era sobre o que aconteceu mais cedo?

— Na verdade, o que era importante mesmo era que... Eu estou finalmente indo embora... Já era algo que vem acontecendo há algum tempo…  Nos últimos dias eu apareci até mais do que o normal, não? — Disse rindo, mas seus olhos estavam cheios de lágrimas. — Eu... O DongHae... Não precisa mais de mim. Ele não é mais a mesma pessoa, hyung...  Ele está mais forte…  Está cada vez mais preparado para enfrentar uma vida sozinho.

Yesung começou a chorar, então era uma boa notícia. Mas também chorava pelo Dae Guk, assim como chorou com MinHyun, era uma personalidade que morria, e agora viveria dentro do coração de DongHae.

— Então eu estou indo também.. Assim como MinHyun. Então por isso eu queria vim pra cá pra curtir uma última vez, eu sei que DongHae não vai dar tanta atenção ao sexo quanto eu necessito. Daeguk parou de chorar, limpava as lágrimas com a manga da blusa.  —  Isso significa que você é um ótimo psicólogo e que agora eu tenho que me despedir de você... Eu sei que isso te deixa em um conflito porque sou uma pessoa sensacional, mas DongHae... Vai conseguir seguir em frente.

Yesung riu do moreno e o abraçou forte, lhe passando toda a energia e sentimentos que os mantinha guardado para si.

— Obrigado Guk.. Eu realmente vou sentir sua falta. Você me deu ótimos momentos, que eu lembrarei pra sempre e... — Corou — Desculpa pelo que você viu ontem eu não...

— Yaa — Gritou dando um tapa no braço do psicólogo, que não entendeu nada. — Não se desculpe por isso.  É uma lembrança que eu vou guardar até o final da minha pequena vida. Siwon é um homem gostoso pra porra... Use bastante, sem dó. — Dae Guk dizia rindo da cara de vergonha do Yesung

Pediu um cigarro para o barman e o mesmo lhe deu de bom grato, já era conhecido naquele lugar.

Guk tragou e pensou um pouco o que faria depois daquilo... Como será que DongHae seguiria com sua vida? Nunca saberia a resposta.

— Bom, eu já disse tudo o que queria, vou atrás de curtir meus últimos momentos transando com alguém.

Piscou para Yesung e desceu do banco ainda com o cigarro na mão.

Yesung fechou os olhos e deixou cair uma lágrima. Havia perdido mais uma personalidade... Não.. Havia ganho novamente. Dae Guk ainda viveria dentro de DongHae como uma única pessoa… Isso era o mais importante. Então a pior dúvida de Yesung foi esclarecida. DongHae estava ficando mais forte, estava melhorando. Não faltava muito para todas as personalidades irem embora.


Notas Finais


E ai gente??que acharam desse? Estao felizes por Eunhae? Tristes por Daeguk? Hahaha A primeira cena do Daeguk pegando o Yesung com siwon eu achei comica demais hahaha

Só gostaria mesmo se informar aqui que o conto "O rei amável" realmente existe.. É um conto japonês que eh tao classico e antigo a ponto de ele nao ter sido traduzido, ele fica so no japonês mesmo.
- Mas gameKyu voce sabe japones?
- Obvio... Que nao hahaha Eu descobri ele em um anime que assisti e ai fui pesquisar sobre hahahaha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...