1. Spirit Fanfics >
  2. Trust me 2 >
  3. Thirty-eighth - The guy inside is not Joshua!

História Trust me 2 - Capítulo 38


Escrita por:


Notas do Autor


Oieee, chegay pra mais um capítulo!!!!🥰💙 Como vocês estão? Genteee, eu tô pensando em uma marotona BUT talvez não seja para sábado, preciso encaixar os capítulos e a partir de quarta feira eu entro em semana de provas🤦🏼‍♀️ Então vai ser complicado postar☹️ Mas vou fazer de tudo pra dar certo, ok?

Desculpa pelos erros de ortografia 🦋💙

Espero que gostem e comentem MUITO nesse capítulo que foi mais simples, mas muito significativo em certos pontos.🌈⭐

Capítulo 38 - Thirty-eighth - The guy inside is not Joshua!


Fanfic / Fanfiction Trust me 2 - Capítulo 38 - Thirty-eighth - The guy inside is not Joshua!


P.O.V Joalin 


Termino de tomar meu banho que não demora muito tempo e já vou logo escolhendo alguma roupa, pelo jeito como Brick me chamou deve ser algum assunto sério ou algo que ele esteja ansioso pra contar. O mesmo me mandou mensagem hoje mais cedo, disse que queria me encontrar pra falar sobre uma coisa, mas me deixou completamente curiosa ao não dizer o quê exatamente ele queria comigo. Temos conversado bastante até mesmo pelo whatsapp, já que o Noah e a Sina sempre encrencam comigo quando eu cogito em trazê-lo pra cá. 


Desço as escadas correndo e noto o sumiço do casal, devem ter ido comprar as coisas que a Sina disse estar precisando ontem à noite. 


Assim que coloco minha bolsa preta no ombro esquerdo alguém bate na porta e eu vou até a mesma atender a pessoa que esperava do lado de fora. Pelo que eu saiba, não estou esperando ninguém. Será que tem alguma coisa a ver com o grupo recentemente criado? Shivani o criou para prepararmos uma festa surpresa para a Hina que vai fazer intercâmbio... Por que todo mundo está se afastando de algum jeito? Isso é horrível pra nós, mas fico MUITO feliz que ela esteja realizando um sonho seu. 


Abro a porta e na mesma hora que vejo a pessoa, meu coração acelera e eu fico sem reação alguma. Fico olhando para Bailey sem saber o quê dizer, sem saber como reagir e muito menos o quê dizer.


Joalin: - Bailey?! - Falo surpresa com sua presença bem ali na minha frente e ele sorri de lado, coçando a nuca logo depois. - O quê você... - O filipino me interrompe, me impedindo de terminar minha pergunta. 


Bailey: - Posso conversar com você, Joalin? - Questiona e vendo seriedade em seu olhar, assinto sem hesitar, deixando um espaço para que ele entrasse ja residência. Fecho a porta e quando olho pra trás, o vejo parado na sala de estar. 


Joalin: - É rápido? Eu tenho umas coisas pra fazer agora. - Digo e ele balança a cabeça positivamente, respondendo se seria ou não rápido. - Ok, mas se estiver querendo falar sobre a casa de novo, eu vou logo dizendo que eu n... - Novamente fui interrompida pelo moreno que se senta em um dos sofás. 


Bailey: - Não é nada disso, Joalin! É sobre outro assunto. Podemos? - Ele pergunta apontando para a poltrona ao lado de onde ele está sentado, indicando que eu deveria ir até lá e me juntar à ele. Suspiro e faço o quê ele propõe. Cruzo as pernas e o olho com atenção. - Joh, eu vim até aqui pra... - Engole seco. - Fala sobre... Nós. - Arqueio as sobrancelhas surpresa por sua atitude, mas não o questiono sobre nada. - Eu sei que foi você quem terminou comigo e que somos muito diferentes, mas... Se lembra do jantar que tivemos com os seus pais, Noah, Sina, Lamar e Sofya? - Pergunta e na mesma hora eu me lembro. 


"O quê eu vejo aqui, são casais muito diferentes. O Bailey e a Joalin, só pelas histórias, são como cão e gato. Mas, mesmo com milhares de diferenças, eles são um so quando estão juntos. Haverão muitas coisas que chegarão para separar vocês, que chegarão para destruir este amor que vocês entram um pelo outro, mas não podem deixar se abalar e nem desistir - o amor de vocês, é maior que tudo isso." - Fico cabisbaixa ao me lembrar das coisas que meu pai disse pra nós naquela noite. 


Bailey: - Não importam as nossas diferenças, o quê importa é que... - Me olha no fundo dos olhos e eu engulo seco. - Eu ainda te amo. - Neste exato momento, meu coração quase pula pra fora da caixa torácica e eu fico com um sentimento de saudade de todos os nossos momentos juntos. Sem que eu percebesse, Bailey foi se aproximando de mim e acariciando meu rosto com uma de suas. - Você não sente minha falta? - Sussurra colando nossas testas e eu mordo meu lábio inferior me segurando para não deixar com que isso vá longe. - Diz que me ama, Joalin... - Pede roçando a ponta de seu nariz contra a pele da monha bochecha e segurando meu pescoço com carinho. No momento que meus olhos encontram os dele, eu me sinto completamente entregue aos meus sentimentos que ainda são presentes. Nossos lábios estavam muito próximos e quando finalmente resolvo não me segurar mais e tento selar minha boca com a sua, ambos os celulares tocam em som de mensagem. Bailey suspira e morde seu lábio infeiror, olhando o celular logo depois, assim como eu faço. 


Mensagem on 


Festa da minha samurai💜


Sofya: Genteeeeee, vem todo mundo pra casa do Lamar. 


Eu: Pra...? 


Sabina: Pra conversarmos sobre a festa da Hininha, ué. 


Queen Dih: Tem que ser agora mesmo? Eu ainda nem aceitei que ela realmente vai embora... 


Vannah: Eu também não, ainda mais pra Austrália. 


Bailey: Ok, mas será que pode ser depois? - Sorrio disfarçadamente ao ler esta mensagem. 


Sininho: Não, eu concordo com a Sofya. 


Lamorris: Vem logo, bando de preguiçoso. 


KingKrys: Eu topo! Vai ser uma distração dos trabalhos da faculdade. 


Jeongie: Eu também, tô ansiosos ora começar à organizar as coisas pra festa da Hininha, por mais que eu não queira que ela vá embora. 


Shiivvv: Então aproveita agora logo, gente. Eu estou com ela no cinema, ela nem desconfia de nada. 


Jacob: Tranquilo, eu e a Sina já estamos indo. 


Jeongie: Cadê a Anyelly? 


Lamorris: Quarto


Anyelly: Já tô aqui. 


Queen Dih: Amiga, tá tudo bem? 


Anyelly: Gente, vamos focar só na festa da Hina, ok? Venham logo! 


Mensagem off 


Levanto a cabeça tirando o olhar da tela do celular e quando olho pra frente, Bailey tenta atacar meus lábios outra vez, mas consigo me segirar e desvio, me levantando do sofá. 


Joalin: - Bailey, não... - Digo e suspiro logo depois. O mesmo franze a testa e não entende o motivo de eu o ter impedido de continuar. - Você acha que funciona assim? 


Bailey: - Pra quê complicar tanto, Joalin? - Questiona. - Eu te amo, você me am... - O interompo na mesma hora. 


Joalin: - Acontece que eu não tô pronta pra voltar, Bailey! - Afirmo em tom de certeza e ele parece ficar chaetado com a notícia. - Sabe o quê que é? É que só agora eu tô conseguindo... Me descobrir mais, entende? Ter noção de quem eu sou de verdade. - Tento expressar o que estou sentindo e ele continua me olhando. - Talvez seja uma boa oportunidade pra que eu coloque minha cabeça no lugar e, me encontre em meio à tabtas dúvidas na mente. - Ele sorri fraco. 


Bailey: - Tem outro? - Pergunta e eu desvio o olhar, passando à encarar o chão. - Tem outro na jogada, não tem? - Pede por confirmação. 


Joalin: - Isso não é um jogo, Bailey! E tem uma outra pessoa sim, eu mesma. Eu só quero uma chance pra... Saber o quê eu quero, saber quem eu realmente sou... - O filipino suspira e me olha nos olhos. 


Bailey: - Não vou te pressionar, ok? Se não quer voltar e se não se sente preparada pra voltar, eu entendo. - Sorrio fraco, mas me sinto aliviada. - Só não posso prometer que vou conseguir me manter longe de você. - Rio e coro. - Então, quer carona até a casa do Lamar? 


Joalin: - Ah! Eu quero sim. - Assinto e ambos sorrimos nos olhamos. O silêncio ocupa o lugar e fico levemente incomodada. - Então vamos logo, né? Se não daqui a pouco eles vão estar mandando viaturas da polícia pra nos buscar. - Ele ri e nós andamos até a porta. 


P.O.V Noah


Estamos quase todos reunidos aqui na casa do Lamar pra resolver como vai ser essa coisa roda da festa da Hina, até porque, não dá pra ficar falando tudo por mensagem, é chato e cansativo. Eu já tô até gendo quando essa neném for embora, dá até uma tristeza. A Shiv deu essa ótima ideia de nos despedirmos da Hina de forma com que fique pra sempre na memória da minha japonesinha linda. Aqui nesta sala só faltam três pessoas: Hina, é claro; Shivani e Josh. Ele não responde nenhuma mensagem do grupo, eu liguei pra ele várias e várias vezes ontem, mas não deu em nada. Desde que ele e a Any voltaram de Paris, o Josh mudou comigo completamente, da água pro vinho, nem parece mais o meu melhor amigo. Foi triste saber a maneira como ele terminou com Any, ela nos contou há alguns minutos atrás. Não acho que ele estivesse realmente falando sério, o Joshua AMA a Any e jamais terminaria com ela desse jeito, o quê será que está acontecendo pra fazer meu amigo agir assim agora? Estou preocupado. Preciso saber o quê tá acontecendo com ele o quanto antes.


Cada um em um lugar da sala de estar, estamos falando sobre os últimos detalhes para a festa de despedida. Estou ansioso pra ver a carinha da Hina quando vir a surpresa, mas também não quero que ela vá embora.


Sina: - Ok, então todo mundo concorda que vai ser aqui na casa so Lamar? - A garota em pé ao meu lado pede de por uma confirmação nossa. Todos assentem concordando e ela anota em um caderninho em suas mãos, onde está escrevendo todos os detalhes e coisas que temos que comprar.


Heyoon: - Mas como a gente vai fazer pro Josh vir? Ele não sabe nem que a Hina vai fazer esse intercâmbio, não olha as mensagens. - A brasileira sentada ao seu lado cruza os braços desconfortável.


Bailey: - Algum de nós pode ir até a casa dele falar com ele sobre essa festa, quem sabe ele possa contribuir de algum jeito, né? - Assinto concordando.


Savannah: - As pessoas que forem também têm que questioná-lo sobre o porquê de nos ignorar tanto assim, gente. - Fala enquanto abraça Sabina, que à aperta forte como se fosse uma pelúcia.


Noah: - Eu vou! - Falo decidido e todos passam seus olhares para mim. - Eu tô preocupado com o meu irmão e eu preciso saber o quê tá acontecendo pra ele nos ignorar tanto nesses últimos dias. - Any se levanta e sai correndo pelas escadas. Nós a olhamos subir com um olhar de dúvida e até compreensão.


Joalin: - Sério que ninguém vai atrás dela? - Diz se levantando e querendo ir até a brasileira.


Diarra: - Ela precisa ficar um pouco sozinha, não está sendo fácil lidar com isso, ela ama muito o Josh.


Sofya: - Ele também a ama muito e é exatamente por eles que temos que saber o quê tá acontecendo pro Josh estar tão distante desde que voltou de Paris. - Antes que alguém dissesse qualquer outra coisa, a morena volta para a sala de estar com uma bolsa em seu ombro e o celular nas mãos.


Krystian: - Aonde você vai, Any? - Pergunta curioso e eu também estou do mesmo jeito. Será que ela vai encontrar o Cameron?


Any: - Eu também vou! - Diz em um tom de completa decisão e provoca o olhar preocupado das pessoas que estavam ali, inclusive eu. Ela ainda está muito machucada pra querer ficar encontrando o Josh, não vai fazer bem pra ela. - Precisamos conversar.


Lamar: - Modelete, eu acho melh... - A garota o interompe.


Any: - Vamos, Noah? - Fala andando até mim, segurando meu pulso e me puxando. Me inclino pra trás tentando dar um último selinho em Sina que nos olha com um certo incômodo, mas disfarça com um sorrio de lado. - Tchau pra vocês. - Abre a porta da casa e me empurra pro lado de fora.


Noah: - Quer parar? Não adianta nada fazer as coisas com pressa. - Digo sem gostar disso, não gosto que me apressem e muito mebos que fiquem me empurrando. - Any! - À chamo, mas a menina me ignora e anda até meu carro. A brasileira para na frente da porta do passageiro e eu destranco o veículo com o botão que tem na chave. Assim que entramos no carro, ela logo colocou seu cinto de segurança e eu fiz a mesma coisa, não trocamos uma palavra até eu ligar o carro e virar na primeira esquina. Ela não parece estar muito a fim de papo, mas sou amigo dela e quero conversar honestamente. - Você tá bem? - Pergunto e ela me olha surpresa por eu ter dito algo.


Any: - O que você acha? Eu pareço bem? - Fala grossa desviando o olhar e eu arqueio as sobrancelhas. Fiquei mal com sua resposta, pra quê ela tinha que ser tão grosseira comigo? Eu nem fiz nada. A mesma solta um longo suspiro e volta à me encarar. - Desculpa, tá? É que não têm suxo fácil pra mim, Noah. - Diz tentando se explicar.


Noah: - Eu imagino, mas nós somos amigos, estamos no mesmo grupo, apoiamos uns aos outros, esqueceu? - Ela sorri fraco e balança a cabeça negativamente. - Então, me fala... O que tá deixando pensativa? - Um breve silêncio é estabelecido ali, mas logo ela quebra o mesmo.


Any: - Desde que voltamos de Paris, o Josh andava muito estranho, não me ligava, não respondia mensagens, não me dava satisfação... - Franzi a testa no mesmo segundo. - Depois terminou comigo sem me dar uma explicação e...


Noah: - Calma, ele também não falava com você? - Nega com os movimentos da cabeça. - Ele tá do mesmo jeito comigo, Any. - A mesma parece se interessar ainda mais em ouvir. - Parece que nem olha mais o celular.


Any: - Eu... Pensei que o motivo de ele não me responder era justamente pra terminar comigo, mas ele também ignora você... O melhor amigo dele. - Assinto confirmando. - O quê tá acontecendo, hein? Ele não parece estar nada bem, Noah.


Noah: - Vamos saber quando chegarmos lá, Any. - Ela suspira e se mostra pensativa. - Aconteceu alguma coisa de estranho quando você estavam na viagem? - Pergunto tentando desvendar esse mistério por trás do jeito como Josh nos ignora.


Any: - Não. Pelo menos eu acho que... Espera. - À olho rapidamente e depois volto meu olhar pra estrada. - Na mesma noite que ele me pediu em namoro, alguém mandou alguma mensagem pra ele que ele não quis me falar. Ele disse que era coisa de família e pareceu assustado quando leu a mensagem. Até tentei insistir, mas ele não me contou a verdade, tenho certeza. Acho que foi a única coisa estranha que aconteceu.


Noah: - Será que tem alguma coisa a ver com o assalto que a Úrsula sofreu? - Any franze a testa. - Sina me contou que um dia depois de vocês viajarem, a mãe dele foi assaltada, ameaçada de morte e mandaram ela implorar pela vida dela. - A garota arregala os olhos e agora aparenta estar preocupada.


Any: - Ok, agora eu fiquei tensa. Será que isso tem alguma coisa a ver com as mensagens? - Fica um pouco em silêncio tentando assimilar alguma relação entre os dois acontecimentos. - Não, eu acho que não.


Noah: - Não dá pra jogar uma teoria assim no lixo, Any. Receber mensagens pode nos levar ao porquê ele não quer mais olhar o celular dele. - Respiro fundo. - Será que o Simon sabe de alguma coisa? - A garota dá de ombros sem saber como me responder.


Any: - Essa teoria é muito assustadora! - Diz negando com a cabeça e se recusando à acreditar.


Noah: - Quer saber? Vamos falar sobre outra coisa, quando chegarmos na casa do Josh perguntamos pra ele, ok? - A menina assente ainda muito pensativa.


Any: - Mas e aí? Como é essa ideia de ser pai? - Pergunta e eu sorrio bobo só de me lembrar desse pequeno detalhe.


Noah: - Eu tô muito feliz! Não vejo a hora do Victor ou da Harley chegar, ou podem vir os dois de uma vez, melhor ainda. - Any solta um pequeno riso.


Any: - É bom ver vocês felizez! - Se refere à mim e Sina. - Se fosse eu estaria apavorada. - À olho franzindo a testa.


Noah: - Por quê? - Questiono sem entender porquê uma criança lhe faria ficar apavorada.


Any: - Ah, eu ficaria pensando em milhões de coisas, por exemplo: Nas coisas que eu vou falar perto da criança, na maneira como eu vou ensiná-la à agir de maneira correta, teria consciência de que qualquer merda que eu fizesse podia acabar à influenciando à fazer também... - Arregalo os olhos e só agora eu parei pra pensar no quão amedrontador isso é. - Acho que por isso e mais quinhentas razões, mas vai dar tudo certo.


Noah: - Depois de me deixar praticamente mijando na calça com medo de fazer alguma coisa errada você vem me falar que vai dar tudo certo? - Digo pensando nos erros que eu jamais poderei cometer.


Any: - Ai! Noah, desculpa. - Fala colocando sua mão em meu ombro. - É que eu sempre falo essas coisas sem pensar e acabo deixando as pessoas ainda mais preocupadas. É que eu tenho medo de ser uma mãe merda algum dia e acabar deixando meu filho perturbado ou... - Quando me olha, vê minha expressão frustrada. - Meu Deus, desculpa. - Fala novamente. - Desculpa mesmo, Noah. Eu sou muito tagarela, falo demais e com todas essas coisas negativas que estão acontecendo, eu nem consigo pensar no quão ruim deve ser ver seu filho crescer com algum trauma ou... - À interompo.


Noah: - ANY! PELO AMOR DE DEUS, CALA A BOCA. EU TÔ FICANDO DESESPERADO. - Grito e ela me olha se sentindo culpada. - Para, ok? - Peço ofegante.


Any: - Desculpa. É que... - Antes que ela fizesse ou falasse qualquer coisa, eu pego uma jaqueta da Sina que estava no meu banco e cubro sua boca, para que a brasileira não me deixasse ainda mais assutado.


Noah: - Pronto, assim é melhor. - A mesma dá risada e revira os olhos querendo falar algo pra mim, mas está com a boca coberta e não pode realizar sua vontade. - Ainda bem que é de boa pra mim dirigir com uma mão só, e não tente tirar minha mão desse casaco que tá cobrindo sua boca se não eu bato o carro. - À deixo amedrontada e a mesma me olha com os olhos arregalados. - Que foi? Só quis ser prático.


Acabei tirando a blusa de sua boca um pouco mais pro meio do caminho, Any não falou mais nada que me deixasse desesperado ou com medo de ter meu filho. Ela me deixou bem pensativo quanto à isso, mas posso falar? Eu vou me dar muito bem nessa coisa de ser pai, tô sossegado, não tem terror pra mim não.


Passamos pela portaria e como Robert já me conhece há um tempo por ser porteiro particular do Josh, nos deixou entrar assim que nos reconheceu, então assim nós fizemos. Segui dirigindo até o número da casa do canadense e estacionei bem na frente da casa e caramba... QUE CASA, MEUS AMIGOS! É enorme aqui fora! Ele ainda não tinha me convidado, então eu nunca vim, não que eu precise e convite mas... Vocês me entenderam.


Assim que o carro parou e nós tiramos nossos cintos de segurança, eu olho para Any e apoio a mão em seu ombro. Lanço à ela um olha reconfortante que a faz sorrir de lado. A brasileira respira fundo e juntos saímos de dentro do carro, andando até a grande porta de entrada lado à lado e parando na frente da mesma. Sem esperar muito, dou três toques seguidos e ambos esperamos aflitos.


Noah: - Será que ele tá em casa? - Questiono olhando para Any e a mesma levanta os ombros sem saber me responder. - Se ele não estiver em casa eu vou esperar bem aqui nessa porta até ele chegar. - Any sorri. De repente, escutamos um barulho de fechadura sendo abertae logo olhamos pra frente, esperando. Quando aberta, tivemos a visão de Josh. Ele está com o cabelo inteiramente bagunçado, com leves olheiras debaixo de seus olhos, está sem camisa vestindo uma calça moletom azul e seus pés estão descalços. O mesmo cerra o olhar por conta da claridade e só então eu percebo o quão escuro estava dentro de sua casa. Ele me vê ali e sorri sem muito ânimo. Seu olhar passa para a garota ao meu lado - analisa a mesma de cima à baixo e umidece os lábios rapidamente. Olho para Any e vejo a garota fazer a mesma coisa com ele, o encarar dos pés à cabeça.


Josh: - Oi gente. - Fala com uma voz rouca e seca, de quem não tem bebido muita água ou qualquer outra bebida. Sua aparência não é das melhores e o mesmo aparenta estar muito cansado, mesmo que eu acho que ele não tenha feito coisas muito cansativas hoje.


Noah: - E aí, bro? - Falo tentando não demonstrar a confusão em minha mente por seu estado desgastado. - Tá tudo bem por aí? Você parece estar meio... Cansado. - Chuto e ele ri nasalado.


Josh: - É uma palavra que me resume pra caralho nesses últimos dias. - Lança um olhar fixo com uma de suas sobrancelhas arqueadas para Any, que finge nem notar. - Mas, fala aí - o quê vocês querem? - Pergunta diretamente.


Any: - A gente veio aqui pra falar sobre a Hina. - Responde na mesma hora e cruza os braços.


Josh: - Hina? - Balanço a cabeça positivamente. Ele expressa confusão, como se não se lembrasse quem é Hina. O quê tá pegando com o Josh? - Ah! A Hina. - Estala os dedos da mão direita ao se lembrar. - O quê que tem ela? - O canadense se apoia no batente da porta, sempre deixando o máximo dela fechada pra não termos como ver tudo o quê se passa lá dentro da casa.


Noah: - Ela vai fazer intercâmbio daqui uns dias e tá todo mundo pensando em fazer uma festa de despedida pra ela. - O mesmo parece mais interessado agora no assunto, porque arruma sua postura se desenconstando no batente da porta e cruzando os braços. - Fizemos até um grupo, mas você... - Any me interrompe.


Any: - Tá ignorando todo mundo. - Completamenta minha frase, mas não era bem isso que eu ia falar. Josh suspira cansado e após encarar Any por alguns segundos, volta à me olhar.


Josh: - Quando? - Pergunta desviando seus olhos para o chão e encarando o mesmo. Franzi a testa sem entender o quê a resposta que a Any disse tem a ver com "quando". - A festa. 


Any: - Amanhã à noite. - Responde encarando o mesmo também sem entender o quê se passa.


Noah: - Josh, você por acaso andou bebendo? - O questiono diretamente e ele logo sobe a cabeça de volta, me olhando. O garoto franze a testa.


Josh: - Por que você acha que eu bebi? - Rebate.


Noah: - Porque é o que tá parecendo, Josh. Você tá... Péssimo! - Falo sinceramente e ele balança a cabeça concordando com a minha afirmação.


Josh: - É, eu... Bebi sim. - Confirma, mas isso pra continua muito estranho. Já vi o Josh bêbado, e não é bem assim que ele fica não. Tem alguma coisa por trás disso e eu tenho medo de que isso seja o quê eu estou pensando. - Tá, mais alguma coisa? - Abro a boca pra responder, mas na mesma hora que percebo aquilo... Me arrependo.


Any: - Josh, eu preciso falar com você! - Diz no mesmo tom decidido de quando saímos de sua casa pra vir pra cá. Ele suspira e à olha prestando atenção. - Será que eu posso entr... - À interrompo de fazer alfuma besteira.


Noah: - Ela só quer saber se você vai na festa. Temos coisas pra resolver e comprar. - Falo segurando o braço de Any e à puxando mais pra trás. Josh logo desce seu olhar para o contato físico que estou fazendo com Any e crava a mandíbula. - Vamos, Any?


Any: - Mas eu tenho que... - Não a deixo terminar de falar.


Noah: - Você vai pra festa, Josh? - Pergunto e ele assente sem dar muita importância. - Beleza, te vejo lá. Tchau, bro. - Digo simpático e ele sorri rapidamente, desmanchando seu sorriso logo depois disso e fechando a porta depressa. 


Faço a brasileira entrar de volta no carro e faço a mesma coisa, acelerando o veículo logo depois - ela me olha franzindo a testa e sem entender porquê eu não havia a deixado falar com Josh. Se eu estiver certo sobre isso, ele precisa mesmo de ajuda. A garota não me questiona sobre o quê houve, apenas se mantém silêncio e às vezes franzia a testa. Estou inquieto, não consigo parar de bater os dedos no volante, fiquei preocupado demais com isso.


Vou até a portaria onde Robert fica e saio do carro - sem saber o quê fazer, Any apenas me segue em silêncio e permanece estranhando meu comportamento.


Bato várias vezes seguidas na porta e Robert finalmente nos atende, aparecendo do lado de fora e sorrindo na nossa direção.


Robert: - Olá, posso ajudar vocês? - Pergunta e eu não consigo nem sorrir para passar simpatia, apenas vou direto ao ponto.


Noah: - Robert, você sabe me dizer se existe alguém aqui que instala câmeras ou algo desse tipo? - Pergunto logo e ele se mostra pensativo por um tempo.


Robert: - Olha, aqui não, mas uma amiga minha tem um irmão que trabalha com essas coisas. Se quiser falar com ele, eu tenho o número aqui. - Suspiro aliviado.


Noah: - Ótimo! Eu quero falar com ele sim. - Assinto e percebo o olhar reprovador de Any na minha direção, ela provavelmente entendeu o que eu quero fazer com as câmeras.


Robert: - Eu vou anotar pra você, calma aí. - Encosta a porta e Any logo puxa meu braço, me fazendo olhá-la.


Any: - Por favor, me diz que essas câmeras que você quer instalar não são pra casa do Josh.


Noah: - Bingo! - A brasileira revira os olhos e balança a cabeça negativamente, reprovando minha atitude.

 

Any: - Meu Deus, Noah. Por que vai fazer isso com ele? - Pergunta sem entender meu objetivo.


Noah: - Qual é, Any?! Acha mesmo que aquilo é bebida? Já vi o Josh bêbado e de ressaca milhares de vezes e te garanto aqui não é assim. - Ela franze a testa.


Any: - Onde quer chegar com isso, Noah? - Questiona cruzando os braços. - Quer invadir a privacidade do seu amigo à troco de quê?


Noah: - Any, se você observou bem o Josh, viu o vermelho nos olhos dele - eu tenho certeza que aquilo não é de álcool! - Falo em tom certeiro e ela me olha fixamente. Ela sabe bem o quê eu quero dizer, mas não quer acreditar. - Escuta bem, aquele ali dentro daquela casa... - Me aproximo um passo mais perto dela. - ... Não é meu melhor amigo, não é seu vagabundo e eu posso te garantir, Any... - Ela engole seco - ... O cara que estava ali dentro, não é o Joshua!



Notas Finais


Chegamos ao fim de mais um capítulo. E aí? O quê acharam? Coloquem aqui nos comentários. 👇👇👇


- Acham que o Josh vai fazer besteira?

- A Any e o Noah podem descobrir o que está havendo?

- O fim decisivo de Joaley?


OBRIGADA por todas as coisas que têm feito por mim, amo vocês ❤️✨


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...