1. Spirit Fanfics >
  2. Truth or Dare? >
  3. Capítulo 5

História Truth or Dare? - Capítulo 5


Escrita por: aki_machad

Capítulo 5 - Capítulo 5


 

- Xingchen? — Xue Yang chamou da porta do quarto, controlando o riso quando o viu pular de susto

- Quer me matar do coração, Xue Yang?! — ele exclamou com a mão sobre o peito- Está tudo bem lá embaixo, o que quer aqui?

- Lá embaixo está tudo bem, o que me preocupa é aqui em cima. — diz se apoiando no batente da janela que XuanYu usara para ir ao telhado no dia anterior- Você está bem?

- Sim, estou. — ele engoliu em seco, tentando não fazer contato visual com o namorado

- Consegue mentir para ele, mas para mim não. — comentou esticando as mãos para alcançar as do mais alto- Me conta. — pediu quando ficaram frente a frente- É sobre o que está acontecendo?

- Isso ainda parece muito surreal. — ele falou se dando por vencido- Eu passei minha infância toda escutando minha mãe falar sobre esse Deus e agora isso está acontecendo. Perdemos três de nossos amigos e eu não consigo deixar de me sentir culpado.

- Mas não é culpa sua. — reforçou

- Eu sei que não é, mas mesmo assim. — Xiao suspirou cansado e deitou a cabeça no pescoço do mais baixo- Quem mais vai morrer?

- Você precisa descansar. — Xue Yang também não sabia respondeu à pergunta, então preferiu mudar de assunto- Não dorme desde ontem.

- Não consigo dormir. — informou enquanto se deixava ser guiado até sua cama

- Sei que a situação em que nos encontramos deveria impedir, mas se você não dormir por bem eu serei obrigado a te deixar cansado.

- Deixa de ser idiota. — Xingchen sentiu seu rosto esquentar e acabou por deitar na cama- Vai ficar aqui, não vai? — perguntou enquanto o via deitar ao seu lado

- Sim, eu vou.

***

 

- Isso tudo é culpa minha. — Wei WuXian falava enquanto via às duas cartas em mãos- Yao está certo.

- Ele está irritado. — WangJi corrigiu o dito- Mas por que diz isso agora? — ele pergunta. Ainda estavam no quarto da avó de WuXian após terem conseguido dormir um pouco

- As cartas da faculdade do Xingchen chegaram. — ele diz levantando os dois envelopes com o nome do tio- Ainda estão lacradas e quando perguntei ele disse que não iria abrir.

WangJi o olhava de trás. Estava apoiado na cabeceira da cama enquanto o namorado estava em sua ponta. Sabia dever tê-lo defendido quando Meng Yao o acusou na tarde do dia anterior, mas não conseguiu. Não conseguiu deixar de se ressentir dele por ter tido que contar aquilo para todos. Acreditava ser sua culpa.

Mas agora que ele via com mais calma, entendia que não tinha nada a ver. Wei WuXian não tinha culpa, ele não sabia que aquilo aconteceria e ninguém poderia culpa-lo. Sabia também que os que acusaram-no sentiam muito por isso, mas era inevitável pensar assim de início.

- Não me parece justo. — ele murmurou olhando para as cartas- Ele estava tão animado essa semana para saber se passara ou não em medicina. — deixou escapar um riso triste- E HuaiSang estava doido com artes visuais. Eu nem mesmo sei que porra são artes visuais.

- MingJue queria fazer direito. — comentou voltando o olhar para a parede- E Jiang Cheng queria pedagogia. No que ele estava pensando quando escolheu essa área? — Wei WuXian riu do comentário

- Você não me disse para qual área mandou. — o Wei se virou um pouco para poder olha-lo

- Engenharia civil. — respondeu com um mínimo sorriso- Não sei se daria certo.

Ambos ficaram refletindo por longos minutos até XuanYu aparecer na porta os chamando para jantar. WangJi se levantou e esperou ser acompanhado pelo Wei, recebendo um abraço desse assim que ficou de pé.

- Eu sinto muito. — ele murmurou contra o seu peito, não querendo chorar- Isso é culpa minha.

- Não leve a sério o que eu disse. — a voz de Meng Yao os fez olhar para a porta- Estou apenas irritado com isso, todos nós meio que estamos. Mas você é nosso amigo, Wei WuXian. A culpa não foi só sua. — o mais baixo respirou fundo e tocou um dos ombros do outro- Você tem uma religião merda e nós fomos jogar verdade ou desafio em uma igreja, no que estávamos pensando? — WuXian soltou uma leve risada- Desculpe.

- Está tudo bem. — respondeu sorrindo e sendo retribuído

O grito de YanLi cortou o momento dos três naquele quarto. Eles rapidamente saíram do cômodo e ao lado no pé da escada, viram Xue Yang, Xingchen e XuanYu descerem correndo.

Na sala de estar, Jin ZiXuan tinha lagrimas nos olhos enquanto apontava uma arma para o centro da testa de XiChen. O Lan estava tenso, sem saber o que fazer naquela situação. Ouviu o Jin dizer desafio enquanto YanLi arrumava a mesa e XuanYu ia chamar os outros para o jantar, mas não entendia o desafio.

- Como você conseguiu pegar isso, ZiXuan?! — Xingchen perguntou desesperado

- Ele me mostrou onde estava e me obrigou a pegar. — respondeu se referindo ao Deus

- Por que tem uma arma na sua casa? — XuanYu estava novamente entre lagrimas

- Meu irmão é militar, XuanYu.

- ZiXuan, abaixa isso. — Yao pediu tentando se aproximar, mas XiChen acenou para que se afastasse- ZiXuan!

- Eu estou tentando! — ele exclamou de volta- Você precisa implorar. — desviou a fala para o Lan rendido sobre sua mira- O desafio é fazer você implorar.

XiChen estava assustado e demorou alguns segundos para raciocinar o que acontecia. Da porta de entrada, dois disparos certeiros. Um em sua mão jogou a arma longe e o outro na coxa o fez cair em seus braços, quase desacordado.

YanLi gritou em desespero e partiu em socorro do namorado, Yao e Wei WuXian fizeram o mesmo enquanto Xue Yang segurava XuanYu nos braços. Ele estava desesperado.

- Daoren! — Xingchen gritou para o irmão na porta

- O que está acontecendo aqui?! — o moreno gritou de volta, guardando a pistola em seu lugar e indo em direção ao rapaz no chão- No que ele estava pensando?! Precisamos leva-lo a um hospital agora mesmo!

- Eu já chamei ajuda. — WangJi falou com o celular em mãos. De todos naquela situação ele era o mais controlado

- Não dá tempo. — ele negou com a cabeça, passando o braço do já desacordado sobre seu pescoço- Me ajude a levar ele até o carro. — ele pediu a WangJi passando por todos no chão

***

 

Chegou morto ao hospital, foi essa a informação que receberam de WangJi pelo telefone. YanLi chorava descontroladamente trancada no quarto de Baoshan e Yao se encolhia aos prantos nos braços do namorado ainda no chão da sala e com o sangue do irmão nas mãos.

Ainda agarrado a Xue Yang, XuanYu não chorava, mas parecia estar em outro mundo. Seus olhos estavam cansados e vermelhos, não dormia a horas e mesmo cansado ele não queria dormir.

Xingchen chorava em silêncio enquanto tentava tirar o sangue do chão de madeira e dos móveis próximos ao ocorrido como um dos sofás. Wei WuXian tentava se comunicar com YanLi, mas ela não queria abrir a porta para falar com ninguém.

XiChen conseguiu convencer o namorado a comer e depois tomou a liberdade de dar-lhe um banho. Xingchen emprestou roupas dele e do irmão aos amigos que gradualmente se banhavam. YanLi foi autorizada a pegar roupas de sua mãe, mas ela estava abalada demais para fazer qualquer coisa, então Wei WuXian apenas vestiu-lhe um casaco.

O jantar acabou com os suprimentos da casa e Xingchen foi obrigado a sair para comprar mais coisas junto a XiChen e YanLi.

- Desculpe te fazer vir aqui, YanLi. — Xiao andava de mãos dadas com a Jiang- Mas nós realmente precisávamos passar aqui para comprar algo. — XiChen andava um pouco mais à frente no pequeno mercado do bairro que havia próximo à casa de Xingchen

YanLi andava de maneira automática e era quase que puxada por Xingchen pelos corredores. A verdade é que estava automática desde que vira o irmão deitado naquele caixão e tudo só havia piorado com a notícia sobre o namorado. Ela se sentia tão morta quanto os dois. Seus olhos pesavam e a cabeça doía. Queria apenas ficar sozinha, mas sabia que não deixariam.

Sabiam que não iria amenizar a dor, mas Xingchen e XiChen pegaram algumas das comidas preferidas de YanLi nas prateleiras, mas ela nem mesmo havia notado.

- Jiang YanLi. — o aperto em sua mão ficou forte e ela nem mesmo levantou a cabeça, apenas soltou seu braço da mão alheia e negou com a cabeça- Não vai nem ao menos tentar? — ela escutou uma risada partir da voz grossa e voltou a negar com a cabeça

Ela queria ZiXuan e Cheng com ela, queria agora mesmo. Sentia tanta falta que doía tudo em seu corpo. O que iria fazer viva? Não tinha ambição, não tinha objetivo. Seus sonhos não poderiam mais se realizar sem a presença dos dois, seus dias não podiam correr sem eles. Então, o que a prendia ali?

Amava-os tanto que nem se reconhecia mais sem eles. Realmente não conseguia imaginar nem seguir uma vida sem eles.

Chiyou sabia que ela não iria lutar apenas pelo olhar vazio e sem cor.

- YanLi? — Xingchen sentiu sua amiga se soltar e sem pronunciar uma palavra, deu as costas

XiChen parou de caminhar e olhou confuso para ela, intrigado pelo que iria fazer. Ela andava calmamente em direção ao polícia que no caixa, pagava algo que havia comprado para conseguir continuar seu turno, sem prestar atenção na jovem que se aproximava.

Os dois garotos arregalaram os olhos quando constataram o que faria.

- Que merda. — o homem de farda se assustou quando sentiu sua arma ser tirada do descanso

YanLi deu dois passos para trás e apontou o objeto metálico para a própria testa. Os dois amigos conseguiram então visualizar os olhos vermelhos e sem mais tempo para alguém fazer algo, ela puxou o gatilho.

***

 

Xue Yang havia saído para o hospital para encontrar WangJi e Daoren e tentar se comunicar com Kuiko, a mãe de ZiXuan, para a liberação do corpo.

XuanYu e Yao ficaram com Wei WuXian na casa de Xingchen tentando encontrar alguma informação nos livros de Baoshan, mas não conseguiam nada além de temerem mais esse Deus.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...