História Trying Not Love You - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias As Crônicas De Gelo e Fogo (Game of Thrones)
Personagens Arya Stark, Brandon "Bran" Stark, Daenerys Targaryen, Jon Snow, Meera Reed, Sansa Stark, Tyrion Lannister
Tags Arya Stark, Game Of Thrones, House Stark, Jon Snow, Jonerys, Sansa Stark, Sansarya
Visualizações 45
Palavras 2.737
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fluffy, Orange, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Heyy galeris! Então bora estabelecer uma rotina de postagem aqui? Então eu percebi que estou demorando muitooo para postar então... Começarei a postar todos os domingos! com exceção desse já que postei hoje.
E sobre a fic, não sei se perceberam mas estou adiantando algumas coisas pq quero chegar logo na grande guerra saca? então é só isso msm!
Enfim: Enjoy '-'

Capítulo 11 - It Will Be Better This Way


- Pequena lady? O que faz aqui? Pensei que estaria repousando.  – Fala lady Brienne surpresa ao ver Arya ali, não pensava que ela viria treinar hoje.

- Vim treinar, como todos os outros dias. – Fala Arya fazendo uma constatação do obvio.

- Não creio que seja uma boa ideia, seu nariz ainda não está muito bem. – Fala a mais velha encarando a menor, parecia que o nariz de Arya tinha piorado.

- Já estou me sentindo muito melhor! Agora vamos. – Fala Arya empunhando agulha.

- Me perdoe pequena lady, mas não lutarei com você  nesse estado. – Fala a loira, fazendo Arya suspirar frustrada.

- Então como não vamos praticar hoje, só me resta me enterrar em meus aposentos pelo resto do dia. – Fala Arya cabisbaixa.

- Procure algo não violento para se ocupar, por quê não vai à biblioteca? – Sugere lady Brienne.

- Pode ser... Até logo então, já vou indo. – Fala Arya se despedindo da mais velha e caminhando em direção ao castelo.

Certo que ler não era seu passatempo favorito, mas já que não havia outra escolha, era isso ou passar o resto do dia trancada em seus aposentos a fim de evitar sua irmã mais velha. Perguntava-se todos os dias como elas haviam chegado a esse ponto de se evitarem a todo custo, presumia que fosse sua culpa, se não houvesse pressionado Sansa nada disso teria acontecido, os sentimentos nutridos uma pela outra estariam escondidos e tudo estaria bem.

Ao chegar a pequena biblioteca que havia ali Arya logo começou a procurar algo interessante para ler, quem sabe algum livro falando sobre as varias conquistas de Visenya Targaryen, não que ela já não houvesse lido todos, mas essa leitura sempre seria sua favorita. Então foi procurar por alguns livros de seu agrado nas prateleiras empoeiradas da biblioteca, não achou o que buscava, mas achou o livro “Dança dos dragões” a historia da maior briga dos sete reinos entre os verdes e os negros, que lutavam pelo trono de ferro. Esse serviria para passar as próximas horas.

Caminhou pelos corredores e sentou-se no canto da sala começando sua leitura. Foi tirada de sua leitura pelo som de passos entrando no local, imaginou ser Bran, era de fato o único que vinham recorrentemente nesse local empoeirado. Ficou esperando que Bran viesse até ela o que não aconteceu, então resolveu levantar e ir falar com o irmão mais novo, precisava desabafar.

Ficou surpresa ao ver os cabelos ruivos ao invés de castanhos escuros, “sete infernos, quais seriam as chances?” se perguntou mentalmente, os deuses só poderiam estar zombando dela. Resolveu que não seria muito prudente de sua parte ir falar com a irmã, então se virou e fez seu caminho de volta para onde veio. Mas é claro que não daria muito certo, ela teve que tropeçar na estante ao seu lado, derrubando alguns livros no chão chamando a atenção da ruiva.

- Arya? – Perguntou Sansa surpresa ao ver a irmã ali.

Arya se encolheu e fechou os olhos soltando um longo suspiro, mas então logo se virou para encarar a irmã.

- Hey... – Fala a menor um tanto quanto desconfortável com a situação.

- Ah... Oi. – Fala a ruiva ainda sem saber o que dizer, não sabia nem porque havia iniciado aquela conversa. Mas então ela olhou para o rosto da irmã e reparou em seu nariz.

- Arya! Pelos deuses o seu nariz... – Fala Sansa se aproximando. – Ele piorou. – Fala a ruiva o tocando levemente, arrancando um gemido de dor da irmã.

- Logo ele ficará melhor... – Fala a morena tirando a mão da irmã de seu rosto, recebendo um olhar triste de Sansa em troca. O que ela esperava? A ruiva havia a rejeitado, isso por si só já doía o bastante, ela não precisava que Sansa a tocasse e muito menos demonstrasse algo que as duas sabiam que não aconteceria.

- Você precisa ir ver o mestre... – Fala a ruiva se afastando de Arya. – Venha, eu te acompanho. – Termina de falar.

- Não preciso, eu estou bem. – Fala Arya mantendo sua postura firme e distante.

- Não me importo se você quer ou não, nós iremos. – Fala Sansa pegando a irmã pelos pulsos.

- Mas que Droga! – Exclama a morena se soltando do aperto firme da ruiva. – Você não manda em mim! Já disse que não irei. – Termina Arya.

- Sete infernos! Como você é teimosa... – Fala a ruiva soltando um suspiro, Arya poderia ser bem inconveniente quando queria. – Será que não percebe que isso pode ficar pior... – Termina a ruiva.

- Nada pode ser pior do que essa situação. – Fala a menor. – Porque você insiste em fingir que se importa? – Fala Arya consumida pela raiva.

- Porque infelizmente você é minha irmã... – Fala Sansa se aproximando novamente de Arya. – E eu me importo com você, de verdade. – Fala a ruiva pegando em uma das mãos da irmã.

- Se você se importasse comigo... – Fala Arya soltando as mãos de Sansa. – Com a gente... Você não me ignoraria, você não negaria ou tentaria destruir isso que nós sentimos. – Fala Arya se afastando novamente da irmã.

O que a menor acabara de dizer mexeu com Sansa, só os deuses sabiam como ela queria mandar sua consciência ir se foder e finalmente ficar com Arya, mas elas não podiam, infelizmente.

- Leite de papoula pode ajudar com a dor. – Fala a ruiva sorrindo triste para a irmã.

- Nenhum remédio pode curar a dor que eu sinto por dentro. – Fala Arya dando as costas para Sansa e voltando para seu cantinho na biblioteca.    

Assim que Arya a deu as costas, Sansa permitiu que as lagrimas antes presas em seus olhos, fossem em fim libertadas. Ah se a menor soubesse que a ruiva sofria tanto quanto ela...

Assim como Sansa quando Arya viu que a irmã havia partido se permitiu chorar, mas logo secou suas lagrimas não se permitindo derramar mais nenhuma lagrima pela ruiva. Colocou o livro que lia de volta a prateleira e caminhou para fora da biblioteca, de principio ir ler tinha lhe parecido um ideia não tão ruim, mas o encontro com Sansa fez seu dia ficar pior, se é que fosse possível. Resolveu ir para seus aposentos e não sair de lá pelo resto do dia, seria melhor assim.

Assim que chegou ao seus aposentos, a menor se jogou em sua cama e suspirou. “Talvez eu devesse voltar para Braavos” pensou Arya, ficar em winterfell só estava trazendo problemas. Mas então Arya olhou para o lado, e em cima a pequena mesinha que possuía ali ao lado de sua cama ela viu algo, em um rápido movimento ela se levantou e caminhou até ali, encontrou um tubinho com algum tipo de emplastro e ao lado um frasco com um tipo de liquido branco, e um bilhete que dizia:

No frasco tem leite de papoula para ajudar com a dor, e no tubinho tem uma pomada que o mestre disse que ajudaria com o nariz, é só aplicar no local. E por favor, nunca mais diga que eu não me importo! Porquê desde que você voltou para casa, tudo que tenho feito e me preocupar com você. Sei que essa situação em que nós encontramos agora não é nem um pouco confortável, me sinto tão mal quanto você, mas o que tem que compreender é que mesmo que nós nos amemos, não podemos... Infelizmente, então me perdoe! Eu amo você.

Ass: Sansa.”

Mesmo sem a assinatura Arya reconheceria a caligrafia perfeita da irmã em qualquer lugar. Sansa estava ferrando com sua cabeça, essa carta derrubou toda ou qualquer ideia que a menor tinha de ir embora. A ruiva se preocupava com ela e Arya sabia disso, só disse aquelas palavras porque estava com raiva de toda essa situação de merda, só queria poder ficar em paz com a irmã, mas ela agora começava a entender o receio da ruiva, Arya havia chegado de maneira nada sutil exigindo que Sansa deixasse seus princípios de lado para poder ficar com ela, realmente não foi a melhor forma de se abordar alguém. Ela esperaria o tempo que fosse por Sansa, disso ela tinha certeza. Mas enquanto isso tentaria voltar a ter uma relação “normal” com a ruiva.

Pegou seu pequeno caderno com capa de couro, sentou-se novamente em sua cama e começou a escrever, compor na verdade, nos últimos dias quando não estava treinando com lady Brienne Arya ficava em seus aposentos escrevendo ou compondo, não sabia se seus poemas e musicas eram os melhores, mas sua inspiração era sempre a mesma. Sansa. 

 

**********

 

- Abram os portões! – Exclama um vigia da guarda da noite.

A rainha que estava observando com esperanças além da muralha ao lado Sr. Jorah a espera de Jon, desceu rapidamente para ver se era ele que havia chegado.

Assim que chegou aos portões e o viu, ordenou para que o levassem para seu navio e para que cuidassem dele.

- Vamos me ajude aqui! – Exclama Sr. Davos para um patrulheiro, para que o ajudasse a colocar Jon na cama. Assim que o colocaram na mesma começaram a despi-lo, já que a roupa que usava estava totalmente congelada. Assim que tiraram a parte de cima a rainha platinada entrou nos aposentos, olhou para o abdome do homem desacordado e pode ver algumas cicatrizes grossas e profundas, se perguntava mentalmente como o homem poderia estar vivo depois delas. Mas então resolveu se retirar para que pudessem terminar de arrumar Jon.

Passada algumas horas resolveu ir ver como o homem estava, caminhou até os aposentos onde Jon repousava, entrou no lugar e constatou que o mesmo ainda dormia, então resolveu se sentar em uma cadeira que possuía ali ao lado da cama. O homem começou a se mexer e seus olhos a abrir lentamente, e então ele fitou Daenerys a sua frente.

- Eu sinto muito. – Fala Jon, observando que os olhos da mulher a sua frente se encheram de lagrimas imediatamente, pudera havia acabado de perder um de seus filhos. Ela nega com a cabeça e fecha os olhos tentando conter a lagrimas que teimavam e sair. Então Jon pega em sua mão.

- Você não deveria ter ido. – Fala o homem.

- Não... – Fala a rainha suspirando. – Mas se eu não tivesse ido, eu não teria visto, eu tinha que ver para acreditar. – Termina Daenerys. Jon a encara por um momento e então ela continua.

- Eles são meus filhos... Os únicos que tenho. Os únicos que poderei ter... – Suspira. – Você entende? – Pergunta a Jon, que acena positivamente.

Ele se sentia culpado pela perda de Viseryon, se não tivesse dado a ideia de ir além da muralha nada disso teria acontecido, mas por outro lado eles também precisavam ir, Cersei não aceitaria uma trégua sem provas, então sim, ele se sentia mal, mas não se arrependia.

- Vamos destruir o rei da noite, faremos isso juntos... Tem minha palavra. – Termina a rainha. Jon sentia que finalmente eles poderiam ter uma chance de vencer os vagantes e sobreviver a longa noite.

- Muito obrigado... Dany. – Fala Jon sorrindo de leve.

- Dany? – Pergunta a rainha surpresa. – Quem foi a ultima pessoa que me chamou assim... Acho que foi meu irmão, não era uma companhia muito agradável... Mas era meu irmão. – Fala a platinada melancolicamente.

- Espero que melhore logo, não podemos esperar mais... – Fala Daenerys levantando e fitando o homem deitado. – Temos que ir ao encontro de Cersei. – Termina dando um leve sorriso para Jon. 

- Darei meu melhor. – Fala Jon sorrindo. Ele começava a gostar da rainha platinada. Assim como a mesma.

 

**********

 

Sansa estava sentada na grande mesa que possuía na sala de reunião, Bran e Arya estavam sentados ao seu lado.

Todos os lordes das casas mais importantes do norte estavam ali para discutir os planos para o inverno, Sansa havia os convocado.

- Minha lady. – Fala lorde Glover se levantando e se posicionando a frente dos irmãos Stark. – Acho que deveríamos ordenar que todos os suprimentos e armamentos fossem tragos para o castelo, e que todos os camponeses se abriguem por aqui, precisaremos de todos quando a longa noite chegar. – Termina lorde Glover.

- Concordo. – Fala Sansa. – Darei a ordem. – Termina a ruiva.

O homem acena positivamente e se senta novamente em seu lugar.

- Deveríamos reforçar as muralhas, caso ataquem o castelo devemos estar preparados. – Fala Arya encarando a irmã.

- Tem razão. – Fala Sansa olhando para Arya. – Lorde Glover, o deixarei encarregado das defesas do castelo. – Fala a ruiva encarando o homem.

- Será uma honra milady. – Fala o homem.

- Mais alguma questão que devemos tratar? – Pergunta Sansa.

- Temos que pensar a longo prazo... – Começa Bran. – Se Jon não voltar, Sansa deveria ser a lady de Winterfell. – Termina Bran, arrancando um olhar de surpresa da ruiva, não sabia se conseguiria ser a lady de Winterfell.  

- Eu concordo. – Fala Arya se levantando e tendo o olhar de Sansa direcionado a ela. – Depois que Jon partiu Sansa nos liderou como ninguém, ela deveria ser a lady de winterfell. – Termina a menor sorrindo para a ruiva, que sorriu de volta para ela.

- Por quê ela deveria nos liderar, se temos o herdeiro homem de Ned Satrk? – Pergunta lorde Umber, se referindo a Bran.

- Lorde Umber... – Fala Sansa se levantando. – Se dependesse de mim, você estaria morto. – Fala arrancando um olhar de choque do lorde. – Jon foi benevolente, eu achava que você deveria ser morto e seu castelo dado a homens leais, e não homens que traíram a casa Stark. Então... Fique quieto. – Termina a ruiva voltando a se sentar e olhando para Arya que a encarava surpresa, não esperava que a irmã tivesse essa atitude. Arya havia adorado.

- E de qualquer maneira eu não desejo esse posto. – Fala Bran. – Sou o corvo de três olhos, minha função na grande guerra é outra. – Termina o moreno, sem expressão alguma.

- Arya está certa... Caso Jon não retorne, lady Sansa deveria ser lady de winterfell e protetora do norte. – Fala a pequena lady Mormont, recebendo um sorriso cumplice da ruiva em troca.

- Me sinto honrada meus lordes... Minha lady. – Fala olhando para a jovem ursa. – Mas espero que eu não precise assumir essa função... Meu irmão retornará, e venceremos o rei da noite. – Termina a ruiva, recebendo um grunhido de afirmação dos homens presentes ali.

- Estão dispensados. – Fala Sansa, vendo todos se levantarem e se reverenciarem para ela, saindo logo após, restando apenas ela e os irmãos na sala.

- Precisa de ajuda para retornar ao seus aposentos lobinho? – Pergunta a ruiva assumindo sua postura doce e olhando para o irmão.

- Posso ir sozinho, não se preocupe. Apenas me ajude aqui. – Fala.

- Deixe comigo! – Exclama Arya se aproximando do irmão. – Ai está... – Fala a menor colocando Bran em sua cadeira.

- Obrigado, maninha. – Fala se ajeitando. – Fale com ela... – Sussurra a ultima parte no ouvido da irmã. Então Arya acena positivamente vendo Bran se dirigir a saída.

- Ruivinha. – Fala Bran passando por Sansa.

- Lobinho. – Acena sorrindo para o irmão.

Sansa então começa a se sentir desconfortável, ficar sozinha com Arya nunca era uma boa escolha, ainda mais depois da carta que havia escrito para a irmã, então se virou e caminhou em direção a saída.

- Hey San... Espere. – Fala Arya dando uma leve corridinha em direção à ruiva e tocando seu ombro.

- Sim... – Fala Sansa se virando para encarar a morena.

- Eu queria agradecer... – Fala pegando uma das mãos de Sansa. – Por... Você sabe. – Termina sorrindo para a ruiva.

- Como eu disse... – Fala fitando os olhos verdes de Arya. – Eu me importo, sempre me importei.... Sempre me importarei. – Responde apertando as mãos da menor.

- Me desculpe pelo o que eu disse... Estava com raiva. – Fala. – Dessa situação. – Termina se afastando de Sansa.

- Sabe que não podemos... – Fala a ruiva suspirando.

- Eu sei... Você fala isso o tempo todo. – Fala e solta um suspiro. – Mas não se preocupe, não insistirei. – Termina, vendo um olhar de surpresa estampado no rosto da irmã.

- Er... Assim será melhor. – Fala Sansa ainda um pouco atordoada, não pensava que Arya fosse desistir tão fácil. – Eu amo você. – Termina a ruiva dando as costas para Arya e indo em direção a seus aposentos, segurando as lagrimas teimosas que relutavam para sair.

Arya suspirou e deixou um lagrima solitária rolar pelos seus olhos. Sansa tinha razão, assim seria melhor.  


Notas Finais


comentem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...