História Tu sei il mio gatto - Capítulo 11


Escrita por: ~ e ~KamiLuiza

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Híbrido, Hibridos, Jeon, Jikook, Jimin, Jung, Kim, Kookmin, Namjin, Park, Taeyoonseok
Visualizações 29
Palavras 1.285
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, povo bonito, lindo, glamuroso que eu amo tanto!! Vou parar de tentar enrolar vcs.
Finalmente uma atualização, né?! Foi mal, mesmo. Faz quanto tempo que eu demorei? Quase um mês, não foi?

Vou me desculpar adiantado se o capítulo for uma merda. Ah, pretendo fazer um especial NamJin... Falo mais disso nas notas finais.

Obrigada pelos fav!!

Capítulo 11 - Fuoco e Giro


  Jin, Jimin e eu estávamos sentados a mesa tentando criar intimidade, consegui mais informações. Estou parecendo um policial ou um agente secreto, cacete.  Bem,  Jimin é uma pessoa fofa e no fundo é uma boa pessoa positiva, mas acho que ele está meio 'pra baixo... Acho não, está. Enfim, mudando de assunto.

 Tivemos que fazer o almoço, era bem difícil escolher alguma coisa para fazer, devido a grande variedade de tempero, massas e etc. Jin olhava receitas junto com o outro Hyung enquanto a minha pessoa checava a geladeira. Tinha carnes e outros frios, tinha alguns refrigerantes bem pedrados. Nem lembro direito quando compraram essas coisas, mas não tanto tempo a ponto da bebida estar vencida. Logicamente  que eu chequei, mesmo se eu não fosse comer algum coisa dali.

 Já sem paciência, Jin hyung preparou uma massa com molho e escondidinho de frango, o último era para o jantar - possivelmente -  e quase virou uma bagunça ali em menos de alguns minutos, resumindo: levei uma bela de uma chinelada na bunda e umas risadinhas do Jimin.

 É um bom começo para uma possível amizade, né não?

A metade das coisas já estavam quase prontas, apesar de eu quase pôr fogo no microondas. Eu só queria esquentar leite 'pra misturar com achocolatado, tudo o que eu consegui foi meio que estragar o cabo de uma panela pequena e tomar frio mesmo. Parece que  o Suga passou por aqui. Okay, ganhei uma panela estragada. Namjoon estava meio bobo alegre, rindo até da parede e um jogo de chá, cujo o qual eu tinha um grande valor emocional para a minha pessoa e lógico, não deixava ninguém tocar. N-I-N-G-U-É-M. 

 O Hyung ficou puto e por pouquíssimo a mão dele ia fazer visitinha na minha face. Jimin havia pego bastante intimidade em pouco tempo com a gente, mas preferia ficar observando com seus olhos felinos, pelo menos foi o que pensei. O almoço foi calmo, não houve silêncios desagradáveis pela música e conversas sobre assuntos desnecessários com palavras de baixo calão. Considero isso normal, por que seria um milagre alguém segurar a língua por meros cinco ou dez minutos.  

 - Jimin... Onde você nasceu? - Perguntei ao mais baixo. 

 - Busan. - Respondeu voltando atenção ao prato de comida.

 - Que bom, o Kookie também é de lá. - Concordei com a boca cheia.

 - Só que me mudei depois do meu nascimento.

 - Entendo, quantos anos você tem? - Perguntou o hibrido.

 - Vinte anos, soube que é meu Hyung. 

 - Ah sim, tenho vinte e dois. - Sorriu. 

  (...) Cortei essa parte, por que achei desnecessária. Se quiserem que eu reescreva coloquem nos comentários.

                                                                Jimin-On

 Deixei os alfas conversando, até então não deviam ter reparado o meu sumiço. Jin tinha me dado uma cópia do portão que seria de grande ajuda, sim, eles não eram más pessoas. Mas acho que a comida pode ter feito uma lavagem cerebral em mim. Uma coisa que eu gosto de fazer é comer. Relevando o momento, sai sem preocupações. O "pijama" não estava atrapalhando até então.

 A rua era meio deserta, forma de dizer que era calma. Fui para o meio da rua pela curiosidade, nunca vi como era a casa da parte de fora.

 Parte do muro parecia uma cerca viva, devido ao verde escuro das folhas. Tinha algumas janelas com varanda, tentei encontrar a do quarto, mas lembrei que fica na parte dos fundos. Ignorei alguns carros importados que passavam buzinando por eu estar atrapalhando. Dane-se. As paredes tinham detalhes em gesso, as placas ficavam em cantos quase aleatórios e a cor era um tom claro de verde. Nada muito chamativo, na minha opinião. Comparada as casas vizinhas com a de Jungkook era praticamente uma mansão.

 A do lado esquerdo era menor devido as laterais e a da direita era meio que um formato duvidoso.  Era estreita e não era muito larga, apesar da descrição era uma casa moderna. Ou ousada. 

 Comparando com todas as casas que eu posso ver desde as esquinas seria as mais "diferentes".

 Me lembra aquele homem com roupas caras que tentou me comprar. Mamãe fez más amizades, com toda certeza. Meu pai então? Não faço a miníma e possível ideia. O meu plano era o seguinte, iria achar o meu - Talvez... - único parente e tentar seguir a vida normalmente. 

Preciso arrumar um emprego e dar um jeito de picar a mula da capital. Seria a última coisa que eu faria por enquanto. 

 - Olá, o que faz no meio da rua? - Uma mulher estranha com uma voz familiar me tira de meus devaneios. Acho que deveria ser uma tal vaca, puta 'pra caralho, se acha a bucetuda da porra toda e outros xingamentos que o Jin falou.

 - Em primeiro lugar, não dê corda. Particularmente, eu não vou com a cara dela. - Respirou fundo para continuar com as dicas de "sobrevivência". - E claro, não fique parado no mesmo lugar por mais de um minuto. Aquela baranga fica de olho na rua com um binoculo e quase caí da janela de tanto tentar espiar o Jungkook. 

 - Deve ser desagradável... - Comentei. - Mas não deve ser tão ruim.

 - Já fui vizinho desse ser. - Deu de ombros. - Enfim, feche as janelas da parte esquerda.

 - Esquerda? - O moreno assentiu positivamente e em seguida enlaçou o braço em meu pescoço.

 - Querido Jimin, essa parte é a do banheiro. Aquela janela tem quase o tamanho de um comodo. Meio merda isso? Claro. Aliás, você é alfa? Seu cheiro é diferente... - Disse cheirando meus cabelos limpos.

 - Sim, por agora. - Dei um ênfase no "por agora" . - Resumindo é uma longa história. 

- Procurando uma coisa. - Respondi rápido na tentativa de sair logo dali, não pelos carros e sim pelo meu tempo de procura, calculei que gastaria pelo menos umas duas ou quatro horas e talvez umas sete, somando com alguns quarteirões vizinhos.

 - Sério, eu também! - Exclamou sorridente. Sorriso mais falso que que peito siliconado. - O que procura?

- Hm... P-Procuro uma rosa... Isso! Uma rosa. - Não foi muito convincente pelas expressões faciais da morena, mas o seu sorriso se voltou a brincar em seus lábios pintados de vermelho. 

 - Que interessante, eu tenho várias roseiras. Pode vir em casa pegar. - Falou me puxando.

 - Melhor não, tenho que ir. Prazer te conhecer moça, fui! - Me soltei das mãos da mulher e fui a esquina checando os lados. Avistei alguns becos, cheio de adolescentes com aquelas roupas estilosas e até mesmo um adulto com uma mochila meio suspeita. Sai dali de fininho, me senti meio ameaçado.

 Eu não queria ter nascido com uma cauda. Mas não é como eu tivesse tido escolhas, até tentei cortá-la fora... Não adiantou muita coisa e até já comecei a aceitar isso em mim. Nascer com orelhas e cauda de algum animal era normal na minha família e em outras, mas ,claro que nem todas gostam disso, talvez pela capacidade de poder se transformar de novo.

 De certa forma, sentia meu orgulho ferido com essas vendas ridículas. Não adianta reclamar mesmo, fazer o quê? Até o prefeito de Busan tinha um.

(...)

Era por volta das oito e meia, nem um sinal daquela pessoa naquelas bandas. Só me restaria tentar aquele lado da esquerda que era mais estranho, estava escuro e eu estava em uma briga interna com meu lobo. Posso ter calculado errado, mas fiz um bom trabalho em minha opinião. 

 Decidi escutar meu lobo com classe indefinida e dar meia volta, foi o que fiz. E sabe de uma coisa? Nunca chute uma lata perto de um carro em movimento.


Notas Finais


Bem, o especial vai ser tipo quando eles estavam na escola e tals, basicamente não vai ter nada demais... Eu acho. Vou decidir tudo direitinho, então vão querer?

~Avisando que vai demorar e não sei quando sai.

Spoiler: Vai ter umas personagens nova capitulo que vem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...