História Tudo Acontece no Tempo Certo. - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 16
Palavras 2.576
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Tô aqui babys. ♥️
Bem pouquinho apimentado esse capítulo...🌶️🔥

Capítulo 14 - CAPÍTULO DOZE


Fanfic / Fanfiction Tudo Acontece no Tempo Certo. - Capítulo 14 - CAPÍTULO DOZE

• JULIAN •

Juro que minha intenção inicial em vir ao seu quarto da Emma não estava ligada em nenhuma conotação sexual, eu queria apenas fazer as pazes com ela para voltar a respirar com normalidade depois da discussão que tivemos. 

O problema é que essa minha intenção inocente se esvaiu de um segundo para o outro quando a garota resolveu assumir seu lado decidido e desinibido me fazendo ficar louco e desejá-la com cada célula do meu corpo. É completamente impossível não querer essa garota quando estou tão perto dela ou quando ela está me dando a permissão total para conhecer seu corpo. Não sou forte o suficiente. Não existe nenhuma lógica humana que me faça sair daqui sem antes tocar em cada pequena parte do seu corpo.

É necessário usar de todo meu alto controle para não atacar essa garota em minha frente, ou melhor, em cima de mim. A Emma está montada em meu colo apenas com os panos do sua calcinha e minha bermuda nos separando. Meu pau está rígido como uma rocha apenas em olhar para os seus seios expostos em minha frente, mesmo com a iluminação um pouco fraca eu consigo identificar como eles são redondinhos e perfeitos para mim. Minha boca chega a salivar em pensar na possibilidade de sentir essa parte dela em minha boca. Eu desvio meu olhar para o seu rosto e percebo a garota transparecendo timidez enquanto morde o lábio em um certo nervosismo, o que vai contra sua atitude de alguns segundos atrás.

- Você é tão linda Emma... Completamente linda! - levo uma das mãos tocando seu rosto com ternura. - Não faz noção do quanto eu te desejo. - eu enxergo um sorriso pervedo se formar em sua boca e sei que estou fodido.

- E o que vai fazer quanto a isso? - não respondo nada. Não sou capaz. Quando eu desvio os olhos do seu rosto e foco em seus seios, tudo em mim parece entrar em combustão e se torna impossível me manter longe.

Com o meu lado não racional em total domínio das minhas ações, eu levo minhas mãos ao seus seios e o primeiro contado da minha palma com sua pele quente faz a garota arfar baixinho e contrair o abdômen. Meu raciocínio se esvai e minha boca saliva quando aperto seus seios sentindo a Emma se esfregar em mim sem medo ou vergonha. Eu me levanto ficando sentado na cama sem tirá-la de cima de mim e levo minha boca para o lugar onde parece clamar por mim, chupando seu seio com verdadeira fome raspando de leve meus dentes sobre seu mamilo durinho. A Emma geme jogando a cabeça para trás e eu inverto nossas posições a deitando na cama sem me afastar dela. Enquanto mordo e chupo um dos seus seios o outro tem a devida atenção da minha mão que brinca com seu mamilo testando suas reações.

A Emma está respirando com dificuldade quando eu vou descendo com beijos pela sua barriga até encontrar o pano fino de sua calcinha. Vejo seu peito subindo e descendo freneticamente e no quarto só é possível ouvir nossas respirações ofegantes quando eu levo minha mão até sua intimidade por cima do tecido sentindo o quanto a garota está úmida.

Ela é virgem! Ela é virgem!

Repito esse mantra em minha mente para não cometer nenhuma atrocidade esquecendo quem é a pessoa que está comigo e o quanto ela merece que seja especial. Se antes eu já queria que fosse especial, agora que descobrir sobre sua virgindade apenas acrescentou mais minha vontade de fazer tudo diferente.

Levo meu rosto por entre suas pernas e aspiro o cheiro delicioso que vem da sua excitação olhando diretamente em seus olhos que estão cravados em mim, e eu definitivamente gosto do que encontro neles. Não é porque eu não devo perder a linha que eu não possa ser o responsável pela Emma aproveitar novas experiências, quero fazer a garota enlouquecer, desejar apenas a mim, viciar no que só eu posso proporciona-la. Mesmo que isso signifique ficar com minhas bolas roxas. Seguindo minha linha de raciocínio, eu me aproximo ainda mais dela lambendo e chupando sua intimidade ainda sob a calcinha mas apenas esse contato foi o suficiente para fazer a garota jogar a cabeça para trás levando as mãos até sua boca na tentativa de sufocar o gemido que deixa escapar. Fica impossível não me sentir orgulhoso com isso.

E o pior de tudo é que nunca fui esse tipo de cara, nunca fui tão possessivo assim com ninguém para ligar com a quantidade de pessoas que vieram antes de mim. Mas com a Emma é diferente. E eu sei que sou um filho da puta egoísta por pensar assim, mas não existe sensação melhor do que saber que eu serei o único responsável por introduzir a garota que eu amo no mundo sexual, que a faça conhecer a sensação. Apenas eu e mais ninguém terá o privilégio de tocar nela.

Levo minhas mãos a lateral da sua calcinha e tiro a peça do seu corpo ganhando o primeiro vislumbre da sua boceta lisinha aguardando por mim. Sinto meu pau pulsar dentro da bermuda e tento levar minha mente para outro lugar, pensando apenas nela. Isso aqui é sobre ela, não sobre mim!

Me forçando a não pensar nas reações do meu corpo, mais uma vez aproximo meu rosto da sua intimidade sendo acompanhado pelos olhos com expectativa da garota e sopro o lugar ouvindo ela xingar baixinho. A fome que sinto, a necessidade de fazê-la minha é tão forte como nunca foi antes. Sempre soube que com ela tudo seria diferente.

- Você quer que eu a toque? - pergunto com meus olhos cravados nos olhos da garota recebendo um manear de cabeça frenético e percebo os pelos de suas pernas se arrepiarem. Isso só mostra o quanto ela está afetada, o quanto quer isso também e o quanto apenas mencionar o ato pode fazer com ela. Mas eu não estou satisfeito. Não ainda. Levo a ponta do meu dedo indicador até sua carne molhada fazendo a Emma afastar um pouco mais suas pernas uma da outra me dando uma excelente visão.

- Hum... - Minha garota solta um gemido quando aproximo meu dedo do seu botão inchado, mas ela rapidamente leva as mãos a sua boca tentando manter o controle. Não vou permitir

- Eu quero ouvir você Emma. Quero ouvir suas reações aos meu estímulos. Quero sentir e ouvir o quanto quer isso meu amor. - ela me olha e imediatamente eu sei o que se passa em sua cabeça. - Ninguém vai ouvir! Essas paredes são especiais, nenhum som passa por elas se a porta estiver fechada. Confie em mim. Eu vou te dar prazer Emma, pela primeira vez. - abaixo minha boca e deixo um beijo simples na parte inferior de sua coxa bem próximo a virilha fazendo a garota arfar com a surpresa do ato. - E a única coisa que peço para você, é que me deixe ouví-la. - volto meu olhar para o seu rosto e encontro a cena mais erótica em ver minha Emma com os lábios entreabertos e seus olhos coberto com a névoa da luxúria. - Quero você Em, quero sentir o seu gosto. Você me permite? - nem eu mesmo reconheço minha voz quando falo.

- Sim... Quero você Julian, só você! - ela diz em um sussurro rouco que faz todos os meus pelos se arrepiarem com a atmosfera sexual ao nosso redor e o desejo explícito entre nós. Com um sorriso no rosto e meus olhos em seus olhos aproximo meus lábios da sua boceta chupando com toda devoção que sinto por cada mínima parte do seu corpo. Corpo esse que a garota está me entregando sem nem mesmo pensar duas vezes. Sinto seu gosto deliciosamente doce e a cada movimento da minha língua em seu clitores os gemidos da Emma vão se tornando ainda mais altos e intensos pelas sensações. Estico minhas mãos e encontrando seus seios. Pressiono o mamilo durinho com os dedos, beliscando e é nesse momento que a garota perde o controle levando seus dedos entre meus cabelos e rebolando em meu rosto.

É prazeroso para caralho cada reação que ela transmite e quando sinto seu corpo convulsionar me mostrando que está perto, eu substituo minha língua pelo meu polegar em seu clitóris o pressionando e fazendo questão de brincar com minha língua em sua entrada para não perder a chance de sentir qual será o gosto da minha menina quando ela gozar.

E não demora muito para isso acontecer.

A Emma clama meu nome puxando meu cabelo com pressão enquanto se derrama em pedacinhos em minha boca. Sinto seu gosto com prazer me saboreando de um belo banquete. Quando minha garota começa a voltar a controlar sua respiração eu me aproximo de sua boca e beijo ela fazendo-a sentir seu próprio gosto. A Emma se afasta e sorri para mim com a testa franzida.

- É diferente... - minha gargalhada soa alto com sua opinião sobre seu próprio gosto.

- É uma delícia! - afirmo roubando um selinho da sua boca linda e me deitando ao seu lado a puxando para meus braços.

Isso provavelmente se tornará um vício.

____________________________

Abro meus olhos lentamente tentando me acostumar com a luz que vem da enorme janela. É aí que vejo um cortina fina e rosa me fazendo perceber que não estou em meu quarto. Minha primeira reação é olhar para meu lado na cama e quando encontro um par de olhos azuis cravados em mim as lembranças de tudo o que aconteceu ontem a noite me atinge em cheio.

Caralho... será que seria uma boa se eu pedisse para repitimos a dose? Olho para o despertador atrás dela e vejo que são 5:20. Daria tempo.

- Bom dia. - seu sorriso doce me faz esquecer dessa ideia e focar no romance água com açúcar, por enquanto.

- Bom dia minha linda. Dormiu bem? - ela se aproxima de mim e deixa dois selinhos em minha boca antes de falar com um sorriso preguiçoso em seus lábios.

- Muito bem! Adorei cada segundo. - não vou negar que meu ego se eleva alguns graus com seu comentário.

- Ótimo. Era tudo o que eu queria. - puxo seu corpo para perto do meu a abraçando e fazendo a menina depositar sua cabeça em meu peito enquanto ficamos em silêncio. Ainda temos tempo antes de dar a hora da escola e não há nada que queira mais além de ficar com a Emma. Fico acariciando seus fios loiros enquanto sinto os dedos da garota desenhar círculos imaginários em meu peito.

- Posso fazer uma pergunta? - percebo uma certa quantidade de receio em sua voz e isso me deixa intrigado.

- Todas que quiser. - ela levanta sua cabeça apoiando seu queixo em meu peito para olhar em meus olhos.

- Ontem quando nós estávamos, você sabe... Foi inevitável não perceber que você possui muita experiência no assunto. - ela respira fundo e eu já posso imaginar porque ela está entrando nesse assunto.

- Emma... - tento falar mas ela não permite me interrompendo.

- Foram quantas?

- Eu não contei. - o modo como ela desvia o olhar de mim deixa visível que minha resposta não é exatamente o que ela gostaria de ouvir.

Mas eu havia prometido. Para mim mesmo.

Nunca mais iria omitir nada da minha vida para a Emma. Não depois de passar anos apaixonado por ela e ter que manter meu sentimento em segredo por medo da sua reação. Serei sincero em todos os momentos.

- Minha menina... - Levo minha mão ao seu queixo trazendo seu olhar de volta para mim. - Eu nunca me apaixonei por ninguém e esse fato me fez ter experiências com algumas garotas, mulheres... - ela mantém seu olhar focado em meus olhos e eu continuo. - Mas nunca, nenhuma delas, despertou em mim a atração física ou sentimento real como o qual eu sinto por você. Elas não chegaram nem perto Emma, foram momentos vazios de qualquer sentimentalismo. Não se compara ao que nós temos. - pego seu mão colocando sobre meu coração e deixando a minha em cima da dela. - Aqui, sempre houve apenas uma. E haverá sempre uma. É você Emma. Sempre foi você!

- Eu sei... - ela fecha os olhos sorrindo de lado e movendo a cabeça repetidas vezes. - Confio em você. - ela aproxima seu rosto deixando um selinho demorado em minha boca e cheio de emoção. Quando a Emma se afasta eu vejo um sorriso zombeteiro em seu rosto. - Você é contraditório. Sabe disso, não é?

- Contraditório? Por quê?

- Você já esteve com várias Julian, provavelmente um mulherengo fazendo sexo avulso com qualquer uma...

- Também não é assim!

- ...E agora, simplesmente evita sexo comigo porque quer que seja especial para mim. Se tornando um príncipe encantado cuidando para que não seja qualquer coisa. - eu sorrio com sua linha de raciocínio. - Você é contraditório!

- Você sempre esteve rodeada de garotos encima de você Emma, e nunca se entregou para nenhum. Isso me faz pensar o quanto sua virgindade é importante para você, já que esperou "tanto". - ela me olha com atenção enquanto falo. - Por isso quero que seja especial Emma. Porque esse momento é importante para você. Quero que seja bom, quero que não leve em conta apenas o desejo e tenha certeza de que está realmente preparada para esse ato, quero que você goste de cada momento e quero que seja inesquecível para nós dois.

- Só o fato de ser com você, com a pessoa que eu amo, eu sei será tudo isso! Tenho certeza. - um sorriso sincero se forma em meu rosto com as suas palavras. Eu a amo pra caralho. Sou completamente maluco nessa garota.

Quando levo minhas mãos em seus cabelos e aproximo minha boca da dela, nem dá tempo de beijar e somos interrompido pelo barulho do alarme indicando a hora da escola. A Emma faz um som frustado e eu sorrio com sua reação, mas esse sorriso some do rosto quando a garota se levanta da cama e lembro que ela continua nua. Completamente. E dessa vez com a ajuda da luz do dia, eu vejo cada detalhe do seu corpo perfeitinho me mostrando o quanto estarei fodido. Um gemido de sofrimento foge dos meus lábios e o pior é quando olho para o rosto da garota e percebo o quanto meu comportamento está a agradando.

- Estou indo para o banheiro. - seus olhos descem pelo meu corpo e para onde há uma quantidade exagerada de volume graças ao seu show de nudez em minha frente. Emma engole em seco e volta seu olhar para meus olhos - Tomar banho.

- Isso é um convite? - talvez eu seja masoquista. Essa é a única explicação. A garota com um sorriso nos labios me dá as costas me mostrando sua bunda redondinha enquanto anda casualmente até a porta do seu banheiro. Assim que ela destranca a fechadura, a Emma me olha de lado e não encontro mais um sorriso perverso em seus lábios.

- A porta estará aberta. - é tudo o que diz me fazendo desejar dá palmadas em cada lado da sua bunda gostosa por tamanha ousadia.

Essa garota ainda será a causa da minha morte.


Notas Finais


Esses dois... Ainda vão aprontar tanto!!
Até semana que vem amores. Beijinhos 😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...