História Submissão? - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Suga, V
Tags Bangtan, Sadomasoquismo, Tortura, Vmin, Yaoi, Yoonkook
Visualizações 63
Palavras 1.331
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


...

Mianhae, sorry, excusa, gomen'nasai, désolé, desculpaaaaaaaa.
Mano... Mano... Mano... faz muuuuuuito tempo que eu não posto capitulo novo. Eu sei. Desculpem.
Desculpem ter deixado a fic largada assim... mas sabem como é... falta de criatividade, provas, preguiça...
Não vou prometer postar capítulos toda semana pq sei que não vou cumprir... apenas... tenham paciência comigo :')

Capítulo 21 - I-isso é t-tortura...


Pov Taehyung

Assim que vejo as portas do elevador se abrirem, solto os pulsos do mais baixo e sorrio ao ver um volume em sua calça.

- Vamos, eu fiz reserva para daqui a meia-hora. Não podemos atrasar, hum?

Saímos do elevador e Jimin veio atrás de mim, entramos no carro e eu coloquei o cinto.

- Só isso? Sério? Vai me deixar assim?

Ele aponta para sua ereção e eu solto um riso nasalado.

- O que pensou que fosse acontecer? Que eu fosse te foder no carro?

Falo recebendo um silêncio de sua parte como resposta.

- Hoje não, agora coloque o cinto. Temos que ir.

Ligo o carro, assim que saímos da garagem da empresa, inicio o percurso até o restaurante.
A viagem foi tomada por um completo silêncio, que sendo sincero, não me incomodava, sabia o motivo do silêncio.
Jimin não estava acostumado com pessoas lhe dizendo "não". Todos os seus "relacionamentos" eram baseados em obediência e disciplina por parte de seus parceiros, e isso era sem dúvida algo que eu não aceitaria, pelo menos... não mais.

...

Ao chegarmos no estabelecimento, nós saímos do carro e eu abri a porta para Jimin.
Estendi meu braço e o mais novo, ao entender o que eu fazia, encaixou no braço no meu.

- Para que isso?

Ele fala sem graça e eu sorrio.

- Apenas um casal normal indo jantar, hyung.

- Sabe bem que nós não somos um casal.

- Não somos porque vc não quer. Mas se depender de mim, ainda seremos.

Me abaixo e beijo sua bochecha.

- Agora vamos, Senhor Park?

Vejo um sorriso bobo de sua parte e em seguida assente com a cabeça.
Fomos andando até o restaurante e logo nos sentamos.

O jantar foi calmo e bem agradável. Conversamos, rimos, conversamos sobre trabalho, entre outras coisas.
Por fim, eu paguei a conta e nós fomos andando de volta até o carro.

- Taehyung...

Olho para o menor que vem até mim e me abraça.

- Por que isso? - Falo confuso.

- Nunca tinham me levado para jantar. Eu adorei.

Como podia ter tanta fofura e maldade em uma só mesma pessoa?
Envolvo o corpo do mais velho com carinho e o vejo deitar a cabeça em meu peitoral.

- Não precisa me agradecer, pequeno. - Acaricio suas costas. - Está tarde, precisamos ir para casa.

Tento me soltar do abraço, mas Park da um impulso, subindo em meu colo, com as pernas entrelaçadas em minha cintura e a cabeça repousada sobre meu ombro.

- Quer ir para minha casa?

Faço carinho e suas madeixas castanhas e o vejo assentir com a cabeça.
Vou andando com o menor até o carro, abrindo a porta do lado do passageiro e o sentando ali.

- Precisa me soltar, sim?

Vejo o menor soltar meu corpo e colocar o cinto do carro, enquanto eu fecho a porta, em seguida, entro pela porta do motorista, logo me sentando e o olho, vendo que possuía um olhar sonolento, porém um sorriso sincero e fofo nos lábios.

A viagem de carro permaneceu em completo silêncio, mas em nenhum momento foi desagradável, pelo contrário. Era um silêncio bom... Era calmo. Ambos estavam mais concentrados em outras coisas, como no caso de Jimin, que prestava atenção nas ruas e no fato de como a cidade ficava bonita a essa hora da noite. Eu me concentrava na estrada e na música que tocava no rádio ao mesmo tempo: "View do SHINee".

Ao chegar em minha casa, estaciono na garagem e saio do carro, saindo e abrindo a porta para que o mais velho saísse.

- Por aqui, Senhor Park. - Recebo um tapa fraco em meu braço.
- Não me chame assim.

- Por que não, senhor Park? - Ele revira os olhos. - Tá bom, então vem cá, bebê.

O pego no colo e Jimin deita a cabeça em meu ombro.
Fui entrando em casa o levei até o quarto, o deitando na cama, me sento em cima de seu membro em posição de "W".

- O-o que está fazendo? - Sorrio ladino ao notar o nervosismo do mesmo. - Eu? Nada. - Saio de cima de seu corpo. - Eu vou tomar banho, ok? Depois você vai. - Tiro minha camisa e a jogo em uma poltrona qualquer.

- Posso ir com você?

- Por que?- Arqueio uma sobrancelha o olhando.

- Apenas... queria ficar perto de você.

- Acho que não tem problema. - Dou de ombros.
Tiro minhas roupas, ficando apenas com a boxer, indo até o banheiro e colocando a banheira para encher.
Sinto um calor envolver meu corpo por trás e me viro. - O que foi? - Olho em seus olhos e ele acaricia meu abdômen e segura minha mão, colocando a mesma em sua cintura, para que eu o tocasse também.

- Eu preciso de você.

Minha mão é guiada até seu membro, ainda coberto pela calça social. Passei meus dedos por ali, sentindo o quão molhado estava o tecido.
Seu olhar pidão volta a me encarar, como se implorasse para que eu o fodesse ali mesmo. - Agora não baby, vamos tomar banho, sim? - Assim que observo a banheira já cheia, eu fecho a torneira.- Termine de se despir.
Ele assente e remove os tecidos que cobriam seu corpo, ficando completamente nu. Faço o mesmo, tirando minha boxer e nós entramos na banheira.
- Vai me deixar assim? Isso é maldade, Taehyung.- Fala me olhando frustrado e eu sorrio ladino, acariciando sua bochecha.

- Acho que o baby não merece ser recompensado. - Pego uma esponja e despejo sabonete líquido na mesma, começando a fazer espuma.
Passo a esponja no abdômen definido do moreno.
- Malvado.
Sorrio ladino com seu comentário.- Também te amo, Hum?- Deixo um selar em sua testa.
Logo acabamos o banho e fomos até o quarto, nos deitamos na cama ainda nus e ele ficou me olhando ainda emburrado.

- Algum problema? - Cutuco seu abdômen.
- Não vou conseguir dormir assim.

Park olha para sua ereção e eu rio fraco de sua situação. - Não ria! Me ajude!

Aproximo meu rosto de seu ouvido. - O que você quer? - Sussurro de forma provocativa e mordo levemente o lóbulo e sua orelha.

- Eu quero prazer. - Minha mão é guiada até seu membro enrijecido. - M-me faça gozar... p-por favor... - Seguro seu falo, levando meu polegar até sua glande, espalhando o líquido que havia se acumulado ali. Começo com movimentos lentos de vai e vem. Olho para seu rosto, o vendo com os olhos fechados, soltando gemidos manhosos e baixos.

- Gosta assim, hum? - Acerelo os movimentos e o menor começa a gemer mais alto, impulsionando sua cintura para cima, a procura de mais contato.

- T-taehyung-ah... m-mais r-rápido... Aaaahh...

Dava para sentir suas veias pulsando em minha mão. Seu membro estava completamente lubrificado, gemidos finos ecoavam pelo quarto, o que aumentava cada vez mais minha vontade de fodê-lo.
- E-eu e-estou quase... Eu v-vou g-gozar...
Assim que ouço a frase do menor, eu paro os movimentos e ele geme em reprovação, segurando minha mão novamente, para que eu continuasse a masturbação.
- N-não... Aaawn... p-por q-que p-parou?
Jimin choraminga e me olha frustrado.
- Acho melhor irmos dormir... - Pego o cobertor, cobrindo o mais velho.
- Está drogado? Eu nunca vou conseguir dormir nesse estado! Trate de terminar o que começou! - Rio nasalado ao ver sua frustração. - Eu disse que iria deixá-lo chegar ao ápice? - Olho para ele.
- M-mas... - Coloco meu indicador sobre seus lábios.- Shhh. Não será recompensado. Eu não esqueci o jeito que me tratou mais cedo, quando cheguei em seu escritório.
- Está me torturando por isso?! - Me olha com uma expressão enraivecida e bufa, com os braços cruzados.
- Quero que vá dormir, amanhã conversamos. - Ele se deita de costas para mim e eu apago as luzes, indo dormir.



Notas Finais


Amo vcs meus bolinhos
Eu revisei várias vezes, se tiverem erros me perdoem.
Desculpem pela demora novamente :')


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...