História Tudo E Todas As Coisas- Choni - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Riverdale, Teen Wolf
Personagens Antoinette "Toni" Topaz, Archibald "Archie" Andrews, Cheryl Blossom, Elizabeth "Betty" Cooper, Forsythe Pendleton "Jughead" Jones III, Lydia Martin, Penelope Blossom, Personagens Originais, Veronica "Ronnie" Lodge
Tags Choni, Madelaine Petsch, Riverdale, Vanessa Morgan
Visualizações 198
Palavras 1.399
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Literatura Feminina, Orange, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi oi e oooooie

Desculpem a demora, estou com pequenos problemas. Quebrei o pé e estou de repouso e tava sem criatidade, mas volteeei. Desculpa o capítulo pequeno, recompensarei vocês

Espero que gostem

Boa Leitura, serumaninhos!

Capítulo 5 - The truth


Pov Toni

E assim mais um dia começava, uma segunda feira chata como as outras a mesma rotina, as mesmas aulas mas pelo menos a noite anterior tinha sido ótima. Óbvio, mais uma noite de conversa com Cheryl. 

Flashback On 

Eu estava deitada na minha cama esperando o sono vir, desde de ontem não havia conversado com ela, nem mesmo quando ligava a lanterna em sua janela, nada a chamava atenção. Eu estava lendo livros para passar tempo, até porque não iria ficar segurando vela lá embaixo com a minha mãe e FP assistindo "filminho romântico". Jughead havia saído de novo com Betty, eles estavam se dando bem e eu fico feliz por isso. 

- Aí que tédio!- Bufo colocando meu rosto entre o travesseiro. De repente escuto algo sendo jogado em mimha janela me assustando e me fazendo gritar. Me levanto e vejo que era Cheryl, a mesma parecia ter se assustado com meu grito. 

- Filha, tá tudo bem?- Minha mãe aparece no quarto fazendo com que Cheryl se esconda em sua cortina. 

- Tudo mãe, foi nada demais.- Sorrio e a mesma afirma fechando novamente a porta.- Oi. - Digo encarando Cheryl. 

- Oi.- Ela sorri tímida.- Era sua mãe?

- Sim, ela é sim.

- Você se parece com ela.- Cheryl diz e eu sorrio de lado.- Ela é bonita, assim como você!

- Uau...- Digo e sorrio encarando a mesma que fica vermelha.- Você fica mais linda quando tá com vergonha, sabia?

- F-fico?- Ela diz engasgada com sua própria saliva me fazendo rir.- Para! Eu não sou acostumada a receber elogios. 

- Pois devia, você é muito linda. - Digo me encostando na janela. - Posso te perguntar uma coisa? 

- Claro.- Ela diz também se encostando na janela. 

- Porque você sai da janela toda vez que alguém abre a sua porta?- Digo curiosa e vejo a mesma abaixar a cabeça.- É o seu pai? Seu irmão? Namorado? Namorada? Sua...- Cheryl me interrompe. 

- Minha mãe.- A ruiva diz me encarando.- Ela não gosta que eu converse com alguém que ela não conhece.- Cheryl diz parecendo nada certa do que falava. 

- Tem certeza que é só isso?- Digo curiosa.- Você pode contar a verdade. 

- É...só isso!- Cher sorri.- Mais alguma pergunta? 

- Sim...- Coço minha nuca.- Aquela loira, o que ela é sua? 

- A Betty?- Cheryl sorri.- A Betty é minha prima, uma pessoa muito linda e legal por sinal. Mais, porque a curiosidade? 

Eu sabia, tinha algo errado na história da Betty. 

- N-nada não.- Sorrio.- Me conta, o que você gosta de fazer nesse seu presídio?- Digo mas logo me arrependo.- Desculpa.

- Tudo bem.- Ela ri.- Ah, eu fico assistindo netflix, gosto de culinária, arrumo a casa, faço desenhos e...- Interrompo a mesma. 

- Você desenha?- Pergunto sorrindo. 

- Sim, mas é horrível os meus desenhos.- Ela diz. 

- Ah não, eu quero ver.- Sorrio. 

- Não, você não quer!- A mesma ri. 

- Quero sim!- Confirmo e a mesma revira os olhos. 

- Espera ai...- Cheryl diz se afastando. 

- Eu não vou sair daqui.- Digo para mim mesma. 

- São horríveis.- Ela diz abrindo o seu caderno e com a lanterna consigo ver realmente seus lindos desenhos. 

Flashback Off 

- Terra chamando Toni...- Betty diz estalando os dedos em meu rosto me fazendo perceber que eu já estava no estacionamento da faculdade. - Bom dia.- A mesma ri. 

- Bom dia, Elizabeth.- Digo e a mesma me encara meio surpresa. 

- Vish, alguém acordou de mal humor hoje.- Kevin ri. 

- Eu só não gosto de gente que mente pra mim...- Digo encarando a loira que sabia que era pra ela o que estava falando. 

- Que isso, Antoniette?- Jug me encara. - Ninguém mentiu pra ninguém aqui não. 

- Será?!- Encaro Betty que suspira. 

- Podemos conversar depois?- Ela diz me encarando. 

- Se você não for mentir...- Dou de ombros para a mesma que afirma com a cabeça. 

Depois de entrar na faculdade fui direto para a minha sala, as mesmas pessoas haviam se sentado na mesma carteira com os seus matérias, conversando com os mesmo colegas e rindo, rindo as sete da manhã de uma segunda feira. 

- Bom dia alunos, hoje teremos aula nova.- O professor diz aparecendo me fazendo revirar os olhos.

- Ódio...- Sussurro para mim mesma. 

Pov Betty 

Toni provavelmente havia descoberto tudo após me ver no quarto de Cheryl, já que a mesma conversava com a minha prima. Puxo Jughead para um canto escondido e logo o mesmo me beija, um beijo calmo. Estávamos próximos, bem próximos nestes últimos dias. 

- Bom dia.- Ele diz sorrindo e se afastando me fazendo sorrir. 

- Bom dia.- Sorrio e dou um selinho no mesmo.- Toni me viu na janela do quarto da Cher. 

- Acha que é por isso que ela está tão brava assim?- Ele pergunta. 

- Ela é sua irmã, você deveria saber!- Digo 

- Meia irmã...- O mesmo corrige. - Mas eu não entendo a cabeça de Toni. - Dou risada.- O que você vai fazer? 

- Vou...- Suspiro.- Vou contar a verdade.

- Toda a verdade? 

- Não, sim...- Digo confusa.- Não sei, mas não posso deixar ela sem explicação depois do que ela viu. 

- Se quiser posso ir com você.

- Não, vou conversar com ela sozinha.- Sorrio de lado. 

Pov Penelope

- Penelope, temos uma nova enfermeira hoje, você ficará de olho na mesma.- Meu chefe diz me fazendo revirar os olhos. 

- Tudo bem. 

- Oi, bom dia.- Escuto uma voz atrás de mim. Me viro dando o melhor sorriso que eu consigo.- Eu sou a Íris, a nova enfermeira. - Ela estende a mão. 

- Bom dia, eu sou Penelope, a enfermeira chefe.- Aperto a mão da mesma. - Seja bem vinda ao nosso hospital Seattle Grace! 

- Obrigada.- a mesma sorri. 

- Venha comigo,  vou te mostrar o nosso hospital!- Digo e a mesma me acompanha. 

- Ouvi falar que esse hospital é o maior desta cidade. - Íris diz e eu percebo que a mesma queria começar um papo. 

- É, é sim...- Respondo.- Olha, o horário e as regras tem que ser compridas.- A encaro.- Você mora muito longe? 

- Não, eu moro num condômino de casas por aqui perto. - Eu a encaro.- O nome é house center 

 - Sério?!- A encaro surpresa. 

- Sim, sou nova em Nova York e era a casa que estava vazia, mas muito linda, por dentro e por fora.- Íris sorri. - Você conhecê?

- Eu moro lá do lado dessa casa que estava vazia.- Forço um sorriso. 

Então ela poderia ser a tal pessoa que conversa com a minha filha, ou alguém daquela casa. 

Ótimo! 

Pov Toni

Estava rindo para o refeitório quando sinto uma mão me puxando, encaro a pessoa a minha frente e vejo Betty. 

- O que você quer? 

- Te contar a verdade.- Ela sorri de lado. 

- Não precisa, Cheryl já me contou que você é prima dela. Eu estava começando a gostar de você, achei que iríamos se dar bem, mas não me dou bem com alguém que mente pra mim. - Digo saindo de perto da mesma. 

- Ela não te contou tudo...- Ela segura meu braço. - Eu posso te contar TODA a verdade? 

- Como assim "toda" a verdade?- Digo fazendo aspas. 

- Cheryl tinha uma infância boa, era uma criança normal como todas as outras, mas quando meu tio e primo morreram a minha tia Penelope, mãe dela.- Betty me encara.- Falou do nada que ela tinha essa tal síndrome da tal imunodeficiência combinada, e trancou Cheryl dentro da casa dela, não saiu nunca mais.- A encaro confusa. - Toda vez que ela sai, tranca todas as portas e não deixa nenhuma cortina da casa aberta para que não vejam a minha prima. A única coisa boa é que ela é enfermeira chefe e trabalha de plantão no hospital e eu consigo dormir e ver a Cheryl. Eu não sei como ela ainda não fechou a janela da minha prima, mas fico feliz que você consegue falar com ela. 

- Betty, sua tia é louca.- Digo e a mesma afirma.- Mas vocês tem certeza dessa síndrome da Cheryl? 

- Ninguém consegue encostar nos exames, ela diz que tem medo da Cheryl entrar em depressão por conta dos resultados. - Ela revira os olhos. 

- Está é a verdade? 


A verdade 







Notas Finais


Serumaninhos, não se esqueçam de comentar pois é muito importante pra mim e desculpe qualquer erro pequeno ou grande erro

Até à próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...