História Tudo é uma simples ilusão - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Tom Holland
Visualizações 26
Palavras 826
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - IV


Ok, eu nunca mais jogo voley! Cortei meu joelho, e estou muito suada. Vou explicar melhor como aconteceu.

Eu estava no meio do time, já tinha se passado dez minutos e eu estava bem cansada já! Thomas estava rindo da minha cara, acho que é porque eu parecia uma palhaça correndo para um lado e para o outro.

Ah não! Decidi mostrar do que eu sou capaz. O professor apitou, a garota que ia sacar a bola olhou pra mim. Ela sacou, e tudo passou em câmera lenta, eu pulando para rebater a bola, enquanto isso Jessica pulava na minha frente. Eu caí de joelhos no chão, deixando assim, um deles rasgados.

- Ai droga!

- Desculpa! Foi sem querer - Jessica realmente estava bem preocupada.

- Tudo bem, só está sangrando um pouco! Vou pro banheiro.

- Eu te ajudo.

- Não precisa. Posso ir professor?

- Sim, aliás, não precisa voltar a jogar se você não quiser.

Concordei timidamente, e sem olhar para trás, saí da quadra, mancando um pouco.

Logo cheguei no banheiro, peguei papel e me sentei no balcão ao lado da pia.

Molhei o papel, e comecei a limpar todo aquele sangue.

- Tudo bem?

Thomas estava encostado na porta, com os braços cruzados.

- Sim, tudo ótimo...ah...você sempre costuma aparecer do nada? - ele caminhava bem lentamente para perto de mim.

- N-não? Eu acho.

- Hum - continuei a limpar a minha perna. Ele segurou o meu pulso - Assim você vai se machucar, devagar. - fiz oque ele mandou - Oque você vai fazer hoje?

- Ah, procurar um emprego, terminar de arrumar a mudança. Porque?

- Ah, a gente poderia dar uma volta, sei lá, talvez eu te mostre a cidade! Mas se você quiser, eu posso te ajudar!

- Bom, eu preciso de emprego...

- Conheço uma empresa que está procurando uma secretária, é perto daqui, eu posso levar você.

- Ótimo.

- Ok te vejo onde?

- Tem uma praça perto da minha casa, é a alguns quarteirões daqui!

- Ok, sei onde é!

- Pode ser as 2h?

- Te vejo lá.

Em um piscar de olhos ele desapareceu, terminei de limpar meu joelho, e voltei pra quadra. Não havia mais ninguém, só o professor.

- A maioria já tomou banho, alguns foram pra biblioteca, outros vão para a praça, eu deixo alguns minutos até bater o sinal. Da tempo de você tomar um banho, se você quiser.

- Claro

- O joelho está melhor?

- Ah sim! - Saí andando até a porta onde dizia "vestuario feminino".

É cheio de armários e chuveiros, parece estar vazio.

'Alguém' - o som se expandia como eco. Parece que não tem ninguém.

Antes de começar a aula, eu tinha colocado uma roupa que a escola ofereçe, e deixado as minhas coisas em um dos armários, a chave estava no meu braço.

Dei mais uma olhadinha, e não tinha ninguém, tomei um banho me troquei, e depois o sinal bateu.

*******************

Já eram dez pras duas, eu tinha me vestido formalmente, e com alguns currículos esperava na praça.  Depois da escola eu fui em uma lanchonete comer uma pizza. - eu devia ter pegado um agasalho, aqui na praça está um pouco frio - espero que ainda tenha vagas nessa empresa, mas também estou pensando em passar em outros lugares, e logo logo meu dinheiro acaba. 

- Não sabia que você podia se vestir de maneira tão 'elegante' - Thomas estava em um carro, preto, bem chique até!

- Achei que você vinha andando! Aliás, você tem idade para dirigir?

- Entra logo vai!

- Sim Sr. mais alguma coisa?

- Nenhuma madame.

E lá fomos nós, com uma musica moderna, em um carro confortável.

****************

- Onde você pensa que vai?

- Eu vou junto!

- Como assim? Quem tem que ir sou eu, aliás eu que quero o emprego!

- Eu só estou tentando ajudar.

- Olha lá em, confio em você, mas não vá fazer besteira!

- Sim Sra. - Dei risada nessa última frase, mas não acho certo ele entrar comigo.

Todos estavam olhando para nós, quando entramos! Estranho, será que são minhas roupas?

Agora que reparei, Thomas está muito bem vestido, com um terno, relógio de prata, e cabelo penteado.

- Por aqui! - ele apontava a mão para um elevador!

- Ok Sr.

- Porque está me chamando assim.

- Acho que Thomas é muito, formal.

- E Sr. não? - ele deu risada da minha opinião! - me chama de Tom.

- Ok Sr.Tom

Ele apenas revirou os olhos, e então eu reparei, que já estavamos, no último andar.

- Boa tarde Sr.Holland, seja muito bem vindo.

- Obrigado.

- Você tem uma reunião daqui 20 minutos.

- Ok, obrigado.

Espera aí, quem é ela, e porque ele tem uma reunião?

Ele abriu uma porta grande com espessura de madeira, e pediu que eu entrasse.

- Sente-se. - obedeci, estava um pouco confusa.

- Bom Ester, eu preciso de uma secretária! Você me pareceu uma ótima pessoas para esse requisito.

- Como?

- Bom, acho que devo esclarecer melhor as coisas. Eu não sou um simples garoto na escola, na verdade eu sou o dono dessa empresa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...