História Tudo Em Nome Do Amor... - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 53
Palavras 2.340
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi amores! 😍
Então, fiquei sem postar uns três dias e peço desculpas. Bom, eu trouxe esse capítulo para vocês, espero que gostem e que comentem. Milhões de Beijos!
😍♥️♥️♥️♥️♥️♥️♥️♥️♥️♥️♥️♥️😍

Capítulo 33 - Novamente...


Fanfic / Fanfiction Tudo Em Nome Do Amor... - Capítulo 33 - Novamente...

S/n on:


Lá estava eu... Em uma maca. Eu sei que meu tempo está acabando... Eu sinto isso. Meus sentidos estão lentos e minha boca rachada, a pele seca e pálida, não mais que à de meu amigo Yoongi

Ri do meu próprio pensamento e minha cabeça doeu. Abri os olhos e eu estava com a máscara de oxigênio, Jungkook estava dormindo, era de se notar que havia chorado muito, sentado em uma poltrona com uma rosa branca na mão. Ele parece um anjinho dormindo. O monitor cardíaco estava apitando lentamente, o que significava que eu estava com os batimentos estáveis, e Jungkook ainda estava dormindo, de vez em quando, entornando o canto da boca.

Fiquei o olhando dormindo e meu coração acelerou, resultando em um barulho um pouco estressante, mas o que eu poderia fazer se meu namorado é um cara muito lindo, divertido e, extremamente, inteligente? Ele é Jeon Jungkook! Meu Jeon Jungkook...

Ele acordou extremamente afoito com o bip do monitor. Ele, então, me olhou e sorriu coçando os olhos, andando até mim:

- Que bom que está aqui... - eu sorri e ele beijou minha mão e me entregou a flor. 

- Eu não deveria estar em lugar nenhum sem que fosse ao seu lado... - ele acariciou minha mão com o polegar. 

- Eu amei... - refiro-me à rosa branca.

- Que bom que acordou... - falou olhando nossas mãos e, em seguida, me fitou profundamente - Seus pais estão aí... Deseja falar com eles? - disse sorrindo.

- Tenho medo de meu pai ficar muito sensível em razão do meu estado... - abaixei a cabeça - É deplorável... 

Ele riu soprado. Jungkook rindo soprado? Ele nunca fez isso em uma situação como essa. 

Ele, então, levantou minha cabeça com o indicador levemente dobrado em meu queixo e eu não neguei-lhe nenhum olhar... Nunca nego-lhe nada. Ele sorriu e beijou minha testa, acariciando uma de minhas bochechas com a ponta dos quatro dedos:

- Vou chamar seus pais... - se afastou e saiu.



(...)



Minutos depois, vi minha mãe abrir a porta lentamente,  podendo ver que ela estava com sua bolsa na altura da cintura, e meu pai estava logo atrás. Ela viu que eu estava acordada e acelerou um pouco o passo, dizendo "Filha", pondo a bolsa no assento que Jungkook estava minutos antes, chegando à minha maca e selando minha cabeça:

- Como você está? Está bem? - falou me analisando e eu sorri acolhedora.

- Sim, minha mãe... Estou bem. - os olhei e eles se entreolharam sorrindo - Entretanto... Não estou entendendo o motivo dos sorrisos... - fitei ambos - Aconteceu algo na qual eu necessito tomar conhecimento? - minha mãe sorriu.

- Filha, esqueça um pouco da formalidade da sua faculdade conosco, está bem? - ela sorriu. Minha mãe sorriu... E eu estou no hospital.

- Turu bão - fiz um "joinha" com os olhos cerrados, sorridente, e ela me olhou com tédio.

- Não exagere... - Sorrimos.

- Mas, filha, não é por isso que estamos aqui.. - ele tocou o ombro da minha mãe, que logo pôs a mão sobre a sua, lhe olhando sorrindo. Os olhei confusa e disse:

- Perdão, mas... O que que... - eles me interromperam com um sorriso:

- Eu... - ela parou de olhar para meu pai e me fitou sorrindo - Eu estou grávida... Eu estou grávida, filha! - sorriu ainda mais.




Eu senti um choque no momento. Era... Era por isso que Jungkook estava tão sorridente! Ele já sabia! Todos já sabem que:

- Eu vou vi... Eu... Eu vou viver... Ha.... Eu vou viver, mãe! Mãe! - ela me abraçou acariciando meus cabelos curtos e eu fiquei chorando - Pai! Pai, eu vou ficar viva! Viva, pai! - meu pai estava chorando.

- Eu sei... Eu sei, minha filha! Eu te amo, filha! Eu Te Amo! - ele disse beijando o meu rosto e mesmo que sua boca ficasse molhada pelas lágrimas.



Ficamos um bom tempo assim e eles se afastaram, então, pude ver que Jungkook estava encostado na porta, olhando a cena:

- Jungkook... - meu pai falou grosso, então, Jungkook se aproximou sorridente e meu pai pegou na sua mão - Obrigado, mais uma vez. Não sei o que teria sido dela... Sem você - falou e eles balançaram o aperto.

- Imagine, Senhor... - me olhou sorridente - Eu que não sou nada sem ela... - olhou para meu pai - Sempre que eu puder fazer algo por ela... Eu farei sem pensar... - Me olhou e minhas lágrimas voltaram a cair.

Foi quando Jungkook se aproximou e eus iriam sair que a porta se abriu, revelando um rapaz com uma aparência séria, até que ele me viu e deu um sorriso muito lindo:

- Ann-yeonghaseyo! - ele disse e sua voz era um tanto tranquila... Comum. Diferente de sua aparência quando não sorria, que ficava com uma homem sério e formal. O respondemos em um uníssono irregular. - S/N..../C (Seu Nome Completo)? Correto, sim?

- Sim... - falei e ele deu mais um sorriso maravilhoso.

- Sou Park SeoJoon, sou seu médico acompanhante. Calma, pois não vou ficar te seguindo com uma prancheta por aí - eu ri e percebi que o olhar de Jungkook, automaticamente, ficou cerrado - Prazer... - estendeu a mão e, antes que eu pegasse, Jungkook a segurou.

- Jeon Jungkook. Namorado da paciente... - apertou a mão do mais velho, que fez um "Aish" muito discreto entre dentes. - Muito prazer...

- O prazer... - apertou a mão de Jungkook - É todo meu... - eles ficaram se encarando com os olhos cerrados por um tempo e Joon se dirigiu a mim - Então, Querida... - quando ele falou aquilo... Cara... Eu achei que Jungkook iria voar no pescoço dele e esgana-lo até que seus olhos, que eram para ser pequenos, grandes saltassem e ele pegasse-os para jogar ao  seu cachorro imaginário de fogo. E duvído se não não era isso que ele estava pensando. - Vou lhe avaliar mental e físicamente, certo? - eu assenti e ele soltou a prancheta, pondo luvas e eu fiquei imaginando: Como assim... Físicamente? Meus pais acenaram saindo e eu e Jungkook retribuímos. Ele, Joon, se aproximou com os dedos um tanto articulados e Jungkook segurou suas mãos:

- Tem certeza que há necessidade, Doutor? - Jungkook falou o fitando - Creio que não é necessário.

- Quem é formado em medicina sou eu ou você? - fitou meu namorado.

- Não te perguntei nada. Eu quero saber qual a necessidade de uma avaliação física. - Jungkook rebateu.

- Bom, se você se acha que não é necessário... - deu de ombros - Vá em frente. Se ela estiver pior do que eu imagino, a culpa cairá sobre você... - ia tirar as luvas e Jungkook o segurou, fazendo o mais velho o encarar:

- Pode... - falou de cabeça baixa e soltou um suspiro derrotado - Pode avaliá-la... - olhou para o chão e o doutor sorriu.

- Pode se sentar Ali... - apontou para uma poltrona longe da que Jungkook estava mais cedo. Ele cerrou os olhos e ficou mais longe da maca. O doutor veio até mim e pegou em meus braços, tendo a visão de uma macha vermelha um pouco mais discreta do que eu imaginei. Levantou um pouco a minha blusa na barriga e Jungkook ficou passando a língua na bochecha por dentro da boca. Ele estava com muita raiva. Então, ele veio para meu colo, perto dos meus seios e puxou a manga da blusa hospitalar dos meus ombros, deixando-os descobertos e isso atiçou ainda mais a raiva de Jungkook, então, Joon visualizou mais uma mancha. Depois, avaliou minhas coxas, pernas e disse - Desculpe o comentário, S/n... Mas suas pernas são muito lindas e macias... - passou as mãos e Jungkook apareceu de repente, segurando sua mão:

- Já deu de avaliação física. Hora de avaliar a mente. S/n já sofreu um acidente no passado e chegou a perder a memória, então, quero saber se ela corre esse risco. - Jungkook disse e ele estava sem expressão . Era Raiva. Eu conheço meu garoto. Sei como ele é e todas as suas manias, como contorcer os dedos, encher um lado da boca com um pouco de ar, passar a língua dentro da boca, na bochecha direita para ser exata, até por que eu também faço isso, ele não faz aegyo quando eu peço, ele é muito natural nesse momento, chega à se esconder para não fazer isso, rsrs. E o mais importante, fica sem expressão com raiva. 

- Claro... - disse neutro - Vou verificar isso para você... - o fitou e depois sorriu para mim - Já volto, boneca. - pegou meu queixo e saiu. Jungkook se sentou e ficou com a palma das mãos nos olhos. Joon entrou pouco tempo depois com um sorriso nos lábios grossos - Voltei! - vi Jungkook articular "Para minha tristeza" e eu ri soprado. - Vamos começar? - se sentou em uma cadeira Perto de mim e eu assenti - Nacionalidade?

- Brasileira. - ele me olhou espantado, mas continuou anotando.

- Sua idade...? - olhou a prancheta.

- Dezoito... - ele levantou as sombrancelhas sem tirar os olhos da prancheta.

- Família? - perguntou anotando.

- S/m, minha Omma. S/p, meu Appa. Eu tinha um Orabeoni, mas... - fiquei com lágrimas nos olhos e Jungkook disse:

- Não precisa você falar... - se levantou pegando minha mão.

- Me diga... Faz faculdade, não faz? - disse e eu olhei confusa. Isso faz parte do procedimento? Mas mesmo assim respondi.

- Faço faculdade de direito com meu namorado, Jeon Jungkook. - olhei rapidamente para Jungkook e depois para o médico que me olhava de baixo, mas logo voltou a anotar e eu continuei - Ele tem dezenove anos e somos da mesma sala.

- Hum, mas como são da mesma sala e de idades diferentes? - insinuou.

- Por que a pergunta? - falei e Jungkook ficava apenas observando o diálogo.

- Bom, eu... Eu Imaginei que... Bem, que não... Não tem motivos para... Uma... Brasileira sair de seu país e, bem... - o interrompi.

- Achou que uma Brasileira não teria condições de fazer parte de uma nação desenvolvida como a sua, Senhor Park? - falei normalmente, sem raiva. Sem sentimento. Me sentando na maca.

- Aniyo! Aniyo! Não foi isso que eu quis---

- Não importa... - falei e me ajeitei deitada na maca novamente. - Bom... Mas alguma pergunta, Senhor Park? - o fitei.

-  Ah, bom, hã... - olhou a prancheta - Você... Sabe me dizer o ano em que nós estamos? O.... - olhou novamente a prancheta - Seu nome completo e... - ele fez várias perguntas e eu consegui responde-las todas de acordo. Então, ele terminou de anotar as respostas, pegou um pouco do meu sangue e disse que voltaria logo.




- Então... - falei e Jungkook pôs a mão na nuca, me olhando com seus olhinhos puxados muito fofos, mas também muito atraentes - Ciumento... - eu sorri e ele fez bico, cruzando os braços, e eu achei aquilo tão fofo... Mas ficou ainda mais quando ele disse:

- Você é muito má com o seu Kookie.- falou fofo e eu não resisti, dando uma apertada em sua bochecha corada e um beijo em seus lábios bem desenhados pelas mãos de alguma espécie de caneta mágica.

- Ownt... - falei lhe selando novamente - Você é tão fofo! Dá vontade de te morder... - mordi meus lábios com o intuito de repreender um sorriso malicioso que acabara de sair sem permissão.

Ele veio para cima de mim, me arrancando gritinho assustado, segurando minha cintura com possessividade e sensualidade juntas em uma mistura altamente inflamável de Luxúria e puro desejo imundo, dizendo:

- Então, morda... - falou contra a minha boca - Mostra para mim quem é dona do meu coração... - foi ao meu ouvido e disse - E do meu corpo... - então, voltou à me encarar.

- Então, você não sabe...? - falei sensual contra sua boca, forçando-as à roçarem, mas sem dar à ele o delete de experimentar um beijo.

- Eu sei... Só que... - sorriu - Eu sou muito ruim de memória...

- Nessas horas, não é, Jeon Jungkook? - falei com uma das sombrancelhas arqueadas.

- Ah, mas tem um motivo... - falou rindo baixo e soprado.

- E qual seria? - falei baixo, mas dessa vez eu queria este beijo.

- Quem mais? - falou antes de me beijar com fervura, mas o doutor entrou novamente, então, nos separamos para fita-lo. Ele tinha uma expressão muito depressiva ao encarar o papel em suas mãos.




- Gostaria de falar com Jungkook primeiro... - ele disse e Jungkook me olhou assustado, mas assentiu, seguindo o doutor para fora do quarto.




(...)


Alguns minutos se passaram e finalmente a porta foi aberta, então Jungkook entrou com uma expressão arrasada:

- O... O que que houve? Aconteceu alguma coisa? - falei e Jungkook e ele se entreolharam.

- S/n... - o doutor se sentou na maca - Precisamos lhe pedir uma coisa... Não é simples, mas é mais psicológico do que físico... - eles se olharam e ele disse - Eu... Quero que independente do que ler ou ouvir de nós... Você não vai desistir. Que vai lutar até... - ele ficou calado e entornou a boca.


Então fiquei confusa, os olhei esperando continuação e assim tive, quando me entregou o laudo e eu fui lendo, mas dando atenção à suas palavras :


- S/n, você tem quase um ano de Leucemia, isso se não tiver. Nesse estágio, a doença fica um pouco mais grave e... Mesmo  com o tratamento médico... Eu não sei se... Eu não sei se podemos adiar isso por muito tempo...


- Por favor, me fale logo a verdade. Sem enrolação. - o fitei - Eu vou morrer, não vou? - falei firme e ele olhou para Jungkook, que acenou em "Espere", pois ele sabe como eu sou. - Quanto tempo tenho? Um ano? Dois anos? - ele olhou para Jungkook que andava passando a mão frenéticamente no rosto e disse:

- Oito meses... - então, senti o impacto - Nove e meio no máximo... - disse por fim. Olhei para a estrofe em que parei de ler e era esta. Estado: Grave.



E tudo desmoronou novamente...








Notas Finais


Ficou longo, mas fazer o que, não é?😂 Kkkkkkkkkkk Desculpe aí se tomei muito do seu tempo kkkk😅
Beijos! Até o próximo!🌹
♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...