1. Spirit Fanfics >
  2. Tudo pelo amor >
  3. O babaca do bar

História Tudo pelo amor - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


A foto é do bar

Espero que gostem.

Capítulo 2 - O babaca do bar


Fanfic / Fanfiction Tudo pelo amor - Capítulo 2 - O babaca do bar

Anteriormente :

olho para a janela o dia estava Muito bonito, os passaros cantavam.. e pera.. não é a Je...Jennie na janela?? Esse é a vizinha que meus pais falaram?? Bom vou fingir que nada aconteceu e seguir minha vida

Desço as escadas correndo

─━━━━━━⊱✿⊰━━━━━━─

Assim que desço as escadas meu pai me chama para ir até a vizinha, pego a chave de casa e saio com meus pais, saindo de casa tranco a porta e logo atravesso a rua, me encontrando com a casa do vizinho. Toco a campainha e de dentro da casa sai uma criança de 12 a13 anos, para nos receber:

- Oii, vocês devem ser nossos novos vizinhos, entrem!

Ela sai da frente da porta e minha mãe entra junto com meu pai e eu vou logo atrás. A menina nós guia até a sala, e pede para sentarmos no sofá. A sala era bem grande até, as paredes eram verdes bem clarinho, e o chão de estilo madeira. O sofá era bem grande, era branco como a neve. No meio da sala, tinha um tapete daqueles peludinhos da cor cinza, e logo olhando para frente, tinha uma TV mais ou menos grande. Do lado esquerdo, tinha uma janela enorme com cortinas verde limão, já no lado direito, tinham alguns armários com vasos de flores encima, ao lado tinha uma porta branca, provavelmente era aonde estava a cozinha.

Pouco tempo depois, escuto passos vindo do corredor atrás de nós. Quando me viro para ver quem era, me deparo com uma jovem de cabelos negros, olhos castanhos e pele pálida, vestia uma camisa preta junto com um blusão da mesma cor, usava uma saia meio curta da cor preta também, uma meia preta meio longa e um chinelo da Nike, tinha um boné preto que tampava um pouco a sua visão. Era a Jennie! Ela estava realmente linda! Agora já sei a sua cor favorita.

Quando ela me vê sentada no sofá, arregala bem os olhos e me olha de cima a baixo, como quem acaba de ver um fantasma.

- Z-Zoe né?! - Ela fala sorrindo pra mim, sem entender oque estava acontecendo -

- Sim...Mas que conhencidencia, não é? - Falo pra ela com um sorriso sincero no rosto -

- Realmente! - Ela fala ainda meio surpresa -

Nossa conversa é interrompida pela mãe de Jennie, que anuncia o almoço. Sigo a Jennie até a cozinha e me sento ao lado de meus pais.

- Hoje eu fiz lasanha e macarrão! - Diz a mãe de Jennie, servindo eu e meus pais primeiro -

- Parece estar uma delícia! - Diz minha mãe -

Nós começamos a comer. Uns cinco minutos depois, Jennie recebe uma ligação e sai da mesa. Ela parecia meio brava.

- Tenho que ir ao banheiro, onde fica? - Pergunto dando uma desculpa para sair da mesa -

- Primeira a esquerda - Diz o pai de Jennie -

Saio da mesa, e começo a andar pelos corredores da casa a procura da Jennie, logo escuto a voz da mesma no final do corredor dentro de um cômodo. Vou até a lá em silêncio para ela não me perceber, e fico escutando a conversa atrás da porta:

- Você é um puta de um babaca! Já te disse para parar de me procurar Leandro! Isso já está me estressando - Ela grita no telefone muito irritada -

Ela desliga muito nervosa, e senta na cama que tinha no cômodo, provavelmente o quarto dela. Entro no quarto e pergunto:

- Está tudo bem? Eu ouvi gritos e fiquei preocupada.

- Ah... Não é nada, é só um cara babaca que conheci a um tempo atrás.

- Seu ficante? - Pergunto com medo dela falar "Não é da sua conta" ou algo parecido -

- Isso...

- Oque ele fez pra você ficar tão brava? - Me aproximo um pouco mais da cama -

- Ele me bateu porque me viu pegando outro cara...

- Você gosta dele não é? - Sento na cama e olho para ela -

- Sim... Muito - Ela olha para chão, parecia

triste -

- Entendo, como ele é?

- Ele é ruivo e... Porque você quer saber?! - Ela levanta a cabeça e olha pra mim com um olhar devastador -

- D-desculpa! - Eu falo abaixando a cabeça tentando não olhar pra ela -

Ela olha pra mim e percebe que fiquei com medo, mudando totalmente a sua expressão.

- Desculpe... - Ela põe a mão no meu queixo e levanta o meu rosto, olhando no fundo dos meus olhos, sinto minhas bochechas queimarem, aposto que estou vermelha igual um tomate, ela estava muito perto de mim!

- T-tudo bem, não é mesmo da minha conta... - Ela olha pra mim e da um sorriso pequeno -

- É que... - Ela desvia o olhar e tira a mão do meu rosto, desfazendo o sorriso. - Eu conheci ele no bar da esquina, ela vai direto lá... Eu sabia desde o começo que ele não era coisa boa, mas mesmo assim eu continuei insistindo - Ela olha pra baixo denovo e aperta o lençol da cama, como quem esta se segurando para não chorar. -

Percebo a sua tristeza e abraço ela com força. Ela me olha meio desentendida, não entendo muito bem o por quê de tudo aquilo, mas logo cede ao abraço e se acalma um pouco.

- Vamos voltar, sua mãe deve estar preocupada com nós duas. - Me desfaço do abraço e levanto da cama -

Quando eu estava saindo do quarto, sinto a Jennie puxando o meu braço, fazendo eu quase cair no chão, mas não caio graças a mesma, que me segura e me olha nos olhos.

- Porque você está se importando tanto comigo? Nos acabamos de nos conhecer e Você já está fazendo um monte de perguntas da minha vida. - O jeito que ela me olhou quando disse aquelas palavras, fez eu me arrepiar todinha -

- D-desculpa, e-eu sinto muito. - Olho para os meus pés na tentativa de não olhar em seus olhos, mas ela não parou de me olhar nem por um instante a espera de uma resposta -

O silêncio domina por alguns segundos que parecia uma eternidade, até ser quebrado por passos vindo do corredor.

- Meninas vamos, a comida vai esfriar - Diz a mãe de Jennie, sorrindo segurando na maçaneta da porta -

Jennie levanta da cama e me puxa pelo braço até a cozinha. Confesso que doeu um pouco, mas achei melhor ficar quieta. Assim que chegamos na cozinha, vou até o meu lugar e me sento. Eu já tinha comido boa parte da comida, então não demorou muito para acabar.

Termino de comer e pouco tempo depois, Jennie também termina. Logo meus pais agradecem pela comida e se despedem dos nossos vizinhos. Jennie nos leva até a porta, e fala para mim com uma carinha fofa:

- Me segue no Instagram, meu nome é Jennie Lopes.

Sorriu para a mesma e vou para a casa com os meus pais.

[Q.D.T.]

Já faz umas seis horas desde o almoço na casa da Jennie. Estava pensando em ir no bar que ela conheceu o tal de Leandro, para ver se o acho por lá, talvez consiga fazer ele para de incomodar a Jennie, e é isso que vou fazer.

Me levanto da cama e vou direto até a porta coloco um bilhete na porta da geladeira avisando que sai, e saindo de casa encontro um bar na esquina logo entro no bar e olho em volta o bar era bem chique, tira uma parede só de bebida onde ficava o balconista o chão era de madeira e a parede era cinza, e Leandro estava sentando no balcão bebendo MUITO.

[Q.D.T]

depois de muito tempo, Leandro se levanta para ir embora, já era duas da manhã, levanto com ele e saio primeiro que ele, para não dá impressão que estou seguindo o mesmo, logo ele entra em uma rua deserta

eu me aproximo do mesmo e faço uma pergunta

-você conhece a jennie?

Logo o babaca responde com bafo de cerveja

S-sim aquela vadia q estava me traindo

Logo eu fico com odio e responde

-SEU FILHO DA PUTA,o que te da o direito de bater nela?

Ele olha para mim e logo vira as costas rindo da cara dela e dizendo

-menina idiota hahahahah

Eu nao me controlava e em um surto de raiva eu o derrubo no chão sem hesitar. Eu começo socar ele. Minhas maos estavam sangrando de tanto socalo logo eu fico tomada pela raiva encontrolaveu e pega uma pedra do chão e diz

-Isso é oq merece por ter feito isso com a jennie

E da o golpe final com a pedra toda suja de sangue pego o corpo com minhas luvas e jogo ele dentro de uma caçamba de lixo logo olho para o corpo dentro da caçamba assustada e saio correndo daquele lugar.


Notas Finais


3 pessoas escrevendo:
Emerson
Giovanna
Julia


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...