História Tudo Por Acaso ! - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Hyuuga Hiashi, Kizashi Haruno, Kushina Uzumaki, Mebuki Haruno, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze
Tags Akatsuki, Colegial, Drama, Festa, Kushina, Minakushi, Minato, Naruto, Romance
Visualizações 139
Palavras 4.058
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Vou deixar vocês lerem o capitulo, hsuahusha, sei que estão bastante ansiosos!
Converso com vocês no final, beijinhos! S2

Boa Leitura!

Capítulo 31 - Ciúmes


 

 

.

.

.

 

 

 

 

- Mas que porra é essa?! - Falou Minato, se controlando para não gritar. 

 

Foi o suficiente para que Derek acordasse assustado e confuso com a presença do loiro. 

 

- Quer saber, eu vou embora! Não preciso ver mais nada por hoje! - Bradou Minato, apontado para os dois. 

 

- Já que está aqui, é melhor ter uma explicação, seu babaca! - Falou Derek, quase sussurrando para não acordar a Kushina. 

 

Ele levantou o tronco da ruiva delicadamente, saindo da cama e indo em direção ao loiro. Os dois deixaram a postura ereta e dura, como se estivesse prontos a atacar um ao outro. 

 

- Por que você acha que eu te devo alguma explicação? - Perguntou Minato, rigidamente. 

 

- Pra mim, nenhuma! Mas pra sua namorada que ficou te esperando igual uma idiota por duas horas! - Respondeu Derek, apontando o dedo no peito de Minato. 

 

- Ela me parecia bem confortável contigo! 

 

Derek fechou o rosto, lembrando-se das cenas na chuva, perto do teatro.

 

- Por TUA culpa, ela quase foi estuprada hoje, enquanto você estava mais preocupado consigo mesmo! - Falou Derek, apontando para ela. 

 

Minato olhou rapidamente e não pôde perceber os arranhões em seu pescoço, muito menos os hematomas roxos nas pernas e nos braços. 

 

- Ah, claro... E você foi o príncipe encantado que a salvou e se aproveitou dela enquanto a consolava, não é mesmo?! - Minato riu sarcástico, e Derek não conseguiu se conter. Foi na direção dele e o puxou pelo colarinho da camiseta, prensando-o na parede. 

 

- É melhor você calar a boca antes que eu faça isso por você! - Disse Derek, entre os dentes. 

 

- Quem você pensa que é pra falar isso pra mim?! - Minato gritou, empurrando ele e se soltando. 

 

- Sou melhor que você, afinal, você é só um riquinho mimado, que acha que tudo gira ao seu entorno...

 

Minato partiu pra cima de Derek, tentando segura-lo pelo pescoço. Os dois se seguraram pelo colarinho, se encarando e tentando medir forças. 

 

- CHEGA! Vocês dois! - Gritou Kushina, chamando a atenção deles.

 

Os dois se largaram relutantes, ainda se encarando como feras selvagens. 

 

- Minato, é melhor você ir embora! - Kushina falou, levantando-se da cama. 

 

- Ah, mas é claro que você vai ficar do lado dele... - Falou Minato, num tom sarcástico.  

 

- Você não está vendo que ela não te quer aqui? - Falou Derek, recebendo um olhar mortal do loiro. 

 

Minato iria responder a altura pra ele, mas ela ficou na sua frente antes que ele fizesse algo. 

 

- Por favor, Minato... - Falou ela, com a voz falha e rouca, como que se quisesse chorar. 

 

Agora que ela estava em pé e na sua frente ele podia ver os arranhões e hematomas em seu rosto e pescoço. Lembrando-se do que Derek tinha falado, ele perdeu a postura e se sensibilizou por ela. 

 

- Kushi... - Minato sussurrou, olhando-a assustado. 

 

Ele tentou pegar no rosto dela delicadamente, mas ela recusou, segurando a sua mão. Ela virou o rosto, tentando esconder as lágrimas que rolavam pelo seu rosto. 

 

- Vai embora, por favor... - Sussurrou ela, segurando um soluço.

 

Ele hesitou, mas acatou o pedido dela. Antes de sair encarou Derek atrás dela, que mantinha seu maxilar duro e seu olhar frio. Saiu relutante, batendo a porta atrás de si, em um barulho alto e seco. Kushina não aguentou e desabou, não aguentando o peso do próprio corpo. Mais lágrimas e soluços vinham, e ela não conseguia segurar. Mesmo com Derek ao seu lado para conforta-la, a cada cena que vinha a sua mente ela despencava mais. Estava apavorada. 

 

 

 

 

 

 

 

[...]

 

 

 

 

 

 

 

O tempo pareciam se arrastar, passando um segundo de cada vez, dia após dia. Não havia mais folhas nas árvores, somente galhos secos e flores mortas. O inverno estava cada vez mais perto. 

 

Kushina tinha perdido algumas aulas, se afastando da universidade e do teatro por alguns dias. Ainda estava um pouco assustada para sair sozinha e andava com Derek ou alguns colegas o tempo inteiro. Ela não viu Minato em nenhum dia e ele também não a procurou.

 

 

 

 

 

 

 

[...]

 

 

 

 

 

 

 

Os dois passaram pelo portão do prédio principal da Universidade, andando lentamente juntos. O céu estava escurecendo e quase não se via mais a luz do sol, levando embora também o seu calor. 

Derek envolveu o corpo de Kushina em um pequeno abraço, puxando-a para si, afagando delicadamente seu braço gelado. 

 

- Acho que já vou pro meu dormitório... está ficando frio. - Falou Kushina, se arrepiando com o vento frio.

 

- Eu vou pro treino de boxe então, estou me sentindo fora de forma já. - Respondeu Derek, tensionando os músculos do braço, fingindo se exibir.

 

- Eu tenho que copiar a matéria atrasada com a Alice, então já vou indo...

 

- Você quer que eu te ajude? Posso ficar lá contigo e passar as respostas. - Falou Derek. 

 

- Não... - Ela sorriu gentilmente pra ele. - Você já fez coisa de mais por mim essa semana! 

 

- Tem certeza? Eu não me importo de faltar mais um dia...

 

- Não precisa, eu termino as tarefas sozinha. 

 

Ela sorriu pra ele timidamente e ele a puxou pra mais um abraço, acolhendo-a em seu peito. Sorriu pra ela, afagando suas costas. Ela saiu do abraço, mas ele a segurou antes de ir. 

 

- Hey... 

 

Ela o olhou surpresa, vendo que ele fechou o rosto, sério. 

 

- Um amigo meu me confirmou que o encontraram o cara... de sexta. - Falou Derek, lembrando-se do ocorrido da outra semana. 

 

Só de ouvir o coração de Kushina acelerou, mas seus ombros pareciam ter se relaxado com a notícia. Um peso saia de suas costas, deixando só o receio pra trás. 

 

- Ele já era fichado então não vão ter dó dele. Vai ficar preso por um bom tempo! - Disse o moreno. - Não precisa se preocupar, eu estarei sempre ao seu lado. 

 

- Eu sei disso. - Respondeu ela, sorrindo fracamente.

 

- Te vejo amanhã? 

 

- Sim... eu acho. Até amanhã! 

 

- Só... se cuide, okay? 

 

- Okay! 

 

Eles sorriram um ao outro, seguindo caminhos opostos logo em seguida. 

 

Kushina continuou caminhando em direção ao prédio dos dormitórios, reparando nas pessoas ao seu entorno. Ainda tinha muitos receios mas aquela notícia tinha tirado um peso de seu corpo. Somente continuava e sorria aos rostos conhecidos. 

 

Entrou em seu quarto, tirando a bolsa do ombro e colocando em cima da cama. Foi no banheiro do quarto lavar o rosto, encarando a si mesma no espelho. Não estava pensando em nada, somente desligando a mente por alguns segundos. Viu as feridas cicatrizando e os roxos desaparecendo de sua pele. Seu rosto estava pálido, abatido e havia olheiras abaixo dos olhos, ganhadas com noites de pesadelos e insônia. Só queria que tudo fosse embora com a água. 

 

Ouviu a porta bater, terminando de secar o rosto e as mãos com a pequena toalha e saindo do banheiro.

 

Alice deve estar trazendo os cadernos que pedi! - Pensou ela, indo ver a porta.

 

 

Abriu a porta distraída, mas se surpreendeu vendo Minato parado ali na sua frente. 

 

- Minato?! 

 

- Acho que nós precisamos conversar. - Falou ele calmo, focando seriamente nela. 

 

Ela somente deu espaço para ele passar, deixando-o entrar e fechando a porta logo em seguida. 

 

- Você não deveria estar aqui. Se te verem... - Falou Kushina, preocupada. 

 

- Ninguém me viu entrar... - Respondeu Minato, como se escondesse algo. 

 

- Só... não quero ser expulsa no primeiro ano. - Falou ela, quase sussurrando para si mesma. 

 

Ela o viu entrar, esgueirando-se entre a porta e a parede, entrando rapidamente no quarto. Conseguia perceber o ar nervoso e cansado que Minato exalava, mesmo embaixo das suas roupas sociais bonitas e bem arrumadas. Mas seu rosto dizia o contrário.

 

- Como você está? – Perguntou Minato, colocando as mãos no bolso da calça.

 

Ela pensou e demorou um pouco antes de responder. Bem não é a palavra certa! – Pensou ela. 

 

- Cansada.

 

Kushina esperou que ele se pronunciasse novamente, mas estava tão nervosa quanto ele e não aguentava esperar.

 

- Onde esteve durante a... semana? Não o vi e esperava que viesse falar comigo. - Falou Kushina, escolhendo as palavras antes que o impulso a denunciasse.

 

- Viagem de urgência da empresa. Tenho estado tãao... sobrecarregado! - Respondeu Minato, puxando o colarinho da sua camisa social, como se estivesse enforcado.

 

- Aah...! Imaginei! - Respondeu Kushina, sem muita emoção. - Foi isso que fez sexta-feira também? - Ela se referia ao dia em que eles tinham marcado de se encontrar. Kushina o encarava profundamente, mantendo seu olhar sobre o dele.

 

 

- Não exatamente... Eu acabei perdendo a noção do tempo enquanto estava no treino.

 

Ao ouvir isso, Kushina sentiu como se as cicatrizes recém fechadas no seu pescoço ardessem, fazendo-a lembrar de todos os detalhes daquele dia. Não conseguia evitar sentir raiva de Minato, por ter deixado que marcas surgissem em seu corpo somente por causa de treino.

 

- Ah, claro, como sempre! – Respondeu ela, em tom sarcástico.

 

- O que quer dizer com isso?

 

- Que sempre que eu preciso você está naquela droga de empresa ou com sua amada equipe de natação! – Acusou ela, apontando para a porta. – Eu estou cansada de ser seu segundo plano!

 

- Segundo plano? Você tem me trocado pelo seu “amiguinho” durante o mês inteiro e ainda tem coragem de dizer que EU estou te deixando em segundo plano?! Me poupe! – Enfatizou Minato, irritado, se referindo a Derek.

 

- Você está sempre ocupado, nunca me dá atenção nenhuma!

 

- Eu... Eu tenho trabalhado todos os dias, chegado tarde e passando as noites em claro, somente para chegar e você me dizer que eu não te dou atenção?! - Indagou ele, rudemente. 

 

- Você escolheu isso! - Acusou ela. - Você sabia que isso aconteceria se ficasse perto do seu pai, mas decidiu ficar em baixo das asas dele, como sempre! 

 

Ele perder o ar, sentindo o sangue subir para a cabeça. Todos os seus músculos doíam, tensionados. Cada palavra dela era uma faca nas costas pra ele. 

 

- Você tem noção do que está dizendo?! - Ele gritou enfurecido, apontando para ela. - Você sabe muito bem que eu faço tudo isso por você! POR NÓS!

 

Ela ficou quieta, sentindo que se dissesse mais alguma palavra se derramaria em lágrimas. Seus olhos estavam a traindo totalmente. Minato, ao contrário, não aguentava aquele silêncio, aquela pressão e aquelas palavras entaladas na garganta. 

 

- Você sabe como é se esgotar de estudar algo que não gosta?! Sabe como é seguir uma profissão que odeia e no final do dia ainda ouvir somente críticas e mais críticas?! - Gritou, apontando para si mesmo. Sua respiração estava tão descompassada que seu peito se inflava desesperadamente. - Sabe como é realmente se sentir totalmente frustrado?! Totalmente perdido?! TOTALMENTE sozinho?! 

 

Ele enfatizou as palavras, sentindo cada uma delas pesar em sua mente. 

 

- Mesmo estando longe, meu pai me pressiona mais que qualquer outro funcionário. Não tenho amigos, não tenho minha família e a única pessoa que tenho está sorrindo para outro cara! - Ele falou baixo, somente o suficiente para que ouvisse. Não olhou para ela em nenhum momento. Tinha o olhar perdido e vazio. - Sozinho! 

 

Ele respirou fundo, como se todo o ar de seus pulmões se fossem. Colocou as mãos no cabelo, puxando forte como se fosse arranca-los, expressando uma feição de dor. 

 

- Minato... eu só precisava que me dissesse... tudo isso! - Falou Kushina, tão baixo que sua voz vacilava. As lágrimas chegavam salgadas até o canto de sua boca. - Eu só precisava que você estivesse do meu lado, assim como eu queria estar contigo. 

 

Ele também começava a chorar e seu rosto estava vermelho e deformado. Era um misto de dor e raiva. 

 

- Eu sei o que você está passando...  

 

- Não você não sabe! - Falou Minato baixo, mas fortemente. Ele levantou o rosto para ela e não segurava as lágrimas. - Você REALMENTE não sabe!

 

- Você me faz parecer uma completa idiota falando desse jeito! - Retrucou Kushina.

 

Minato passou a mão na cabeça nervosamente, somente espalhando mais o cabelo, deixando sua aparência estressada e desleixada. Sua cabeça parecia que iria explodir de tanta dor. Aquilo estava matando-o.

 

- Eu que me sinto um completo idiota vendo como você fica quando está perto daquele... babaca do Derek! - Disse Minato, deixando sua ira falar por si.

 

- Por que você está falando assim? - Perguntou Kushina.

 

- Você realmente quer saber?! - Perguntou ele, num tom irônico, enquanto mexia em algo no bolso da calça social.

 

Ele mexeu por alguns segundos no bolso, relutante, tirando um pedaço de papel retangular, com algumas coisas escritas no verso.

 

- Quando iria me contar...? – Perguntou Minato, olhando o papel em mãos. – Ou esperava que eu nunca soubesse?

 

Ela ficou encarando-o, confusa, até entender do que ele estava falando. Minato virou o papel, mostrando uma foto de Kushina e Derek juntos. Na foto, Kushina estava nas costas de Derek, abraçando-o no pescoço. Ambos usavam roupas antigas e sorriam brilhantemente, como em uma foto espontânea tirada no momento exato.

 

- “Minha bela Julieta, quero que todos os nossos dias sejam perfeitos como este! Espero estar sempre ao seu lado, Romeo.” – Falou Minato, lendo o verso da foto. – Patético!

 

- Minato... não é o que está pensando. – Kushina tentou se pronunciar, foi cortado por Minato.

 

- Então tente me explicar... – Falou Minato, sarcástico. – Você mentiu esse tempo todo e na verdade seu amigo Derek é seu ex-namorado, não é mesmo?!

 

Ela ficou em silêncio, somente confirmando a teoria de Minato e deixando ele mais irritado. Kushina tentava parar as lágrimas e formular alguma coisa em sua mente, mas não conseguia fazer nenhum dos dois.

 

- VOCÊ PENSA QUE EU SOU UM IDIOTA?! QUE EU NUNCA DESCOBRIRIA ISSO?! – Gritou Minato, esgotando toda e qualquer paciência que lhe restava.

 

- Só não era necessário que você soubesse...

 

- VOCÊ ACHA QUE NÃO É NECESSÁRIO QUE EU SAIBA QUE A PESSOA QUE PASSA TODO O TEMPO DO SEU LADO É NA VERDADE SEU EX-NAMORADO?! – Gritou Minato, apontando para Kushina.

 

- Nós não temos mais nada, Minato. Aquilo... ficou no passado! – Falou Kushina.

 

- Não é o que parece!

 

Minato andava de um lado para o outro no quarto, com um sorriso sarcástico no rosto. Chegava a ter a feição de um psicopata maníaco.

 

- Acha que eu não vejo ele entrando em seu dormitório todas as noites?! Ou como sempre está muito perto de você, te abraçando?!

 

- Eu não acredito que você está com ciúmes do Derek! ELE É SOMENTE MEU AMIGO! Não temos mais NADA!

 

- Toda vez que o vejo contigo me dá vontade de... – Ele se enfureceu, jogando um pequeno vaso de flor, cadernos e outros objetos que estavam em cima da escrivaninha no chão. Kushina se assustou com todo o barulho, somente fazendo-a chorar mais.

 

- CHEGA! MINATO, CHEGA! – Gritou Kushina. – Se você não consegue se controlar, por causa de um ciúmes bobo, acho que não deveríamos estar juntos.

 

Minato bufou, abrindo um sorriso pequeno e desconcertado. Passou a mão no rosto, tentando secar as lágrimas que caiam, e logo depois espalhou o cabelo.

 

- Você nem ao menos vai se defender... – Resmungou Minato, respirando fundo. – Prefere ficar ao dele!

 

- Eu não preciso me defender de algo que nunca aconteceu! – Kushina estava tão decepcionada que nem lágrimas caiam mais. Só sentia seu rosto inchado e quente. – Talvez a gente precise de um tempo... para pensar... em tudo. – Terminou Kushina, controlando a respiração. Seu coração batia tão forte que parecia que podia ser ouvido por qualquer um. Minato encarou-a alguns segundos, com o semblante fechado.

 

- Se é assim que você prefere... – Minato falou baixo. – Só não se esqueça de ir correndo para os braços do seu namoradinho, contar as novidades.

 

Ele mexeu em algo nos bolso e logo em seguida jogou mais fotos no chão, em direção de Kushina. Eram mais e mais fotos diferentes de Kushina e Derek juntos. Assim que Kushina foi olhar as fotos, Minato já havia saído do quarto, batendo a porta atrás de si.

 

Mesmo tentando se manter forte, Kushina não aguentou o chorou se acumular em sua garganta. Só queria abraçar uma amiga e chorar, mas o mais perto que teve disso foi o seu travesseiro. Sentia que tudo estava desmoronando em cima de suas costas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

[...]

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O aroma suave de café subia no ar, deixando o lugar somente mais quente e aconchegante. Algumas pessoas entravam na pequena cafeteria, tentando se esquentar um pouco ficando perto da bancada de salgados quentinho. Kushina batucava os dedos na madeira da mesa, esperando distraída que seu cappuccino ficasse pronto. Levantou, assim que seu nome foi chamado, indo pegar a bebida e saindo logo em seguida.

Um ventou gelado passou por ela, assim que saiu para atravessar a rua da universidade, fazendo-a fechar mais o casaco e tomar um gole do café. Se arrependeu logo em seguida, sentindo o líquido quente queimando sua língua.

 

Atravessou o jardim principal da universidade, indo em direção ao bloco de artes, observando em silêncio as outras pessoas que passavam ao seu redor. Não que estivesse procurando por ninguém, só queria evitar falar com qualquer pessoa. O dia parece que começou com o pé esquerdo, nublado, fechado. Até o seu dedinho havia batido na quina da cama. Um péssimo dia!

Entrou atrasada no auditório da faculdade, vendo sua turma de artes cênicas já todos assistindo a aula de literatura em silêncio. Ótimo, pelo menos assim ninguém presta atenção em mim. – Pensou ela, sentando-se em uma das ultimas cadeiras no canto. Kushina viu Derek sentado a algumas fileiras a sua frente, concentrado em anotar as explicações do professor. Não que ela quisesse se esconder dele, mas depois da briga com Minato ela somente queria ficar em silêncio, resolvendo os conflitos interno. Não queria ter que falar com ele naquele momento.

 

Por ser as primeiras aulas do dia, o tempo parecia que estava se arrastando para Kushina. Ela tentou começar a escrever seu roteiro do trabalho de literatura, mas havia se pegado mais de cinco vezes distraída, ainda relembrando as palavras de Minato. Todas as lágrimas que deveriam ser gastar se foram durante a noite, e somente lhe restava raiva e irritação. Assim que bateu o sinal, foi a primeira a sair da sala e ir em direção para a sala de técnicas teatrais, no segundo andar. Estava tão distraída que não viu quando esbarrou com uma pessoa nas escadas.

 

- Ops... Desculpa senhorita Maya, eu não vi você passar! – Se desculpou Kushina, vendo que quase derrubou os papeis da professora. 

 

- Ah, tudo bem Kushina, não foi nada! Foi bom eu te encontrar aqui, você pode me ajudar a pegar algumas coisas que eu esqueci na minha sala.

 

- Sim, claro! – Ela somente concordou, seguindo a jovem professor pelos corredores da instituição.

 

 As duas seguiram em silêncio, somente para pegar algumas pegas caixas e voltar para a sala de aula. Foi quase impossível não sentir o olhar de Derek pesar sobre ela, quando entrou com a professora, seguindo-a até se sentar em uma das cadeiras.

 

- Pensei que você não viria... – Sussurrou Derek, sorrindo para ela.

 

Ela não o deixou no vácuo, somente dando um sorriso fraco e ficando em silêncio. Não conseguia forçar nada mais que isso. Estava realmente se sentindo mal.

 

- Hoje nós vamos falar sobre o amor. Aah, como eu gosto desse sentimento! – Falou a professora Maya, com um olhar empolgado para a turma. – Um dos sentimentos mais bonitos e também mais difíceis de demonstrar no teatro!

 

Mas é claro que esse seria o tema de hoje! – Pensou Kushina, bufando. – Acho que isso é carma do universo.

 

A professora continuou falando animadamente sobre romance, paixão e técnicas para se atuar se comunicar melhor com a plateia, deixando Kushina sobre mais irritada e emburrada.

- Kushi... Kushina... KUSHINA! – Falou Derek chamando sua atenção.

 

Ela estava tão distraída que nem percebeu que todos na sala a observavam, até mesmo a professora que a olhava com um olhar confuso.

- Está tudo bem Kushina? – Perguntou a professora, se aproximando dela cuidadosamente.

 

- Sim, sim... – Respondeu ela, nervosa e surpresa. – Ãn... Eu preciso sair por um minuto. Licença.

 

Kushina se levantou da cadeira, ainda recebendo toda a atenção da turma, saindo da sala logo em seguida. Caminhou apressadamente até a saída do prédio, parando para se sentar em um banco de pedra ao lado do prédio. Se sentiu melhor respirando ar puro, parecendo que antes estava sufocada. Viu Derek aparecer, aproximando-se lentamente.

 

- Kushi, tá tudo bem? – Perguntou Derek, vindo se sentar ao seu lado.

 

- Sim, eu só precisava de um pouco de ar puro! – Falou ela, evitando encara-lo.

 

- Você ficou com a cara fechada durante a aula inteira, e olha que é sua matéria favorita. Eu te conheço, aconteceu alguma coisa? É sobre o que eu te falei ontem? – Falou Derek, preocupado.

 

- Eu realmente só quero ficar sozinha!

 

Ele se levantou, puxando o ar um pouco mais forte, como se desistisse de insistir.

 

- Tudo bem, vou te deixar sozinha. – Ele ia deixa-la, mas hesitou. – Olha, hoje a noite vai ter uma festa na casa de um amigo aqui perto, se você decidir mudar de ideia... me avise! – Ele deu um sorriso sincero, virando e voltando ao prédio.

Ela ficou observando-o, até sumir nos corredores mais pra frente.

 

 

 

 

 

 

 

[...]

 

 

 

 

 

 

- Alô, Kushi? É você?

 

Kushina sentou-se na beirada da cama, segurando o celular ao lado do rosto, enquanto tirava o tênis dos pés.

 

- Oii Mikoto! Sim, sou eu. Nossa, como estou com saudades de você!

 

- Sim, também sinto muita saudades de vocês! – falou a amiga, quase sussurrando.

 

- Você está ocupada, talvez eu esteja se atrapalhando? – perguntou Kushina, percebendo o tom da voz dela.

 

- Estava saindo da sala de aula, mas agora pode falar. – respondeu Mikoto. – Como está ai em Los Angeles?

 

- Está indo...

 

- Aconteceu alguma coisa?

 

Kushina hesitou, mas sabia que alguma hora não iria aguentar e desabaria, então precisava desabafar com a amiga mais próxima que tinha. Acabou cedendo e contando a amiga tudo. Tudo que estava acontecendo nas últimas semanas, tudo que sentia e tudo que passava em sua mente. Uma confusão, era isso que realmente pensava.

 

- Kushi, eu te entendo. Só uma coisa não entendi, de onde você conhece esse... Derek? – perguntou Mikoto, após ouvir a amiga.

 

- Ele é meu ex-namorado de San Francisco...

 

- E quando Minato descobriu isso ele não gostou da ideia de você estar o tempo todo com seu ex.

 

- Exatamente. – confirmou Kushina. – Eu e Derek nos conhecemos no teatro em San Francisco e namoramos por quase dois anos, mas ele foi para um intercambio na Inglaterra e eu fui para San Diego. E somente acabamos nos encontrando agora.

 

- Você sente alguma coisa por ele ainda?

 

- Mas é claro que não! – respondeu Kushina, convicta. – Eu amo Minato e sei disso, com o Derek é passado e não passa de amizade.

 

- Por que não fala isso ele então?

 

- Eu tentei falar, mas ele ultimamente só consegue enxergar a si mesmo. – Suspirou, tentando controlar a respiração. – Só tem sigo grosseiro e egoísta! Como eu odeio o jeito tem falado comigo!

 

- Talvez seja bom mesmo que vocês dêem um tempo, para colocar os pensamento e sentimentos no lugar!

 

- Sim, eu realmente preciso disso...

 

- Kushi, vou ter que desligar ou Fugaku vai brigar comigo por demorar tanto. Mas fique bem, e não se tranque no quarto por causa disso. Tudo vai se acertar!

 

- Sim, obrigada por me ouvir. – respondeu Kushina.

 

- Até mais ruivinha!

 

 

Mikoto encerrou a ligação, fazendo com que Kushina também fechasse o celular. Fechou os olhos, encostando a cabeça no travesseiro, tentando aliviar a dor de cabeça que lhe assombrava desde a noite passada. Sentia raiva somente de se lembrar das palavras altas e ríspidas. Realmente, não iria se prender por causa disso. Pegou o celular nas mãos novamente, digitando uma mensagem rápida, enviando logo em seguida. Não vou deixar isso me abalar! – pensou.

 

 

“Mensagem enviada – Para: Derek

13h42m: Que hora você disse que seria a festa? Preciso mesmo sair e esfriar a cabeça um pouco.” 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Olá amores! Sei que demorei mas esse capitulo foi... tenso! Sim eu mesmo fiquei... tensa escrevendo-o, mas simplesmente o adorei quando terminei e espero que você possam sentir o mesmo. O que acham que vai aconteceu nos próximos? Prometo que será em breve! Agradeço pra quem ainda não desistiu de mim e continua me incentivando cada vez a escrever mais! AMO VOCÊS!

Vejo vocês no próximo.
Beijinhos S2!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...