História Tudo por seu amor - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Kushina Uzumaki, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha
Visualizações 11
Palavras 1.753
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aproveitem a história :)

Capítulo 1 - Capítulo 1


     Singular e monocromático, eram essas as duas palavras que caracterizavam o triste céu totalmente nublado de nuvens acinzentadas de Ohaiko, uma pequena e simples cidade urbana. Mesmo sendo ainda 17 horas da tarde dava a entender que já era noite, tais nuvens irradiavam um tempo anormalmante carregado de emoções nada agradáveis, porém, em uma pequena residência com tijolos a mostra, portas inteiramente enferrujadas e o chão gélido feito somente de cimento, transmitiam tristes emoções cujas as mesmas ultrapassavam facilmente as daquelas nuvens. Em um dos poucos cômodos da casa era possível sentir tristeza, desânimo, arrependimento... tudo mesclado singular e unicamente em um misto de emoções cujo o resultado era o apogeu de todos os sentimentos sentidos pelo ser-humano: o desespero. Dentro de tal cômodo uma mulher chorava desesperada e histericamente abraçada ao seu marido que também derramava lagrimas, para aqueles que reparassem bem, podiam notar que a mulher era bela, com pele alva, finos traços em seu rosto e um grande cabelo totalmente negro, mas não pode-se mais notar tais aspectos físicos já que o belo rosto estava com profundas olheiras e os negros olhos, vermelhos, o cabelo mal cuidado dando o aspecto de um castanho escuro, já o homem possuía marcas de expressão e um cabelo curto se resignando apenas a ação de chorar silenciosamente, mas ainda abraçado a sua esposa estando ambos sentados na velha, dura e desgastada cama de casal do quarto. 


Passado um tempo, a mulher se acalma e deita sua cabeça no colo de seu marido enquanto o mesmo lhe fazia um cafuné, mas nem isso foi o suficiente para fazer com que as preocupações que assolavam a sua mente diminuir, quanto mais desaparecer


Mikoto :" O que faremos Fugaku?... " disse baixinho, num sôfrego sussurro, como que se falando baixo os problemas não aumentassem "Você foi demitido, eu não trabalho, Itachi não acha emprego, Sasuke é igual a mim... como vamos nos sustentar esse mês " a essa altura do campeonato ela chorava novamente ainda com a cabeça no colo de seu marido, cada palavra era carregada de desespero, como um problema que não há solução assim eram as dificuldade que estavam passando. O marido se resignou apenas ao silêncio já que nem ele sabia o que dizer ou fazer para acalmá-la, era essa a verdade, nem ele sabia o que irão ser deles de agora em diante. 


A família Uchira era um exemplo a se seguir, apesar de ser da classe baixa, ou seja, muito humilde, sempre foi unida, a matriarca da família, Mikoto, era sempre feliz e radiante com seu belo sorriso estampado no rosto transmitindo paz para quem o visse, o patriarca, Fugaku, era um homem de poucas palavras, seriedade podia-se resumi-lo, contudo ainda era possível em alguns momentos flagrá-lo com um sorriso no rosto enquanto falava bem de seus filhos, para ele os dois eram motivo de orgulho e alegria, até os dois já viram seu pai assim, sorrindo enquanto comentava com Mikoto como os dois cresceram, eram fortes e inteligentes, até fizera uma piada sobre que teria muita dificuldade em empedir suas futuras noras para que não atacassem seus filhos, isso os deixou muito felizes e o pai muito sem graça por eles terem ouvido a conversa. Também há os dois filhos na família Uchira, o mais velho, Itachi Uchira com 24 anos, extremamente inteligente e habilidoso em todos os aspectos, um ícone de filho e por último mas não menos importante Sasuke Uchira com seus 16 anos, um menino extremamente tímido e carinhoso sempre tendo seu irmão como um exemplo a se seguir, sempre ajudando os pais e irmão em tudo que é preciso. 


Porém essa unida família agora estava se desmanchando, sendo preenchida pelo desespero, assim como as árvores balançam com o vento assim estava a família sendo assolada por dificuldades no ramo financeiro, agora, se ela cairá ou se manterá de pé, conseguindo assim passar por mais uma dificuldade, apenas o tempo poderá nos dizer. 


Fugaku quem sustentava a casa foi despedido por ser necessário o corte de trabalhadores no trabalho, Itachi procurou muito, passando até noites em claro em busca de um emprego para ajudar a família mas nada achou, Mikoto não trabalhava por ser frágil tendo seu sistema imunológico sempre abaixo do necessário, fazendo com que assim qualquer coisa que faça a deixe enferma, e Sasuke, puxou a mãe em sua fragilidade, não podendo pegar peso ou se esforçar muito igual a mãe. Neste momento a família estava em uma grande decadência não sabendo o que fazer e por sua cidade, Ohaiko, ser muito pequena, não havia muitas chances de se achar uma vaga no meio trabalhista, por isso, todos estavam preocupados, Mikoto estava desesperada não sabendo o que fazer, Fugaku não era diferente, estava igual a esposa e ainda se sentido envergonhado e preocupado, afinal, ele é o homem da casa, o responsável por sustentar a todos, mas não era capaz de cumprir essa tarefa, Itachi via o sofrimento de todos mas não podia fazer nada, não achava emprego, mesmo sendo extremamente inteligente e formado em administração não podia, melhor, não era capaz, de fazer nada e Sasuke se sentia um estorvo por não poder fazer nada pelas pessoas amadas de sua vida, resumindo tudo, a família estava em uma decadência sem precedentes algum. 


Fugaku:" Eu vou sair para dar mais uma volta, talvez eu ache alguma coisa pra fazer, nem que ganhe pouco, é necessário " sua cabeça estava doendo pelo desgaste físico e psicológico de sair tanto ultimamente, todavia ainda tinha que sustentar sua família, ignorando a dor levantou a cabeça de Mikoto de seu colo segurando sua cabeça com suas duas mãos a fazendo olhar para si dando um verdadeiro e contido sorriso "Eu te amo" ela parou de chorar como se aquela simples frase fizesse toda a diferença em sua mente, e, nem que por um simples minuto se permitiu voltar a ser a mulher alegre que sempre fora sendo alegre e espontânea 


Mikoto:" Eu também te amo" retribuiu o sorriso o abraçando, após essa demonstração de carinho, Fugaku se levantou por ser ainda tarde (apesar do tempo não parecer) talvez achasse algo, ao sair do quarto e fechar a velha e enferrujada porta de ferro olhou para o lado e viu Sasuke em pé de costas para a parede com os olhos fechados sendo possível ver os resquícios de lágrimas em seu rosto demonstrando que havia chorado e a pouco tempo e antes que dissesse qualquer coisa Sasuke o interrompeu. 


Sasuke:" Por favor Otou-san, deixa eu procurar trabalho junto com você " após falar se vira para seu pai com um rosto sério e os olhos vermelhos por ter chorado "Eu não quero ser um estorvo... po-por fa-favor deixa eu te aju-ajudar a achar trabalho Otou-san " gaguejava chorando novamente, ele havia ouvido a conversa de seus pais dizendo que não trabalhavam mais e se sentiu inútil por ser tão frágil, afinal, se pegasse alguma coisa pesada seus braços ficavam doloridos, se ficasse exposto a muito poeira ficava gripado, então não podia trabalhar por issso, mas ficar vendo seu pai e irmão desesperados atrás de algum serviço e ele fazendo nada o deixava com a sensação de prepotência. Seu pai, triste vendo o filho chorando e se sentido como um estorvo o abraçou, sendo ambos da mesma altura não havia diferença em seus tamanhos. 


Fugaku:" Você não é inútil, sempre ajuda eu e sua mãe em tudo, faz uma comida que chega a ser melhor que a da sua mãe, não fala pra ela isso" Sasuke dá uma risadinha "Traz alegria pra toda a casa, então não diga que é um estorvo filho" após se desvencilhar do abraço dá um sorriso para o filho e sai, Sasuke ficou feliz e surpreso ao mesmo tempo, era difícil ver o lado emocional do pai, se sentiu ainda mais feliz por o pai ter deixado a seriedade de lado e ter tentado confortar o filho. 


Passado algumas horas sendo já 21 da noite Mikoto e Sasuke estavam na sala morrendo de preocupação já que Fugaku ainda não tinha chegado e Itachi que saira para procurar trabalho meia hora antes que Fugaku também não, Fugaku chega junto de Itachi em casa encontrando todos os dois no sofá assistindo a algo na pequena tv, eles chegam lá ofegantes, deixando claro que correram, os dois se levantam rapidamente por achar que algo ruim aconteceu, mas ao se aproximarem mais notam que Fugaku está com o rosto diferente, não com um sorriso já que eram poucas as ocasiões que o viam sorrindo mas sim como se estivesse mais leve e Itachi com o corpo e rosto mais relaxado como se algo bom tivesse acontecido. 


Fugaku:" Arrumem as coisas depressa, vamos voltar para Konoha"


Itachi:" Vamos sair amanhã 8 horas da manhã " Mikoto e Sasuke olham para os dois sem entender até que Itachi começa a explicar "Eu me encontrei com o Otou-san na rua, então decidimos andar juntos até que recebo uma ligação do meu primo Shisui que mora em Konoha, eu comentei com ele semana passada que eu e Otou-san estávamos desesperados atrás de um trabalho, quando eu atendi ele disse que no lugar que ele trabalha tem duas vagas, aí eu coloquei no viva-voz pra nós dois escutarmos, uma das vagas é como secretário e só pode ser ocupado por alguém formado em administração e sem experiência profissional, no caso eu já que nunca trabalhei de carteira assinada, a outra vaga ele me disse que era só pra ficar sentado fazendo relatório de compras e vendas, assim que o Shisui soube dessas duas ele conversou com o chefe dele e pediu as duas vagas, depois de várias coisas acabou que as duas vagas vão ficar para nós dois" Itachi não escondeu sua empolgação ao falar a última parte, após Mikoto e Sasuke assimilarem tudo que ouviram se abraçaram cheio de sorrisos "Mas o chefe dele disse que nós dois devemos estar lá segunda as 7 da manhã, por isso vamos mudar amanhã que é domingo" Mikoto chorava abraçada ao filho, mas essas lágrimas de felicidade foram as primeiras em semanas "E adivinhem o lugar que vamos trabalhar" disse se mostrando ansioso pela resposta e com um sorriso no rosto, olhou para o lado e viu o pai no mesmo estado, depois de uns segundo de suspense respondeu, e a resposta impactou os dois, até mesmo Itachi e Fugaku não conseguiam acreditar ainda em seu local de trabalho, então Fugaku responde. 


Fugaku:" Empresa Multinacional de Desenvolvimento Tecnológico Uzumaki/Namikaze"














Notas Finais


Tchau e que a graça de Rikudo-sama seja com todos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...