História Tudo por você - Wincest - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Dean Winchester, Sam Winchester
Tags Amorproíbido, Deanwinchester, Família, Gay, Incesto, Romance, Samwinchester, Wincest
Visualizações 373
Palavras 1.533
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Nunca fui tão feliz


Fanfic / Fanfiction Tudo por você - Wincest - Capítulo 4 - Nunca fui tão feliz

Já era 7h da manhã, Dean já havia acordado e estava fazendo sua higiene com a ajuda de algumas enfermeiras já que seu braço ainda estava doendo e isso dificultava um pouco a alcançar alguns lugares do seu corpo. Ele tinha dormido menos que 5 horas, seus pensamentos o impossibilitava de pregar os olhos. Pensava em cada palavra que iria falar para Sam, montava diversos diálogos em sua cabeça com ele e ia vendo qual estava melhor e menos assustador. 

Sam também tinha dormido poucas horas naquela noite, sua vontade era de ficar naquele hospital e dormir no quarto com Dean, queria que ele acordasse e a primeira coisa que visse fosse Sam, mas também não queria sufocar, não sabia ainda como seria a reação de Dean ao vê-lo e achou melhor da esse tempo para Dean esfriar a cabeça.

Sam colocou sua melhor roupa, passou sem exagero seu perfume adocicado, não queria que Dean ficasse incomodado com o cheiro naquele quarto fechado, resolveu que iria tomar café com Dean e antes de ir para o hospital passou em uma padaria próxima, comprou 2 pedaços de torta, pão, geleias, alguns sanduíches naturais e café, ele queria impressionar Dean, passar uma certa segurança e conquistar seu perdão.

Chegou ao hospital e entrou no elevador, suas mãos estavam soando, não conseguia parar de se olhar no espelho do elevador e arrumar seu cabelo. O coração cada vez que pensava em Dean parecia que iria sair pela boca e quanto mais perto do andar chegava mais suas pernas tremiam. Abriu a porta do quarto e viu que Dean ainda estava no banheiro com 2 enfermeiras e ligou a TV para tentar relaxar enquanto esperava ele terminar. 

Dean estava nervoso porque estava quase terminando sua higiene e não tinha nenhum sinal de Sam, por um momento achou que ele havia se arrependido de tudo o que tinha lhe dito na noite passada e aos poucos seu sorriso começou a fechar, sentiu sua pouca felicidade ir embora e quando já estava quase sem esperança de ver Sam durante o dia, ficou surpreso ao ver a melhor cena logo que abriu a porta do banheiro: Sam em pé, com os braços cruzados olhando fixamente para a TV que passava algum tipo de documentário, seu sorriso abriu na mesma hora e o nervosismo voltou, não sabia o que dizer. 

Dean: Bom dia Sammy (abriu um sorriso que não conseguia disfarçar). 

Sam: (se virou imediatamente para Dean com outro sorriso no rosto e foi de encontro) Bom dia Dean (o abraçou apertado). 

Ambos ficaram ali abraçados por longos minutos. Dean se afundou no pescoço de Sam sentindo seu cheiro e acariciando seu cabelo de uma forma carinhosa não conseguindo se aguentar e dando um leve beijo em seu pescoço que em seguida sente o corpo de Sam todo arrepiado. 

Dean: Eu também te amo Sammy e eu te perdoo (Sam se separa rapidamente de Dean o olhando fixamente nos olhos). 

Sam: Você escutou? 

Dean: Sim, eu escutei (voltaram a se abraçar e ficaram por mais minutos assim). 

Dean foi separando aos poucos o abraço mas não quis perder o contrato com Sam, colocou seus dedos entre o cabelo e a nuca dele e foi se aproximando para beija-lo. 

Sam: (com os lábios de Dean roçando no seu) Eu não sei se consigo Dean, isso é errado (virou de costas). 

Dean: Você me ama Sammy? (perguntou se aproximando). 

Sam: Amo, e amo muito mas não consigo. Só consigo pensar em como nossos pais estão nos olhando nesse momento (virou para Dean). 

Dean: Sam, vem cá (segurou sua mão e o levou para sentar na beira da cama). 

Dean: (abriu espaço no meio das pernas de Sam e se encaixou colocando o cabelo dele atrás da orelha e o rosto entre suas mãos) Olha para mim. Eu te entendo, eu consigo sentir esse seu medo dos preconceitos, medo da reprovação de todos e até mesmo o respeito que você sente pelo nossos pais, mas a diferença é que eu deixo o meu amor falar mais alto e me permito te amar. Não importa o que nós somos ou o que fazemos, nunca iremos ter a aprovação e o apoio de todos, você só precisa pensar no amor que você sente e esquecer do mundo. Se você consegue ser feliz com uma pessoa entre 4 paredes, de qualquer modo, quem será o resto para você? Nada, porque você está feliz com o que está vivendo. Não precisamos sair espalhando para todos que estamos namorando em poucos dias, e nem ficar contando que somos irmãos e namoramos para quem não conhece a gente, mas também não podemos esconder isso para sempre. Imagina só, querer dar uns amassos e não poder (Sam riu). Tudo vai caminhando aos poucos, sem pressa.

Sam empurrou Dean levemente para ter espaço para descer da cama, foi até a porta e a trancou. Voltou para onde estava e colocou Dean no seu lugar, em cima da cama. 

Sam: (segurou a mão de Dean) Você promete que vai me ajudar a passar por tudo isso?

Dean: Claro que sim meu amor, vamos passar por tudo isso juntos (abriu um sorriso). 

Sam tirou o sorriso de Dean com um lindo beijo quente e demorado, sentindo a mão de Dean passear por todo seu corpo causando arrepios, explorou cada parte de sua boca acariciando levemente sua língua e permitindo que Dean sentisse seu gosto enquanto sentia ele procurar sua mão para entrelaçar na dele, davam pequenos intervalos para recuperar o fôlego e logo voltavam a se beijar novamente. 

Sam: Eu te amo tanto minha vida (deu um selinho demorado) Você realmente me perdoa? 

Dean: Eu também te amo, claro que eu perdoo, o passado já foi, só quero ficar aqui curtindo o presente com você. 

Sam: (sorriu e deu mais um selinho) Eu trouxe uma coisa para você, para a gente na verdade (pegou a bolsa com as comidas em cima do sofá). 

Dean:  Me diga que isso é torta, por favor (juntou as duas mãos balançando levemente) 

Sam: Sim, é (Dean sorriu parecendo uma criança quando vê um doce) Vou tomar café com você hoje, estava sentindo sua falta. 

Ambos sentaram na cama dando espaço entre eles para colocar os lanches e comeram conversando sobre tudo, rindo, vendo TV, contando piadas ruins. Passaram o dia todo assim, não se desgrudavam para nada, era beijo para todo lado e toda hora se controlando para não rolar nada mais que beijos porque ainda estavam no hospital e não iria ser legal para os pacientes escutar o que se passa no quarto ao lado. 

Castiel foi visitar Dean durante o período da tarde, ainda estava se sentindo mal por não ter ouvido o chamado de Sam quando eles estavam precisando. 

Sam estava sentado no sofá vendo um filme e Dean estava deitado com a  cabeça no seu colo recebendo carinhos no cabelo quando sentiu a presença de Castiel e rapidamente se levantou. 

Castiel: Oi Dean, Oi Sam. Como você está? (olhou para Dean) 

Dean: Estou bem melhor Cass. Onde você estava? 

Castiel: Que bom que já está bem, eu vim pedir desculpas diretamente para você porque quando você mais precisou eu não estava aqui, estava em uma missão no céu. 

Dean: Ah que isso Cas (foi de encontro com Cas para o abraçar) Não tem problema não, já está tudo bem, você também tem seus compromissos. 

Castiel: Vi que você fez a escolha certa dessa vez (olhou para Sam). 

Sam: Fiz sim Cass, você nem deu tempo para eu agradecer, então desde já obrigado por ter me ouvido. 

Dean: (com expressão confusa) Eu não estou entendendo nada, ele já sabe? (apontou para Castiel) 

Sam: Já sim, foi ele que me ajudou a tomar coragem e dizer aquilo ontem para você (abraçou Dean e deu um beijo em sua bochecha). 

Castiel: Fico feliz por vocês (abriu um sorriso e sumiu) 

Se passaram algumas horas, Sam ajudou Dean com sua higiene, o ajudou a tomar banho. Foi para o motel rápido para pegar mais roupas para passar mais dias no hospital e aproveitou para tomar banho também. Voltou para o hospital e as enfermeiras já haviam trocado o curativo de Dean e ele já estava pronto para dormir. 

Sam: Boa noite amor (deu um beijo em Dean sem se aprofundar muito) 

Dean: Deita aqui comigo (chegou pro lado dando espaço suficiente para Sam deitar e logo se deitou em seu peito envolvendo seu braço na cintura de Sam e entrelaçando seus dedos). 

Sam: Eu te amo tanto e vou fazer questão de não só falar e sim demonstrar esse amor todo por você todos os dias (deu um beijo no meio da cabeça de Dean). 

Dean: Eu também te amo meu amor, isso parece um sonho e eu estou com medo de acordar, nunca fui tão feliz assim em toda minha vida (levantou a cabeça para da um selinho em Sam) 

Sam: Você é sortudo por ter alguém como eu. 

Dean: (ambos riram) Pior que sou mesmo. 

Sam ficou fazendo carinho no cabelo de Dean até ele pegar no sono e depois saiu calmamente sem fazer muito esforço para não acorda-lo e foi dormir no sofá com um sorriso no rosto satisfeito. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...