História Tudo por você - Wincest - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Dean Winchester, Sam Winchester
Tags Amorproíbido, Deanwinchester, Família, Gay, Incesto, Romance, Samwinchester
Visualizações 110
Palavras 2.984
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Viver com você


Fanfic / Fanfiction Tudo por você - Wincest - Capítulo 5 - Viver com você

        Amanheceu e Sam acordou primeiro que Dean. Fez sua higiene e tomou seu banho no hospital mesmo, como ainda era 8h da manhã, Sam deu um leve beijo na testa de Dean e foi tomar café na padaria que havia na frente do hospital. Ele estava ansioso porque seu amado iria ter alta daquele hospital e ele não via a hora disso acontecer, porque queria total privacidade com Dean.

Sentado no banco da padaria comendo seu sanduíche, Sam elaborou todo seu dia ao lado de Dean. Queria que fosse perfeito, um dia perfeito, queria comemorar a união dos dois irmãos, que agora são namorados. Sam pensou em levar Dean ao parque assim que ele saísse do hospital, iria ficar até o fim da tarde lá, apenas curtindo e esquecendo dos problemas como nunca fizeram e a noite iria cozinhar para Dean, fazer sua comida favorita com direito a sobremesa, a torta que Dean tanto ama e no fim, a grande surpresa, pedir oficialmente Dean em namoro, já que eles não tiveram o pedido oficial, apenas estavam juntos. 

Sam ligou para um amigo que não falava a bastante tempo, Garth, e pediu uma ajuda para conseguir comprar uma aliança descente para Dean, já que a vida de caçador não podia proporcionar o valor que uma aliança de compromisso pedia, e logo após falar com Garth, Sam procurou inúmeros motéis melhores, não tão chique mas também não tão barato, um bem confortável para os dois passar a melhor noite de suas vidas. Pediu ajuda também para Jo, para ver como deixar o ambiente romântico e agradável, que por sinal ela ficou bem confusa porque nunca viu Sam com ninguém, mas ele não quis falar com quem estava porque ainda é recente e tem tempo. 

Sam voltou para o hospital correndo porque organizar isso tudo tomou boa parte do seu tempo e ele queria acordar Dean do jeito que ele sempre sonhou por um longo tempo de sua vida. Abriu a porta do quarto bem devagar orando para Dean ainda estar dormindo e ao ver ele deitado na cama roncando, Sam abriu um grande sorriso deixando suas covinhas cada vez mais funda e aparentes, como sempre faz quando vê Dean e caminhou lentamente em direção a cama.

Sam: Bom dia meu amor (encheu Dean de beijo por todo rosto até chegar em seus lábios)

Dean: (despertou lentamente e logo abriu um grande sorriso ao sentir o calor do corpo de Sam e seus lábios tão próximos de si) Assim eu vou ficar mal acostumado (Sam riu e deu mais um selinho). 

Sam: Vamos se levanta, eu tenho planos pro nosso dia juntos (puxou Dean cuidadosamente da cama).

Dean: Planos? Estou curioso Sammy (deu um sorriso de lado com malícia)

Sam: Sempre tarado. Vai ter isso também mas antes eu quero levar você no parque que tem aqui perto para relaxar e esquecer dos problemas.

Dean: Tudo que eu mais quero é passar uma tarde inteira junto com você (deu outro selinho em Sam e sorriu).

Sam ajudou Dean com suas necessidades, arrumou as coisas dele dentro de uma pequena mochila e levou para o impala. Escutou atentamente tudo o que o médico dizia para Dean fazer para curar mais rápido a ferida porque se preocupava demais com ele e não queria voltar tão cedo naquele hospital pelo mesmo motivo. 

   //////////////////

Chegaram ao parque Sam podia sentir toda a alegria de Dean, parecia uma criança, seus olhos brilhavam de alegria olhando aquele gramado verde e aquele céu tão azul com um sol radiante e não parava de sorrir. Olhava cada detalhe daquele lugar, mal conseguia falar. Dean nunca imaginou que algum dia de sua vida estaria relaxando em um parque, com o amor de sua vida e feliz por causa dessa vida de caçada. Dean estava todo cuidadoso com Sam, tinha medo de tocar demais em Sam e isso o deixar desconfortável por ser um lugar público, já que era a última coisa que ele queria naquele momento, então como ele não queria correr o risco de acabar com aquele dia tão lindo, decidiu agir apenas como um irmão para Sam que logo estranhou. 

Sam: Porque você está estranho comigo? Não está gostando? Quer ir embora? (passou mão no rosto de Dean) Se quiser podemos ir, não tem problema. 

Dean: Não é isso Sammy (desviou o olhar). 

Sam: (franziu a testa) Então o que é amor? Sou eu? 

Dean: Não claro que não (tirou a mão de Sam de seu rosto e a segurou) 

Dean: É que você, sabe.. (desviou o olhar novamente) Você tem medo dos preconceitos, eu quero te ajudar a lutar contra esse medo então não quero ficar te tocando muito e acabar deixando você desconfortável. Eu sei que é besteira mas.. (foi interrompido por um beijo de Sam curto terminado com um longo selinho) 

Sam: Não precisa ter medo, no momento só quero ficar com você, você é praticamente meu namorado, então vamos agir como tal, não me importo com os olhares maliciosos das pessoas, eu estou feliz e não ligo (abriu um sorriso e entrelaçou sua mão na de Dean). 

Sam colocou um pano na grama no canto do parque, comprou algumas comidas, mas não muitas porque queria que Dean estivesse espaço suficiente para o tão esperado jantar, apesar de Dean comer muito, Sam não queria correr o risco de fazer um jantar e ele não conseguir comer nem metade. Então Sam e Dean resolveram não ir em nenhum brinquedo e apenas ficar observando as pessoas se divertindo enquanto Sam ficava deitado na perna de Dean recebendo carinhos em seu cabelo longo, ficaram olhando as crianças e conversando sobre o futuro no qual deveria haver uma criança para chamar de filho (a). Olharam cada criança e brincaram falando com qual dos dois ela mais se parecia. Jogaram papo fora a tarde toda, agiram igual casal comum, trocaram carinhos e até conheceram pessoas novas, coisa que não acontecia nunca, mas resolveram não levar a amizade à frente pela própria segurança delas. A tarde já estava chegando ao fim e eles estavam se recolhendo para ir embora. 

Sam: (abraçou Dean por trás e deu um beijo em seu pescoço) Nosso dia ainda não acabou (sussurrou). 

Dean: Não? Eu estou adorando isso (se virou e beijou Sam). 

Sam: Entra aí, eu que vou dirigir. 

Dean: (entrou no carro) Para onde nós vamos pai? (riu sarcasticamente). 

Sam: Você vai pro motel que eu aluguei, e olha, ele é lindo (sorriu) 

Dean: Como assim? E você vai pra onde? 

Sam: Vou comprar o resto da comida que falta, porque hoje nós vamos comer uma comida descente, eu vou cozinhar pra você (olhou para Dean sorrindo e pegou entrelaçou sua mão na dele) 

Dean: Eu estou assustado (riu) mas também estou feliz, muito feliz com isso tudo, esse dia na verdade. Pelas minhas contas aqui, nós nunca ficamos desse jeito, um dia só para nós, é tudo tão novo (respirou fundo). Porque está fazendo isso tudo? 

Sam: (olhou confuso para Dean) Como assim porque? Eu te amo Dean. Você se lembra que lá no hospital quando eu disse que não ia só falar e sim demonstrar esse amor por você? Isso é só o começo. (Dean sorriu).

Quando chegaram no motel, Sam fez questão de subir com Dean porque queria presenciar a reação dele ao ver aquele motel no qual em toda sua vida nunca tinha ficado. Ambos subiram o elevador nervoso e com medo do que ia ver. Ao abrir a porta do quarto, Dean se depara com uma linda sala com TV de última geração, com um sofá grande e confortável e ao lado uma mesa com alguns passa tempo, e no outro lado, uma pequena cozinha americana toda branca, com alguns balcões separando o ambiente e com 3 bancos, ao lado tinha mesa de jantar para duas pessoas com um lindo vaso com rosas no centro, ao lado tinha banheiro, que dentro tinha um box enorme, no canto da sala tinha uma escada que ia direto pra suíte do casal, que por sinal tinha uma enorme cama de casal, com cômodas ao redores que estavam com champanhe e alguns petiscos, com uma enorme janela que dava direto para a cidade, e o último cômodo, o banheiro do casal, tinha duas pias e um espelho enorme, com uma banheira com luzes azuis dentro que cabiam quatro pessoas.

Dean: Amor.. (colocou a mão na boca impressionado) Eu não sei nem o que dizer (passou a mão no cabelo ainda impressionado) Sammy.. Eu te amo.

Sam: Você gostou? (sorriu) 

Dean: (olhou para Sam) Eu amei, ainda não posso acreditar que vamos passar a noite aqui. Isso é sério ou algum tipo de brincadeira? 

Sam: É sério meu amor (abraçou Dean e o beijou intensamente) 

Dean começou a arrastar Sam aos poucos para o sofá fechando a porta e fazendo o possível para não se separar do beijo. Jogou Sam no sofá e começou a tirar sua jaqueta e quando ia abrir o zíper da calça de Sam ele tira Dean de cima. 

Sam: Agora não Dean, preciso ir comprar a comida se não meus planos de hoje não vai ficar completos (colocou a jaqueta de volta e deu um beijo em Dean e saiu). 

         ////////////////

Passaram-se 2 horas, Sam já tinha voltado, já tinha comprado a aliança e já tinha preparado a janta, tomou banho no banheiro de baixo já que o Dean não queria sair da banheira da suíte deles, arrumou a mesa colocando uma travessa média com lasanha e outras pequenas vasilhas ao redor com porções de arroz, batata frita e algumas saladas e na outra ponta colocou a tão desejada e amada torta de Dean e no final, dentro do prato vazio de Dean, Sam colocou a caixinha da aliança aberta. 

Chegou a hora de Sam subir e chamar Dean, que já estava reclamando da demora e que estava com fome. Sam estava soando frio, sentia seu coração acelerar a todo momento, estava tão nervoso que teve que descer a escada novamente para beber um copo de água. Abriu a porta do quarto e Dean estava na janela admirando aquela linda paisagem bebendo um copo de champanhe. 

Sam: Essa paisagem é linda não é? (beijou a bochecha de Dean). 

Dean: É surreal (sorriu). 

Sam: O jantar já está pronto, mas antes.. (retirou um lenço do bolso) vou tampar seus olhos porque como você sabe, é surpresa. 

Dean: Isso está ficando mesmo interessante. Tem muita comida? (riu). 

Sam: (amarrou o lenço na cabeça  de Dean tampando seus olhos) Cala boca (riu de volta). 

Sam ajudou Dean a descer as escadas, guiou lhe até a mesa de jantar, tirou o lenço e o colocou parado de costas pra mesa que estava com o prato e a aliança.

Sam: Dean, antes de se virar preciso falar algumas coisas (falou sério). 

Dean: Nossa, o que foi amor? De um jantar divertido tá passando a ser um jantar de término. 

Sam: O que? Não é nada disso (tossiu) Só quero mais uma vez nesse dia dizer o quanto eu te amo Dean, dizer o quanto eu estou feliz estando no seu lado, mesmo sendo tão recente, eu sinto felicidade tão grande de poder todos os dias acordar e ver você e poder te beijar, poder dizer o quanto eu te amo e ainda ser correspondido. Eu sou tão sortudo de te ter comigo (segurou a mão de Dean). Eu não consigo nem explicar a metade do amor que eu sinto por você, cada vez que eu te olho sinto meu coração tentar passar pela minha garganta e voltar pro lugar dele, sinto diversas vezes que eu to sonhando porque como é possível amar uma pessoa tão intensamente como eu te amo? (Dean o abraçou e ambos começaram a chorar de felicidade) 

Dean: Hoje você está me surpreendendo de um jeito que está me fazendo perder as palavras e a  única coisa que eu consigo fazer é te beijar (Sam limpou a lágrima que escorria no rosto de Dean) EU TE AMO SAMMY (gritou)  

Sam: Você é louco Dean (riu). Agora vamos comer antes que esfrie (se sentou na cadeira e esperou Dean se virar). 

Dean se vira e de primeira só olha para a comida e a admira mas só percebe tudo quando se senta na cadeira e olha para seu prato e vê a aliança. 

Dean: Sammy.. Meu Deus o que você tá fazendo comigo? (começa a chorar) 

Sam: Não chora meu amor.. Como a gente não tinha pedido ninguém em namoro só estávamos juntos, eu achei que seria bom eu te pedir em namoro e usar essa aliança simbolizando nossa união (entrelaçou sua mão na de Dean por cima da mesa). 

Sam: Então Dean Winchester, quer namorar comigo? 

Dean: Sim, eu quero (beijou Sam e colocaram a aliança). 

Dean estava muito emocionado com tudo que havia acontecido naquele dia, ainda não podia acreditar que estava tendo um relacionamento com o próprio irmão e que estava dando tão certo essa loucura. Estava um pouco assustado porque depois desse pedido de namoro e ao olhar essa aliança no seu dedo que ele se deu conta do quão sério isso era e se deu conta que pela primeira vez estava em um relacionamento sério e ele não podia acabar com isso porque ambos estavam felizes, nunca viu Sam tão feliz como está vendo desde quando os dois assumiram esse amor um pelo outro. 

Os dois jantaram tranquilamente e Dean custou a acreditar que aquela comida foi realmente Sam que tinha feito porque estava tão boa quanto aquelas que eles compravam. Passou mais tempo elogiando a comida do que comendo. Um tempo depois, após ter acabado de jantar, Sam arrumou a mesa e Dean lavou a louça, escovaram os dentes e foram deitar para descansar e ficaram vendo um filme de terror. 

Dean já não aguentava mais se segurar e desligou a TV e subiu em cima de Sam o beijando lentamente, sentindo seu gosto com cuidado e indo descendo para o pescoço. Sam rapidamente entendeu o recado e inverteu a posição, subiu em cima de Dean e continuou aquele beijo que invadia sua alma de uma maneira inexplicável e o fazia desejar mais e mais aquele momento. Desceu para o pescoço de Dean dando pequenos chupões e beijando sucessivamente, ouvindo gemidos abafados em seu ouvido e sentindo seu membro crescer cada vez mais. Deu dando beijos pelo peito e barriga de Dean por cima de sua blusa e logo depois sentou sobre seu membro já ereto tirando a blusa de ambos para continuar o ato. Voltou a beijar a boca de Dean, que de lento foi pra voraz e desceu para chupar seu mamilo. Rodou sua língua por todo mamilo dando mordidas leves em cada um. Desceu mais um pouco para o umbigo de Dean e ficou dando beijos enquanto abria o zíper de sua calça deixando ele apenas de cueca. Chupou o pescoço dele junto com a orelha enquanto acariciava o membro dele por cima da cueca. Dean soltou um gemido e pediu para Sam descer mais, e ele obedeceu. 

Desceu da cama e tirou o resto de roupa que faltava para ficar totalmente nu e em seguida tirou a cueca de Dean. Voltou para cima da cama e começou a beijar a coxa de Dean até chegar na virilha. Colocou a mão em toda sua extensão fazendo movimentos de sobe e desde enquanto chupava suas bolas. 

Dean: Isso Sammy.. Ahhh vai (falou com voz rouca) 

Sam estava com insegurança, porque nunca havia feito aquilo na vida. Estava com medo de não conseguir dar prazer para Dean e sabia que isso iria lhe afetar por não conseguir ser o suficiente para ele, mas apenas pensou no que ele gostaria que Dean fizesse nele e repetiu no membro de Dean. 

Ele colocou todo o membro de Dean dentro de sua boca, olhando para ele se contorcendo todo na cama e apertando o travesseiro com toda força e gemendo feito um louco. Ficou chupando e lambendo toda a extensão olhando diretamente para Dean para provocar e ver a cara de prazer dele e ouvir seu gemido. Ficou por longos minutos chupando a glande de Dean até perceber que ele já estava quase gozando. Parou e voltou a beijá-lo e apertar suas nádegas. 

Dean: Vai meu amor, eu quero você dentro de mim (falava ofegante). 

Sam virou Dean de frente para ele e colocou um dedo dentro de sua boca e em seguida levantou sua perna e colocou o dedo na entrada de Dean. Parou o movimento e o olhou para ver se ele estava sentindo muita dor e depois logo continuou os movimentos acrescentando mais dedos e nunca perdendo o contato com Dean. 

Sam: Está doendo muito? Se quiser podemos parar e tentar outro dia. 

Dean: Não, está muito bom. Agora vai lá e entra dentro de mim (falou apertando o membro de Sam que logo soltou um gemido).

Sam desceu dando beijos e mordidas por todo corpo de Dean até chegar em sua entrada e lá lambeu por mais alguns minutos enquanto masturbava Dean arrancando mais gemidos dele. Levantou e passou seu membro na entrada dele e logo enfiou aos poucos esperando sua reação. 

Sam: Está doendo amor? 

Dean: Um pouco, espera. 

Para tentar fazer Dean relaxar, Sam ficou dando beijos calmos e molhados e quando via que ele estava relaxado colocava mais seu membro até entrar ele inteiro. Após alguns minutos fazendo isso, Dean relaxou e as estocadas ficaram mais intensas e quente. Sam tirava seu membro inteiro de dentro da entrada de Dean e enfiava de novo. 

Sam: Ahhh Dean, você é tão gostoso. 

Após mais algumas estocadas, Sam se derramou dentro de Dean e se deitou em seu peito, sentindo Dean gozar com apenas o calor de seus corpos.

Sam se deitou ao lado de Dean e fechou seus olhos para sentir o toque de Dean tirando seu cabelo grudado na testa por causa do suor.

Dean: Foi tão bom (beijou Sam).

Sam: Eu te amo. 


Notas Finais


Esse capítulo foi bem melosinho, mas eu gostei 😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...