1. Spirit Fanfics >
  2. Tudo Que Eu Sempre Quis >
  3. Minha casa, é sua casa

História Tudo Que Eu Sempre Quis - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Primeiro de tudo, eu gostaria de dizer o quanto eu me divirto com a astúcia de vocês haha
Seus comentários são o máximo!

Eu acho que vocês vão gostar muito deste capítulo! Espero que esteja do agrado ❤

Capítulo 10 - Minha casa, é sua casa


E lá está o moreno alto de cabeços bagunçados, parado frente à entrada de uma vila gastronômica, local escolhido para que pudessem conversar sobre as novas estratégias dele com a vizinha. O moreno, que tinha chegado primeiro, percebe que o local está completamente lotado e se pergunta se será possível conseguir uma mesa. Ele coloca as mãos nos bolsos da calça e dá um giro lento com o corpo, até vislumbrar, de longe, a figura da sua anja caminhando apressadamente na sua direção. Chichi está, costumeiramente, com o coque no cabelo, mas de uma forma bem despojada e veste uma calça rosé de cós alto com uma blusinha preta e lisa de mangas curtas que vai por dentro da calça e por cima, um casaquinho leve no mesmo tom da calça.

Goku abre um sorriso de orelha a orelha e seu coração parece ter saltitado no mesmo instante. Chichi também sorri quando avista o moreno.

- Oi Goku! Desculpe o atraso! O uber acabou se perdendo e aí demorei um pouquinho pra chegar! – Ela pede, exasperada enquanto se inclina para dar um beijinho de cumprimento no rosto dele. O perfume amadeirado dele, provoca um pouquinho de cócegas nas suas narinas a fazendo querer se alongar naquele cheiro.

- Atraso? – Goku pega o celular para checar as horas. – Você só passou cinco minutos do horário combinado!

- Ah, mas mesmo assim, te deixei aqui esperando por cinco minutos!

O moreno ri.

Entre muitas das coisas que havia aprendido sobre a amiga, uma delas é a sua pontualidade. Chichi sempre é pontual com seus compromissos, raramente se atrasa. De todas as vezes que combinaram de sair, ela nunca havia se atrasado antes, geralmente é ele quem chegava uns minutinhos atrasados, mas ela nunca reclamou disso também.

- Que nada, são só cinco minutos! E poderia ser até meia hora ou mais, não teria problema nenhum!

- Tá doido?! – Chichi arregala os olhos, mas em seguida dá risada. – Ah, é força do hábito, sabe... Se eu deixar Lápis esperando por mais de dois minutos ele já surta! Ele é muitooo restrito com os horários e as agendas dele!

- Bom, eu não sou, então pode ficar tranquila! – Goku sorri, o sorriso mais doce do mundo e Chichi se derrete por um breve instante.

Logo ela percebe o local completamente lotado.

- Puxa... Acho que aqui não vai rolar não... – Chichi soa desapontada.

- Melhor a gente ir pra outro lugar. – Goku sugere e ela consente. – Pra onde?

- Ah sei lá, um shopping?

Goku pondera por alguns instantes e então tem uma ideia:

- Já sei! A gente pode ir lá para casa, eu moro aqui pertinho. Assim, você aproveita para pagar sua dívida comigo!

- Que dívida? – Ela pergunta, estranhando e Goku ergue as duas sobrancelhas, até que a ficha da morena finalmente cai. – Ah é... Tá, pode ser.

Ela dá de ombros. Teria que pagar sua dívida da aposta mais cedo ou mais tarde mesmo.

- Bom, o que você vai querer que eu cozinhe então? E, aliás, porque escolheu isso?

- Ah, é que você sempre fala sobre as coisas que você cozinha e também a Bulma já falou algumas vezes que você cozinha super bem, então, quero provar! – Ele sorri mais uma vez. – Bom, acho que pode ser um doce... – Ele faz uma cara de pensativo. – Talvez um bolo?

- Bolo é? De qual sabor?

- Chocolate! – Goku parece uma criança quando diz e Chichi ri graciosamente com aquilo.

- Tá, então vamos de nega maluca! Imagino que não vai ter os ingredientes, então vamos passar no mercado primeiro!

- Claro!

Os dois caminham até o mercado mais próximo que não ficava muito longe dali e enquanto isso, Goku conta sobre o tratamento do seu avô, tinha ido visitá-lo durante a semana para ver como as coisas estavam indo, por enquanto, sem muitos avanços significativos, mas estava confiante de que as coisas ficariam bem logo. Chichi conta sobre o seu trabalho também que estava indo muito bem, apesar da correria e logo logo seria o lançamento do primeiro livro.

Logo mais, Chichi chega pela primeira vez no modesto e aconchegante apartamento do amigo. Um loft super despojado com dois andares, sendo o andar de cima somente o quarto dele. O lugar é espaçoso, bonito e com um certo charme.

- Seu apartamento é lindo, Goku! – Ela elogia ao passar pela sala e dar uma boa olhada no local. – E, é bem organizado... – Ela parece surpresa com a constatação e Goku franze o cenho.

- O que você tava esperando? Eu não sou um porco não, tá... – Ele coloca as sacolas de compras sobre a mesa e cruza os braços, fazendo um beicinho.

- Hahaha! Ah, sei lá, mas achei que ia ser um pouco bagunçado.

- Tá, tudo bem, eu admito. Hoje foi o dia que a diarista veio aqui... – Ele sorri, sem graça e com a mão atrás da cabeça. A garota ri.

- Onde eu posso deixar minhas coisas? – Ela pergunta, indicando onde poderia deixar a bolsa.

- Ah, pode deixar aqui mesmo! – Ele aponta para uma das cadeiras da cozinha.

- Aqui, assim? – Ela questiona de forma incrédula.

- É ué! Onde você achar melhor! Não vai atrapalhar, só estamos nós dois aqui mesmo... – Ele soa despreocupado e Chichi se surpreende.

Então ela corre os olhos pelo local e encontra uma mobília no canto da porta, decide que deixaria suas coisas ali. Estava acostumada demais com os trejeitos e manias de Lápis, onde no apartamento dele, as coisas deveriam ficar exatamente no local destinadas a elas. Nada, absolutamente nada pode ficar fora do lugar.

- Vou deixar aqui, tá bom? – Ela avisa e Goku dá de ombros, sem se importar realmente.

Curiosa, ela então vai olhar de perto os objetos sob o hack na sala, com alguns porta-retratos com fotos diversas. Há uma foto da família de Goku, com ele de beca, obviamente a formatura dele, uma da festa de formatura com alguns amigos, entre eles estava Vegeta, Kuririn, Piccolo e Tenshin, todos com cara de bêbados e cheios daqueles adornos de festas, como arquinhos engraçados, boás, óculos e aquelas pulseirinhas fosforescentes. Ela corre os olhos por mais algumas fotos e então pega uma fotografia da sua família na mão e pergunta, apontando para o rapaz cabeludo:

- Este é o seu irmão?

- É sim. O Raditz!

- Puxa! Acho que eu nunca o conheci, só o vejo por fotos... Vocês não são tão parecidos... Agora você e o seu pai, nossa, vocês são idênticos! Até cabelo!

Goku ri.

- Ah, todo mundo fala isso... E o Raditz e eu somos muito diferentes de diversas formas, mas nós nos damos bem. Faz tempo que eu não o vejo, mas sempre conversamos por mensagem ou telefone. Ele mora em Metamoru, sabe? Foi pra lá cursar a faculdade e ficou de vez.

- Ele fez o que?

- Ciências contábeis. Ele conseguiu uma bolsa 100% em uma faculdade de lá e, bom, ele já queria sair de casa mesmo, então aproveitou. Minha mãe que sente falta, porque é bem longe, então ele não vai lá pra Paozu com muita frequência. Acaba que o drama da dona Gine sobra tudo pra mim toda vez que vou na casa dos meus pais. – Goku ri. – Ela não me dá sossego.

Chichi sorri ao escutá-lo, mas seu olhar estava vago e um pouco triste, pois, inevitavelmente se lembrara da sua mãe. O rapaz, imediatamente percebe a expressão da jovem e se sente mal pela falta de delicadeza.

- Foi mal, Chi... Eu não-

- Tudo bem, Goku! – Ela sorri, amigavelmente e devolve o porta-retrato ao hack e passa o olhar por mais um pouco no local. – E o seu vilão? Cadê? Não acha que eu esqueci que você me deve algo também, quero ver você tocar!

- Ahhh... – Goku joga a cabeça ao lado, um pouco sem jeito. – Eu vou pegar ele pra te mostrar, mas não vai dar pra tocar hoje não.

- Porque? – Ela questiona e ele só acena com a mão, pedindo que esperasse.

Goku vai até o segundo andar do apartamento e em poucos segundos já estava de volta com o instrumento nas mãos. Um Seizi Kyoto de magno laminado, belíssimo.

- Arrebentaram duas cordas no fim de semana, quando eu estava praticando e acabou que esqueci de comprar... – Ele aponta o vilão para a amiga que observa os detalhes enquanto passa os dedos suavemente pelas cordas de aço remanescentes e pelos acabamentos da peça.

- Nossa, é muito bonito!

- É uma belezinha. Precisa de ver o som que isso aqui faz... – Ele toca as quatro cordas que ressoam alto a fim de demonstrar a potência da caixa.

- Bom, então você trate de comprar cordas e me mostrar logo com uma música!

- Claro! – Ele coloca o vilão de lado, com cuidado. – Então, vamos para nossa missão?!

- Avante! – Ela responde, animada e segue na direção da cozinha, marchando e Goku apenas ri da cena.

A morena começa a mexer nos armários e portas, enquanto Goku vai orientando sobre onde estão os utensílios, ingredientes e condimentos.

- Credo, Goku, Você não tem nada mesmo!

- É que eu quase não cozinho, geralmente eu peço comida... Eu sou meio que, péssimo na cozinha... – Ele diz, sem jeito e com uma careta.

- Ai, não tem açúcar o suficiente! Goku você falou que tinha açúcar em casa! – A morena para e coloca a mão na cintura, olhando para a bancada onde estavam separados todos os ingredientes que precisaria para o bolo. – Porra, quem que não tem açúcar em casa?

- Vixe! Não me lembrava que tinha tão pouquinho assim...

- Mas é cabeça de vento, mesmo! – Ela resmunga.

- Eu posso pedir pelo delivery para entregar do supermercado, ou vou lá rapidão...

Ela o fita séria e de repente, seu semblante se abre com um sorriso iluminado.

- Já sei! – Ela pega uma xícara vazia e faz menção em sair dali, caminhando até na direção da porta.

- Onde você vai? – Goku questiona, confuso.

- Vou pedir uma xícara de açúcar para a sua vizinha, ué! – Chichi diz, sorrindo maliciosamente e travessa.

- O QUE? – Goku dá um grito e salta imediatamente da cadeira que estava sentado, correndo na direção da garota para tentar impedi-la de cruzar aquela porta. – Nãoooo! Tá maluca?! – Ele a alcança a tempo de ela só puxar a maçaneta da porta.

- Que foiiiii? – Chichi percebe sua cintura ser agarrada por trás, a impedindo de seguir em frente. – Não, deixa eu ir lá. – Ela tenta se desgarrar das mãos dele. – Eu só vou pedir um pouco de açúcar, ela deve ter, todo mundo tem.

- EU não tenho! – Ele ainda a segura, mas a garota insistente se força a ir de encontro a porta que conseguiu abrir.

- Você é um caso à parte. – Ela ri. – Me solta, cacete! Deixa eu ir!!! – Chichi bate o pé. – O que que tem?

- Como assim, o que é que tem? Ela vai achar que a gente tem alguma coisa! – Goku resmunga, choroso.

- Claro que não, para de ser besta, nada ver. Eu vou falar que sou sua amiga... Para de drama, Goku! – Ela quase grita e bate a xícara na cabeça dele, o rapaz, percebendo que não tinha jeito, sua amiga é teimosa e insistente. – Vai, para com isso e vem comigo.

Ela praticamente ordena e o moreno, a contragosto, obedece.

Então Chichi se recompõe e para firme, frente à porta do apartamento ao lado e toca a campainha. Goku fica logo atrás, aflito e nervoso com aquilo. Na sua mente, só consegue pensar no quanto aquilo é uma péssima, péssima ideia.

Não demora para que a porta do apartamento 72 se abra e apareça a imagem de uma bela jovem de cabelos azuis escuro e olhos no mesmo tom. Ela sorri, surpresa e Chichi diz:

- Oi, tudo bem? Meu nome é Chichi, eu sou amiga do Goku e a gente queria saber se você tem um pouco de açúcar para emprestar pra gente? – Chichi pede de forma gentil estendendo a xícara para a garota, enquanto Goku faz uma expressão de sofrimento em um sorriso forçado e apavorado ao mesmo temo.

Ele pensa consigo mesmo: “A gente... A gente quer saber uma ova, você quer saber, me tira dessa...”.

- Ah, oi! Claro, tenho sim! – Lunch sorri, educadamente. – Mas é açúcar mascavo, tem algum problema?

- De forma alguma! – Chichi responde e nota que a garota é verdadeiramente linda, faz todo sentido o amigo estar apaixonado.

- Claro... Aguarda só um minutinho, por favor. – A garota não pega a xícara de Chichi nas mãos, mas dá as costas e caminha para outro sentido.

Chichi aproveita a deixa e olha animada para Goku, que parecia que teria um infarto. Ela então dá uma espiadinha também no apartamento por dentro, sem entrar, já que, afinal, a garota não tinha convidado, mas tinha deixado a porta aberta. O apartamento é muito bonito, do mesmo estilo que o de Goku, mas claramente com uma decoração mais afeminada, cheio de plantas e coisas de cachorrinho espalhados pela casa, tem um aspecto bem alegre.

Não demora para que Lunch retorne com um saco de açúcar fechado e entrega para Chichi.

- Toma, pode ficar, eu tenho mais aqui, acabei comprando um pacote extra. Vai que vocês precisam de mais... – Ela sorri. – Aliás, quem é que não tem açúcar em casa?

- Hahahah! Pois é... – Chichi ri e pensa consigo mesma “Pelo visto o grandão aqui...”. – Ei, você gostaria de se juntar a nós? Vamos pedir pizza também.

Goku arregala os olhos e cutuca Chichi por trás, nas costas, que tenta disfarçar e bater na mão dele atrás de suas costas, enquanto sorria amigavelmente para a vizinha.

- Oh! Agradeço o convite, mas eu já tenho compromisso daqui a pouco!

- Tudo bem, fica para a próxima então e, obrigada! – Chichi levanta o pacote de açúcar.

- De nada! Se precisar de mais alguma coisa, pode avisar, mas eu saio daqui uns 10 minutos.

- Certo então! – E Chichi dá a volta, empurrando Goku de volta para dentro do apartamento e Lunch fecha a porta do seu.

Goku passa as mãos nos cabelos, completamente estupefato pela ação da amiga, que age naturalmente, como se nada tivesse acontecido.

- Tá maluca, Chichi?

- Bwahahaha! – Ela solta uma risada maligna, fazendo sinal com as mãos. – Você quase caiu duro no chão! – Ela zomba.

- Você quer me matar do coração né?

- Ai, deixa de drama, Goku. Conseguimos o açúcar, viu só? E seria um plus caso ela aceitasse o convite... – Ela dá de ombros e caminha novamente para a cozinha e o moreno a segue. – Apesar que não era bem o mascavo que eu queria, mas já serve. – Ela joga o pacote sobre a mesa.

- Como assim um plus? E se ela aceitasse? O que eu ia falar ou... arg!!!

- E porque não? Assim a gente já quebrava essa barreira, ela se aproximava mais de você e eu aproveitava para conhecer ela também, afinal, ela vai ser sua namorada né, uma hora eu teria que conhecê-la também. – A garota ri, zombeteira, embora estivesse falando sério, mas Goku apenas a encara, atônito. – E depois, é claro que eu tenho semancol né, eu ia deixar vocês a sós. Ia inventar uma história e sair daqui, para não ficar atrapalhando vocês.

Goku balança a cabeça em negativa. Essa mulher é impossível.

- Onde eu fui amarrar meu burro?!

- Hahahaha! Você queria um cupido, não é? Ta aí, seu cupido!

- Tá mais pra uma diaba, isso sim... – Ele faz um beiço e cruza os braços.

- Onde será que ela vai? Um compromisso agora a noite... – Pergunta a morena, retoricamente de forma despreocupada e curiosa.

- Ah! Será que ela tem algum encontro, Chi? – Goku exaspera. – Droga! Não pode ser!

- Hummm, pode ser, ela é bonita, é solteira... – A morena soa provocativa, mas despretensiosa e Goku coloca as mãos na cabeça, apavorado. – Porque você não pergunta pra ela?

- O que? Tá doida é? Ah, mas o que é que eu estou dizendo, é claro que você tá doida, aliás, você É doida!

- Que foi? É só uma pergunta inocente, vocês já estão conversando afinal...

- Mas muito pouco ainda! E a gente não está neste estágio, não temos essa intimidade. – Goku murmura, emburrado.

- Bom, pelo menos agora você já tem uma desculpa pra falar com ela de novo, vai ter que devolver o pacote de açúcar. – A morena sugere ao passo que começa a organizar as coisas em um recipiente para começar o bolo, apesar de Goku não ter uma batedeira, Chichi não se preocupou em bater a massa na mão. – Sabe o que mais você podia fazer? Levar para ela um pedaço do bolo!

- Boa ideia, Chi!!!! – O sorriso do moreno se ilumina. – Caramba! Você é minha anja mesmo!

Os dois riem. Nem parece que há poucos segundos atrás ele estava bicudo e emburrado com a atitude dela.

Ele não poderia ficar bravo com ela, mesmo se quisesse.

Então, enquanto Chichi preparava o bolo, Goku pede uma pizza gigante por aplicativo, de três sabores, sendo o tradicional sabor de calabresa uma escolha em comum dos dois, Margherita por opção de Chichi e Strogonoff de Carne com Batata Palha de Goku. Ele realmente não brincou quando disse que comia qualquer coisa e a garota torce o nariz, achava o cúmulo aquele sabor de pizza. Na Itália ele com certeza seria linchado por escolher um sabor como estes. De qualquer forma, ele acabaria comendo toda a pizza já que ela come que nem um passarinho, na visão dele e provavelmente não aguentaria mais do que duas fatias.

Durante o preparo do bolo, eles jogavam conversa fora e o moreno até se oferece para ajudar e pergunta se podia fazer algo, mas Chichi nega, não queria que ele metesse a mão e estragasse o bolo, então o moreno dá de ombros, era melhor mesmo só comer.

A casa cheirava a bolo de chocolate assado quando a pizza finalmente chega. Goku já estava quase subindo pelas paredes de fome, por isso não demorou para que jantassem logo, de maneira bem informal e sem frescura, pegando as fatias direto nas mãos mesmo e sentados no enorme sofá de suede escuro, o que apavorou a garota no início, com medo de sujar o estofado ou fazer bagunça indevida e insistiu em comer na mesa, mas o rapaz se negou, falou que não precisava dessas formalidades e a convenceu de irem comer no sofá mesmo, que era mais confortável. Na tv, algo aleatório estava passando, não prestavam atenção, estavam entretidos em suas próprias conversas e gargalhadas. A esta altura, Chichi se sentia tão à vontade, que parecia estar na sua própria casa, já estava sem sapatos e andava descalça toda vez que precisava conferir o bolo no forno. Goku sequer se incomodava, ele nunca ligou para formalidades e de certa forma, até parecia que não era a primeira vez que Chichi tinha ido na casa dele, como se fosse... certo.

É engraçado como conseguia ficar tão despreocupada na presença dele.

Como ela se sente mesmo bem a vontade, Chichi decide soltar os cabelos do coque. Ela puxa o elástico dos cabelos, deixando as madeixas negras caírem para os lados da sua cabeça e envolverem os ombros, moldando seu belo e delicado rosto angélica.

Neste momento, Goku sente uma palpitação no coração e até parece ter se esquecido de como se respira. É uma cena rara. Chichi dificilmente fica de cabelos soltos, salvo quando está em sua própria casa, se não estiver cozinhando, pelo menos. Mentalmente, Goku procura se lembrar se já a tinha visto assim pessoalmente, talvez só quando eram crianças mesmo. Fora isso, foi somente por algumas poucas fotos postadas por ela ou por Bulma, mas que já fazia tempo e que ele sequer deu atenção a isso na época.

Chichi não percebe o olhar dele, que aparenta um pouco de surpresa e admiração ao mesmo tempo, mas o moreno não demora a desviar a cabeça para o outro lado e não ficar encarando a moça.

Neste momento o celular de Chichi toca e ela se afasta, para um outro canto para atender. É Lápis e Goku sabe disso. Religiosamente ele liga pra ela no mesmo horário, todos os dias e Goku somente fecha o semblante quando a morena se afasta.

Ele ainda está com aquele papo que teve com o Vegeta na sua cabeça e, por isso, acaba ficando apreensivo.

Não demora para que Chichi retorne, a ligação foi rápida e curta. Então Goku pergunta:

- Porque você estava tão brava ontem, quando te falei que consegui o número da Lunch?

- Ah... Eu... Só não estava num bom dia, só isso... – Chichi responde, pesarosa.

- Hum... E como estão as coisas com o seu namorado? – Ele tenta soar despreocupado.

- Estão bem! – Ela responde, apenas. Já tinha conversado sobre isso mais cedo com Bulma e não estava na vibe de ter que falar sobre isso com ele também.

- Ele sabe que você está aqui? Quero dizer, espero que ele não fique bravo com você e nem pense coisas erradas...

- Ah, não precisa se preocupar com isso. Ele sabe sim, eu contei pra ele, mas ele não se incomodou não. O Lápis é muito de boa! – Ela sorri de lado.

- Que bom então! Porque, seria chato se ele implicasse com a nossa amizade e você se afastasse de mim por causa disso... Sabe, ainda preciso da sua ajuda como minha anja! – Ele coça o pescoço olhando para o lado.

- Isso não tem a menor chance de acontecer, Goku. A gente é amigo e o Lápis não pode implicar ou me proibir de sair com meus amigos! Ele não ousaria...

Goku sorri.

- Deve ser difícil ficar todo esse tempo longe né, mas vocês parecem conseguir lidar com isso muito bem. Devem se amar muito... Quer dizer, acho que... Acho que só amando de verdade mesmo para conseguir aguentar a saudade por conta da distância e tals... – Goku queria sondar um pouco o terreno, mas acha que ser direto de mais não seria legal, então procura por uma estratégia menos direta.

- Oh, sim, com certeza. Eu o amo muito, já te falei que ele é o cara ideal, o homem da minha vida! – Ela tenta soar firme, mas por alguma razão, ela mesmo não acreditou tanto assim no comentário. – E ele também me ama de verdade. Então a gente consegue lidar com as coisas... Mesmo que... Mesmo que as vezes a distância atrapalhe um pouco, a gente tenta não deixar as coisas morrerem. Por isso ele me liga todos os dias, para conversarmos, não perder o hábito...

- Que bom, Chi! – Ele diz. Isso é o suficiente para que ele sossegue um pouco os ânimos. Talvez Vegeta esteja realmente errado sobre seus julgamentos, não há porque temer pela amiga.

Mais alguns minutos se passam e Chichi resolve finalizar o bolo que já estava pronto. Ela prepara a cobertura e o desenforma, colocando no centro uma cerejinha que comprou junto com as outras coisas.

Ela sorri, satisfeita.

Uma perfeita obra de arte.

Os olhos de Goku comiam a sobremesa e ela podia jurar que vira um filete de baba escorrer do canto da boca do rapaz, assim que ela cortou o primeiro pedaço e colocou em um pratinho para servi-lo.

- Hummmm! – Goku leva o garfo à boca e come o primeiro pedaço, se deleitando de prazer. Ele poderia se acostumar facilmente com aquilo. – Está uma delícia! Você não vai comer? – Ele questiona, observando que ela não cortou uma fatia para ela também.

- Não. Eu fiz pra você! Já comi muito hoje, estou cheia! Mas aceito só um pedacinho, pra ver como ficou! – Ela sorri mordendo o lábio inferior. Goku franze o cenho. – Qual é?! Só um tequinho, você vai ter o bolo todo só pra você!

- Não entendo porque não pega um pedaço pra você então... – Goku protesta ao passo que a garota pega um garfo e retira um pedaço do bolo do prato dele.

- Porque eu quero só um pedacinho e... – Ela come. – Hum! Tá bom mesmo! Acho que me superei desta vez, será que foi o açúcar?!

- Hum, tá muito bom isso aqui... – Ele fala enchendo a boca de bolo novamente. – Queria saber cozinhar assim, mas não tenho talento nenhum pra isso. Onde foi que você aprendeu?

- Com meu pai! – Ela responde e ele a olha surpreso. – Por incrível que pareça, ele é um excelente cozinheiro, melhor do que eu, pode acreditar.

- Não brinca! – Goku fala com a boca cheia. Ele conheceu o pai da amiga pelas vezes em que, na infância, aquele homem enorme e gigante, levava a pequena para brincar e lutar na Escola da Tartaruga. Realmente, é algo que jamais imaginaria sobre o homem.

- Ele sempre foi melhor do que a minha mãe na cozinha... – E neste instante, o semblante dela muda para uma melancolia sutil, mas o suficiente para não passar por despercebido pelo amigo.

- Bom, só posso dizer que este é o melhor bolo que eu já comi na vida. – Ele a elogia, numa tentativa de melhorar o humor da garota.

- Ah, isso não quer dizer muita coisa, você come qualquer coisa. Parece até um avestruz.

Goku ri.

- Você devia ir pro Master Chef!

Enquanto o rapaz devora metade do bolo de chocolate preparado pela morena, que não era lá tão pequeno, eles continuam a conversar, rindo e se divertindo. Curiosamente, eles conversaram tanto sobre tantas coisas, mas em nenhum momento falaram sobre o tema “Lunch”, que foi a principal razão pelo qual tinham marcado este encontro. Goku parece nem se lembrar dela nestes momentos ao lado de Chichi e ela, tampouco.

Talvez, no fundo, tudo fosse realmente apenas uma desculpa para que pudessem se ver, já que apreciavam tanto a companhia um do outro, mas nenhum deles sabe ou percebe nada disso.

 O tempo vai passando até que uma notificação no celular dela chama a sua atenção.

< Bulma: Cadê você loka?

Manda notícias, tô preocupada! >

- Minha nossa! – Chichi sobressalta.

- Que foi? – Goku pergunta, assustado.

- Já é quase duas da manhã! Minha nossa! Nem vi a hora passar! Preciso ir pra casa! – Chichi fala apressadamente e caminha na direção da sala para calçar os sapatos que estavam jogados lá.

- Caramba! – Goku exclama, também não tinha se dado conta do horário e ele também começa a se aprontar, indicando que iria sair, ele corre até o quarto e pega uma blusa de moletom.

Chichi já abria o aplicativo do uber quando percebe a movimentação do amigo.

- Você vai sair? – Ela estranha. A essas horas? E ela estava ali o atrapalhando do seu compromisso, seja ele qual for a este horário, este tempo todo?

- Vou te levar pra casa, ué! – Ele responde, como se fosse algo óbvio.

- O que? Não, não precisa! Eu já tô pedindo um uber aqui! Pode ficar tranquilo.

- Imagina! Faço questão! – Goku insiste. – Já está tarde.

- Não precisa, Goku! – Ela fala, firme. – É sério, eu vou de uber!

- Mesmo?

- Sim!

- Então eu desço com você até o portão. – Ele oferece e ela não nega, já indo na direção da porta.

Quando chegam ao térreo, Chichi sente uma rajada de vento frio e se treme toda. Então se dá conta que retirou o casaquinho que usava antes e o colocou em uma das cadeiras da cozinha, enquanto preparava o bolo, mas na correria acabou se esquecendo.

- Puxa! Esqueci meu casaquinho lá em cima! – Ela lamenta.

- Nossa, é mesmo! Você vai passar frio desse jeito. – Goku observa os braços descobertos da amiga e então começa a tirar a própria blusa. – Toma, usa essa aqui!

- Não precisa, Goku... – Ela nega com as mãos, mas ele ignora e estende a blusa para ela.

- Vai passar frio, Chi! Pega aí, amanhã você me devolve...

Chichi pondera. Provavelmente passaria frio, já que, os motoristas de aplicativo sempre viajam com os vidros escancarados.

- Tá bom! – Ela concorda e veste o moletom que mais parece um vestido de tão cumprido e largo que ficou no seu pequeno corpo. – Na segunda eu te levo na academia e você me leva a minha blusa também! – Ele assente.

E logo o carro estaciona na entrada do prédio. Eles se despedem e Goku grita quando a morena entra no carro:

- Me avisa quando chegar em casa! – Ela assente e o carro sai.

Dentro do carro, o perfume da blusa de Goku sobe e volta a fazer cócegas no seu nariz.

“Que perfume gostoso...”


Notas Finais


Para quem tinha dúvidas de como Goku reagiria ao ver a Chichi de cabelos soltos, agora já sabe! Zero surpresas rsrs
E aí, quem será que tomba primeiro? Esta corrida está ficando cada vez mais acirrada.

Me digam o que vocês acharam do capítulo, porque eu amei!

E o próximo, será melhor ainda!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...