1. Spirit Fanfics >
  2. Tudo que preciso (segunda temporada) Kim Taehyung, Eunwoo >
  3. Difícil lidar com a saudade

História Tudo que preciso (segunda temporada) Kim Taehyung, Eunwoo - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente lindaaa 😍

Ahhh eu gostei tanto de escrever TP, que resolvi trazer uma segunda temporada, tive alguns pedidos também, então cá estou eu 💜

Espero que a segunda faça tanto sucesso quanto a primeira 🥰

Só notificando que não sei como ficará o tempo de att dessa estória, pois ainda estou trabalhando em PP, digo isso pois meu tempo para atualizar é de menos de uma semana, então vou postar esse capítulo mais para ver o que vocês acham de uma segunda temporada.

Desculpem qualquer erro, foi revisado, mas vocês já sabem o lenga lenga 🤣🤣🤦🏻‍♀️

Bom é isso aí, boa leitura e espero que gostem 💜

Capítulo 1 - Difícil lidar com a saudade


Fanfic / Fanfiction Tudo que preciso (segunda temporada) Kim Taehyung, Eunwoo - Capítulo 1 - Difícil lidar com a saudade

— Vem cá vem! — Taehyung me puxava com desespero para cima de si, em minha cama no dormitório.

 

A dois anos, desde que iniciamos a faculdade, nos vemos apenas aos finais de semana, uma tortura, já que queríamos estar todo o tempo, juntos.

 

Taehyung e eu infelizmente não ficamos na mesma universidade, ele foi cursar medicina em uma faculdade distinta da minha, a mesma que seu pai, queria seguir seus passos, quando ele me notificou, tentei não demonstrar minha frustração, pois sei o quanto seu pai foi, e ainda é, importante para si, então somente o apoiei, Lisa e Yoongi também foram para lá, por escolha de estudos, e eu... Como minha bolsa é na faculdade próxima a minha casa, fiquei por aqui mesmo.

— Senti tanto a sua falta! — digo entre arfares, a urgência de ter seu corpo me consumia.

— E eu sinto a sua a todo instante, meu amor! — Indagou enquanto depositava abruptos beijos  em meu pescoço, me enlouquecendo gradualmente.

 

Iniciamos um ósculo um tanto quanto devasso, porém, cheio de amor e saudades, sua língua buscava a minha com afogo, seu corpo vibrava abaixo de mim, nós estávamos  tão afoitos e inertes ao desejo, que dispensamos as  preliminares, transamos ali mesmo, sem se importar se Yeri, minha colega de quarto, apareceria ou não.

 

                                   {...}

 

— Eu não aguento mais essa distância! — indaga, seus dedos entrelaçam meus cabelos em uma carícia gostosa. 

 

A pequena cama de solteiro, contribui para que nossos corpos estejam bem afixos, com a cabeça em cima de seu peitoral, brinco com os botões de sua camisa, e ouvir seu coração batendo, enquanto sua respiração calma me ergue toda vez que seu peito sobe, é indescritível, seu cheiro cítrico e amadeirado me entorpece, eu o amo tanto, que realmente a sensação de ficar longe, faz parecer que não irei aguentar.

— Pelo menos não enjoaremos um do outro! — Brinco, tentando amenizar a tensão que há entre nós, não é fácil amar e viver distante, ainda mais quando se é jovem, e os hormônios estão a flor da pele.

— Não brinca Maya, você não sabe o quanto eu sofro por estar longe de você! — indaga e me aperta mais em seu peito. Um fofo!

— Como eu não sei? — Viro meu rosto para mirá-lo. — Eu sinto a mesma coisa Tae, meu corpo, meus lábios, minha alma, cada célula de meu corpo, sente a sua falta! — Indago. Ele suspira e deixa um selar em meus lábios.

— Então vem para minha universidade, você sabe que eu tenho muito dinheiro, posso pagar a sua, vem ficar pertinho de mim Maya! — Sugere. Novamente com esse assunto, de uns tempos para cá, Taehyung enfiou na cabeça de tentar me convencer a deixa-lo pagar minha faculdade para que estudemos Juntos.

— Ah! De novo isso Tae? — Me levanto e me sento na cama enquanto o olho nos olhos. — Eu já lhe disse que eu não vou abandonar a minha bolsa, eu quero o meu sucesso através dos meus próprios méritos! — digo decidida.

— Mas será por seus méritos, Maya, eu só irei pagar a faculdade para você. — Proferiu, seguindo meus movimentos e se sentando ao meu lado na cama. Reviro os olhos.

— Meus méritos são a minha bolsa de estudos! Nós teremos que aguentar essa. — Indago meio nervosa.

— Você revirou os olhos? — Questiona, e só agora me dou conta do que havia desencadeado.

— N-não? — era para ser uma resposta.

— Revirou sim, que eu vi, vem aqui! — me agarra por trás, e sinto cócegas quando seus dedos tocam em meu ponto fraco, a costela.

— Para! — digo entre risos, porém logo fico seria, ao sentir ele depositar beijos calorosos por todo meu pescoço, arfando quente na região.

— Tem certeza que quer que eu pare? Sabe como fico quando revira os olhos para mim. — indaga rouco em meu ouvido propositalmente, pois sabe o quão eu gosto de sua voz naquele tom, roça os dentes em minha orelha, me fazendo arrepiar por inteira.

 

Logo suas mãos ágeis me deitam na cama e ele fica parcialmente por cima de mim, pois, nossos pés ainda estão no chão, Taehyung  inicia um ósculo desejoso, suas mãos tenteando com intensidade todo o meu corpo, estremeço ao sentir seus dedos passarem para meu íntimo por dentro da calça e calcinha, tocando meu ponto sensível e arfando entre o ósculo.

— Taehyung... Hmmmm! — Gemi. Pois, por mais que ele já tenha feito isso incontáveis vezes, a sensação sempre é única, como se cada vez que ele fizesse, ficasse melhor.

— Adoro quando você geme meu nome assim Maya, tão entregue, tão minha. — Sussurra rouco. — Adoro saber que você fica assim, tão molhada facilmente para mim. — Finaliza enquanto contínua com os movimentos circulares em meu clitóris. — Você é somente minha. — finaliza

 

Nesse momento a porta é aberta com brusquidão, passando por ela uma Yeri completamente desacreditada, demos um sobressalto pelo susto, e rapidamente Taehyung retirou sua destra de meu íntimo.

 

— Oh! Fiquem a vontade, eu só vou pegar uma coisinha aqui. — a morena se dirigiu até sua cômoda procurando por algo.

— Como se você não fizesse isso toda vez. — Taehyung indaga nervoso. Yeri e Taehyung não se dão muito bem, meu namorado morre de raiva da garota, pois segundo ele, a mesma vive me levando para o mau caminho, vulgo as festas recônditas que Jason dá no campus.

— Eu não faço isso toda vez Kim Taehyung. — Rebate no mesmo tom, porém sim, ela faz, não por mal, Yeri é uma ótima pessoa, no entanto, adora provocar meu namorado pelas desavenças deles. Taehyung revira os olhos.

— Maya, traga uma roupa bem quentinha, porquê a festa de segunda vai ser naquela casa abandonada no meio da floresta sabe? Fiquei sabendo que até fogueira vai ter! — Indaga empolgada, entretanto sinto as segundas intenções dela ao querer provocá-lo.

 

Olho para Taehyung que respira fundo enquanto mira algo aleatório pela janela, e em um sobressalto se levanta.

 

— Vamos Maya, vamos embora logo, antes que eu perca a paciência.— Indaga frio, enquanto pega minha mala com uma das mãos, e a outra segura em minha destra, me levando do local.

— Tchau! Yeri, até segunda! — Brado enquanto sou praticamente arrancada do dormitório, e em uma última provocação, escutamos a garota gritar.

“— Tchau! Maya! Não se esqueça das roupas para a festa de segunda. —" Ela não perde a deixa.

Taehyung trava o maxilar e continua caminhando enquanto seus dedos entrelaçam firmemente os meus, me agarro em seu único braço livre e beijo seu ombro enquanto caminhamos, ele retribui meu beijo em minha testa sem dizer nada. Ele está zangado.

 

Abre o porta-malas e coloca minha pequena bagagem ali, de quebra abre a porta do carro para mim, que logo adentro o veículo, fecha a porta e dá a volta no mesmo, por fim também entrando.

 

O trajeto até a casa de sua mãe fora um tanto quanto desconfortável, nós ficamos lá todos os fins de semana, é como se fosse um ritual, para que possamos ficar bem juntinhos, como a mansão é gigante, temos bastante espaço e privacidade. O veículo estaciona e Taehyung desafivela o cinto logo saindo do carro, e isso basta para que eu saiba que ele está furioso, retiro meu cinto fazendo o mesmo que ele.

— Amor, o que foi? — Pergunto retoricamente, para que ele se expresse, já que Taehyung odeia fazer isso.

— Nada! — Mente na cara dura, enquanto retira nossas malas do carro.

 

Aproximo-me de si, e o abraço por trás, rodeando minhas mãos em sua cintura e alcançando seu abdômen, inalo todo seu cheiro tão conhecido e apreciado por mim.

— Tae... — Clamo manhosa. — Nós só temos o fim de semana, tem certeza que quer desperdiçá-lo nervoso? — Indago baixinho, dando beijos em suas costas por cima do tecido da blusa preta de gola e manga longa que o moreno usa.

 

Ele suspira, e solta as bagagens no chão, fechando o porta-malas, logo se vira e é a sua vez de segurar minha em minha cintura, automaticamente levo meus braços ao seu pescoço enquanto olhamos um nos olhos do outro.

— Desculpa amor, eu não queria ficar zangado, é só quê...— Ele hesita, enquanto morde o lábio inferior e fita o chão.

— Só quê? — O incentivo a falar. Ele suspira mais uma vez.

— Eu não suporto a ideia de você ir nessas festas, ainda mais com aquela garota, ela me odeia, e se uma hora dessas ela inventar de arrumar uma cara para você? — Indaga com um bico nos lábios, e eu sorrio, sorrio porque ele é lindo e fofo com aquela feição de bebê pidão.

— Tae, você me conhece, sabe muito bem que ninguém me  manipula, e por mais que você e Yeri tenham suas diferenças, ela nunca me empurraria para um outro alguém, sabendo que sou comprometida. — Sou um pouco repreensiva. — Além disso, acima de tudo, eu sou louca e completamente apaixonada por um certo alguém sabe? — Digo e deposito um selar em seu nariz.

— Aé? E quem seria o sortudo? — Entra na minha brincadeira, enquanto da um beijinho estalado em meu pescoço.

— Ah! Eu não sei se você conhece, é um coreano aí, ele e lindo, gentil, carinhoso, atencioso, ciumento. — Enfatizo esta última. — E muito gostoso. — Sussurro ao final.

— Hmmmm, gostoso é? Suponho que eu deveria ir atrás desse cara e acabar com ele. — Brinca e me envolve em um ósculo gostoso, intenso e quente.

 

Ele está encostado no carro, suas mãos estão em minhas ancas, apertando e me pressionando contra sua semi-ereção, o encaixe de nossos quadris é perfeito e delicioso, ele move-se lentamente de um lado para o outro, roçando em mim seu membro que agora está completamente rijo, enquanto suga meu superior, soltando e deixando um gemido escapar.

— Hmmmm, você é meu vício Maya, te quero tanto, te quero a todo instante, você me deixa louco de todas as formas possíveis, eu amo você. — Indaga beijando meu pescoço com voracidade, me deixando zonza de prazer.

— Eu... Também... Sou louca por você. — Digo entrecortado. — Eu te amo. — finalizo atacando seus lábios novamente, acaricio seu membro por cima do jeans e Taehyung arfa entre o ósculo.

— Você está precisando de uma atenção aqui não está? — Indago gemendo manhosa. Ele somente geme e consente com a cabeça, seus olhos de predador me olham com intensidade, ele já está imerso em nossa teia de prazer, quando penso e tocá-lo por dentro da calça, escutamos a doce voz de Dam.

— Hyung? Maya? Vocês chegaram! — O garotinho agora um pouco maior, corre em nossa direção, Taehyung logo o pega em seus braços, tentando disfarçar o grande volume no meio de suas pernas.

— Nossa Dam! Como você está pesado, está crescendo rápido Uh? — O mais velho dita todo orgulhoso de seu irmão.

— Filho! — A senhora Kim exclama ao nos ver passando pela porta, logo envolve Taehyung em um abraço apertado, em seguida vindo me recepcionar também, nós nos damos muito bem, a mesma não se cansa de me agradecer, por segundo ela, eu ter colocado seu filho nos eixos novamente.

                                        {...}

O final de semana como todos, fora maravilhoso, nos divertimos, namoramos, cozinhamos, dormirmos juntinhos, transamos a beça, e como sempre ficamos grudados até o momento mais detestável por nós chegar, o domingo a tarde.

— Vou sentir a sua falta. — Indago, enfiando o rosto na curvatura de seu pescoço cheiroso, a tez inteira se arrepia com esse simples gesto.

— Tsc! Eu também, não sei até quando irei suportar isso. — Indaga e sua voz está falha.

— Nós somos fortes, aguentaremos essa amor, logo as férias estão aí, e poderemos ficar juntinhos por um bom tempo. — Tento conforta-lo, no entanto, minhas narinas ardem, e eu tenho que conter as lágrimas para não desabar ali mesmo.

— Olha para mim Maya. — Ordena, me conhece tão bem. O olho, e quando nossos olhos se encontram, eu não aguento e deixo que a primeira lágrima caia.

— Não chora meu amor, assim você dificulta mais. — Indaga e me abraça apertado.

 

Suspiro pesado, e me agarro em seu tronco, só mais uma semana, e eu o verei novamente, está cada vez mais difícil, nós estamos muito apegados um ao outro, dependentes um do outro, a contragosto me desgrudo  de seu tronco e selo seus lábios demoradamente.

— Vai, se não vai ficar tarde, não quero que você dirija a noite. — soei autoritária.

Ele sorri, enxuga minhas lágrimas com o polegar me olhando ternamente.

— Até sexta! Eu te amo Maya Forbes. — Indaga selando minha testa, não contenho um riso nasalado, porque amo meu nome sair completo de seus lábios.

— Até! Eu também te amo Kim Taehyung. —

Ele entra no carro e da partida, antes de virar a esquina buzina uma última vez, e some do meu campo de vista, e lá se vai meu coração para o outro fucking lugar.

                       

                                  {...}

 

— Nossa Amiga! Será que ele me daria bola? Eu só queria uma sentada, apenas uma noite, é pedir demais? — Yeri se refere ao belo asiático a dois degraus acima de nós, Yeri não curte relacionamentos sérios, talvez seja por isso que Taehyung implica tanto com a morena, na cabecinha louca dele, ela pode me fazer pensar como ela.

— Não sei Amiga, ele é tão na dele, nunca se quer o vi frequentar uma festa do campus, ele é inferior às fraternidades uh? — Indago tentando não desmotiva-la.

— É verdade! — Suspira. E a nossa última aula do dia chega ao fim.

 

Todos começam a arrumar suas coisas para saírem da sala, Yeri vai à frente, pois segundo ela, o tempo para se arrumar é curto, já que a festa clandestina de Jason é hoje, arrumo minhas coisas na pequena bolsa, solto o pequeno elástico de meus cabelos agora na tonalidade cor de rosa, dou uma desgrenhada com as mãos para que os fios lisos se desgrudem dando assim um pouco mais de volume, começo a descer os longos degraus das bancadas, e ao chegar próxima à saída, meu elástico escorrega por entre meus dedos e vai ao chão, no mesmo instante que me agacho para pegá-lo, outra mão já se encontra tocando-o, ergo meus olhos para ver quem é o bom samaritano, e dou de cara com duas orbes encantadoras, ele não sorri, porém, seus olhos parecem fazer isso por si, seus lábios são medianos, e sua pele é alva, chega a ser como uma porcelana, ele é alto, muito alto, tem a mochila em um de seus ombros que aparentemente são bem largos, lembro me imediatamente do amor de minha vida, que contém todas essas qualidades, e um pouco mais ainda, um sorriso escapa por entre meus lábios por me recordar daquele a quem tanto amo, o homem, a minha frente, agora sorri também, provavelmente pensara que eu esteja sorrindo para ele, e fico sem jeito por isso. Nos levantamos juntamente e ele ergueu o braço me entregando o elástico.

— Muito obrigado! — Agradeço.

— Por nada! — Mais uma vez sorri com os olhos, o sorriso dele junto com os olhinhos que se fecham ao fazer tal ato, realmente são encantadores. Faço menção de me afastar, mas ele age rápido e estica a mão em minha direção.

— Cha Eun-woo! Prazer. —

— Maya Forbes! O prazer é meu. — Ergo minha mão, de modo a tocar na sua em um gesto de simpatia.

— Você vai?... — Aponta para a porta, só havíamos nós dois e o professor na sala, e logo os alunos do outro turno chegariam.

— Oh! Claro. — Sorrio, começamos a caminhar lado a lado, o silêncio é constrangedor, não nos conhecemos e nunca nos falamos antes, então porquê ele ainda está do meu lado?

— Você... — Indagamos em uníssono, sorrindo logo em seguida.

— Pode falar primeiro. — sorri gesticulando para que ele falasse.

— Eu... É... Não sou muito bom com amizades, não sei se você notou, mas faço o tipo solitário, estar aqui conversando com você é novo para mim. — Proferiu meio sem jeito.

— Aé? Sabe que eu nem notei? — Cruzo os braços divertida, ele sorri largo.

— Você é divertida! Agora entendo o porquê da sua amiga rir o tempo todo em aula. — Indaga, e me sinto confusa, então ele repara em nós?

— Quem Yeri? Ah! Vai por mim, aquela ali é a própria felicidade em pessoa, não precisa de mim para isso. — Sou sincera. — Mas, porquê? Não curte as pessoas daqui? Ou prefere focar nos estudos? — Indago realmente curiosa.

— Não, não é isso, eu realmente tenho dificuldade de me relacionar com as pessoas, nunca sei o que dizer, e às vezes me acho rude e invasivo demais entende? — Indaga e eu o fito séria, ele me parece uma ótima pessoa, não entendo porque diz isso, e assim como ele também me considero muito invasiva às vezes.

— Me desculpe, não sei porque estou lhe dizendo isso, eu...— Ele indaga mais o interrompo.

— Não tudo bem, talvez você tenha se sentido a vontade comigo, e veja só, você está interagindo normalmente, quem disse que não é bom com amizades. — digo, e sou sincera, ele sorri e me olha diferente agora, me sinto acanhada com tal olhar.

— É, talvez você seja minha exceção. — Indaga e continua a me olhar intimidadoramente nos olhos, me sinto sem graça, não entendi o que ele quis dizer, e se entendi, achei melhor me fazer de desentendida. Então me recordo no mesmo instante que Yeri está interessada. E lá vou eu bancar o cupido.

— Bom, hoje vai ter umas daquelas festas clandestinas, o que acha de nós encontrarmos lá? Yeri também vai, será uma ótima oportunidade para se entrosar, o que acha? — Sugiro, e ele parece hesitar.

— Eu não sei... Não é muito a minha praia. — Parecia indeciso.

— Tudo bem se não quiser ir, mas se mudar de ideia nos encontre às sete no hall de entrada. — Indago esperançosa, Yeri faria qualquer coisa que eu pedisse se eu conseguir fazer esse lindo homem ficar em nossa presença uma única noite, para que ela possa dar as investidas dela, e é claro que eu pediria para que a mesma parasse de pegar no pé de Taehyung.

— Às sete? Mas é daqui a uma hora. —  Exclama  incrédulo olhando em seu celular.

— Exatamente! Agora eu tenho que ir, espero te ver daqui a pouco. — Sorrio simplista e me afasto enquanto aceno com a mão, e ele fica paradão no corredor.

 

                                     {...}

 

— Amiga se ele for, eu juro que faço o que você quiser. — Yeri enuncia, toda eufórica, enquanto terminamos de nos arrumar.

— Eu sei, e se ele for, você já sabe o que quero. — Indago, e ela bufa revirando os olhos.

— Nossa você ama Mesmo aquele boca quadrada hein. — terminava de passar o batom em seus lábios, Yeri como sempre estava deslumbrante, bem maquiada, bem vestida, já eu estava simples, como de costume, não tinha um pingo de vontade de ir a essas festas, só ia para fazer companhia a minha amiga, pois se dependesse de mim, já estaria dormindo, ou conversando por vídeo com meu amor.

— Não fala assim dele. — A repreendo. — Ele tem o sorriso quadrado, não a boca, e aquele sorriso é lindo de morrer. — Sem se quer perceber, novamente já estou com um sorriso bobo no rosto ao lembrar daquele que faz meu coração palpitar.

— Tá bom, não está mais aqui quem falou. — Levanta os braços em rendição. — Agora vem aqui, pelo menos um batom nessa boca você vai passar. — Ordena.

— Vermelho? Ahhh não Yeri. — Choramingo.

— Vermelho sim, anda vem... —

 

                                     {...}

 

— Suponho que ele não venha. — Indaga emburrada, já eram sete e dez e nada do rapaz.

— É, também acho, é melhor nós irmos andando. — dou de ombros, e no momento que me viro para seguir caminho, dou de cara com um peitoral firme e quase vou ao chão, mas me recomponho antes disso, ergo meu olhar porque a pessoa é bem alta.

— Desculpa, você está bem? — Ele indaga, e sinto seus dedos gélidos por cima do tecido da blusa fina, segurarem em meu braço.

— Você veio! — Sorrio satisfeita, finalmente Yeri vai parar de pegar no pé de Taehyung. O mais alto sorri, novamente com os lindos olhinhos.

— Eu não poderia recusar um convite vindo de você. — Eunwoo Indaga sorrindo sem mostrar os dentes, porém seus olhos sorriem mais do que qualquer boca por aí.

 

Fodeu, o que ele quis dizer com isso?...


Notas Finais


Bom é isso aí? O que esperar para essa nova temporada hein? THANANANAM kskskskskks

Bom espero que tenham gostado 💜
Me deixem saber sobre isso 🥰


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...