História Tudo se resume a você - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias VIXX
Personagens Leo, N
Tags Leon, Neo
Visualizações 142
Palavras 3.566
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então... Eu encontrei essa oneshot antiga em um dos meus arquivos e decidi postar.
Ela havia desaparecido desde março e por milagre eu achei kkkkk
Espero que gostem!
A música tema é: Fantasy - Fei.

Capítulo 1 - Um pouco mais


Frustado, era essa a palavra para o estado que Taekwoon se encontrava nesse momento. Sentado frente ao seu computador, tentando escrever a droga de uma cena para o livro que publicaria em poucas semanas.

Suspirou alto olhando a tela do monitor, chegando até a bufar, precisa fazer algo em relação a isso urgentemente.

- Não vai funcionar ficar sentado aqui - sibilou se levantando e pegando as chaves de casa.

Decidiu que procuraria sua inspiração na rua, ver pessoas, escutar sons variados, sentir o aroma de comida; nem de carro foi, pegou um ônibus e com sorte achou uma cadeira do lado da janela vazia, sentou e colocou o fone de ouvido. Lembrou de quantas vezes teve idéias maravilhosas enquanto escutava música e olhava a paisagem rápida dentro da condução. Mas o caminho foi percorrido e nada parecia trazer sua criatividade de volta. Desceu e percorreu o caminho até uma já conhecida cafeteria, onde seu amigo trabalhava. Sentou numa mesa mais reservada e esperou ser atendido.

- A quanto tempo Taekwoon-hyung - cumprimentou Jaehwan lhe entregando o cardápio - Desde a viagem do Hakyeon-hyung não te vejo mais na rua, está até mais brando que o normal - riu da cara irritada do mais velho - O que vai que vai querer?

- Uma dose de inspiração, se possível - revirou o olhos inconformado - Café com leite e sem açúcar, uma fatia de Torta de Limão, pro favor - pediu devolvendo o cardápio.

- Quente ou frio?

- Quente.

O mais novo saiu atrás dos pedidos e Taekwoon ficou refletindo. Querendo ou não o cheiro do café lhe trazia certa nostalgia, mas ainda não conseguia a inspiração necessária pra escrever. No meio de seus devaneios, acabou por se lembrar do seu namorado​ que a viajou a duas semanas á trabalho. Por ironia do destino se apaixonou por um modelo altamente extrovertido. Fato era, ele próprio era reservado e muito possessivo. Ou seja, Hakyeon em nada condizia com sua personalidade, mas mesmo assim estão juntos. Como diz o velho de ditado:"opostos se atraem".

Namoram há cerca de 1 ano e 8 meses, e já convivem juntos. Quer dizer, Quando Hakyeon não está viajando, ou ele dorme no apartamento de Taekwoon ou Taekwoon dorme no apartamento de Hakyeon. Já estão mal acostumados a ter a presença um do outro, por isso estão conversando sobre morar juntos, assim não ficaria tão complicado. Mas no apartamento de quem?

- Aqui está - Jaehwan chegou com os pedidos e sentou na cadeira em frente a de Leo - Me diga, em que parte está travando?

- Na hora "H" - sibilou sem ânimo. Por algum motivo Ken começou a gargalhar, deixando Leo envergonhado - Não é nada disso, pelo contrário, ele me deixou bem satisfeito antes de viajar, o problema é que não consigo escrever, não importa o quanto eu tente.

- Bom, resta apenas você tomar seu café.

E foi o que fez. Preferiu deixar fluir livremente, forçar só pioraria as coisas.

Andou pela cidade, passou no mercado para comprar o que faltava em casa, foi até o museu, à biblioteca, até que decidiu ser a hora de voltar pra casa.

Abriu a porta e deixou os sapatos no batente, entrou e olhou para o computador sem nenhuma esperança. Balançou negativamente a cabeça e foi para seu quarto. Precisava​ de um banho e descansar a mente, só assim conseguiria fazer uma comida descente.

De banho tomado e com uma roupa mais confortável, isso é, uma calça moletom e uma regata larga; foi para a cozinha onde começou a preparar seu jantar. Surpreendido pelo celular que tocava alto, quando finalizava de colocar tudo na mesa, soltou rapidamente as coisas, limpando as mãos na toalha de prato, logo pegando o aparelho e atendendo sem ao menos ver quem era.

- Alô?

- Taekwoonie! - Ah, aquele voz, como sentia falta dela - Como você tá? Te liguei o dia todo, mas só dava fora de área - a voz do seu namorado estava tão manhosa que conseguia visualizar o biquinho.

- Desculpe, estive o dia todo fora de casa. Estou bem e você?

- Estou ótimo! Mas por que ficou o dia todo fora? Aconteceu algo?

- Sim e não, só perdi minha inspiração mesmo - sentou à mesa e mordeu um pedaço de sua omelete - E você, quando vem? Já deveria ter chegado.

- Que estranho, você não é de ficar sem escrever assim. Volto no máximo amanhã. Por que? Está com tanta saudade assim?

- Não me atreveria a expor meus sentimos, mas infelizmente você faz falta.

- INFELIZMENTE?? QUER MORRER? AGORA É QUE EU NÃO VOLTO! TENHO O PIOR NAMORADO DO MUNDO! - Leo riu, tinha feito de propósito. Sabia que Hakyeon ia surtar.

- Yeonie, deixe de besteira, sabe que te amo!

- Assim está bom - um silêncio de poucos segundos, mas nada constrangedor, se instalou sobre eles. Não que fosse por falta de assunto, contudo o moreno gostava de ouvir a respiração de Taekwoon - Woonie, sinto sua falta.

O corpo do Jung vibrou. A voz que Hakyeon fez passar pelo telefone era de quem estava fazendo algo as escondidas. Não, eles não podiam, tinham feito uma promessa!

- N, nós prometemos! - queria repreende-lo, mas seu próprio corpo já reagia à respiração descompassada do seu namorado - Me diga que você não está fazendo isso.

- Eu preciso, por favor!

Taekwoon ponderou, mesmo que não gostasse dessas coisas, achou que dessa vez não seria de todo mal, afinal poderia até ajudá-lo a escrever um pouco. Apressado, largou a comida na mesa e correu para o quarto, sentou na beirada da cama e respirou fundo, enfiando a mão dentro da calça e colocando seu pênis semi-ereto para fora, começando uma masturbação lenta, ouvindo os suspiros abafados de Hakyeon, do outro lado da linha. Era estranho, mas não ruim, o que faria falta era poder foder seu namorado depois.

Algo na sua mente clareou, e pediu baixinho, envergonhado, como se alguém o estivesse vendo; para que Hakyeon introduzisse dois dedos em si mesmo. Assim as coisas ficariam mais interessantes. Mesmo desnorteado, o moreno obedeceu e como Leo previu seus gemidos ficaram mais intensos, tanto que ele mesmo teve que se apoiar pelo cotovelo na cama, devido ao prazer, já não conseguia mais ficar numa posição só. Tremia dos pés a cabeça, imaginando N se contorcendo enquanto gemia e estocava seus dedos na sua entrada. Era demais pra ele, então gozou, acompanhado de um gemido mais alto do moreno que provavelmente também gozará.

- Droga, Hakyeon! - soltou, olhando sua mão repleta de gozo - Só você pra me convencer a fazer isso outra vez - deitou esparramado na cama - Você está bem?

- Humrumm! E você?

- Sim, mas preocupado. Ainda tem o fato de eu não conseguir escrever.

- Você vai conseguir meu amor, mas agora eu vou precisar ir. Até amanhã. Te amo!

- Eu também!

Estava desnorteado, mais que o comum, ainda sentindo o efeito da travessura que acabará de fazer. Só Cha Hakyeon pra convencer Jung Taekwoon a fazer esse tipo de coisa por telefone.

Se limpou e com um fio de esperança sentou frente ao computador, e pois suas mãos no teclado, permitindo sua imaginação fluir. 15min passados, e já era a  décima vez que escrevia e apagava. Não estava bom. Nada estava bom. Que droga.

**************

Acordou com os raios de sol na sua cara e se perguntou por que diabos as cortinas da sala estavam abertas. Acabará dormindo no sofá após várias tentativas falhas de escrever algo que prestasse, não saindo nada, então decidiu assistir, porém o sono foi mais forte. Levantou bagunçando os cabelos indo em direção ao banheiro para urinar, ainda se perguntando como as cortinas foram abertas sozinhas, já que não havia sinal de uma alma viva no seu apartamento além de si mesmo. Olhou para o box e seu corpo o levou para dentro, queria um banho.

Saiu direto para o quarto, como mais uma questão na cabeça. Por que tomei banho no banheiro de vistas se tenho um no meu quarto? Nada fazia sentido, era engraçado de se ver. Vestiu-se e foi para a cozinha. Agora seus olhos tinham se arregalado de vez. A comida a pouco tempo feita, a mesa posta, o cheiro de café fresco, tudo lembrava o modo de Hakyeon preparar as coisas, mas cadê as malas? Cadê o moreno?

Como se soubesse que estava com os pensamentos virados para ele, o mais velho abriu a porta e entrou sem nem ao menos notar a presença de Taekwoon, que o olhava curioso.

- Oh! Taekwoonie! Você acordou! - chegou perto do rapaz soltando as compras em cima do balcão da pia e virando em sua direção - Senti sua falta.

Passo os braço ao redor do pescoço do mais alto, selando seus lábios, num beijo calmo, apenas para matar aquele sentimento que a distância provocava. Ser modelo não era fácil, mas era orgulhoso, sabia que o branquelo não gostava do seu trabalho, esse era o motivo de não desistir de tudo e ir atrás de outro emprego. Soltou os lábios de Leo, olhando fundo no olho dele, sorrindo gentilmente, curtindo a presença de seu namorado que estava tão acessível devido a saudade que sentia. Raspou o nariz no de Taekwoon, no famoso beijo de esquimó, recebendo um risinho divertido dele.

- Também senti sua falta - o branquelo por fim revelará o que realmente sentia - De quê horas chegou?

- Umas 5:40h, já são 7:20h, provavelmente você acordou às 7, minutos antes de eu sair pra comprar pão, bolo e sorvete de baunilha e chocolate - explicava enquanto tirava os produtos citados da sacola, guardando cada item em seu devido lugar - E você? Conseguiu escrever alguma coisa?

- Na verdade não, minha criatividade está zerada - suspirou derrotado, sentando à mesa e se servindo de bolo e café - Vem cá - chamou, dando duas tapas em seu coxa. Hakyeon​ fez que não com a cabeça e foi direto para a sala - O que vai fazer? - perguntou distraido.

- Ler o que escreveu.

Deu de ombros e se permitiu degustar do café da manhã que o moreno havia preparado. Passou-se os minutos e Taekwoon já tinha arrumado a cozinha e nada de N aparecer. A curiosidade lhe foi maior, por isso saiu pela casa atrás do baixinho, o encontrando no quarto com a cara enfiada dentro do guarda roupa, além de estar só de cueca e vestido com uma camiseta branca do Jung.

- O que está aprontando?

O Cha deu um pulo que arrancou uma gargalhada curta de Leo. Irritado, Hakyeon fez um bico e cruzou os braços.

- Era pra ser surpresa - resmungou contrariado.

- Sobre o que? - confuso, o mais alto se aproximou do namorado, mas acabou sendo jogado na cama e este sentou em colo - Hakyeon?

"Me diga o que quiser
O quer quer que seja"

- Percebi que sua falta criatividade, nada mais é do que uma simples fuga do mundo real.

- Se fosse isso, nossa conversa por telefone teria me ajudado.

- Vamos lá Taekwoonie - passou os braço em volta do pescoço dele e mordeu o lóbulo de sua orelha - Sei que você está tão curioso quanto eu… - beijou o pescoço do Jung, o fazendo gemer baixinho - O que você quer que eu faça?

- Melhor não, você acabou de chegar, vamos apenas conversar - sugeriu temeroso, não tinha noção de que fim aquilo teria - Hakyeon!

O mais velho não ouvia, apenas direcionava sua atenção para o pescoço, queixo e orelha de Taekwoon, que a essa altura já não conseguia mais afasta-lo. Estava de certo modo surpreso, Leo apesar de ser recluso, era alguém que não negava sexo, pelo contrário, pedia por mais e se possível diariamente, porém o hesitar dele tinha um por quê e N sabia muito bem. Sádico. O Jung era sádico, mas temia machucar seu pequeno, por isso não revelava nada, no entanto o moreno estava afim de experimentar esse lado do branquelo pelo bem do livro que ele escrevia.

"Você pode me dizer o que quer, o que quer?
Diga-me tudo o que sonhou
Está tudo bem, está tudo bem, está tudo bem
Sou sua garota agora, você pode me contar suas fantasias secretas"

Num ato rápido, Hakyeon pegou uma gravata que estava solta em cima do criado mudo e mostrou ao Jung que rosnou excitado entendo de imediato o que o moreno queria. Acatou suas ordens e o jogou na cama, prendendo seus braços na cabeceira da cama. Ao ver que o mais baixo não estava assustado, acariciou seu rosto e se afastou da cama  indo até uma caixa embaixo da sua mesa de estudos, levando-a até a cama, tirando uma venda e olhando pra N como se pedisse permissão.

- Você confia em mim? - perguntou entrecortado, se deliciando ao ver o moreno confirmar.

Colocou-a em Hakyeon, que agora estava totalmente vulnerável, respirando ansiosamente, esperando pelas ações que Taekwoon faria a seguir.

O branquelo depois de admirar seu namorado na cama, levantou tirando totalmente sua roupa, subindo na cama, abrindo as pernas de N, se encaixando entre elas, insinuando seu pênis na entrada ainda coberta do mais baixo. O moreno suspirou e gemeu, recebendo um tapa forte na coxa esquerda como forma de punição.

- Quietinho ou vai ficar de castigo - sussurrou divertido, ao ver seu namorado concordar. Ele não gritou ou se assustou, isso era um bom sinal para Taekwoon que lutava contra seus fetiches desde que começaram a namorar, já que Hakyeon sempre aparentou ser um menino direito.

"Vejo que está hesitando, estou chocada
Na verdade, não sou tão inocente
Está tudo bem, está tudo bem, está tudo bem
Também estou animada, olhe para mim e diga o que vem à tona"

Com mãos habilidosas, Taekwoon tirou a cueca box de N e passou a ponta dos dedos pela glande despertar deste, que se contorceu na cama, mas não gemeu.

- Bom menino - soltou orgulhoso, acariciando de leve a intimidade do moreno.

Hakyeon esvaziou a mente, precisava se concentrar em satisfazer, depois resolveria se isso era bom ou não para si. Sentiu, com prazer, os dedos de Leo escorregarem pelas suas cochas, arranhado-as por inteiro. Ah aquilo o excitava, mas ao mesmo tempo o deixavam temeroso, se perguntava até onde o Jung iria com suas fantasias e se seria capaz de ir até o fim.

- Taekwoon - sussurrou chamando atenção deste, que se concentrava em beijar sua cocha direita - Não me machuque - pediu com a respiração ofegante.

- Eu jamais faria isso, meu amor - sorriu e voltou a ficar em cima do Cha - Eu vou cuidar muito bem de você.

"Ooh estou esperando
Ooh posso fazer tudo
Me diga o que quiser, o quer que seja
Não hesite, me diga baby"

Dentro daquela caixinha, tinha bastante objetos, mas Taekwoon sabia que não deveria usá-los, Hakyeon não era acostumado, além de já ter pedido pra não ser machucado, aquilo era um alerta de que tudo era uma brincadeira e que deveria ir aos poucos. Pegou um chicote de fibra leve e passou pelo corpo de Hakyeon que tremeu em curiosidade. Ele riu, estava adorando fazer aquilo.

Bateu de leve pela primeira vez e observou a reação de seu namorado. Bateu mais duas vezes, só que com um pouco mais de intensidade e teve um bom sinal. Decidiu por um pouco mais de força e N puxou o ar entre os dentes, significava que ultrapassou um pouco o limite.

"Ooh estou pronta
Ooh estou na sua frente deste jeito
Me diga o que quiser, o quer que seja
Quero fazer tudo para você esta noite"

Leo sabia que uma hora ia dar o foda-se, por isso decidiu que não usaria mais seus brinquedinhos. A partir de agora, boca e mãos fariam um belo trabalho.

Lambeu o tórax do moreno, descendo as mãos para apalpar a bunda redonda. Usou a língua e lábios de forma brusca nos mamilos do Cha, que se contorcia, e mordia os lábios para não soltar nenhum gemido. Estrangulava na garganta qualquer som que pudesse sair para não ser punido, apesar de ter consciência de que era isso que Taekwoon queria: lhe punir. Por isso, soltou um gemido fino, ouvindo com prazer seu namorado rir.

- Meu pequeno desobediente, o que farei com você? - perguntou rente aos lábios de Hakyeon que ofegava.

- Me foda - pediu rouco.

Taekwoon rosnou. Era tudo o que queria, além de torturar mais um pouco seu namorado, mas a saudade era maior do que qualquer outro desejo. Queria tomar Hakyeon, e o faria logo.

"É difícil abrir seu coração
Mas depois que você faz, tudo é possível
Está tudo bem, está tudo bem, está tudo bem
Tenho meus pensamentos, então seja livre e pense sobre o que quiser"

Retirou a venda do namorado, que ficou confuso com a ação, depois retirou a gravata, o libertando.

- Eu quero te ter, Yeonie - puxou o namorado para seu colo - Mas quero te ter como todas a vezes. Eu gosto do nosso jeito - segredou perto do ouvido do Cha.

- Ah, meu amor - soltou manhoso rebolando em cima do membro de Leo - Por que ainda não fui preparado? - perguntou com uma sobrancelha erguida.

- Oh, não seja por isso, chupe - ofereceu dois de seus dedos para o namorado que fez um trato bem dado neles - Depois quero isso no meu pau.

- Quem sabe depois que você terminar de escrever - prometeu logo ofegando por sentir dedos lhe invadindo.

Aqueles movimentos deliciosos a muito não eram um incomodo para Hakyeon, mas precisava daquilo para suportar seu namorado, não que ele fosse super dotado, mas eram belos 18 centímetros, alem de grosso.

- Deus como eu senti sua falta - soltou abraçado ao corpo do namorado.

- É só deixar de viajar tanto - riu de colocando dentro de N.

- E da a você o gostinho da vitória? - perguntou derrubando Taekwoon na cama - Nunca!

Com a visão de Leo com os braços atrás da cabeça, apenas o esperando trabalhar. Hakyeon tratou de cavalgar em seu namorado com maestria. Quicando, rebolando, deslizando, tudo que fosse necessário para satisfaze-lo. Mesmo gostando daquilo, o Jung queria mais e agarrou a cintura do moreno o auxiliando nos movimentos.

"Irei lhe ajudar a pensar
Basta me olhar agora
Está tudo bem, está tudo bem, está tudo bem
Não tire os olhos de mim, toda vez que pensar em algo, me conte"

A visão era encantadora, porém Taekwoon retirou o moreno de seu colo e o botou de quatro na cama, logo se encaixando e passando a dar fortes estocadas em sua entrada.

- Isso! - Hakyeon gritou satisfeito.

Era ali, Taekwoon havia achado seu ponto mágico e agora se dedicava a acerta-lo, só pra ter o prazer de ouvir os gritos do seu namorado, que em nada era discreto, mesmo que depois fosse reclamar que a culpa era sua.

"Ooh estou esperando
Ooh posso fazer tudo
Me diga o que quiser, o quer quer que seja
Não hesite, me diga baby
Ooh estou pronta
Ooh estou na sua frente deste jeito
Me diga o que quiser, o quer quer que seja
Quero fazer tudo para você esta noite"

Todos os sons produzidos no quarto pareciam uma orquestra sincronizada. Ranger de cama, corpos se chocando, arfares e gemidos, tudo isso em plenas 8h da manhã.

Taekwoon se curvou encostando o tórax nas costa do moreno. Buscou com a mão o rosto do namorado para poder beija-lo.

- Quero gozar olhando pra você - sussurrou tende a boca de Hakyeon.

Ambos estavam com os corações acelerado, os corpos suados e prontos para explodirem a qualquer momento. Taekwoon desceu a destra para o pênis esquecido do namorado, o masturbando freneticamente.

Com um gemido alto e manhoso, Hakyeon gozou, acompanhado do branquelo que se despejou dentro dele.

Ficaram deitados se curtindo por longos 15 minutos, até que Hakyeon adormeceu e Taekwoon decidiu se levantar para continuar a escrever.

(XxxxxxxX)

11h da manhã, N despertava de seu belo sono sentindo falta do corpo quente do seu namorado. Levantou ainda nu, sem se importar com esse fato, indo atrás do Jung que dormia frente ao computador. Sorriu divertido e se aproximou para ler o que a criatividade do branquelo, sentindo pela primeira vez a vergonha bater ao ler o conteúdo. Mesmo que os futuros leitores não fossem saber, mas ele sabia que tudo que estava escrito ali tinha acabado de acontecer entre eles dois. Se sentou no colo do namorado, beijando levemente seu pescoço.

- Não acredito que você me descreveu daquele jeito - falou baixinho mordiscando o pomo de Adão de Taekwoon.

- Vai me dizer que não gostou - abriu os olhos e sorriu brincalhão.

- Só vendo pra crer - sussurrou rouco.

"Foi difícil ter meus próprios pensamentos
Mas quando lhe vi esperando por mim
Meu coração começou a abrir"

- Eu cuidarei disso assim que enviar o manuscrito para a editora - tirou o moreno de seu colo e passou a analisar seu trabalho.

- Não demora hein - saiu da sala rebolando sua bela bunda - Ou eu terei um usar alguns daqueles brinquedinhos.

Taekwoon estancou onde estava e mordeu os lábios. Aquilo era sem dúvidas algo não precisava fazer de imediato, mas não poderia mentir que seu corpo vibrou com a ideia de continuar a testar seu moreno.

- A quer saber, eu já terminei mesmo - levantou e praticamente correu para o quarto. Aquele seu um longo dia..

"Ooh estou esperando
Ooh posso fazer tudo
Me diga o que quiser, o quer quer que seja
Não hesite, me diga baby
Ooh estou pronta
Ooh estou na sua frente deste jeito
Me diga o que quiser, o quer quer queseja
Quero fazer tudo para você esta noite"


Notas Finais


E então?
Vocês gostaram?
Comentem!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...