1. Spirit Fanfics >
  2. Tulipas >
  3. Paradoxo de Tulipas

História Tulipas - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Paradoxo de Tulipas


Fanfic / Fanfiction Tulipas - Capítulo 1 - Paradoxo de Tulipas

Ano: 2000

O dia está claro, com bastante sol iluminando as inúmeras árvores que estão ali naquela floresta.

Um velho misterioso sai de dentro da floresta, ele aparenta ter uns 50 anos. O velho está com uma mochila nas costas e uma expressão cansada.

Ele para e observa se está no caminho certo, o velho parece convicto de onde quer ir. Caminhando devagar, ele avista uma universidade da SPACE (Nasa no mundo real) relativamente perto. O velho fica triste, o local é bastante familiar.
Rapidamente, ele se dirige em direção a esta universidade.

Passado uns 10 minutos, ele finalmente chega.

A universidade é composta por um corredor, dividido por salas.

O velho caminha, ao mesmo tempo em que vai passando por algumas salas.

Sala 1: Astronomia Geral

Sala 2: Palestra de Astronomia (sala certa)

O velho para em frente á esta sala, parece que essa é a sala que ele procura.

Ele retira uma espécie de capacete de dentro da sua mochila, e coloca na cabeça.

O velho respira fundo, toma coragem e entra na sala.

Logo ao lado, há uma terceira sala, cujo nome é "Sala de psicologia".

Dentro, há um homem deitado em um sofá, entretido ouvindo uma música. Seu nome é Caleb Jensen. Caleb aparenta ter uns 20 anos e está completamente distraído.

Um homem de jaleco branco entra na sala, seu nome é Samuel.
Samuel é médico, psicólogo e físico.

- Olá Caleb!

Caleb não ouve.

- Caleb?!

- Ah, oi Samuel. Me desculpe.

Caleb se senta no sofá.

- Como você está, Caleb?

- Vou bem doutor.

- Você está pronto pra missão amanhã?

- Sim doutor, acho que sim.

- Sim ou acha que sim?

- Sim!

- Alguma alucinação, visões?

- Alucinação?

- Sim, tipo coisas que não existem.

- Hmm, Não...

- Certo. Me fale um pouco sobre sua vida, Caleb.

- Você já sabe todos os detalhes da minha vida, Samuel. Por que você está perguntando?

- Isso é importante pra missão Caleb. Eu preciso saber se você está bem psicologicamente para que ocorra tudo certo.

- Tá certo. Bom... Desde pequeno meu sonho sempre foi "voar nas alturas", e eu estava disposto a seguir alguma profissão relacionada a isso. Acho que isso se deve por influência do meu "amado pai", Christian. Ele era e ainda é um dos chefes da SPACE, e por causa disso ele sempre foi obcecado para que eu me tornasse astronauta.
Minha mãe, Isabel, por outro lado tinha receio de eu me tornar astronauta, por conta dos grandes riscos de morte na época. Mas respeitando o meu sonho de voar nas alturas, na medida do possível, ela queria que eu me tornasse piloto de avião.
Antes de eu fazer minha escolha, minha mãe morreu e para respeitar a vontade dela, eu acabei me tornando piloto de avião.
Enfim, umas semanas após a morte da minha mãe, eu conheci a Rose, minha namorada. A gente viveu tão feliz por um tempo, mas um certo dia, ela sofreu um acidente e ficou... Paraplégica.
Algumas coisas aconteceram depois disso e foi nesse ponto que eu não tinha mais controle sobre mim, eu tava vulnerável e destruído. Então, eu acabei acatando as ordens do meu pai e me tornei astronauta.

- Ok... Qual a conclusão disso tudo?

- A conclusão é que a culpa é toda do meu pai! Ele parece que nunca se importou da minha mãe ter morrido e com o acidente da Rose. Ele só sabe agir com a sua obsessão de me obrigar a virar astronauta, e olha só, ele conseguiu!
E eu trair o desejo da minha mae de não me tornar piloto de avião. E eu nunca vou perdoar meu pai por isso, mas agora já é tarde.

- Por que é tão difícil pra você perdoar seu pai, Caleb?

- Por que você acha que seria fácil, doutor?

- Eu sei que não é fácil perdoar Caleb e você sabe por que eu sei disso.
Agora faz o seguinte Caleb, tem uma palestra de jovens astrônomos aqui na sala ao lado, passa lá, se acalma, fala um pouco sobre a sua missão.

- Não é necessário doutor...

- Por favor, Caleb!

- Tá bom, acabou?

- Sim!

Caleb se levanta e se dirige á porta da sala.

- Boa sorte, Caleb!

Caleb caminha pelo corredor a procura da sala.

- Palestra de astronomia, palestra de astron... Achei!

- Certo, vamos lá!

Caleb entra na sala.

- É... Bom dia pessoal!

Os adolescentes respondem.

- Bom diaaaa!!!

Caleb, então, se prepara para falar.

- Vocês já devem saber que eu sou um dos astronautas da SPACE, certo?

- Sim!!!

- Então... Eu vou contar aqui pra vocês um pouco sobre a missão.
Bom... Nosso objetivo é tornar um planeta habitável no sistema interestelar. Chamamos esse planeta de Sapilut. Para tornar o Sapilut habitável passaremos por quatro etapas principais: Temperatura, atmosfera, água e oxigênio. Nessa primeira missão vamos tentar controlar o oxigênio. Mas, como iremos fazer isso? Simples, iremos usar cactérias, que é uma fusão de cachorros com ciano bactérias.
Essas cactérias sobrevivem através do gás carbônico. Ao absorverem gás carbônico, elas o transforma em oxigênio e joga na atmosfera. Dessa maneira, quanto mais as cactérias se reproduzem, mais oxigênio.

Caleb avista um velho misterioso no fundo da sala tirando o capacete.

- Ah não...

Caleb toma um susto e sai correndo pra fora da sala.

- A aula acabou, me desculpe.

Caleb sai correndo pelo corredor se dirigindo a saída.

- Aquele velho de novo! Quem é aquele velho? Acho que tô ficando maluco...

Quando Caleb está chegando perto do seu carro, o telefone toca.

- Alô (Ele fala assustado)

- Caleb!

- Ah, oi pai!

- A Rose não está bem, ela parece que está com falta de ar ou algo assim...

- O que? Como assim?

- Vem aqui agora!

- Tô indo pra aí.

Caleb entra no carro e acelera para chegar o mais rápido possível.
A viagem da universidade para sua casa dura aproximadamente 10 minutos.
Caleb chega na sua casa, ele sai do carro e entra. Seu pai, que aparenta ter 50 anos de idade, está do lado da Rose, que está deitada nas condições de sempre.

- Rose!!!

Caleb senta do lado da Rose e a conforta.

Logo, em seguida, Caleb olha para seu pai.

- O que aconteceu pai?

- Ele teve outra crise.

- Eu não entendo, faz tempo que ela não tem outra crise...

- É melhor levar ela pro hospital.

- Não... não, hospital não!

- Caleb, sua missão já é amanhã! Você não pode partir nessa missão e deixar sua namorada aqui sem um acompanhamento médico.

- Ah não pode ser... Você não tá vendo o estado dela e vem me falar dessa droga de missão de novo?!

- Por que você não pode simplesmente me perdoar por tudo?

- Perdoar? Você acha que é fácil? Quer saber... Eu não vou mais, vou ficar aqui com a Rose!

Christian se irrita.

- Você não tá entendendo a realidade da situação Caleb, ir nessa missão vai ser a única coisa importante que você vai fazer na vida.

- Minha mãe foi morta por sua causa e você vem me falar do que é importante pra mim?

- Por minha causa? Você enlouqueceu...

- Sai da minha casa, pai!

- Caleb...

- Sai daqui Christian!

Christian decide sair.

Caleb olha pra Rose e chora.

- Desculpa Rose...

Ele então percebe que a tulipa branca não está do lado da Rose. Onde ela sempre costumava ficar.

- Ue? Cadê a nossa tulipa?

Caleb abre um baú no quarto, a tulipa está lá dentro. Ele pega e coloca ao lado da Rose.

- Melhor assim, Rose?

Caleb se deita ao lado da Rose.

- Tudo vai melhorar agora Rose... Tudo...

Caleb começa a ter sonhos estranhos.
Ele sonha com um foguete vermelho caindo em algum planeta com solo avermelhado. Na lateral do foguete está escrito "SPACE", parece que acaba de ocorrer um grave acidente.
Na frente do foguete caído, há algumas ruinas do que parecia ser uma grande estrutura. No centro das ruínas, há uma pequena estrutura que permanece intacta, com uma porta de entrada na frente. Inclusive há três tulipas brancas em frente á porta. Do lado dessa estrutura intacta, há um botão que pode ser pressionado, rodeado por alguns materiais que aparentam ser bem resistentes.

Caleb desperta no sonho.

- O quê? Que lugar é esse?

Caleb está assustado. Ele observa as três tulipas e depois olha para a porta que tem uma placa ao lado escrita "Et repropitiaberis et dimittere". Caleb não entende, mas decide entrar.

Dentro da estrutura tem centenas de tulipas brancas que ocupam todo o espaço, além do centro que tem algo que aparenta ser uma escotilha.

Rose está entre as inúmeras tulipas.

- Rose?!

Ela não responde.

- O que você está fazendo aqui?

- Você precisa ir, Caleb.

- Ir? Ir pra onde Rose?

Caleb fica pensativo.

- Você está falando que eu devo ir na missão? Ah Rose... Isso é complicado...

- Leva a tulipa!

Caleb acorda assustado, com o celular tocando.

- Meu Deus...

Caleb atende, é seu pai.

- Alô, pai?

- Caleb! Está na hora, vem logo!

- A gente já conversou sobre isso pai.

- Cale...

Caleb desliga. Ele ainda está assustado.

- Rose... Você acha mesmo que eu devo ir? Você vai ficar bem mesmo?

Caleb finalmente se convence.

- Tá Rose... Eu vou. Mas, eu prometo que eu volto.

Caleb beija o rosto de Rose e se despede

- Te amo, Rose!

Caleb sai pelo porta e entra no carro.
A viagem até a SPACE dura aproximadamente 30 minutos, mas ele chega bem. Caleb estaciona o carro e entra na SPACE. O velho misterioso observa Caleb de longe, mas Caleb não o vê.

Seu pai está no segundo andar. Caleb caminha pelo corredor do primeiro andar que tem várias placas escritas e quadros das missões do programa apollo.

Ele sobe a escada que dá para o corredor do segundo andar, que inclusive também tem algumas placas escritas, uma delas escrita "30° aniversário da SPACE". Em frente á essa placa tem uma sala com grades que lembra uma cela.
Ele finalmente acessa a sala que seu pai está esperando. Os dois astronautas que irão acompanhar Caleb, Gabriel e Felipe, também estão lá, junto com o Samuel e as três cactérias. Todos estavam esperando por Caleb.

Caleb fala com seu pai.

- Pai!

- Caleb, sabia que você viria!

- Você sempre vence, né?

Ambos ficam em silêncio se encarando por um tempo. Christian está triste, ele parece estranho. Mas decide falar.

- Chegou a hora, Caleb. Vamos?

- Sim!

Todos se dirigem a área do foguete. O foguete tem uma cor branca e é enorme. Caleb fica surpreso e logo depois se despede do pai.

- Tchau pai!

Caleb se vira e Christian toca no ombro de Caleb.

- Espera Caleb!

- Ahm?

- Têm uma coisa que eu preciso te entregar.

Christian tira uma carta de dentro do bolso.

- Sua namorada me deu essa carta, ela me disse que era pra mim entregar pra você. Ela me entregou uns dias antes de sofrer o acidente.

- O que? Por que você não me deu isso antes?

- Ela disse pra mim te entregar em um momento especial. Acredito que esse é o momento mais apropriado.

Caleb pega a carta.

- Só abra quando estiver pronto, certo?

- Pronto? Pronto pra quê?

- Adeus Caleb!

- Tá...

Caleb se afasta do pai, cumprimenta o Faraday e se dirige até o foguete. Seus companheiros, Gabriel e Felipe e as três cacterias o acompanha.

Todos se acomodam nos seus lugares dentro do foguete, chegou a hora da contagem regressiva.

- 10...

- 9...

- 8...

- 7...

- 6...

- 5...

O grupo da palestra de astronomia observa.

- 4...

Faraday observa.

- 3...

Rose observa (indiretamente)

- 2...

Christian observa (chorando)

- 1...

- Partindo...

O foguete finalmente parte.

Mas, naquele exato momento, naquele exato instante, o pai de Caleb não estava sozinho. O velho misterioso estava ao seu lado.

[6 Meses Depois]

O Foguete continua voando, Gabriel esta no controle, enquanto Caleb e Felipe estão sentados.
Caleb começa a falar no rádio.

- Bom, agora são 7:35 no horário da terra, hoje já faz 6 meses que partimos. Já usamos 1/3 da comida, estamos muito perto do planeta sapilut, a viagem está sendo um sucesso. E... Acho que Isso é tudo.

Caleb desliga e começa a observar a janela.

Derrepente, Caleb ouve um barulho de vidro se quebrando. As janelas do foguete se quebram. Gabriel e Felipe desmaiam. O foguete perde o controle.

Caleb fica em choque.

- Ah meu Deus!!!

Caleb tenta manter o controle do foguete, mas não funciona. O foguete começa a se quebrar. Uma luz bem forte surge na frente do foguete e Caleb desmaia.

[1 Hora Depois]

Caleb acorda em um solo avermelhado, mas não consegue respirar. É impressionante o fato dele ter sobrevivido. Ao seu redor tem muitos destroços.

Foi neste momento que a vida de Caleb se tornou um inferno, mas aquilo só foi o início.

[Fim do Capítulo]



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...